História Luas e Folhas - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Claudia Stilinski, Cora Hale, Derek Hale, Kate Argent, Laura Hale, Melissa McCall, Scott McCall, Sheriff Noah Stilinski, Stiles Stilinski, Talia Hale
Tags Sterek
Visualizações 1.489
Palavras 3.326
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, fadinhas de meu coração.
Só pra avisar que eu não vou desistir da historia, então não desistam de mim. u.u


Mas mais uma vez ressaltando, que eu possa demorar para atualizar mas eu nunca vou abandona- la. A demora não é por minha escolha ou falta de interesse é totalmente falta de tempo. :/

Aproveitem a leitura ♥

Capítulo 21 - O ultimo frasco de esperança


Nos últimos sete dias, os sete dias que Derek não havia voltado, Stiles já tinha passado por um turbilhão de emoções, já tinha ido de compreensivo a agressivo nessa última semana. E hoje que já passará das 17:00 da tarde, ele não tinha dormido e tão pouco se alimentado corretamente. Por fim, o fada não sabia mais distinguir o que sentia naquele momento.

Seu foco estava em terminar a experiência, era a única coisa que ainda mantinha sua mente ocupada. Porque pensar em Derek e o motivo que o fez fugir por esses últimos dias, não estava fazendo nada bem.

Stiles estava inerte em seus erros cometidos dentro de sua estufa, que qualquer movimento ao seu redor foi anulado. Em consequência disso ele sentiu tarde demais a presença de Derek.

– Olá! – O lobisomem disse lhe abraçando por trás e beijando sua nuca. Seu corpo reagiu primeiro que sua mente e ele se inclinou para o toque, mas ao percebeu ele pegou uma distância segura.

– O que você está fazendo? – Stiles deu um grito abafado.

– Te cumprimentando. – Derek respondeu como se a pergunta de Stiles fosse ridícula.

Stiles o olhou atordoado e confuso. Ele tinha certeza que se passaram sete dias, uma longa semana sem Derek. Dias depois da noite de seu aniversário, tais dias que passou preocupado e sem nenhuma resposta direta do lobisomem, que no final o fez deixar o orgulho de lado e ligar para família de Derek, e descobrir que ele estava bem e treinando com seus betas.

Então sim, ele tinha essa certeza que passou esse tempo sentindo que fez tudo errado, que Derek se arrependeu a ponto de nem se importar com ele, que o que aconteceu só o fez querer distância.

E por essa razão ele olhou com raiva para o lobisomem a sua frente e começou a subir as escadas.

– Stiles, espera...

– Não. – Ele responde chegando ao segundo andar. – Eu já fiz isso demais.

– Sim. – Derek protesta alcançado o fada e o parando na sua frente.

– Saia da minha frente lobo. – Derek o impede colocando as duas mãos sobre seu rosto.

– Me desculpe, eu precisava pensar. – Ele fala como se aquela palavras explicasse tudo, como se o fato de Derek pensar não tivesse deixado os nervos de Stiles à flor da pele, como se aquele assunto não fosse algo importante para eles tratarem juntos.

– Eu também pensei muito nessa semana. – Stiles fala enquanto retira os dedos de Derek de seu rosto. – Percebi que somos melhores separamos.

– O que?

– Você teve decisão diferente? – Ele pergunta sem expressão.

– Sim, eu escolhi tentar.

– Porque? Tentar o que Derek. Foi apenas uma noite divertida, você tinha necessidades e eu estava lá, não funcionamos juntos. Sou melhor sendo apenas seu colega de casa, quando o casamento passar eu continuarei sendo apenas isso, e depois eu vou embora. Nada além disso pode trazer algo de bom e saudável. – Stiles começa a tremer e se abraça para se impedir.

– Vamos conversar.

– Estamos conversando. Fiz você fugir da sua festa de aniversário, roubar a padaria de sua irmã, te beijei, você me viu em um momento íntimo e vulnerável, dormimos na mesma cama, acordei sozinho. E por uma semana foi assim. – O fada olha para o outro. – Eu não estava esperando que depois daquela noite a gente fosse vira um casal, mas eu esperava uma conversava, que não veio, então percebi que foi melhor assim. A muitos anos vivemos do mesmo jeito, do mesmo modo que tem funcionado, não vejo motivos para mudar agora.

– Mas eu sim. Me desculpe, sei que pisei na bola, mas estou aqui agora. – Ele dá um passo exigente mais próximo de Stiles.

– E quando não estiver? Quando perceber que tomou uma escolha errada? – uma pausa. – Olha não importa mais, eu não quero nada disso para mim. – O fada gesticula com as mãos entre eles.

Derek não diz nada em resposta, Stiles tão pouco completa o diálogo. Por longos segundos eles permanecem em silêncio se olhando.

Stiles faz o primeiro movimento virando as costas e começando a sair do cômodo.

– Você está mentindo. – Derek diz sério, quando o alcança na sala.

– Não usamos nossos poderes no outro. – Stiles fala abafado e com a voz impotente. 

– Por anos eu me segurei para não usar, e por muito tempo eu não entendia o porque de concordar com isso ou qual era a razão de ter essa regra. Possuiríamos vantagens diferentes um sobre o outro, teria sido divertido quando éramos mais novos. – ele se aproxima mais um pouco do fada. – Mas então eu escutei seu coração batendo uma vez, uma única vez quando estava perto de mim. 

– Pare, Derek. – Stiles implora com seus olhos grandes e brilhantes.  

– Você sempre teve medo do que eu pudesse escutar ou sentir quando me aproximava. Medo que eu soubesse o que está dentro de você todo esse tempo. – Derek aponta para o peito de Stiles. 

– Não tem nada aqui. – Stiles bate em seu peito.  

– Mentira. – O lobo solta um rugido de agonia. – Olhe a sua volta, Stiles. – O fada se segurou para não fazer, mas mesmo assim ele sabia que pequenas margaridas estavam brotando de seus pulsos, enquanto caia pétalas no chão.

– Seria... é injusto, você sempre saber como eu me sinto, quando os meus poderes não me dão esse tipo de alcance em você. – Stiles explode. 

– Mas você sabe. – Derek se aproxima e coloca a mão de Stiles em seu peito. – Você sempre soube. – O coração do lobo está batendo forte e desesperado, ele sente no toque. Ambos olham um para o outro.  

– Isso é um erro. – O fada diz tomando distância. – A lua cheia está pra acontecer, era nosso aniversário e estamos... 

– Chega. – Derek fala cortando Stiles, ele fala com calma, mas a uma fúria, tristeza e magoa por trás da palavra. – Você não vai fazer isso de novo. 

– Sobre que você está falando. – Stiles fala com completo desentendimento, que parece provocar mais ainda a raiva escondida de Derek. 

– Quando tínhamos oito anos, e depois com quinze, no enterro da sua mãe, no nosso noivado, na noite em que me apresentou o Kevin. – Ele grita essa última parte e bate com força na mesa de canto da sala. – Anos após anos, sempre que me aproximo que penso que será diferente que nos dará uma chance, você foge. Da uma desculpa e foge. – Ele se sente exausto e abatido, seus dedos deslizando pelo cabelo escuro. 

– Você nunca pareceu se importar até agora. Sempre me expulsando, se esquivando ou concordando de imediato. Você também sempre preferiu fugir, ou deixar de lado, nunca tentou me convencer do contrário, nunca tentou ficar. Não é a primeira vez que eu acordo e você não estava do meu lado. – Stiles respira fundo. – Você sempre quis dizer ‘não’ apenas nunca teve coragem e aceitava logo de cara quando eu dizia. Você sempre sumia, e quando voltava queria que estivesse tudo bem? – Stiles não deveria estar agindo assim, não deveria dar continuidade a isso. 

– Eu não sabia o que fazer, não sabia o que sentir, não sabia... Mas eu estava lá, tentando antes mesmo desse acordo de casamento acontecer, e estou aqui agora na sua frente, te pedindo para não fugir, te dizendo que eu não vou fugir, pra nós dois tentarmos. Porquê da última vez que te deixei ir eu não te vi por dois anos. – E Stiles percebe que é tudo sincero, e por uma fração de segundo pensa em deixar levar, e tentar.  

Mas foi só isso, um segundo de guarda baixa, um prevê momento, que Stiles não quer deixar dominá-lo por completo e Derek percebe. Stiles recua tomando distância.

– Eu estou cansado. – Ele suspira. – Pra mim acabou, você nunca ... Quer apenas um colega de quarto? Você terá, daqui a um ano estarei naquele altar, me casarei com você, e então estará livre, não vou mais estar em sua vida. Pra mim chega, de agora em diante será como nos velhos tempos. – Ele não admitiria que seus olhos arderam, ou que ao se afastar de Stiles e sair de sua casa lágrimas escorreram. Mas aconteceu. 

 Ele mal se lembra da última vez que chorou, ou quando se sentiu perdido e pequeno como agora. Porém todas essas emoções que ele não se recordava de ter sentido o atingiu, com força e sem piedade. Antes mesmo dele perceber, estava ajoelhado ao gramado do lado de fora do prédio, lágrimas deslizava por sua face sem previsão de parar, e em seu peito algo doloroso estava se estalando, e algo antigo se quebrando por completo.

Stiles permaneceu no mesmo lugar olhando para porta que Derek bateu ao sair dali, ele estava começando a respirar com dificuldade e o mundo a sua volta começou a perder forma correta. Tudo era um borrão diante de seus olhos turvos pelas lágrimas, e ele se viu caindo no chão da de madeira sozinho e se sentindo estúpido e perdido.  

Ele quis se levantar e correr atrás de Derek, corrigir a besteira que acabara de cometer, mas seu corpo não queria lhe obedecer, nada parecia correto, nada parecia no lugar.

Após a briga de Derek e Stiles, eles não se falaram mais, e evitavam até mesmo de estar no mesmo ambiente. E com os dias, Stiles parou de frequentar a casa da reserva, a estufa e até mesmo a floresta que cercava a casa.

– Vocês brigaram! – Seu pai fala ao se apoiar no batente da porta do quarto de Stiles.

Já se passara da segunda semana e seu pai permanecia em voltar nesse assunto. Antes ele perguntava e questionava, agora tudo não passava de afirmações sem confirmações de Stiles, que tanto ele quando o lobisomem haviam mesmo brigado.

– Não foi nada sério. – O filho do xerife também já tinha desistido de explicar que não foi uma briga. Mesmo que tenha sido, mesmo que nos últimos dias ele tenha se sentindo um caco e em trapos. Ele não iria admitir para seu pai, e pelo visto nem para ele mesmo. No fim ele apenas disse que foi uma discórdia sobre alguns arranjos do casamento.

– Essas coisas acontecem garoto, sempre vão discordar de algo, ainda mais você e Derek, que a única concordância que tinham enquanto cresciam, era que se odiavam. – Ainda concordavam sobre esse tópico. Pelo menos Derek odiava Stiles. Era o que o fada pensava, e praticamente era única coisa que povoava seus pensamentos nesses últimos dias.

E ele tinha razão de o odiá-lo, ele mais uma vez foi covarde. Stiles mais uma vez pensou sobre isso enquanto dava um sorrido compreensivo para seu pai.

– Eu acho que sim. – Stiles falou.

– Mas olha só para onde vocês chegaram, morando juntos nos últimos meses, e mesmo que aquela fuga tenha preocupado a todos em seu aniversário, vocês fizeram juntos. – John parou ao ver o semblante de seu filho entristecer. – Vocês são um casal agora, e estão caminhando para algo maior e tudo bem se assustar ou ter medo, é normal. – Seu pai sorriu de verdade ao ver um sorriso menos triste em Stiles.

– Você está ficando bom nisso de conselhos. – Stiles brinca.

– Aprendi com a melhor. Sua mãe era perfeita nisso.

– Sim, mas você está fazendo um ótimo trabalho. – Stiles o olhou com ternura.

John se preparava para dizer algo a mais, quando a campainha tocou.

– Deve ser Scott e Mellissa.

O fada se levantou e acompanhou o seu pai até a porta e forçou o melhor sorriso no rosto para receber as visitas.

– Fiquei sabendo que não está mais morando com Derek. – Scott diz depois de um tempo que ambos tinham perdido o interesse no filme que assistiam.

– Isaac te falou?

– Na verdade foi minha mãe, depois de seu pai ter contado que você estava alguns dias aqui. Isaac apenas confirmou quando eu o questionei. – Seu melhor amigo lhe olhou atento.

– O que aconteceu? – Allison perguntou.

– O mesmo de sempre, não precisamos de muito para perder a cabeça com o outro. – Stiles começou a brincar com os lençóis da cama para se distrair.

– Vocês tem brigado a anos e nos últimos meses a coisas não mudaram de nível, mas a ponto de você se mudar, e nem querer tocar no nome dele.

– Ou querer uma vingança. – Scott continua. – Dessa vez foi diferente.

– Não sei porque estão preocupados. – Era mais fácil para ele ficar na defensiva.

– Porque achamos que dessa vez foi realmente sério. Mesmo com as brigas vocês fizeram grandes avanços para uma amizade, começaram a se ver através da camada falsa da discórdia. –Allison fala e Stiles e Scott a olham como se ela tivesse criado uma segunda cabeça. – Ah qual é, não finjam demência. Vocês sabem do que estou falando, começaram a gostar de verdade um do outro.

– Não o suficiente para deixar o ódio e ressentimentos para trás. – Stiles fala dando fim aquela conversa.

Dias haviam se passado e Derek se negava admitir que sentia falta da companhia rabugenta do fada.

Stiles não precisa dele? Bem. Ele também não precisava do outro.

Então tudo que ele estava sentindo no momento era desconforto da mudança, assim como ele teve que se acostumar com a companhia de Stiles, ele agora tinha que se adaptar com a não presença dele, e tudo bem, ele estava bem com isso, sim ele estava.

Seus betas vinham e iam constantemente para uma checagem. Alegando estar preocupados com o bem estar de seus alfa, mesmo que Derek continuasse falando que estava perfeitamente bem.

– Então porque não estamos treinando? – Erica resmungou um certo dia.

– Tenho muito trabalho acumulado. – E essa afirmação não era uma mentira, mas também tão pouco toda a verdade.

E com a passar das semanas, o trabalho vinha só mais acumulando. Tudo que o lobisomem precisava era de ocupar o seu tempo, ele precisava manter sua mente longe de Stiles, longe de seus betas e com toda certeza dos preparativos que estava rolando para o seu casamento que se aproximava.

Derek já tinha ignorado o máximo as ligações de suas irmãs, seus pais e principalmente a cerimonialista. Mas infelizmente isso não impedia dela bater em sua porta as 6:00 da manhã de um domingo. O lobisomem tinha sorte que ela era uma humana e ele poderia facilmente ignorar suas tentativas de conversas, fugindo sem que ela percebesse.

Para a infelicidade de Stiles ele não teve a mesma sorte.

O fada estava saindo para colher algumas mudas a redor da cidade quando deu de cara com uma mulher, baixinha de cabelo curto preto e um nariz pontudo e fino, resultados de inúmeras cirurgias plásticas.

– Carol! – ele exclamou.

– Vocês não estão facilitando o meu trabalho, senhor Stilinski. – Ela diz com uma voz aguda e irritada.

– Eu sinto muito.

– Não atendem minhas ligações, ou respondem ao meus e-mails. Fui obrigada a pedir reforços para conseguir informações do que vocês gostam, e tudo que consegui foram seus bolos favoritos. – Ela coloca uma mão na cintura e aperta com a têmpora. – Eu sei que é um casamento grandioso, e tudo possa estar estressando vocês. Mas vocês são um casal e eu preciso da colaboração dos dois. Porque senhor Stilinski, estou chegando ao meu limite com esse casamento e com vocês. – Ela entrega bruscamente um papel e sai resmungando algo sobre faltar pouco para o casamento tão grande, que nunca teve que passar por isso antes, que gerações e gerações de sua família sempre realizou casamentos de união entre espécies...

Stiles parou de escutar assim que ela entrou em seu carro todo preto e seu motorista saiu em disparada dali.

De qualquer forma, tinha outros problemas agora. Como enfrentar Derek atrás de respostas verdadeiras para esse questionário. Mesmo que ele soubesse as respostas para boa parte daquelas perguntas, e poderia muito bem forjar respostas para as partes do lobisomem... No fundo ele via aquele motivo como uma ótima desculpa para ver Derek.

Precisou de um pouco whisky e de cinco dias para Stiles ter coragem o suficiente e visitar Derek, e quando o fez já se arrependia antes mesmo de colocar a chave na fechadura.

Ele respirou fundo e entrou na casa, não encontrou Derek no andar principal, e era obvio que o outro estava em seu escritório.

Ele desceu anunciando seu presença da mesma forma que sempre fazia quando morava aqui, batendo os dedo de leve no corrimão espiral em uma melodia idiota que ele e Derek criaram em uma noite de maratona dos filmes do Batman.

Derek em seu cadeira remexeu desconfortável reconhecendo as vibrações sonoras, para depois o aroma e então tudo que completava Stiles.

O fada parou na ponta da escada e olhou para todos os lados antes de seus olhos focarem nele.

– Oi. – Ele disse.

– O que posso fazer por você, fada? – Derek perguntou, voltando para notebook e papeladas.

Stiles se mexeu, e deu uma volta pelo lugar, nada parecia diferente. De alguma forma algo dentro dele se decepcionou. Ele esperava encontra um Derek acabado pelo trabalho, pela briga, por ele. Mas nada parecia afetado e talvez fosse melhor assim.

Stiles passou os dedos o pela madeira escura da mesa de Derek, eram movimentos de nervoso ele precisava se distrair para conversar com o lobisomem. E o fato de ele estar nervoso por apenas precisa conversar com Derek o deixava em pânico.

Mesmo com todas as brigas, sempre se voltaram a falar, algumas vezes foram mais difíceis que as outras, mas sempre voltaram. Nos primeiros anos quando mais novos, não amigavelmente mas ele se adaptou a ideia de se reconciliar com o outro, de ter algum tipo de conviveu amigável nesses últimos meses.  Mas Stiles tinha a sensação que dessa vez seria impossível.

– Stiles... – Derek começou a falar com cautela, o fada nao prestou muito atenção, porque estava mais atendo ao frasco vazio de aromatizante que ele deu ao lobisomem.

– Você tem usado?

– Me relaxa, foi para isso que você fez, não? – As palavras são amargas e na defensiva, e logo ele estava voltando para o que estava fazendo, mas ambos naquela sala sabia que ele não prestava atenção para a papelada a sua frente.

– Se quiser faço outro para você, já que esse acabou. – Stiles se aproxima com cautela, e Derek o estudou com os olhos, enquanto se levantava.

– Não preciso de nada de você, ele acabou a semanas nem me lembrava que ainda tinha isso aqui. – Derek retira o frasco vazio da mão de Stiles e joga com força na lixeira de canto, assustando o outro quando o vidro se quebra em contado com o fundo do cilindro. – O que veio fazer aqui afinal? – Ele pergunta.

– C-Carol apareceu em casa, ela está furiosa com nossa falta de colaboração para esse casamento. – Ao falar ele permanece olhando para um ponto fixo na janela do escritório, e se força ao máximo para ser firme e objetivo. – Ela precisa de nossas respostas para isso. – E desliza o questionário sobre a mesa, Derek pega na mesma hora.

– Você infelizmente me conhece melhor que qualquer um, saberia responder todas essas perguntas. – Derek responde olhando para as folhas de questionário.

– Mas eu não vou estar lá sozinho, aceitamos esse acordo juntos, temos que passar por essa juntos. – Stiles começa a perder a compostura.

– Nunca estivemos juntos em nada, até isso foi uma farsa que mal conseguimos sustentar.

– Porem que ainda precisamos continuar com ela por mais um tempo, porque o casamento ainda não passou. – Stiles estava sem folego aquele ponto.

– Eu não me importo de como vai ser esse casamento, as flores poderiam ser margaridas que não faria diferença pra mim. – Assim que as palavras saíram da boca de Derek ele se arrependeu. Mas pelo olhar e passo de recuo que Stiles deu, era tarde demais para retirar o que havia dito. – Eu... – Derek começou a falar mesmo assim mas Stiles não permitiu que ele continuasse.

– Apenas responda. – Foi tudo que ele disse, antes de virar as costas e subir as escadas o mais rápido que pode.

– Merda. – Derek gritou enquanto sentava em seu cadeira e olhava entristecido para lixeira, enquanto o ultimo vestígio de aromatizante pairava no ar, porem nem isso conseguia mais acalma-lo. 


Notas Finais


Então, eu prometo que o momento de sofrência esta chegando ao fim, é serio. E eu só estou dizendo isso pra ninguém querer me matar >.<


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...