História Lua de Sangue - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Mamamoo
Personagens Hwasa, Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Namjoon (RM), Moonbyul, Personagens Originais, Wheein
Tags Bangtan Boys (BTS), Vampiros
Visualizações 18
Palavras 1.592
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, LGBT, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, amores da minha vida. Tudo bem!? Ah, espero que sim.
Vim trazer mais um capítulo da nossa fanfic hehehe espero do fundo do meu coração que vocês possam estar gostando da história 😄❤
.
Boa leitura!!!

Capítulo 11 - War of Hormone


Fanfic / Fanfiction Lua de Sangue - Capítulo 11 - War of Hormone

Depois de passar alguns dias em casa, Wheein se ofereceu para pintar o meu cabelo e eu não quis a ajuda dela. Resolvi descolorir o restante e pintar meu cabelo de louro, um tom quase branco.

Voltei a escola e recebi olhares de todos os estudantes, até mesmo dos professores e parece que meu novo visual não foi aceito pela diretora, segundo ela, eu precisava de ajuda de um profissional.

Ela iria me encaminhar para um psicólogo.

Ayko: Que visual é esse? - perguntou, pegando em meu cabelo - Eu simplesmente, amei.

S/N: Resolvi pintá-lo - pegando meu celular e guardando na mochila - Não queria manter aquele estilo de monster high para sempre.

JungKook: E aí, gente fina - chegando ao meu lado e colocando seus braços em volta de mim - Tudo bem!?

S/N: Aish, você voltou a beber novamente!? - perguntei, empurrando ele para longe depois de sentir o cheiro do álcool - Ainda são 08:30 da manhã e você já encheu a cara!?

JungKook: Shhhhhh, não fala... - colocando o dedo na boca - Não.

S/N: Vem, eu vou te levar para outro lugar - puxando Kook para detrás da escola, lá havia um galpão que ninguém mais usava e era minha única alternativa - Não se joga para cima de mim, você pesa.

JungKook: Eu briguei com a minha omma - andando ao meu lado, com dificuldades - Ela me disse que eu era um... Monstro.

S/N: Monstro!? - perguntei, pegando o cadeado e notando que estava trancado - Explica isso melhor.

JungKook: A lua grande e monstros maiores ainda - fazendo movimentos com a mão - Sangue, morte e a lua vermelha.

S/N: A bebida afetou os seus neurônios!? - pegando uma pedra para quebrar o cadeado - Você não está batendo bem da cabeça.

JungKook: Não - levantando do chão e vindo até mim - É real, eu sou um monstro. Minha omma tem razão - esmurrando a parede - Aish, eu odeio ser assim.

S/N: Consegui - abrindo o galpão e puxando JungKook - Vem logo.

JungKook: Você acredita em mim!? - perguntou, segurando minha mão - Eu estou falando a verdade.

S/N: Você não é um monstro - rebati,  deixando-o sentado em uma cadeira - Você é apenas, Jeon JungKook.

JungKook: Não - sorrindo mostrando os dentes - Eu não sou apenas, Jeon JungKook.

S/N: É meu amigo - limpando as mãos sujas de sangue dele, com uma toalhinha - É inteligente também.

JungKook: Errou de novo - respondeu, friamente - Você realmente, não me conheci.

S/N: Então, deixa eu te conhecer - entregando meu lanche a ele - Sim ou com certeza!?

JungKook: Ah, garotinha - bagunçando meu cabelo - O meu verdadeiro eu, é... Selvagem.

S/N: Ui, selvagem - debochando dele - Agora, coma e depois da escola - limpando minhas mãos - Prometo voltar aqui.

JungKook: Está bem - respondeu, acenando para mim.

Deixei JungKook no galpão e voltei a caminhar em direção a minha sala de aula, sem demonstrar nada. Mas fui barrada pelo vice diretor, o cheiro dele entrou na minha mente e me fez desligar por alguns minutos.

Não havia palavras para descrever aquele monumento, nem gestos eram suficientes para demonstrar o quão delirante aquele homem era.

Retomei a minha consciência e foquei naquelas órbitas escuras e frias, sentindo um calor irradiar pelo meu corpo e desaparecer em minha respiração.

Eu tinha que manter a minha sanidade.

Namjoon: O que você faz fora da sala? - perguntou, estreitando os olhos - Você está perdendo as aulas, rondando pela escola assim.

S/N: Eu estava ocupada - respondi, fitando o chão - Não vai mais se repetir.

Namjoon: Assim espero - baixando-se para olhar nos meus olhos - Ainda não tivemos aquela conversa, quando você estará disponível?

S/N: B-bem - enchendo os pulmões de ar - Pode ser agora, se você quiser.

Namjoon: Você iria perder as aulas de artes e química - respondeu, voltando a sua postura - Tem certeza disso?

S/N: Como sabe dos horários das minhas aulas!? - perguntei, analisando o olhar dele.

Namjoon: Eu sou o vice diretor - erguendo uma sombrancelha - Teremos a conversa ou não!?

S/N: Sim - respondi, mas estranhando a pressa dele e o fato dele saber meus horários - Vamos conversar agora!?

Namjoon: Sim, na minha sala - respondeu, andando e entendi que era para acompanhá-lo.

Segui Namjoon até a sala dele e sua cordialidade me assustava. Abriu a porta para que eu pudesse entrar e logo depois, puxou a cadeira para que eu sentasse, de certa forma era estranho e aconchegante ser tratada daquela forma.

Fechei o cenho e foquei ao máximo nas coisas que importavam, naquele momento. A boca do Namjoon era uma delas.

Cruzei as pernas para parecer mais formal e arrumei minha postura na cadeira.

Namjoon: Conversei com a diretora e a professora de artes sobre a sugestão da sua peça teatral - disse, ajeitando a postura - E elas sugeriram que seria mais plausível que você fizesse parte da coordenação, já que foi você que opinou.

S/N: Coordenação? - perguntei, me fazendo de desentendida - Hmmmmm, eu prefiro apenas apreciar a peça.

Namjoon: Eu insisto que participe da coordenação - sorrindo e mostrando as convinhas - Acho que você faria um ótimo trabalho e nos ajudaria bastante. Sei que você é uma apreciadora dos clássicos e conhece a história perfeitamente.

S/N: Bem - respondi, titubeando - Acho que... Eu posso.... Ajudar

Namjoon: Excelente - debruçando-se na mesa, e chegando mais perto de mim - Você será de grande ajuda.

S/N: C-certo - sentindo o hálito dele no meu rosto.

Ele parecia tão perto, em minha imaginação eu já podia sentir o gosto dos seus lábios e o cheiro de baunilha com chocolate do seu corpo. Os músculos dele se destacava sobre a roupa, os cabelos pretos dele arrumado para trás, com um pouco de gel e as pernas dele... Eu tinha um penhasco naquelas pernas.

Eu poderia sentir o corpo dele no meu, o calor subia tão rápido que me fazia perder a sanidade. Sentia que cada fibra era um vulcão em erupção e faltava pouco para que eu perdesse completamente as rédias.

Era errado sentir aquilo, errado pensar naquilo e fora isso, a dor em minha genitália palpitava.

Eu nunca senti aquilo, a maioridade me trouxe problemas e paranóias extras.

Ele estava tão perto... Eu poderia... Poderia...

XXX: Senhor Namjoon? - disse uma voz conhecida, batendo na porta e me fazendo retomar a consciência sã - Ah, desculpa - disse, nos olhando.

S/N: Oi, Kang - disse, me ajeitando para parecer normal e não uma tarada ambulante - Tudo bem!?

Kang: Olá, S/N - sorrindo e voltando a fitar Namjoon - Eu vim pedir uma autorização para sair mais cedo, um dos meus alunos estava passando mal e disse que levaria para casa.

Namjoon: Sim, qual o nome dele!? - perguntou, procurando uma agenda - Pode dizer.

Kang: Kim Lee - respondeu, e pegou o papel com a autorização - S/N, o Kook está lhe procurando.

S/N: S-sim, eu já vou - saindo em disparada até Kook.

Ele estava no galpão, como havia dito pedido a ele. Já que JungKook não era aluno da High School Arts, não poderia entrar no terreno da mesma e ao chegar no local, encontro Jeon dormindo tranquilamente.

Dou algumas cutucadas nas bochechas de Jeon, mas ele não acordava e como eu era uma ótima amiga, tirei algumas fotos dele. Algumas mostravam os dentinhos de coelhinho, algumas de boca aberta e outras sérias.

Resolvi tirar a última foto para recordação e acabei tocando nos braços dele e JungKook acertou um tapa na minha cara.

S/N: AISH - disse, dando um chute na cadeira que Jeon dormia e machucando o dedo no processo - QUE MERDA.

JungKook: Que foi!? - perguntou, olhando da onde vinha os gritos - S/N!? Você está bem!?

S/N: Eu estou meia hora te cutucando e você não acorda - passando a mão no local do tapa - E quando eu toco no seu braço, você simplesmente me esbofeteia.

JungKook: Desculpa - chegando perto de mim - Machucou muito!?

S/N: É claro que sim - mostrando para ele a marca dos dedos nele na minha cara - ESTÁ VENDO ISSO!?

JungKook: S/N!? - chamou por mim, com uma cara de cachorrinho abandonado - Eu estou sem casa para morar, minha omma me expulsou. Não tenho para onde ir.

S/N: Aish - pegando a minha mochila - Okay, você pode ficar na minha casa.

JungKook: É só por um tempo - disse, chegando mais perto - Desculpa pelo tapa, eu realmente não sei como isso aconteceu.

S/N: Tudo bem - respondi, sorrindo para acalmá-lo - Quando chegarmos em casa, eu resolvo isso e isso - apontando para o estado decrépito dele.

JungKook: Eu não estou tão ruim assim - rebateu, cheirando a sua jaqueta que estava rasgada e logo em seguida pegando na cabeça - Ai, minha cabeça está um turbilhão.

S/N: A minha também - esperando ele sair do galpão para fechar - Não só a minha cabeça.

JungKook: O que!? - perguntou, ainda com a mão na cabeça e caminhando ao meu lado - Do que você está falando!?

S/N: NADA, JEON JUNGKOOK - disse, andando mais rápido.

Eu havia fugido da escola, ainda tinha mais 6 aulas para assistir. Entretanto para mim, já havia esgotado a cota de tarada no vice diretor.

Eu teria que fazer uma pesquisa sobre isso, sabia que uma certa idade iria sofrer com hormônios. Mas não sabia que seria tão ruim assim.

Aish, eu teria que fazer algo para isso parar.


Notas Finais


Cadê as teorias!?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...