1. Spirit Fanfics >
  2. Loving the Playgirl - Jenlisa >
  3. Mais velha e melhor

História Loving the Playgirl - Jenlisa - Capítulo 29


Escrita por:


Capítulo 29 - Mais velha e melhor


Jennie POV

Meu aniversário começou muito bem. Celebrei com meus amigos e tive a chance de passar a hora mais feliz da minha vida com Lisa.

Mas as coisas boas chegaram ao fim. Tudo começou a desmoronar após a visita surpresa de Rose e Sarah. E assim, eu perdi tudo. Eu ainda não conseguia processar o que tinha acontecido. Aconteceu tão rápido.

O primeiro é com Rose e Jisoo. Morar no Upper East Side me ensinou a não acreditar em tudo o que está escrito nos jornais, especialmente na primeira página. Recuso-me a acreditar neste artigo. Há uma razão pela qual Rose veio aqui, e seu objetivo era me contar o que realmente aconteceu por trás dessa foto.

Rose não iria me trair de forma alguma. Eu sei disso, ela é minha melhor amiga. Isso pode significar algo ou alguma coisa e duvido que seja traição.

Depois, há Sarah. Sei que a conheci recentemente, mas uma coisa é certa: ela é inteligente e confiável. Essa é a razão pela qual eu estava tão confusa e surpresa com a reação dela em relação à carta. Sei que o que escrevi lá poderia quebrar Lisa, mas conhecendo Sarah, ela é o tipo de garota que pode olhar diretamente para você como se pudesse te ler. Essa era a razão pela qual, até agora, ainda é um mistério o por que ela reagiu tão apressadamente assim. Tem algo a ver com o que aconteceu com Rose e Jisoo? Mas como? De que maneira? Não conseguia juntar os dois fatos, ainda é confuso.

E, finalmente, Lisa. Ela realmente me deixou? Eu deveria ter descartado a carta que escrevi no momento em que saí do meu estado de embriaguez. Mas prometi a mim mesma que daria a ela assim que a superasse, mas isso não aconteceu, nunca esperei nada além de que ficássemos juntas novamente.

Eu deveria ter jogado no momento em que voltamos. Nada disso teria acontecido. Então ainda poderíamos estar juntas.

Mas...

Mas, por alguma razão desconhecida, chegou a ela.

Tentei ligar para ela o dia todo, mas o número dela não atendia ou estava fora de serviço. Engraçado como uma carta pode separar duas pessoas. A última vez foi uma carta vinda dela, desta vez, vinda de mim.

E depois outro silêncio. Eu não podia fazer nada. Eu não conseguia comer, pensar ou conversar. Mesmo na frente de meus pais, eu era muda. Havia uma mistura de silêncio constrangedor e tensão no ar.

Eu estava tendo um jantar de aniversário com minha mãe e meu pai no Sky Lounge, um de nossos hotéis em Nova York; o mesmo local em que mamãe e eu jantamos com Lisa. Esse tipo de memória não estava me ajudando nessa situação. Isso fez meu coração doer e ansiar por ela ainda mais.

Eu fui puxada para fora da minha linha de pensamentos quando meu pai finalmente falou.

"Eu deveria saber". Ele começou, sua voz era profunda e cheia de decepção. "Eu sabia que não deveria ter confiado nos seus amigos, especialmente naquela Rose. Ela não passa de problemas".

Meu coração parou no momento em que ele mencionou o nome de Rose. Eu me virei para ele, mas seus olhos estavam fixos no bife que ele estava cortando.

"Eu sabia, desde o início, que deveria tê-la repreendido por ser amiga dela. Não deveria ter concordado com os apelos dela. Minha primeira impressão sobre ela é...".

"Pai, por favor, pare. Você está falando mal da minha melhor amiga". Eu não pude deixar de protestar.

Ainda bem que estamos na sala privada do Sky Lounge Restaurant, se não, as pessoas poderiam ter me ouvido levantando minha voz para meu pai.

"Você está defendendo ela? Sua amiga? Uma amiga não iria trair a outra". Meu pai disse. "Eu não deveria ter deixado ela ser sua amiga desde o início, mas ela insistiu. E então o que ela fez para retribuir minha gentileza? Ela colocou você em um escândalo e tentou seduzir sua namorada...".

"Jisoo não é minha namorada. Nunca foi e nunca será". Eu disse com convicção. Já escutei o suficiente. Eu deveria expressar tudo enquanto ainda posso. "Rose não iria me trair. Você não a conhece, então não a julgue. Além disso, não sabemos toda a história por trás...".

"Eu não a conheço?". Papai finalmente me encarou.

"Parem com isso agora, Edward, Jennie". Minha mãe entrou no meio. Esta foi provavelmente a primeira vez que falei com meu pai assim.

Se eu estivesse como sempre, teria parado imediatamente, mas há algo na declaração do meu pai que me incomodou.

"Como assim, ela insistiu em ser minha amiga, pai?". Eu perguntei curiosamente, quase com medo do que ele diria.

"Edward". Mamãe disse em um tom cauteloso.

"O que está acontecendo?". Eu perguntei. "Mão, o que o pai...".

"A primeira vez que ouvi o nome de Rose, eu soube imediatamente que ela não faria nada além de problemas. Ela é uma socialite em formação, ela poderia estar em qualquer artigo ou publicidade, seja ele bom ou ruim". Meu pai começou. "Eu a confrontei e disse a ela que não queria que minha filha fosse associada a nenhum escândalo, para que ela parasse...".

"Você fez o que?". Eu não podia acreditar no que acabei de ouvir. Meu pai é tudo menos isso. Ele não faria isso. "Eu não posso acreditar nisso. Você fez isso com todo mundo? Então você é a razão pela qual eu não tinha uma única pessoa que eu poderia chamar de amigo naquela época? Você os filtrou e decidiu quem deveria ficar e ir?". As lágrimas começaram a cair e eu nem tentei pará-las.

Toda a minha vida, meus pais decidiram por mim. Do que eu visto a que escola eu deveria ir. Eles não ouviram nada de mim, eu não protestei ou disse nada sobre isso. Naqueles momentos, tudo que eu conseguia pensar era na felicidade deles.

Talvez fazer isso ou aquilo pudesse deixá-los felizes e orgulhosos de mim, esses eram meus pensamentos. No começo, eu não me importei. Gostava do fato de eles se envolverem na minha vida; especialmente quando se tratava de planejar o futuro. Mas então, em algum momento, comecei a me sentir sozinha, senti como se estivesse isolada. Estudava em casa e não tinha ninguém. Tentei fazer amigos as reuniões que participava com meu pai, mas eles não entravam em contato comigo depois disso.

Eu pensei que talvez eu fosse chata ou algo assim. Eu não insisti muito nisso, apenas ignorei e deixei passar. Eu me concentrei em estudar e obedecer aos meus pais, porque eles eram os únicos que eu pensava que não me achavam chata.

Então nos mudamos para Nova York. Aqui conheci Rose e Joe, meus primeiros amigos de verdade. Eles tiraram a solidão da minha vida, especialmente Rose. Essa é a razão pela qual eu valorizo muito a nossa amizade, por que ela foi a única que me tirou daquele castelo de solidão e não me abandonou.

"Nunca na minha vida questionei suas decisões sobre mim e meu futuro. Mas decidir quem será meu amigo? E para não mencionar com quem eu vou me casar! Isso é um absurdo, pai! Podemos não passar tanto tempo juntos, mas isso não é você. Este não é o meu pai, pelo menos não o que eu conheço. Mas depois de tudo isso, todas as coisas que eu descobri, eu não sei mais". Comecei a me afastar sem olhar para meu pai ou minha mão. "Mais uma coisa". Eu disse antes de abrir a porta. "Eu não quero fazer parte do seu acordo com os Gregory. Jisoo e eu não estamos juntas. Você não pode nos forçar a casar uma com a outra. Esse estúpido casamento arranjado está cancelado". Depois disso, fui embora.

"Você está chorando de novo". Eu disse enquanto enxugava minhas lágrimas. Eu estava no jardim do hotel, sozinha com meus pensamentos. Eu choro desde que cheguei aqui, não me importando com o mundo. Às vezes me pergunto se fiz algo terrível na minha vida passada para sofrer assim. Eu sou a única que está passando por esse tipo de bagunça?

Por que eu?

"Por que você tem que ser tão fraca, Jennie Kim?". Eu ri sarcasticamente e voltei a chorar.

"Chorar não é um sinal de fraqueza, querida". Eu olhei para cima e vi o rosto preocupado da minha mão. Ela sorriu para mim, tentei retribuir, mas falhei. Nem consigo produzir um sorriso fraco ou falso.

Eu estou realmente machucada e quebrada.

"Essa foi a primeira vez". Minha mãe comentou, eu não tinha certeza do que ela queria dizer com isso. Ela ficou sentada quieta ao meu lado apenas para me dar esse silêncio confortável que eu aprecio muito.

"Eu conversei com seu pai". Ela começou depois de alguns minutos de silêncio e sem esperar pela minha resposta, ela apenas continuou falando. "Eu acho que ele entendeu errado a coisa toda. Sobre você e Jisoo. Ele pensou que havia algo bom acontecendo entra vocês duas, e eu tenho que admitir, Kim Jisoo é uma garota ousada. Ela é um bom partido. Vocês duas combinavam uma com a outra".

Eu estava prestes a protestar e contar a ela o verdadeiro desejo do meu coração, mas para minha surpresa, ela já sabia ele.

"Mas é claro, ela não é Lisa Manoban". Ela olhou para mim e me deu um sorriso. "Mesmo depois de tudo, sempre foi ela, certo?".

Eu balancei a cabeça em concordância e senti a dor dentro de mim que me fez chorar mais uma vez. Minha mãe imediatamente me envolveu em um abraço apertado e me acalmou. "Tal mãe, tal filha. As coisas que fazemos por amor". Ela disse com uma risada. Com esse comentário, lembrei o que Sarah disse sobre um casamento arranjado entre minha mãe e meu pai. Tenho a sensação de que, se não perguntar hoje a ela sobre isso, não seria capaz de dormir à noite.

Eu me pergunto como é estar em um casamento arranjado.

"Mãe". Eu comecei. Limpei minhas lágrimas e olhei para ela. "Eu tenho uma pergunta e quero uma resposta honesta de você".

"Eu farei o meu melhor". Ela respondeu com um sorriso que me fez rir um pouco. A primeira risada que tenho no dia.

"É verdade? Que você e o papai são fruto de um casamento arranjado?".

"Defina casamento arranjado". Ela brincou.

"Mãe! Você disse que seria honesta".

"Sim, mas o que você quer dizer com este casamento arranjado?".

"Bem, você ameaçou o vovô a não herdar a empresa a menos que se casasse com o papai? Você forçou o papai a se casar com você?". Eu esclareci. Tentei procurar palavras apropriadas para tornar isso menos constrangedor, mas acho que falhei.

Mamãe olhou para mim por alguns segundos, no começo eu fiquei realmente preocupada. Gostaria de saber se minhas palavras abrem algumas feridas do passado ou algo assim, mas então todas as preocupações repentinamente foram jogadas pela janela quando ela riu. Franzi minhas sobrancelhas em confusão.

"Essa é uma história meio distorcida, hein?". Ela disse sem responder minha pergunta. "Mas com toda a honestidade, é parcialmente verdade".

Eu estava prestes a perguntar a ela o que ela quis dizer com isso, mas ela já me respondeu de novo, como se soubesse o que estava passando dentro da minha cabeça.

"Para os olhos de muitos, parecíamos estar entrando em um casamento arranjado. Mas eles não sabiam, que já tínhamos um relacionamento secreto antes". Ela começou com um tom de orgulho. "Eu era a filha socialite e despreocupada de Elton Bettencourt. Era conhecida como criadora de problemas. Uma noite, eu estava com raiva do meu pai, por isso fui em seu escritório tarde da noite e o vandalizei. Eu não sabia que alguém ainda estava lá, um cara tão trabalhador e bonito; seu pai. Ele pensou que eu era algum espião. Ele nem me conhecia. Bem, não vou culpá-lo por não estar naquele escritório em plena luz do dia. Então, ele me atacou e chamou a polícia. Continuei dizendo que eu era a futura proprietária daquela empresa, mas ele me chamou de louca. Após o mal entendido, pedi ao meu pai para demiti-lo, mas ele não o fez. Ele disse que eu precisaria crescer e ser responsável como seu pai. Você acredita nisso? Ele escolhei um estranho em vez de sua única filha".

"Fiquei curiosa, então o observei. Eu ia no escritório apenas para irritá-lo. Eu até me inscrevi como secretária dele para fazer todo o tipo de coisa apenas para arruinar a imagem dele para meu pai. Eu até alterei seus horários e o coloquei em encontros com strippers que ele pensava serem parceiros de negócios. Eu era muito perversa naquela época, mas apesar de tudo isso, ele não mencionou nada ao meu pai. Ele era muito paciente com as minhas atitudes, eu me apaixonei por ele. Eu comecei a me tornar responsável e me envolver com a empresa, com a ajuda do seu pai, é claro. E ele se confessou para mim. Ele disse que era realmente amor à primeira vista. Nós estivemos em um relacionamento secreto por anos, porque eu sei que meu pai não aprovaria isso. Mas então eu engravidei. Não tivemos escolha a não ser contar ao meu pai, e foi assim que o boato começou. Com a minha reputação de antes, todo mundo pensou que eu realmente implorei ao meu pai para esse casamento acontecer, mas nós não nos importamos. É apenas um boato, nós sabemos qual é a verdade. É realmente amor verdadeiro". Ela disse como se estivesse em transe.

"Por que você nunca me contou isso antes?". Eu perguntei.

"Eu nunca pensei que esses boatos chegariam até você, e depois que eu contasse essa parte, não teria escolha a não ser contar o resto tudo". Seu tom se transformou em um tom sério.

"Vivíamos com esse tipo de boato. Como o que eu disse, não nos importávamos com eles desde que continuássemos nos amando. Mas achei errado. O boato entrou na minha cabeça. Eu fiquei paranoica, provavelmente por causa dos hormônios da gravidez. Fiquei muito deprimida e pensei que seu pai não me amava. O escândalo foi demais para mim, pois custou a vida de seu irmão". E então um longo silêncio.

Demorou alguns minutos para que essa informação chegasse até mim. Sem saber, eu estava chorando como um rio. Minha mãe limpou as lágrimas do meu rosto e me deu um sorriso tranquilizador. "Está tudo bem". Ela disse.

"Depois de alguns anos, seu avô morreu e outro boato surgiu, de que seu pai era incapaz de administra a empresa, mas, na verdade, era o contrário. Haviam muitas pessoas com inveja de seu pai. Eles tentavam sujar o nome dele com qualquer tipo de história, para que os investidores não gostassem dele. Ele não podia mais confiar em ninguém, por isso ele retirou todas as nossas ações e começou uma nova. É por isso que você precisa entender por que seu pai odeia que sejamos associados a qualquer tipo de boatos ou escândalos. É por isso que temos que protegê-la. É por isso que você estudou em casa. É por isso que seu pai sempre foi muito seletivo com seus amigos, inclusive com Rose".

"Eu lembro da vez em que você nos disse que tinha feito uma amiga, você estava tão feliz. E acredite ou não, seu pai também. Mas quando ele ouviu coisas sobre Rose, ele ficou hesitante. Tanto quanto possível, ele não queria que você estivesse envolvida com ela. Ele conversou com ela, para que ela ficasse longe de você por causa de todo possível escândalo que ela poderia trazer à sua vida, mas Rose é muito persistente. Ela implorou pela aprovação de seu pai. Ela chorou e disse que você era a irmã que ela nunca teve. Que ela faria tudo, tudo mesmo, para mantê-la longe de qualquer escândalo imaginável se apenas pudesse continuar sendo sua amiga".

Eu acho que julguei meu pai muito cedo. Eu nunca percebi o que ele e minha mãe haviam passado por causa de todos esses escândalos e como isso pode arruinar vidas. Agora eu entendo de onde vem toda essa proteção. Ele não quer correr riscos novamente, é por isso que está se contentando com algo seguro.

E para Rose, eu poderia imaginar o cenário na minha cabeça. Como ela implorou ao meu pai apenas para continuar nossa amizade. Ela também é para mim a irmã que eu nunca tive. Eu nunca pensei que ela tivesse feito algo tão grande por nossa amizade. Eu me pergunto quais são as coisas que ela fez por mim apenas para manter sua promessa ao meu pai.

E então isso me atingiu.

"Acho que há algo mais na imagem que jogaram no jornal. Acredito que Rose nunca faria isso. Você não deve confiar em uma história unilateral. Às vezes, a história não contada é a mais verdadeira de todas". Minha mãe disse.

"Não tenha medo de ir contra a maioria. Faça algo que o seu coração deseje, quaisquer que sejam as consequências no final, pelo menos você poderá dizer a si mesma que está tudo bem, porque você fez o que queria e seguiu o que acreditava".

"Obrigada mãe". Eu sorri e ela respondeu com um abraço apertado. "Eu entendi as coisas agora".

É verdade. Essa breve conversa abriu a porta para mim.

Minha mãe está certa, ela sempre está certa.

A história não contada é a mais verdadeira de todas elas.

Não devo basear nada em um único artigo. Não devo tomar uma decisão pelo que os outros acham certo. Eu sou uma mulher adulta. Tenho idade suficiente para saber o que é certo e errado.

E tenho idade suficiente para tomar minhas próprias decisões.

Feliz aniversário, Jennie.

Você agora é mais velha e é hora de se tornar uma pessoa melhor.


Notas Finais


Eu amo muito esse capítulo e tenho que confessar que estive chorando enquanto eu trabalhava nele. Mamãe Kim é realmente muito perfeita, toda vez que essa mulher aparece as coisas melhoram.

Jennie finalmente abriu sua cabeça para o mundo, agora tudo está finalmente pronto para dar certo... Tá tudo mundo pronto pra os dias de glória? A hora finalmente chegou.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...