História Loved You First - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Nina Dobrev, One Direction, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Nina Dobrev, Zayn Malik
Tags Acidente, Deo Devine, Drama, Fernanda Vasconcellos, Harry Styles, Kristina Pimenova, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Nina Dobrev, Romance, Theo Horan, Willie Devine, Zayn Malik
Visualizações 82
Palavras 2.952
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


🍀BETAGEM - KINGDOM DESIGNS
Por: SweetDrama || Ana França🍀

🍀TíTULO PARA CAPÍTULO - ID
Por: Bec L 🍀

Vcs não estão comentando e isso está me deixando triste. Talvez eu devesse parar de escrever.

Capítulo 17 - Chapter Seventeen: Ice skating


Fanfic / Fanfiction Loved You First - Capítulo 17 - Chapter Seventeen: Ice skating

Esther Ock

Nova Iorque

 

Tínhamos acabado de desembarcamos no aeroporto de Nova Iorque. Era um lugar totalmente novo para mim, já que eu nunca havia saído da Inglaterra. Pelo menos não que eu conseguisse me lembrar. As ruas eram tão movimentadas quanto as londrinas e tinha bastantes prédios por todos os lados. Era uma loucura de carros passando e pessoas circulando de um lado para o outro. E era também bem barulhento. Eram vozes de pessoas andando e falando em seus celulares, gritando por táxis e carros buzinando sem parar. Realmente uma cidade bem agitada e um fluxo de gente enorme.

— Está um pouco assustada? — Harry me perguntou já dentro do táxi, comigo e Gemma.

— Um pouco. É uma cidade bastante movimentada.

— É porque você ainda não viu isso fora das épocas paradas.

— Como assim?

— Esse fluxo de gente não é nada comparado ao horário de trabalho ou no fim deles. —Comentou meu noivo. — O fluxo está até baixo por ser final de ano e festas comemorativas.

— O fluxo é maior do que esse? — Perguntei assustada. O taxista até riu.

— Sim, bastante. — O táxi parou e o Harry abriu a porta estendo a mão para mim. Gemma pagou o taxista agradecendo pela viagem.

Estávamos parados em frente ao um hotel. Lotte New York Palace. O Hotel era enorme e mais parecia um palácio, assim como o próprio nome já dizia.

— Harry esse hotel não é muito caro não?

— Nada que eu não possa pagar, meu amor. — Sorriu beijando uma de minhas mãos e me puxando para dentro.

Um dos caras que eu não sei o nome cuidou de carregar nossas malas, que a Gemma tinha tirado do táxi, com a ajuda do mesmo, para dentro do hotel. Fomos até o balcão, onde uma mulher ruiva e muito bonita estava atendendo.

— Bom dia! — Sorriu amigável. — Vão querer um quarto?

— Bom dia! Já fiz a reserva na verdade. Está no nome de Harry Styles.

— Oh… Tudo bem. Deixa eu dar uma olhada aqui. —A moça então teclou algumas coisas em seu computador até se voltar novamente para nós. — Ah sim, achei Harry Styles, dois quartos reservados para cinco dias.

— Sim, isso mesmo.

— Aqui estão as chaves. Quartos 515 e 516. Sejam bem vindos e tenham uma boa estadia. — A ruiva disse nos estendendo as chaves.

Gemma pegou as chaves das mãos da ruiva e me puxou com ela em direção aos elevadores.

— Podemos ir pelas escadas?

— Nossos quartos são no quinto andar vai querer mesmo subir isso tudo de escada?

— Acho que não sou muito fã de elevadores. —Comentei.

— Como você sabe se nunca andou? Anda vamos! —Gemma falou me puxando.

— Não, espera e o Harry? — Olhei para trás e o vi assinando alguma coisa e entregando para a mulher. Logo depois se voltando para a gente e caminhando em nossa direção.

— Ele só estava acabando de fazer o check-in. Agora vamos! —Gemma tentou me puxar mais uma vez, mas eu a interrompi.

— E as nossas malas?

— Elas estão com os encarregados, eles vão deixá-las em nosso quarto na saleta de entrada. Talvez até já estejam lá. Toma a sua chave, vou ficar com o quarto 515. — Gemma disse me entregando a chave com o número 516.

— E como eles vão saber que malas no quarto devem entregar?

— Fica calma, Esther, elas estão bem ali. Eles vão subir com a gente. — Gemma disse. Olhei mais uma vez para trás e vi o Harry se aproximando mais e os caras que carregavam as nossas malas atrás do Harry.

Mas quando o Harry entrou no elevador com a gente os caras ficaram para trás com as nossas malas.

— O que foi? — Me perguntou ao se aproximar de mim e ver que eu estava aflita.

— Ela está preocupada com as malas. — Gemma disse antes que eu pudesse responder a ele.

— Calma, meu amor, eles vão entregá-las em nosso quarto. Eles sabem o número, disse que podia ser entregue tudo em um quarto só, depois veríamos quais eram de quem. Não precisa ficar assustada. Eles não vão sumir com as nossas malas. — Harry disse me abraçando e beijando a minha têmpora.

— Minhas lingeries estão em uma das malas. E tem uma em particular que eu queria te fazer uma surpresa que não pude fazer na casa de seus pais. E trouxe também alguns brinquedos que eu morreria de vergonha se essa mala fosse parar em quarto errado ou até mesmo o da sua irmã. Gemma iria nos zoar para o resto da vida. — Disse sussurrando no ouvido do Harry para que só ele ouvisse. Seu sorriso foi de apaixonado para malicioso em apenas um segundo.

— Não vai cair em mãos erradas. Alguns brinquedos… Humm… Lingeries. Vou adorar esses cinco dias aqui em Nova Iorque, acho que nem vou querer sair do quarto. — Harry disse também sussurrando em meu ouvido e depois beijando e chupando o lóbulo de minha orelha. Acabei gemendo baixinho, mas o suficiente para que Gemma ouvisse.

— Já chegamos, será que vocês poderiam pelo menos esperar até chegar no quarto? — Disse antes de sair do elevador. Acompanhamos ela. Entreguei a nossa chave ao Harry que abriu a porta de nosso quarto. Gemma nos seguiu adentrando o mesmo também.

— Gostei bastante desse quarto. Muito bonito e espaçoso e a vista daqui é muito boa. — Disse se aproximando da janela.

— Seu quarto é ao lado, não? — Harry perguntou tirando o sobretudo preto dele e jogando sobre a cama.

— Sim, mas fiquei curiosa em conhecer o quarto de vocês.

— O seu é ao lado e é a mesma coisa do que o nosso, Gemma. Desembucha logo de uma vez o que você quer?

— Bem, então. Willie me ligou antes de pegarmos o avião e virmos para cá.

— Sim e o que mais? — Harry perguntou tirando as botas e as pondo no canto ao pé direito da cama.

— Ele vai vir passar a virada de ano novo com a gente e talvez ficar até a hora de voltarmos para Londres e aí ele volta para Los Angeles. —Disse Gemma um pouco insegura com o que dizia.

— Você já me disse isso. —Harry replicou sentando-se na cama.

— Sim, mas será que ele pode ficar aqui?

— Aqui neste mesmo hotel e em outro quarto, é o que você está querendo me dizer não é?! —Harry sugeriu encarando a irmã mais sério dessa vez.

— Bem quase… Aqui neste mesmo hotel, mas no quarto comigo?! —Tentou Gemma que recebeu um olhar mortífero de Harry.

— Como é que é? Você está de sacanagem com a minha cara? — Harry disse se levantando e caminhando até a Gemma.

— Harry calma! — Disse me aproximando dele e o parando.

— Você sabia disso? — Perguntou me encarando.

— Não! Fiquei sabendo disso agora também, mas se acalma.

— Não mesmo Gemma! Você mal conhece o cara e eu nem tive o prazer de conhecê-lo também, e você já quer ir se deitar com ele? —Questionou o irmão furioso, tão furioso que já estava aumentando o tom de voz.

— Não estou dizendo para você que vou transar com ele Harry e mesmo que eu fosse, isso não se diz respeito a você. Só estou dizendo que vamos dividir o mesmo quarto, apenas isso. Ele me respeita e respeita você também. Ele é diferente, não é como os outros que logo queriam me levar para a cama. Ele não é esse tipo de cara. Ele me trata como se eu fosse uma virgem. Não quer nenhum contato mais íntimo antes de conhecer você e nossos pais, não antes de ter a permissão de vocês todos. Ele leva essa coisa se relacionamento muito a sério. — Harry ficou pensativo por alguns segundos.

— Nada aceito sem que eu tenha uma conversa com ele antes! —Harry ficou firme em sua decisão e Gemma a aceitou.

— Tudo bem, agora vou deixar vocês terminarem o que estavam fazendo no elevador. — Disse saindo do quarto. — As malas chegaram. Estou levando as minhas para o meu quarto! — Arregalei meus olhos e saí correndo atrás dela.

Uma das minhas malas, a que continham as minhas lingeries era idêntica a um das malas da Gemma. Por isso o meu nervosismo todo. A peguei pelo braço ainda no corredor e como eu suspeitava ela tava levando a minha mala.

— Essa aqui é minha! — Disse pegando a mala de sua mão.

— E como você sabe disso?

— Porque eu verifiquei as etiquetas. Marquei as minhas e como eu sabia que você não ia perceber esse detalhe vim correndo atrás de você. Toma! — Disse lhe entregando a sua.

— Ah… Obrigada. Será que ele vai deixar que eu divida o meu quarto com o Willie? —Questionou Gems com um olhar um pouco entristecido.

— Se tudo aquilo que você disse sobre ele for verdade, então ele vai se dar bem com o Harry.

— Tomara que sim. Deixa eu ir agora, preciso de um banho e descansar um pouquinho.

Quando voltei para o quarto, Harry estava apenas de box e caminhava pelo quarto falando ao celular. Mordi meus lábios contemplando suas costas grandes e largas.

— Pode deixar mamãe. Te ligarei antes da virada de ano. Sim… Manda um beijo para o Robin também. — Me aproximei e lhe abracei por trás, beijando suas costas e passando minhas mãos pelo seu abdômen definido e gostoso. Descendo mais minhas mãos e adentrando sua box. — C-certo. Preciso i… Ir… Agora!

Me afastei sorrindo quando ele desligou o celular e me encarou. Harry começou a andar em minha direção, recuei ainda sorrindo.

— Você foi uma menina muito má, meu amor.

— Fui é? E o que você vai fazer sobre isso? — Perguntei tirando meu casaco e o deixando cair aos meus pés. Harry sorriu e mordeu seu lábio inferior antes de me tomar em seus braços.

[...]

Já eram por volta das três da tarde quando descemos para o restaurante do hotel para comermos alguma coisa. Por mim e pelo Harry teríamos pedido a comida no quarto mesmo, mas Gemma, sendo a Gemma que conhecemos. Ficou batendo freneticamente na porta do nosso quarto até que tivemos que abrir e descer com ela para comer alguma coisa. Agradeci por ela não poder ter entrado em nosso quarto, senão iria nos pegar num momento muito constrangedor.

Pedi um prato simples: Frango grelhado, com batata doce e salada de aspargos. Gemma já pediu carne assada com batatas coradas e feijão branco. Harry pediu frango grelhado também com palmito e salada com folhas verdes e legumes.

— Não sei como vocês conseguem comer apenas isso, juro que uma vez até tentei, mas não consegui. Parecia que eu não tinha nem comido nada. —Comentou Gemma cortando a sua carne.

— Isso é falta de costume, com o tempo seu corpo se adapta a esse tipo de alimentação. Comigo no começo foi a mesma coisa. Agora não sinto mais tanta fome assim e me sinto bem alimentada com o pouco que eu como. —Comentei.

— E isso só pode ser coisa do Harry. Ele que tem essa mania, já disse a ele que ele está na profissão errada. — Ri. Porque eu já tinha dito isso ao Harry também.

— Não faz mal comer bem. E às vezes eu e Esther até assistimos um canal na TV de culinária sobre como você pode comer de tudo de uma forma mais saudável para a sua saúde.

— Deve ser tudo sem açúcar e light. E sem gosto nenhum. —Gemma debochou fazendo uma careta.

— Não, até que não. —Comentei. — Você precisa assistir com a gente. O cara faz cada coisa gostosa aos olhos que eu acho que seja difícil não ser bom também. Tem uma receita que ele fez de um doce que eu estou doida para fazer lá em casa.

— Não sei para que você está fazendo dieta, você nem precisa.

— Não estou fazendo dieta, apenas me alimentando de uma forma saudável. Acho que você deveria fazer o mesmo. —Respondi a minha cunhada.

— Não, obrigada. Estou bem comendo a minha carne assada e minhas batatas deliciosas e coradas. — Replicou Gems sorrindo. — Mamãe te ligou, certo?

— Sim, falei com ela mais cedo. Por quê?

— É que ela me ligou depois, disse que achou sua voz estranha no final da ligação e que você desligou o celular muito rápido. Me perguntou se eu sabia de alguma coisa. — Olhei para o Harry sorrindo. — Falei que ela deveria ter interrompido alguma coisa. Pelo menos eu não sou mais a única a fazer isso. — Disse sorrindo.

— Você costuma fazer isso sempre Gemma, já perdi a conta de quantas vezes fez isso e até mesmo com a porta trancada. Espero que esse Willie te faça esquecer um pouco a minha casa.

— Com certeza irmãozinho… Espera aí isso quer dizer que você está bem perto de aceitar ele?

— Não! Não antes deu ter uma conversa com ele. — Harry disse com o maxilar rígido. Porém sabíamos que ele estava cedendo a hipótese do Willie ser mesmo um bom cara para a sua irmã, mesmo antes de o conhecê-lo.

— Podemos ir andar um pouco pela cidade? Conhecer o lugar? — Pedi assim que Harry levantou a mão pedindo a conta.

— Claro, meu amor.

— Como você consegue amolecer ele assim tão fácil? —Gemma questionou com bom humor. —Tudo o que você pede ele faz ou te dá!

— Isso é inveja ou ciúmes? — Perguntei rindo de sua careta.

— Nenhum dos dois. É que para mim é sempre: não, não e não. ­—Ela respondeu.

— Nem sempre eu digo não para você. Se fosse assim você não estaria aqui e não iria conhecer o seu namorado. —Harry a replicou.

— Isso depois de eu pedir mais de uma vez. Para Esther é sempre tão fácil você dizer sim.

— Esther é minha noiva, a mulher que eu amo e estou completamente apaixonado. Você é a minha irmã mais velha que eu amo e nas maiorias das vezes age como se fosse uma criança. — Gemma apenas bufou, revirando os olhos.

Harry pagou a conta e nos levantamos da mesa. Seguindo caminho para fora do hotel. O tempo estava um pouco frio, mas ainda assim agradável para uma caminhada pela cidade.

— Você quer aprender a patinar no gelo? Tem centro de patinação a cinco minutos daqui.

— Sério? Que legal eu iria adorar patinar! — Digo me jogando em seus braços e lhe beijando no meio da calçada. Gemma tossiu. Rimos entre o beijo e continuamos a nos beijar sem nos importamos se estávamos no meio da rua.

— Vocês podem parar não é? Já está ficando chamativo demais. — Gemma disse nos fazendo parar o beijo.

— Se fosse você e esse tal Willie você não iria se incomodar de chamar a atenção no meio da rua. — Harry disse deixando a Gemma sem fala.

— Vamos logo para o Rockefeller Center! —Retrucou ela caminhando e nos fazendo a acompanhar.

— Você já veio aqui antes? — Perguntei a ela.

— Apenas uma vez a muito tempo. Antes que eu terminasse a faculdade, nas minhas férias de verão. Vim com umas amigas.

— É muito difícil patinar no gelo? Nem sei patinar em terra firme.

— Não é muito difícil, é só manter o equilíbrio nos pés.

— Falando assim parece até ser muito fácil. —Comentei um pouco amedrontada em pagar um mico na frente de todos.

— Eu vou estar te ajudando, meu amor, não se preocupe com isso. Eles têm protetores para iniciantes. Depois que você aprender vai querer sair correndo pelo gelo. —Sorri para Harry enquanto ele entrelaçava nossos dedos.

[...]

Se eu soubesse que patinar era tão bom e gostoso, já teria feito isso antes. Eu estava adorando deslizar pelo gelo, parecia mais uma criança feliz que tinha acabado de ganhar um doce. Claro depois de ter levado vários tombos e ter levado o Harry comigo para o chão e ter arrancado gargalhadas da Gemma. E aposto que ela deve ter filmando e ter registrado tudo, para mostrar para todo mundo depois.

Estava adorando ver as marcas que nós deixávamos pelo gelo, por onde passávamos. Sempre segurando nas mãos de Harry. Dançávamos sobre o gelo. Como muitos outros casais.

— Está gostando?

— Estou amando, curly! Agora vou querer fazer isso mais vezes.

— Sempre que quiser, meu amor. — Harry nos rodou, me abraçando. Rimos.

Paramos de patinar apenas quando começou a nevar e o tempo escurecer. Voltamos para o hotel. Gemna nem no quarto dela entrou, ficou no nosso. Alegando que estava se sentindo sozinha.

Passamos o restante da noite assistindo um filme na enorme TV do quarto. Resolvemos não descer e pedir a janta no quarto mesmo. Depois que jantamos, vimos mais filme. Eu fiquei no meio dos dois. Ficamos sentados na cama com as nossas costas encostadas na cabeceira da mesma, enquanto nós assistíamos um filme de comédia romântica. O nome do filme era: Os caças noivas. Era história de dois irmãos, Mike e Dave, que têm fama de arruinarem as festas da família. Sabendo disso, sua irmã decide que eles só irão ao seu casamento se encontrarem parceiras que os controlem. Apesar do lançamento do filme ter sido em 2016 eu nunca o tinha visto e se algum dia eu vi antes do acidente, nunca me lembraria. Então de qualquer forma estava sendo a primeira vez.

Quando já estava no meio do filme Gemma já dormia caindo por cima de mim. Harry pausou o filme e pegou a irmã no colo a levando para o quarto dela, o ajudei abrindo as portas para que ele pudesse passar com ela. Depois que ele a pôs na cama e a cobriu, trancou a porta por fora e jogou a chave por debaixo da porta. Voltamos para o nosso quarto e fomos acabar de assistir o filme abraçados e deitados em nossa cama.

Tinha sido um dia incrível. Tinha amado ir patinar. Harry estava me dando uma família, novas experiências, novas descobertas. Harry estava sendo o brilho que veio para iluminar a minha vida e preencher o vazio dela.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...