1. Spirit Fanfics >
  2. Lúcifer >
  3. 3. Lúcifer

História Lúcifer - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Desculpem qualquer erro ortográfico!


Boa leitura!

Capítulo 3 - 3. Lúcifer


Fanfic / Fanfiction Lúcifer - Capítulo 3 - 3. Lúcifer

13.04.13 

JungKook 

03:00

Acordei no meio da noite com sede é com bastante frio, o ar condicionado do meu quarto estava desligado, pois eu estava com nariz meio entupido, então não liguei pra não piorar minha situação. 

Levantei-me da cama com calma, fiquei um pouco torto e sentei-me na beira da cama. O chão estava frio, estranhei de primeira, o quarto estava um pouco gelado. Olhei pros lados, às janelas estavam fechadas. 

Isso era muito estranho, antes de eu pegar no sono o quarto estava com temperatura ótima para eu dormir tranquilamente em minha cama de casal. 

Eu ainda estava um pouco sonolento, e com bastante preguiça de ir pegar água pra mim. Mas minha sede falava mais alto, então tiver que ir, antes de eu dormir sentado na minha cama.

Calço os minhas pantufas do homem de ferro - um filme bem amado por mim -, peguei o meu roupão que estava pendurado na porta. Coloquei em mim, e sair do quarto sem fazer muito barulho. O corredor estava um pouco iluminado e frio, seguir até às escadas com medo. Eu odiava o escuro. 

Desci às escadas, fui em direção à cozinha. Eu ainda sentia frio, mesmo não estando no quarto, parece que o frio estava em todo o cômodo da casa. Abrir a geladeira, peguei a primeira jarra que vi. E coloquei a água no copo que tinha também na geladeira. Tomei a água gelada, senti a água aliviar minha sede. Deixei às coisas no devido lugar e fechei a geladeira. 

- Que frio...- resmunguei baixo, passei a mão no meu braço esquerdo para tentar me esquentar. 

Uma tentativa falha, a casa estava totalmente fria. Não conseguia respirar direito por causa do meu nariz entupido. Ótimo! Minha noite está perfeita! Nariz entupido e frio do CACETE em casa.

- Merda....- murmuro pra mim mesmo. 

Fui pra sala, quando chego na mesma, um dos retratos estava no chão. Na foto era eu e o meu irmão. Tá agora isso tá ficando estranho! 

Peguei o retrato em mãos, coloquei no devido lugar, em cima da mesa, que ficou ali. Sentei-me no sofá marrom, estava bem quentinho, estou pensando  em dormir ali. Suspirei baixo. 

Minha vida estava, digamos, muito diferente. Primeiro de tudo comecei a morar com meu irmão mais velho, segundo que meus pais atacaram foda-se pra gente, terceiro que o TaeHyung já tem trabalho, e por último aquela casa me dar medo. Tomei um susto com barulho que veio do segundo andar, senti um arrepio em todo o meu corpo. 

Levantei-me do sofá assustado, comecei a subir às escadas, já estava no corredor morrendo de medo. Comecei a caminhar devagar, parei em frente à porta do quarto do TaeHyung, estava entre aberta, sei um leve empurrão na porta, mais uma vez senti um arrepio percorrer em meu corpo. Eu não sentia bem ali, um peso grande em meu corpo toda vez que ficava ali, minha respiração ficava pesada, desde que me mudei; Nunca entrei no quarto do TaeHyung, por senti mal toda vez que tentava entrar. Vi TaeHyung dormindo tranquilamente na cama,todo enrolando no lençol fofo. 

Fiquei brigando comigo mesmo; entrava ou não entrava? Algo dizia em mim que eu não podia entrar ali, outra dizia parar entrar pois o meu irmão estava ali. Estava quase desistindo de entrar, até ouvir à porta do meu quarto abrir sozinha, virei o meu rosto em direção à porta do meu quarto, minha respiração ficou ofegante, eu estava me tremendo de medo. 

A janela do corredor estava fechada, à porta continuava à abrir sozinha, ouvia a porta fazer barulho baixo. O suor fazia presente em minha testa de tão nervoso que estou. Decidi entra logo no quarto do meu irmão, mesmo não sentindo bem ali. Entrei e fechei a porta atrás de mim. 

- Tenha calma...- ouvir uma voz no canto do quarto do TaeHyung. 

Eu posso tá ficando louco? Ou será que isso só era um sonho?

Olhei pro canto do quarto, não tinha ninguém ali, o meu irmão ainda dormia. O meu coração estava acelerado, eu era capaz de ouvir. Gritei eternamente por dentro.

- JungKookie, o que faz acordado? - ouvir a voz rouca do meu irmão. 

Olhei pro meu irmão mais velho, ele encarava-me. Mesmo estando escuro, eu sentia o seu olhar em mim.

- Eu vir dormir com você....- falei envergonhado. 

- Vem. - disse sonolento. 

Eu não perdi tempo e fui deita na cama, junto dele. Deitei no lado esquerdo do mais velho, ele puxou pra perto e me abraçou - uma mania que ele tem desde pequeno - e eu abracei de voltar. 

- Como foi seu dia? - perguntou-me com voz rouca. 

- O mesmo de sempre. - respondo.

- hum...gostou da casa? 

- Gostei, mas ela me dar medo. - digo baixo. 

- Uma hora você se acostuma. - murmurou. 

- Que milagre é esse que você tá em casa? - falo. 

- Não queria te deixar em sozinho em casa. 

- Mas sempre deixou....

Eu ainda guardava mágoas do meu irmão, por sumir e volta como se nada tivesse acontecido. 

- Amanhã quero conversar sobre isso com você...- diz em sussurro.

Murmurei baixo como resposta, ele acabou dormindo um tempo depois. E eu fui depois. Mas não esquecia o que ouvir quando entrei no quarto, antes do TaeHyung me chamar. 

[...]

08:00

Sentir que o meu irmão não estava mais na cama, então tiver que levantar. Levantei sonolento, me espreguiçar pra tirar a preguiça. Sair do quarto, pois o cômodo não me agradava muito, então fui pro meu, tomar um banho. 

Não demorei no banho, peguei qualquer coisa pra me vestir e fui pra cozinha comer alguma coisa. Assim que entrei, vir um bilhete grudado na porta da geladeira.

" Bom dia, Kookie! Seu Hyung precisou ir no mercado fazer compras, pois não tinha nada no estoque. Não vou demorar muito! Te amo!  

~ Seu maninho..."

Assim que terminei de ler o bilhete, ouvir passos no segundo andar. Franzir a testa, só eu estava em casa, o TaeHyung foi mercado fazer compras e Jin sequer dormiu aqui ontem. Estranhei, fui checar o que era.

Comecei a subir às escadas com uma vassoura na mão, vai que era um bicho. Abrir cada porta que via pela frente, checava cada quarto e não encontrava nada. 

- Eu posso tá perturbado da cabeça...- quando parei de falar. 

Vir uma sombra passando em minha frente, minha alma saiu do meu corpo, meu cu trancou e nem Wi-Fi passava por ele naquele momento de cagaço que me encontrava, eu tava quase tendo um ataque cardíaco no meio do corredor. Comecei choramingar baixo. 

- Deus me proteja! - murmurei baixo.

Eu ainda estava tremendo, com o cu na mão e minha coragem se encontrava no meio da minha bunda de tanto medo que tava sentido ali. Juntei coragem, que ainda tava no meio da minha bunda, sair correndo que nem um retardado mental. Fui pra cozinha, pra tentar me acalmar. Suspirava alto, meu cu ainda estava trancado. E a vassoura que tinha levando lá pra cima comigo... cadê? Tava lá em cima, nem fudedo que eu ia lá. 

Passei uns dez minutos ali, acalmei o meu coração, tomei uma água e sentei na cadeira. Eu estava tão concentrado no corpo em minha frente, ouvir uma batida da porta do quartinho limpeza, minha alma foi pra puta que pariu! Dei um berro alto! Eu estava com muito medo!

- JUNGKOOK? - graças à Deus!

Vir o mais velho brotar em minha frente, com uma expressão de preocupação no rosto. 

- O que foi? 

- E-Eu....ouvir aquela porta...sendo batida por alguém....- falei gaguejando. 

Eu estava nervoso pra caralho.

O mesmo foi direção a mesma, pegou o molho de chave que tinha no bolso, abriu à porta dando espaço pra mim ver o que tinha dentro. 

- Jeon .... Não tem nada aqui. - falou sério. 

Só posso está ficando louco...ouvir perfeitamente alguém bater naquela merda. O encarei sorrindo fraco. 

- Acho que foi coisa da minha cabeça. - digo baixo. 

Depois que falei isso, nada foi da minha cabeça. 



Notas Finais


Valeu, falou!

Fui!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...