História Loving You - KakaObi - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Izuna Uchiha, Kakashi Hatake, Madara Uchiha, Obito Uchiha (Tobi), Sakumo Hatake
Tags Kakaobi, Naruto, Obikaka, Yaoi
Visualizações 557
Palavras 1.484
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoas!

Antes de mais nada gostaria de falar um pouco sobre esta história; não tenho intenção de fazer apologia à pedofilia, ou apoiar polêmicas, meu objetivo é justamente o contrário; não se trata de desejos carnais, mas sim de inocência, do amor em sua forma mais pura e bruta, livre de preconceitos e julgamentos, apenas amor!

Espero que apreciem minha história...!
Sem mais delongas, vamos lá...!!! ^.*

Capítulo 1 - Como eu conheci o Obito !


Fanfic / Fanfiction Loving You - KakaObi - Capítulo 1 - Como eu conheci o Obito !

E ai? Meu nome é Hatake Kakashi, tenho 21 anos, e sou recém formado em Medicina Veterinária, meu Pai é Veterinário também, ele tem uma Clínica e por enquanto eu estou o ajudando por lá!

 

Bem… o que mais eu tenho pra falar… sou uma pessoa calma, gosto de ficar em paz, comer e dormir como todo mundo e... minha vida anda meio, bom, meio “complicada”, vamos usar essa palavra por enquanto!

 

O porquê dela estar “complicada”? Sim, eu vou contar pra vocês!

 

Bom… tem uma pessoa que eu gosto, gosto muito, na verdade, chego até a questionar se é apenas “gostar” ou já se tornou em algo mais profundo entendem… tá bom, tá bom, vou admitir pra vocês, estou apaixonado, eu estou completamente apaixonado para ser sincero…

 

O problema? Não, não tem problema nenhum! O que deixa tudo complicado é que… bem… ele… tá bom eu falo mas, eiii, por favor não julguem ok? Ele é uma criança! Pronto falei!

 

EU NÃO SOU PEDÓFILO OK??? Antes de mais nada vamos deixar isso beeeem claro, certo?!

 

Tá, vou falar sobre ele! Ele se chama Uchiha Obito, tem 14 anos, vai fazer 14 na verdade; ele é filho de um dos donos da maior multinacional do país a “S&U”, e nós moramos no mesmo prédio, foi assim que eu o conheci, ele mora na cobertura e eu e meu Pai no andar de baixo, e é até bonitinho o jeito que nos conhecemos, foi há uns 10 anos atrás, eu estava fazendo faculdade ainda e aquele dia não tinha aula e meu Pai não falou nada de ir ajudar ele hoje, então eu fiquei em casa aproveitando a folga; eu estava saindo do apartamento, ia sair pra comprar alguma porcaria pra comer, e quando o elevador abre tinha uma criancinha pequenininha lá, bem branquinha com cabelinhos escuros, e sozinha com um sorrisinho sapeca que praticamente dizia “eu estou aprontando alguma!”.

 

Por ser bem pequena, desconfiei logicamente, mas tentei ser amigável para que não ficasse com medo de falar comigo e me contar a verdade sobre o que pretendia aprontar.

 

- Oie! Meu nome é Kakashi!

 

Pelo seu rostinho, imaginava uma criança bem tímida, ainda mais por ser pequenininho, porque geralmente é normal crianças terem um pouco de vergonha para falar com outras pessoas que não são seus pais, mas para minha surpresa, ele logo me respondeu.

 

- Oi! Meu nome é Obito! Eu sou um ninja!

 

- É posso ver! Como veio parar no elevador sozinho?

 

- Eu fugi!

 

Não falei? Tava com muita cara de culpado, só podia estar aprontando mesmo, mas decidi entrar na brincadeira.

 

- Você fugiu? Você deve ser um ninja muito bom mesmo! E alguém viu você fugindo?

 

- Não! Ninguém Tio Kakashi!

 

- Uau! E por que você fugiu?! Ou estava apenas testando suas habilidades ninja?

 

- Porquê eu quero ir no parquinho, mas o Papai vai trabalhar…

 

- Aaah entendi! E será que o seu Pai não vai ficar preocupado quando ele for procurar você e não achar você em luga nenhum?

 

- Hã?

 

Me segurei para não rir, sua carinha ao pensar nas consequências era a melhor! Crianças pequenas são bem ingênuas de fato.

 

- Onde você mora Obito? Em qual andar?! Eu moro no 22 e você?!

 

- No 23! Lááááááá em cima! Mas não pode ir na sacada porque lá tem morcego, rato e aranha.

 

- Aaah é verdade! Não pode ir na sacada mesmo! Você mora na cobertura então? O Madara é o seu Pai?!

 

- Siiiiiimm! Você conhece ele Tio Kakashi?!

 

- Aah conheço sim! Na verdade, ele conhece meu Pai! O meu Pai é o veterinário do seu gato!

 

- Foi o seu Papai que cuidou do Tobi quando ele ficou doente?!

 

- Foi sim, e ajudei também! E ele foi um gatinho muito coraj-

 

Antes de terminar a frase, Obito já estava grudado nas minhas pernas me abraçando.

 

- Obrigado de cuidar do Tobi, Tio Kakashi!

 

Seus olhinhos brilhavam, e ele tinha um sorriso imenso.

 

- Acha, não foi nada! E ele, está bem agora?!

 

- Está!

 

Achei minha desculpa! Pensei em perguntar sobre o gato pra conseguir fazer ele voltar pra casa, e assim evitar que o Pai dele fique louco procurando ele.

 

- Quer ver ele Tio Kakashi? Vem ver ele, vem ver ele!!!

 

- Isso! Ótima ideia, vamos lá ver ele!

 

Em seguida aperto o nº 23 no elevador e quando percebo Obito já estava de mãos dadas comigo.

Chegamos no andar e fui direto tocar a campainha, dava pra ouvir o Pai dele gritando seu nome, provavelmente já devia estar doido à procura do pequeno fugitivo. Tanto que ao abrir a porta nem deu bola pra mim, só gritou nervoso o nome do filho.

 

- OBITO! ONDE VOCÊ TAVA?

 

- Papai eu fugi pra ir no parquinho!

 

Foi hilário, Madara todo descabelado à sua procura, e ele na maior calma diz que fugiu… nunca segurei tanto para não rir quanto naquela hora!

 

- Oi Sr.Uchiha, não sei se lembra de mim, sou o Kakashi, filho do Sakumo da Clínica Veterinária!

 

- Papai ele cuidou do Tobi!

 

- Eu lembro…

 

- Então, eu encontrei ele no elevador!

 

- Obrigado, não vai ter uma segunda vez, isso eu garanto!

Disse Madara bravo, já puxando o filho pra dentro.

 

- Se quiser, eu fico com ele no parquinho.

 

- Deixa Papai, deixa Papai, deixaaaaa!

Gritava Obito.

 

- Obito! Eu já falei que não!

 

- Se quiser eu fico de olho nele, hoje eu estou livre, não vai ser incomodo nenhum, o senhor que sabe!

 

Nossa, eu me lembro bem da careta do Uchiha, e sei que ele não tinha gostado muito da ideia, mas eu não queria ser intrometido nem nada, só queria ajudar mesmo. E agradeço até hoje pelo Obito não parar de gritar “deixa Papai, deixa Papai”, pois se não fosse pela sua insistência, o Pai dele não teria deixado, e provavelmente depois desse incidente, acho que a gente nunca mais iria se ver.

 

- Tá! Tá bom! Mais fica quieto Obito!

 

Como que pra provocar seu Pai e assim o irritar ainda mais, Obito grita bem alto.

 

- EBAAAAAAAAAAAAA!

 

- OBITO!

 

Antes que aquilo ficasse pior, eu decidi intervir então.

 

- Aah legal! Então, vamos no parquinho, Obito?

 

Estiquei minha mão, e mais que depressa lá estava ele, de mãos dadas comigo.

 

- A que horas o Senhor volta, Sr.Uchiha?

 

- Volto, as 18:00h, meu irmão já deve estar chegando pra ficar com ele, eu aviso que vocês estarão lá em baixo.

 

- Ah tudo bem então! Com licença!

 

- Tchau Papai, te amo!

 

- Tchau pequeno, também te amo!

 

E assim fomos nós no parquinho do prédio, eu empurrei ele no balanço, brincamos na gangorra, na caixa de areia e de pega-pega, e não demorou muito o tio do Obito, Izuna, chegou e foi lá brincar com a gente, e o tio dele era super de boa, não tinha nada a ver com o irmão, logo nos tornamos amigos também; naquela tarde nós tomamos chá na minha casa e ficamos brincando com o meu cachorro e jogando videogame o dia todo; mais tarde o Pai dele ligou pro irmão falando que se atrasaria um pouco, então quando o meu Pai chegou da Clínica, a gente pediu uma pizza e depois fomos todos para o parquinho novamente, foi um dia ótimo, exceto para minhas costas que carregou o Obito de cavalinho quase que o dia todo, porque até mesmo jogando videogame a criança não parava quieta! Quando o Pai dele chegou, nós nos despedimos e Obito já deixou combinado de no sábado brincarmos de novo, dessa vez na casa dele, e assim fomos nos tornando cada vez mais amigos e nos vendo cada vez mais.

 

Me lembro desse dia tão claro como se tivesse sido ontem, pois foi assim que ele entrou na minha vida e veio para ficar, mas não sei dizer ao certo quando esse sentimento começou pra mim, pois foi algo tão natural que só fui me dar conta da existência de algo mais além da amizade, quando percebi que o que mais me deixava feliz na vida era ficar ao lado dele, e então tudo só tem aumentado, mas ainda não achei a hora certa para contar pra ele, estou pensando em talvez contar no aniversário dele, e também, eu nem sei o que ele sente, ou se sente algo por mim também; e sim, eu já pensei que talvez contar pra ele possa acabar arruinando nossa amizade, mas sabe, eu conheço bem o Obito, e mesmo que ele não corresponda a meus sentimentos, eu sei que ele não deixaria de ser meu amigo, ele não é esse tipo de pessoa, na verdade as vezes ele é bem lento hahaha, principalmente em perceber indiretas, porque até hoje vou te contar viu…!

 

Foi assim que o conheci, meu melhor amigo!

 

A pessoa que amo...

 


Notas Finais


Continua ... ( continuo ? haha ) ^.^
Muito obrigada por lerem este primeiro capítulo , espero que tenham gostado ! ^^
Beijinhos pessoas !


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...