1. Spirit Fanfics >
  2. Lua Negra- Camren >
  3. Capítulo 34

História Lua Negra- Camren - Capítulo 34


Escrita por:


Capítulo 34 - Capítulo 34


Fanfic / Fanfiction Lua Negra- Camren - Capítulo 34 - Capítulo 34

- E aí? – Olhei para ela, que estava deitada na cama de barriga pra cima.

- Não precisa ficar com pena de mim!

- Eu não estou! – Disse sabendo que ela podia ver que eu estava mentindo. – Como foi?

- Depois de meia hora sem sucesso eles desistiram!

- Sinto muito!

- Tudo bem!

- Mas porque não disse nada?

- Estou só adiando minha morte! Porque assim que eu der toda e qualquer informação que tiver, eles vão me matar!

- Eu quero te perguntar uma coisa!

- Pode dizer!

- Você por acaso viu um menino de uns doze anos, levemente parecido comigo!

- Chris? – Ela disse fazendo eu sentir uma pontada de esperança.

- Sim! – Colei na grade. – Você o viu?

- Patrick carregava ele para todo lado, porque?

- Ele está bem Ally? Ele está vivo? Eles o transformaram?

- Calma, ele está vivo! – Ela pareceu pensar, tentar se lembrar de algo. – Parece que ele não serviu para o que Patrick queria, mas ele não se desfez do garoto, você o conhece?

- É meu irmão! – Quis chorar.

- Bom, pelo que vi Patrick não tem interesse em matar ou transformar o garoto ainda...

- AINDA?

- Eu vejo sentimentos na hora Lauren, não posso afirmar que daqui a duas horas ele pode estar pensando e sentindo as mesmas coisas!

- E quem é esse Patrick, Ally? Digo... eu o vi na casa dos Evans!

- Não estou entendendo Lauren!

Então contei tudo para ela sobre as vezes que vi Patrick e sobre as descobertas de Normani na casa onde eu morava, Ally ouvia tudo atentamente, evitei ao máximo falar sobre tudo que aconteceu entre mim e Camila, mesmo tendo consciência que ela sabia que estava escondendo algo.

- Bom, não vejo outra explicação pra essa perseguição a vocês se não for isso! – Disse sobre o dom. – Mas eles têm um cara com o "dom" de saber quem tem, então não faz sentido pegarem os dois!

- E se quem tem era o Chris e eu era para controla-lo?

- Pode ser, mas se eles precisassem de você para controla-lo, não precisava esperar o garoto crescer né?

- É! – Concordei.

- Sem contar que quando me transformei eu mataria minha mãe se a visse por causa dos impulsos e instintos, então uma criança não poderia ser controlada por alguém mesmo que fosse a família inteira dele.

- Que horror! – Quando vi já tinha dito.

- É! – Ela deu os ombros.

Ouvimos a porta se abrir e Ally se encostou na parede, provavelmente para ninguém conseguir pegar ela como tinham pego, era Camila, agora ela estava com um short jeans e um moletom grande amarelo, revirei os olhos, não era uma conversa que estava afim de ter agora, ela se aproximou, seu rosto era sério quando olhou para a cela na minha frente antes de me olhar, sentada na cama virada para onde Ally estava a segundos atrás.

- Oi! – Disse finalmente, meus olhos vacilaram entre ela e Ally que me olhava curiosa.

- Oi!

- A gente pode conversar? – Ela parecia nervosa.

- Não! – Respondi simples.

- Qual é Lauren? – Disse impaciente, odiei o fato de agora eu ser "Lauren". – Por favor!

- Não quero Camila! – Repeti vendo Ally arregalar os olhos atrás dela. – O que foi? – Sabia que ela queria falar alguma coisa, Camila a olhou também.

- Nada, pode continuar aí! – Ally parecia tensa.

- Fala! – Pedi.

- Eu só achei que Camila fosse alguém... esquece! – Ela riu.

- O que? – Vi Camila ficar bem séria, sua postura mudou completamente quando deu um passo para perto da cela da vampira.

- Que cor? – perguntei curiosa.

- Vermelho, muito vermelho! – Ally me olhou e eu não conseguia me lembrar o que significava, balancei a cabeça negativamente. – Raiva, mas é culpa minha! – Esclareceu, Camila me olhou extremamente irritada. – Agora tem rosa, mas ainda tem vermelho! – Ally disse e eu quis sorrir, rosa eu sabia o que significava.

- Vai, abre essa droga! – Disse batendo na grade, Camila pareceu pensar sobre isso por um segundo antes de abrir e me deixar sair.

Caminhei até a saída e ela veio atrás de mim, parei em frente ao celeiro.

- Aqui não, ela ainda pode ouvir! – Disse andando, revirei os olhos, mas a segui, acabamos parando perto do rio.

- Longe o suficiente? – perguntei impaciente.

- Não, mas tudo bem!

- O que quer? – Perguntei.

- Queria dizer que eu e o Shawn, a gente não tem nada! – Ela me olhou, parecia menos tensa que antes, mas ainda assim insegura e abatida.

- Tudo bem! – Assenti.

- Só isso?

- Você espera que eu diga o quê Camila?

- Não sei Lolo, você em um dia não fala comigo, no outro me tranca com você e faz amor comigo e depois age assim... de um modo que nem sei decifrar!

- Eu? Você sumiu Camila, nesses últimos dias vi mais o Troy do que você e toda vez que te vi você estava com ele! – Apontei para a Sede sem nem saber se ele estava lá. – E tudo bem, eu entendo!

- Entende?

- Sim, Alexa já tinha dito qu...

- Alexa! – Ela revirou os olhos irritada. – Alexa só falava bosta!

- Vai me dizer que quileutes não acabam com quileutes? – A encarei.

- Nem sempre, até por isso que Dinah, Troy e Shawn não era pra terem se transformado, porque os pais deles ou os avôs não ficaram com quileutes! – Ela gesticulava.

- E algum deles ficaram com a pessoa que o alfa queria matar?

- Mani não quer te matar!

- Ela quer e você sabe! E nenhum dos pais ou avos deles estava sendo caçada por vampiros pelo que quer que seja! – Ela negou com a cabeça em sinal de reprovação ao que eu dizia. – E tudo bem Camila, eu não posso te proteger como ele pode! – Senti um nó na garganta.

- Eu não preciso de ninguém pra me proteger!

- Não? Não foi ele quem te salvou?

- Dinah não sabe ficar de boca fechada! – Ela socou a própria mão.

- Você acha que eu gosto de te ver assim? – Me aproximei e ergui sua blusa, revelando os hematomas, tocando neles com cautela. – Odeio ter que pensar que se ele não estivesse lá eu teria te perdido Camz...

- Você acha que já não pensei nisso? O garoto que morreu tinha uma namorada Lauren, ela estava aqui vendo ele ser homenageado e isso importa do que? Ela não vai mais estar com ele e eu pensei também que você não merecia isso Lolo, ficar esperando para saber se eu volto viva ou morta ou se pelo menos vão ter um corpo para se despedir!

- Para de falar isso! – Senti um nó se formar em minha garganta só de imaginar isso.

- Por isso não fui te ver, por isso quis estar longe, mas eu não consigo e te ver distante de mim ou sem querer falar comigo... Sabe o que parece? – Seus olhos eram tristes, seu queixo tremeu devagar e vi seus olhos enchendo de lágrimas. – Que você queria a verdade sobre mim, mas não era o que você esperava, não é nem algo que você consiga suportar, só me fala que é isso e eu te deixo em paz!

- Não é verdade Camila! – Meu coração ficou apertado ao vê-la triste daquele jeito.

- Não Lauren? – Ela me questionou.

- O que você quer de mim Camila? – perguntei meio perdida entre o "Tentei me afastar" e o "Talvez você esteja se afastando".

- Que você me queira! – Soltou junto com um soluço e as lágrimas que estava segurando, aquilo foi demais pra mim, a puxei colando meu corpo ao seu em um abraço superprotetor a sentindo seus braços ao redor de mim.

- Eu te quero! – Disse a encarando antes de tocar seus lábios com os meus. – Muito! – Assumi.

- Jura? – Ela fez biquinho e eu beijei novamente sentindo o gosto das suas lágrimas.

- Juro, agora para de chorar, odeio te ver chorar! – Pedi e ela limpou o rosto com a manga da blusa.

- Lauren Jauregui, você quer ser oficialmente a minha namorada? – Perguntou com aqueles olhos castanhos brilhantes.

- Sim... – Disse e ela pulou no meu colo me fazendo sorrir tentando segura-la. – Espera, espera! – Pedi enquanto ela dava vários beijos em minha bochecha. – Não é tão fácil assim!

- Lolo se tem uma coisa que você não é, é fácil! – Ela disse nos meus braços. – E se tem uma coisa que não foi fácil é namorar você! – Brincou.

- E por isso que você me quis! – Entrei na brincadeira.

- Certeza! – Ela riu ainda com a boca na minha bochecha, mas agora ela estava mordendo.

- Eu tenho algumas exigências.

- Estava demorando, fala namorada! – Revirou os olhos.

- Primeiro, eu não vou mais ficar trancada naquela cela!

- Justo! – Ela concordou.

- Segundo, se mais alguma vez eu te ver só de calcinha e sutiã com aquele garoto eu posso ir embora sem nem olhar pra trás e você nem pense em ir atrás de mim! – Disse irritada.

- Lolo, você já viu algum lobo por aí usando roupas? – Ela parecia estar se divertindo com aquilo, eu semicerrei os olhos. – Ele já viu mais do que minha calcinha! – Só de pensar aquilo já me irritava. – Mas aqui é normal, ninguém fica pensando "nisso", até porque seria estranho ser pego pensando nisso.

- Okay, mas você estava no rio com ele porque...? – Esperei uma explicação que sabia que não viria.

- Porque eu sou idiota? – Ela mordeu meu queixo rindo. – Tudo bem Lolo, eu não vou mais nadar com meu amigo!

- Acho bom, porque já que eu estou livre eu poderia chamar a Alexa pra vir aqui nadar comigo também, já que ela é minha amiga.

- Isso Lolo, chama ela para vir aqui, nunca vi um humano suportar ficar mais de cinco minutos nessa água, mas ela pode ficar por muito mais tempo caso eu afogue ela! – Sorriu maligna.

- Que horror Camila! – Ri.

- Já acabou as exigências né? – Ela me beijou, eu neguei com a cabeça. – A terceira é meu corpo nu em cima do seu? – Neguei com a cabeça sabendo que o que viria depois não a deixaria feliz. – Embaixo do seu? – Tentou de novo.

- A terceira... – Respirei fundo. – É que só eu vou poder interrogar a Ally!

- NEM A PAU!

 


Notas Finais


Allycat deu uma ajudinha pra nossa lobinha né... porque lolo estava p**** kkkkkkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...