1. Spirit Fanfics >
  2. Lovely (Imagine Jeon Jungkook) >
  3. Capítulo Cinco;

História Lovely (Imagine Jeon Jungkook) - Capítulo 5


Escrita por: e YoongiPan


Notas do Autor


Voltei? Voltei... Rapidinho, né?
Animada... Animada...
Bom espero que gostem

AVISO 🚨

A FANFIC ABORDA UM TEMA DELICADO, SE EM ALGUM MOMENTO SE SENTIR DESCONFORTÁVEL, POR FAVOR, PARE A LEITURA.
LEMBRANDO QUE; A FANFIC É PLENA FICÇÃO, ATÉ MESMO OS TRECHOS DE LIVROS, FORAM CRIADOS POR MIM.

Capítulo 5 - Capítulo Cinco;


Fanfic / Fanfiction Lovely (Imagine Jeon Jungkook) - Capítulo 5 - Capítulo Cinco;

[Delicada, perfumada, porém, cheia de espinhos. Me machucarei, sim, se precisar, furarei meus dedos um a um, apenas para tocar sua delicadeza, minha pequena flor]

Tão agradável, o sol estava em um tom bem amarelo, digamos que um tanto falso, apesar de brilhar como nunca, o dia continua frio. 

Depois de estar bem distante daquele lugar, chamei meu motorista, seguimos diretamente para minha empresa.

— Mark? — saio do carro, e arrumo minha gravata. — O que temos 'pra hoje?

Mark: Bom, senhor. — ele checa a caderneta em suas mãos. — Temos uma reunião com o dono da empresa DRS.

— Hum... Entendi, e o meu pai? 

Mark: Veio aqui para te ver novamente, disse o que foi me ordenado.

— Ótimo, se ele aparecer, diga que não estou ou melhor, que estou mas não quero vê-lo.

Mark: Sr. Jeon, creio que seria melhor se escutasse ele, o sr. Jihyun disse que tem uma coisa muito importante para te falar, e que isso poderia mudar tudo do passado.

— Isso é papo furado, já disse, não quero vê-lo ou ouvi-lo.

Mark: Sim, senhor.

Já estava praticamente na minha sala, me direciono a minha mesa, e pego alguns papéis que precisavam da minha assinatura. Meus pensamentos foram invadidos pelo seu rosto, sua pele. Maneio negativamente minha cabeça. 

— Jeon...Jeon... Esquece o rosto dessa garota.

Antes de começar novamente a olhar os papéis, decido saber mais sobre essa tal família Kim, assim não irei pisar em falso. Pego meu telefone, e ligo para o Mark.

— Venha na minha sala agora mesmo. — assim que desligo o telefone, o loiro "invadi" minha sala.

Mark: Em que posso ajudar, sr. Jeon?

— Sem tanta formalidade, Mark. Quero que acione o melhor investigador que tiver na Coréia, mande-o descobrir sobre a família Kim.

Mark: Preciso de nomes, esse sobrenome é muito comum. — reviro os olhos. 

— Kim Taehyung, e Kim S/n, eles são irmãos. — pego meu celular e procuro uma das fotos que tenho da garota. — Envie essa foto para o investigador... — procuro uma foto do irmão dela. — Este é o Kim Taehyung, mande-o tomar cuidado com esse, ele é policial.

Mark: Sim, sr. Jeon, se não for muito ousado da minha parte, queria pergunta-lhe, por que quer saber sobre eles?

— Digamos que... Preciso saber onde piso, eles moram bem perto de mim.

Mark: Claro, entendi. Irei contratar alguém agora mesmo, sr. Jeon. — confirmo e ele sai.

— Minha pequena, só quero te proteger.

Sorrio de canto. Respiro fundo, e começo o meu trabalho, quando mais rápido eu terminar, é melhor.

[•••]

Chego no bairro que moro, sol já estava se pondo, em compensação, meu corpo estava implorando por descanso.

S/n: Jungkook!!! — ouço um gritinho aveludado, e viro meu corpo.

Não era nenhum segredo 'pra mim, a dona daquela voz, também era a dona dos meus pensamentos.

— Ah, olá, querida.

S/n: Você chegou em um carro muito bonito. — arqueio a sombrancelha. — Ah, eu não estava te esperando. — fala com um certo rubor nas bochechas.

— Ah, não? — sorrio. — Aquilo é do meu chefe, lembra? Sou um secretario. 

S/n: Vamos mesmo passear hoje? — seu sorriso era estonteante largo. — Eu... Se quiser, não precisa pedir ao meu irmão, eu mesma faço isso.

— Não sou o tipo de homem que foge, querida.

S/n: Às vezes precisamos recuar, Jeon, isso não faz de nós covardes, e sim espertos.

— Hum, tem razão, pequena.

S/n: Então, que hora passa na minha casa?

— Às 20:30 p.m.

S/n: Te esperarei.

Fico olhando-a até que entra em sua casa.

“Se soubesse onde está se metendo”. 

Respiro fundo, e sigo para minha casa.

— Longe de um grande conforto, para ficar em algo tão simples. — abro a porta. — Sorte que eu realmente não me importo. 

Assim que fecho a porta novamente, arregalo os olhos ao ver tudo extremamente bem arrumado, às coisas estão tão limpas ao ponto de que eu possa ver meu próprio reflexo.

— Wow, pelo menos ela é uma boa dona de casa.

Olho tudo analisando cada detalhe. Sigo para o meu quarto.

— Droga, droga. — corro para o pequeno closet e começo a procurar pela caixa, respirando aliviado assim que encontro. — Céus, achei que você seria a próxima, S/n!

Confiro todo o conteúdo da caixa, estava tudo ali, não faltava nada, e parecia estar tudo no lugar, mesmo o quarto estando bem arrumado, as roupas sujas que antes estavam no chão, agora estão todas no cesto.

— Devo mudar isso de lugar. — analiso cada cantinho. — Ah, sim.

Entro no closet, e procuro pelo ponto mais alto, assim que encontro, ponho ali a caixa. Tiro minhas roupas sujas, e jogo no chão, e vou tomar banho.

“Ah, S/n, se continuar assim você vai ganhar um bom espaço”.

Entro debaixo do chuveiro, sentindo a água fria percorrer gostinha por gotinha, cada lugarzinho do meu corpo, enquanto meus pensamentos tentam se organizar, junto com a sensação estranha que estou sentindo.

[•••]

Assim que chego na casa dos Kim, toco a campainha. Como o esperado quem me atende é o Kim mais velho.

— Olá, Kim Taehyung. — me curvo.

Taehyung: Minha irmã falou que você quer sair com ela, não vou mentir, não gostei nada disso. Como alguém pode querer sair com uma pessoa que mal conhece?

— Nunca ouviu falar em amor a primeira vista? — indago tentando guarda o deboche apenas para mim. — Sinto algo diferente por sua irmã.

“Uma bela vontade de tê-la entre minha pernas, me chupando”.

Taehyung: Quer apenas levar minha irmã 'pra cama, e depois deixá-la?! — vejo um sorriso de canto surgi em seus lábios.

“Credo, você foi tão direto. Gostei!”

—Claro que não, eu não sou esse tipo de homem, sr. Kim, eu trabalho, moro sozinho, e me viro desde criança. — forço um suspiro triste. — Se é isso que pensa de mim, eu não tenho o que fazer aqui. 

Taehyung: Do que está falando? — pelo visto, ficou confuso.

— Nunca cortegei nenhuma dama daqui, também nunca faltei com respeito a nenhuma delas, pode perguntar. E agora, que estou realmente gostando de alguém, ao ponto de vir falar com você, pedindo permissão, sou tratado como um cretino?

Taehyung: Estou fazendo meu papel de irmão, desculpe se pareci indelicado, só acho muito estranho essa história dr amor a primeira vista, e não quero que minha irmã se machuque.

“Está caindo no seu próprio jogo, sr. Kim”

— Eu entendi, no entanto, se eu não quisesse nada sério, eu não teria vindo até aqui, sujeito a esta humilhação. — reclamo. — Fale 'pra sua irmã que eu não vou sair com ela, pois sou um tremendo cafajeste.

Taehyung: Não, espera. — suspira. — Vou chamá-la, por favor, cuide bem dela, ela é a coisa mais preciosa 'pra mim.

— E 'pra mim também, sr. Kim.

“Claro, nunca tinha visto alguém tão delicada e pura como ela, tenho uma vontade incontrolável de tirar sua inocência”

Taehyung: Maninha. — grita, o que me faz rir discretamente. — O Jeon está aqui!

Escuto suas passadas rápidas e animadas, e assim que a vejo sinto meu coração bater pela primeira vez como nunca tinha sentido antes. A pequena estava em um vestidinho dar cor branca, com desenhos de rosas vermelhas, estava extremamente adorável.

S/n: Vamos.

Estava perplexo, não conseguia responder aos meus próprios comandos.

S/n: Ei, Jeon... Está tudo bem? — só assim disperto do pequeno transe que me encontrava. — Você parecia hipnotizado.

Seus lábios estavam tingidos de vermelho.

“Ah, o vermelho te cai tão bem”


Notas Finais


Espero que gostem, huh?
Cometem o que estão achando?!
Lancem teorias.
Sintam-se avontade.
E críticas construtivas são bem vindas!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...