História Loving you's a bloodsport. - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias The 100
Personagens Clarke Griffin, Lexa, Raven Reyes
Tags Alycia, Clexa, Eliza, Elycia, The 100
Visualizações 82
Palavras 1.548
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Ficção, Ficção Científica, LGBT, Luta, Romance e Novela, Sci-Fi, Survival, Suspense, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu coloquei o nome dessa capítulo assim por conta de que eu fui assistir mamma mia ontem e não consigo para de escutar músicas antigas aaa.

mas sem enrolação...

Capítulo 6 - The seventh heaven!


Fanfic / Fanfiction Loving you's a bloodsport. - Capítulo 6 - The seventh heaven!

Clarke Griffin point of view

Faziam exatamente uma semana, um dia e duas horas dês de que a minha vida – que já era uma baita confusão – se tornasse um grande furação de confusões e sentimentos a flor da pele. Dês de que eu a vi novamente na sala principal com uma Raven desacordada sobre a mesa eu mal podia acreditar no que meus olhos viam, os chamei de traidores incontáveis vezes nas inúmeras vezes na qual eu me pegava a olhando e admirando.

Dês de que eu a perdi pela primeira vez eu tenho estado em modo automático, decisões automáticas para uma vida automática. Eu não me sentia mais a mesma, eu não poderia mais ser a mesma depois de todo esses acontecimentos, eu mal tive tempo para chorar, gritar, espernear, eu tinha um povo esperando por mim, eu não era mais Clarke Griffin, garota de dezessete anos e criminosa da Arca por conta de um segredo, eu era Wanheda, a comandante da morte.

Já haviam se passado um dia da confusão de Bellamy e Lexa mas ainda podia se ouvir pessoas comentando sobre, poucas pessoas decidiram defender Bellamy e dizer que ele estava certo, mas o que me deixava realmente impressionada era que todos estavam defendendo Lexa no final das contas, por mais que ela ainda fosse uma Heda na cabeça deles e a sua traição em Mount Weather fosse recente, o seu senso de justiça ainda continuava intacto.
Eu não havia lhe visto depois daquele dia, quando ela disse que não queria me ver ela realmente disse sério, eu nunca me senti tão longe dela como me sentia agora, por mais que ela só estivesse a alguns passos de distância do meu quarto.

- Eu conheço essa cara... – Raven falou sutilmente fazendo com que eu despertasse dos meus pensamentos tão rápido quão eu viajei para lá. Ela bateu levemente seu ombro no meu me instigando a melhorar o meu humor que estava péssimo aquela manhã.

Raven também estava diferente, não tão drasticamente como Lexa, mas ainda sim diferente. Ela aprecia leve e poderia pular de alegria a qualquer instante, chegava a ser irritante esse seu bom humor se você estivesse em um dia ruim.

- Só estou com dor de cabeça. – Disse simples enquanto voltava a minha atenção ao grande pedaço de mapa na minha frente, eu procurava estudar toda a área mapeada, estávamos em guerra e todo o conhecimento daquele lugar ajudava muito já que a nação do gelo conhecia aquelas terras como a palma de suas mãos e nós chegamos aqui alguns anos atrasados.

- Eu também teria se fosse você. – Ela disse ainda mexendo com alguns fios vermelhos da grande maquina na qual ela estava concertando a dias, a algum tempo ela estava totalmente em duvida do que fazer com aqui e agora ela parecia experiente demais sobre. Eu a olhei confusa e ela me lançou um sorriso travesso antes de se explicar. – Quer começar pela sua alma gêmea morta que não está mais morta ou pelo babaca desfalecido que a sua alma gêmea não mais morta quase o matou ontem?

- Tudo bem, já entendi. – Suspirei cansada e joguei o pequeno pedaço de lápis sobre a mesa enquanto enfiava a mão sobre os meus cabelos em total ato de desespero, que merda eu estava fazendo com a minha vida? Raven pareceu perceber o meu desespero e se aproximou de mim enquanto envolvia seus braços em volta de mim o que me fez estranhar o ato, mas mesmo assim não reclamei, ela não era lá muito afetuosa.

- Vai ficar tudo bem, sempre fica. Uma guerra de cada vez. – Segurei o choro o máximo que pude antes dela me soltar e afagar meu rosto de forma terna, eu sussurrei um "obrigada" e ela apenas piscou na minha direção antes de voltar para a sua tarefa inicial e comemorar quando algumas luzes se acenderam sobre o painel.

Me sentei e desisti de tentar voltar a minha tarefa anterior e comecei a prestar atenção em Raven que parecia cantarolar alguma música que eu nunca havia escutado antes, ela parecia tão leve, quase como uma criança em seu lugar favorito no mundo mal sabendo que nele havia a pior guerra que se podia existir. Seus cabelos estavam penteados de forma diferente do habitual e suas roupas pareciam diferentes também, eu realmente queria saber o que aconteceu naquele bosque quando ela se perdeu. Eu estava distraída quando ela começou a dançar e eu gargalhei com a sua imitação de bateria com as chaves de fenda enferrujadas, ela cantava de alto e bom som e foi ai que percebi um walkman preso em sua cintura enquanto usava aqueles fones cafonas e grandes, parecia uma música realmente antiga e sua letra era meio duvidosa para o meu gosto, nunca imaginei ela gostando desse estilo de música na verdade.

Octavia entrou no lugar sem fazer um mínimo barulho, por estar de frente com a porta eu a observei olhar para Raven com um olhar diferente, a garota ainda estava presa no seu mundo particular e musical quando percebeu a presença de Octavia ali e tropeçou sobre os cabos e caiu de mal jeito sobre a caixa de ferramenta mas logo foi amparada pela garota de olhos verdes, Raven pareceu envergonhada e eu guardei aquele momento na minha mente, renderia boas provocações depois.

- Tudo bem aí pé de valsa? – Octavia provocou Raven que retirava rapidamente os fones de seu ouvido e ria sem graça enquanto levantava, eu apenas observava a interação das duas com um sutil sorriso no meu rosto, eu mal sabia que elas eram tão próximas assim.

- Tudo sim soldadinho. – Raven provocou de volta e a garota apenas sorriu provocativa, pareciam duas crianças.

As duas se provocavam e eu apenas assistia a interação das duas, elas pareciam bem agora e senti falta de algo do tipo, por mais que tivesse Raven ou Bellamy, eu ainda sentia falta de algo a mais, porem o meu algo amais havia se trancado no quarto e decidido que era toxica demais para a sociedade, eu só queria que ela percebesse o quanto isso lhe fez mal, as pessoas a apoiam e ela está triste demais em seu próprio mundo confuso para olhar além dele.

- Clarke, uma ajudinha. - Fui tirada dos meus pensamentos quando vi Raven dando uma chave de braço em Octavia que já estava vermelha e falava com dificuldade.

- Quem é a nanica fracote agora? – Ela perguntava enquanto ria da situação da garota e eu apenas massageei as têmporas.

- Vocês são duas crianças. – Falei enquanto saia da sala rindo e deixando as duas para trás ainda na guerrinha delas, por mais que o momento não fosse exatamente para brincadeiras eu acho que todas as pessoas mereciam um momento de paz, nem que se fosse por alguns segundos.

[...]

Não estava esperando ver Lexa naquele dia, mas a ver chegar toda acuada no refeitório fez meu coração bater mais rápido o normal, um pequeno ataque cardíaco só de vê-la ali tão frágil, Raven estava ao seu lado enquanto a conduzia com calma até a nossa mesa, senti o meu corpo ficar tenso com a sua aproximação porem forcei a minha mente a me acalmar, ela não era um monstro de sete cabeça, era só uma pessoa normal, que deveria estar morta, mas ainda assim, normal.
Raven indagou uma conversa animada com todos ali que discutiam sobre a discussão de Octavia e Raven essa tarde, aparentemente tiveram que prender Raven depois de Octavia ter lhe dado um pequeno peteleco. Lexa apenas comia silenciosamente e eu me questionada do porque eu sempre a observar bem mais que o normal.

- Ah qual é Griffin, você precisa relaxar. – Disse Jasper enquanto jogava um pedaço de pão na minha direção, eu lhe lancei um olhar reprovador e ele levantou as mãos em forma de redenção e eu lhe mostrei a língua que o fez sorrir com o ato infantil da minha parte.

- Acho que andei vendo fantasmas. – Eu mal tinha notado o que tinha saído da minha boca até Lexa engasgar com a água que estava tomando fazendo com que todos ali se calassem imediatamente e olhassem sem graça na direção da garota que ainda parecia tentar voltar a sua respiração, eu me encolhi na cadeira enquanto todos pareciam perder o clima no qual estavam e eu me estapeei internamente com a minha piada idiota.

- Um fantasma muito bonito por sinal. – Raven disse e todos caíram na gargalhada e eu a agradeci com o olhar recebendo uma piscadela como resposta, Lexa sorria envergonhada na direção de todos, suas bochechas estavam vermelhas e ela apenas puxou o boné que era de Monty mais para tentar esconder seu rosto.

A conversa continuou por mais algum tempo até todos darem uma desculpa de que tinham que voltar aos seus afazeres e alguns falaram que iriam voltar para seu dormitório pois precisavam descansar do dia exaustivo, o que fez sobrar somente eu e Lexa que mexia ansiosa na manga de sua blusa enquanto parecia em uma batalha contra si mesma. Ela me olhava algumas vezes e parecia querer falar algo, mas logo se calava.

- Lexa, algum proble...

- Podemos conversar? – Ela me interrompeu e eu apenas assenti enquanto sentia o meu coração se acelerar novamente, eu estava feliz por ela querer conversar comigo, mas estava preocupada com que o rumo que essa conversa tomaria.


Notas Finais


Esse ficou pequeno mas é porque logo logo eu trago mais um pra vocês, e segurem a emoção...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...