História Luas de Mim - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Felipe Z. "Felps", Matheus Neves "Pk Regular Game", Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, Rodrigo "Saiko" Ximenes
Personagens Felps, Matheus Neves, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, Rodrigo "Saiko" Ximenes
Tags Calango, Cellbit, Felps, Ficção, Gay, Guaxinim, Karma, Lemon, Meiaum, Romance, Saiko, Tawo, Verdade Ou Desafio, Yaoi, Ycaro, Youtubers
Visualizações 68
Palavras 1.107
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu fui escrever esse capítulo meio sad e começou a tocar Amianto - Supercombo '-'

Ai que meda - Sorri ironicamente

Bora pra fic?

Capítulo 7 - Capítulo 7


Calango Narrando

Acordo com dor de cabeça e a vista embaçada, me xinguei automaticamente quando percebi que dormi chorando, de novo, para variar.

Percebi que ainda era madrugada e com pouco esforço me sentei na cama esfregando meus olhos e murmurando palavras sem nexo.

- Hmm... será que tem remédio lá embaixo?... - Sussurrei. - Melhor procurar.

Levantei e fui para perto da porta, abri-a bem devagar e olhei o corredor, ninguém, ótimo. 

Sai rápido fechando a porta atrás de mim, respirei fundo para tomar coragem e fui para o andar de baixo na ponta dos pés.

Não queria acordar ninguém, apesar de que eles tão merecendo muito umas noites em claro para ficarem como eu.

Um bagulhinho. 

Balancei a cabeça negativamente com um leve sorriso nos lábios, bagulhinho, que idiota. 

Olhei para a sala que estava um breu total e fui para a cozinha, ninguém novamente.

Peguei um remédio no armário e água na geladeira, tomei o remédio e bebi a água em seguida, guardei a garrafa de água na geladeira e me virei tomando um susto com Pk na minha frente.

- O que faz acordado a essa hora? - Perguntou com uma sobrancelha arqueada e uma expressão séria.

- S-Só vim beber um remédio. - Murmurei. - Precisa assustar? 

- Não, mas eu gosto. - Sorriu, depois franziu a testa olhando bem para o meu rosto mesmo no escuro. - Você estava chorando?

- Não. - Respondi rápido, rápido demais. - Por que?

- Seus olhos parecem meio vermelhos. 

- E como você está vendo isso? 

- Eu tenho uma boa visão noturna, sou um gato afinal. - Riu me fazendo revirar os olhos com um pequeno sorriso. 

- Devem estar assim por causa das noites viradas fazendo live. - Eu não menti, omiti, é diferente.

- Hm... - Esse "hm" era de "me engana que eu gosto, mas descubro tudo depois". - Okay. Tá com sono?

- Não, por?

- Por nada, também tô sem. - Deu de ombros. - Quer jogar play station ou cozinhar algo?

- Pode ser os dois não? - Ri. - Mas você que cozinha.

- Ixi. - Riu. - Folgado. 

Mostrei a língua para ele e o mesmo apenas acendeu a luz.

- Eu vou fazer só porque tô com vontade e bom humor, vai escolhendo um jogo ou filme pra gente.

- Tá bom.

Sai da cozinha indo para a sala e procurei um filme mesmo.

Espera, eu estava bravo e triste com ele, como agir tão normal assim?

Balancei a cabeça para dispersar esses pensamentos voltando a procurar um filme, vou apenas ignorar o que houve.

Na verdade, nem ele sabe o que houve.

Flaaaaash Baaaaaack

(Imaginem vozes angélicais cantando isso porque fica muito daora :D - Calango)

Estava deitado olhando para o teto, já eram 3 horas da manhã e eu não conseguia dormir.

Fiquei mudando de posição várias vezes até acabar com o corpo na ponta da cama e de cabeça para baixo.

- Teeeeeédio... 

Suspirei, ficar parado também não ajuda.

- Ah vou ver se os doidos tão acordados. 

Sai do quarto em silêncio e fui para a porta do quarto do Pk, era a mais perto e estava escorada, levantei a mão para bater na porta mas travei ao escutar ele falando.

- Eu não quero ficar perto do Calango! 

Senti meu corpo gelar, por que isso Pk?

- Eu sei Pk, eu também não quero, mas é meio impossível, visto que moramos juntos. - Senti meu coração apertar com a resposta de Xinim.

- Tá mas e aí? 

- Vamos fingir que está tudo bem e torcer para que ele não perceba.

Voltei para o quarto sem querer escutar o resto, o que eu fiz? Eu machuquei eles ou virei irritante? Eles me odeiam agora?

Devido a esses pensamentos quando peguei no sono tive um pesadelo com os dois.

E apartir dali notei que eles fingiam muito bem estarem normais, mas eu já sabia que não estavam.

Voltando...

Mordi meus lábios de leve ao perceber que não havia escolhido o filme devido aos meus pensamentos e estalei a língua, escolhi o primeiro que vi e pronto.



Caso o Saiko escolhesse dar o "Tako-chan" para os outros...

Tawo:

Escolhi dar o polvinho pro Tawo, seria meio que um pedido de desculpas por irritar ele o chamando de clandestino, imigrante ilegal, peruano e coisas do tipo, e como eu não dava muita coisa a ele né...

Procurei o da lua com o olhar e o mesmo estava jogando com Ycaro, fui para perto de ambos e fiquei olhando os dois jogarem.

- Tawo. - Falei.

- Oi.

- Toma. - Coloquei o polvo no ombro de Tawo e ele parou de se mexer com a bola de basquete na mão.

Ele deu a bola pra mim.

- Joga. 

Fiquei sem entender por dois segundos mas joguei ao ver que tinha um cronômetro no jogo.

Após dois minutos parei de jogar assim como Ycaro, o loiro olhou para o polvo e riu, correndo para outro jogo.

Tawo ficou olhando para o polvo nas mãos e após um tempo me olhou. 

- É meu mesmo é Saiko?

- Se eu te dei né? 

O mais alto riu, sim, ele é mais alto que eu.

- Brigado bixinho. - Ele bagunçou meus cabelos. - Cuida dele pra mim por enquanto que eu vou jogar com o Ycaro.

Ele me deu o polvo e sorriu.

- Tá. Eu vou conversar com o MeiaUm ali oh. - Apontei para onde MeiaUm se encontrava e o mesmo me olhou confuso.

- Eu não fiz nada! - Falou alto fazendo Tawo, assim como eu sorrir.

- Tá. 

Ycaro

Procurei o loiro com o olhar e vi o mesmo jogando com Tawo, esperei ele errar para falar um pouco alto.

- O menino burro viu.

- Vá pah merda! - O loiro respondeu mostrando o dedo do meio para mim, ri.

- Mas tu tá longe! 

Tawo e MeiaUm riram e Ycaro apenas bufou vindo em minha direção, melhor parar se não eu apanho '-'.

- Quê que tu quer? - Cruzou os braços batendo o pé no chão várias vezes.

- Tá bravo é? - Não dá pra parar, já é de mim zoar ele.

- Não meu filho, eu tô suuuper calmo. - Falou entre os dentes.

- Tá foi mal, como pedido de desculpas, toma. - Levantei as mãos revelando o polvo e Ycaro ficou com os olhos brilhando, ele gosta de pelúcias.

- É sério vei? Tá me trolando não? - Perguntou e pegou o bichinho da minha mão. - Se for trolagem se deu mal que eu já peguei!

- É teu bixin. - Ri.

- EU SHIIIIPPO! - Escutei Tawo e MeiaUm gritarem e assobiarem em seguida, olhei para ambos balançando a cabeça enquanto ria.

- Sabía que essa Coca era Fanta! - MeiaUm riu.

- WTF bangtan? - Tawo olhou MeiaUm e o mesmo arregalou os olhos.

- Tu conhece?!

- Conheço. 

- Num creio!

Olhei para Ycaro e o mesmo riu.




Notas Finais


Ta, próximo capítulo Calango de novo ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...