História Lúcifer ( Taekook-Vkook) - Capítulo 1


Escrita por: e Guktae_05

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Abo, Jeongguk!ômega, Kookv, Mistério, Shipp, Sobrenatural, Suspense, Taehyung!top, Taekook, Universo Alternativo, Vkook
Visualizações 42
Palavras 1.166
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo-Ai, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha eu trazendo uma nova estória para vocês, mas dessa vez temos um Taehyung bem diabólico e eu diria assustador já que ele é impiedoso em vários aspectos e maneiras.
O teor da estória é a seguinte, vou dar uma breve resumida para que fiquem por dentro:
Jeongguk é um garoto que foi abandonado pelo pai, tendo de viver com a sua mãe rabugenta e um irmãozinho paraplégico, por conta de todos os problemas e bullying que sofre por ser um ômega que não tem uma figura paternal na vida é descriminado na sociedade como todos os outros que não possuem um pai que os aceitam por serem ômegas e abandonam seus lares, então sim, vai ser algo meio, preocupante.
Mas boa leitura, apreciem e espero que me dêem uma chance…🍷🌝

Capítulo 1 - Prologue;


Fanfic / Fanfiction Lúcifer ( Taekook-Vkook) - Capítulo 1 - Prologue;


( Jeongguk point view )


Eu andava pelos corredores da escola sorrindo vitorioso, nunca pensei que um dia veria todos aqueles que me fizeram mal pagar pelos seus pecados e erros. Tamanho era o desespero de muitos que olhavam para mim amedrontados, mostrando que são apenas cães fúteis e insolentes.

Nunca me senti tão revigorado antes na vida. Jamais pensei que um pacto com o diabo poderia me tornar alguém tão superior, frio e totalmente respeitado pelos babacas da escola.

— Espero que esteja se divertindo nas custas desses jovens banais, pois sinceramente custou muito caro o que você fez, saiba que eu ainda irei cobrar.—ouvi a voz do meu mestre soando atrás de mim, somente quem faz um pacto com ele tem tal privilégio de vê-lo.

— Lembrando que eu sempre cumpro com a minha dívida e principalmente minhas promessas senhor.—retruquei sem um pingo de importância por estar sendo petulante quanto ao superior.

Saindo da escola que pegava fogo acidentalmente, vendo alguns alunos pedindo socorro e outros já feridos, apenas caminhei entre as chamas com um sorriso nos lábios.

Minha vingança está feita e eu estou realizado!

— E pensar que você era apenas um garotinho medroso que ouvia as instruções de todos os que já te fizeram sofrer, hoje vejo que se superou e mostrou ser mais do que capaz para muitas coisas Jeon.

— Uma hora cansamos de ser fantoche e decidimos comandar, deveria de aprender isso algum dia mestre.

Quando finalmente pisei do lado de fora, olhei ao redor vendo que alguns jovens corriam desesperados e outros ligavam para a emergência. Por um segundo tive de me conter para não dar na cara que tenho tal culpa pelo incêndio com a minha risada maligna e assim segui meu caminho como um trouxa que todos me acham. Não vou olhar para trás para saber o que acontece, vou seguir em frente e ir embora distraidamente.

Desde que eu entrei nesse colégio minha vida se tornou um inferno, não tinha paz sequer um segundo e sempre tinha alguém me maltratando, postando vídeos idiotas das piadas na internet, ganhando visualizações estúpidas pelo sofrimento alheio, mas hoje foi um dia diferenciado e eu consegui fazer todos pagar bem caro.

Notei que o meu ônibus estava no ponto e rapidamente corri até ele, entrando no veículo e me sentando no banco mais distante das pessoas, não posso fingir que não aconteceu, mas também não posso negar estar feliz. Coloquei os fones de ouvido no último volume, sentindo um alívio em meu peito e apenas fechei os olhos para tentar relaxar, os gritos de pavor e desespero foram reais e eu adorei cada um deles.

[•†•]

Entrei dentro de casa em silêncio, ouvindo o som da televisão ligada em um desenho animado e rapidamente fechei a porta, deixando a mochila no canto e correndo até a sala de estar onde meu irmãozinho Thomas está assistindo seus seriados. Calmamente me aproximei, tampando os olhos alheios e beijando o topo de sua cabeça, apreciando seu riso fofo e todo animado.

— Gukkie-ah.

— Oi meu anjo.—sussurrei me sentando no chão ao lado de sua cadeira de rodas.

— Como você está? Acabei de ver que deu o noticiário que a sua escola pegou fogo e ninguém sabe o motivo.—disse meu irmãozinho me olhando.

— Sim, as aulas acabou mais cedo por conta disso, eu saí desesperado de lá e alguns alunos também, não podíamos permanecer naquele lugar por nem mais um segundo sequer.—expliquei segurando a mãozinha dele. — Mas fora esse acidente estranho, estou bem, vivo e agora em casa para poder ficar com você.

— Pare de iludir o garoto dizendo que vai ficar com ele, temos contas a acertar durante as três da madrugada.—avisou o diabo me fazendo suspirar.

— Pode me levar para tomar sorvete hoje? Também podemos desenhar juntos se você desejar.—falou Thomas animado.

— Hoje eu só posso ficar uns trinta minutos contigo, ainda tenho que trabalhar e saber se a mamãe já fez o almoço para você meu anjo.—falei afagando as madeixas castanhas claras dele, iguais a da minha mãe.

Thomas é um ômega tão doce, acolhedor e cheio de ternura. Sempre admirei o meu irmãozinho, mas a vida foi injusta ao não dar o sonho de toda criança que é correr pelos parque e se divertir como todos.

Infelizmente o meu irmão é paraplégico por conta de um acidente de trânsito que aconteceu quando ele tinha três anos de idade, eu juro que tentei salvar ele dos restos do carro, mas infelizmente não tive tal privilégio. Minha mãe nunca se perdoou pelo que aconteceu, mesmo que não tenha sido culpa dela o nosso pai ter tentado nos matar por conta dos seus dois filhos homens terem nascidos ômegas, mas a dor maior veio em Thomas que perdeu todos os seus sonhos e desejos.

Eu tentei de todas as formas estar no lugar dele, talvez de poder tomar esse problema para mim e fazê-lo ter a chance de ser feliz, mas infelizmente a vida é injusta e crucial demais para a situação.

— Gukkie você está me ouvindo?

— Me perdoe bebê, estava pensando em algumas coisas.

— Você acha que esse acidente foi causado por conta de um atentado ou por que alguém estava brincando no laboratório de química?—perguntou curioso, sempre tão meigo.

— Eu não sei Thomas, realmente não pensei nessa hipótese antes, mas podemos deixar ela válida.—respondi sorrindo mínimo ao pequeno. — Agora eu vou trocar de roupa para sairmos ok?

— Tudo bem hyung.

— Já volto príncipe.

Corri para o meu quarto depois de pegar a mochila, entrando no cômodo totalmente exausto e acendendo a luz, pelo visto minha mãe não teve tempo de abrir as janelas. Deixei as coisas da escola no canto próximo da escrivaninha, tirando meus coturnos enquanto deixava o casaco pendurado no gancho da parede e andei até o banheiro.

Hoje irei fazer as vontades do meu irmãzinho nesses cinquenta minutos, mesmo que eu me atrase para o trabalho, com certeza Namjoon irá entender e espero que compreenda que também preciso de tempo com Thomas, precisando estar presente e mostrando meu amor.

Troquei minha roupa rapidamente, ajeitando meu cabelo bagunçado e passando um perfume simples que ganhei da minha mãe a pedido do meu irmão. Me olhei no espelho rapidamente, suspirando baixo por ver a marca do corte que fiz para o meu pacto e mordendo o lábio inferior tenso. Eu nunca o vi em sua forma original, sempre escuto sua voz e até mesmo vejo a sua forma humana, que para mim é algo tão belo e sedutora demais para as lógicas do ser humano, mas hoje irei estar de frente para o ele verdadeiro, me sinto tenso.

Estava prestes a sair do quarto quando ouvi a voz rouca e grave soando próxima de mim, com aquele toque tão diferenciado do que pensei que seria surrurando no meu ouvido:

— Esteja pronto as três da manhã Jeongguk, hoje não me escapa.







Notas Finais


Eiii meus anjinhos do mal, quero DEIXAR CLARO que esse daqui é somente o prólogo para vocês terem base, já a estória irá começar diante do primeiro capítulo. Isso daqui é quase uma segunda sinopse para terem base do porque levou o menino Jeongguk a fazer um pacto com o diabo e decidir vingança.
Os capítulos dessa estória será lançados depois do ANO NOVO, então não fiquem chateados comigo ok? Até porque será algo detalhado e bem trabalhado, preciso sempre ter tempo e disposição de sobra para estar escrevendo. Por favor, dêem uma chance para o enredo, caso achar muito pesado e for de menor nem tente ler por completo, haverá coisas sérias por muitas das vezes e quero esclarecer que também irá ter Sadomasoquismo, Masoquismo e as vezes outras coisas incomuns nesse universo porque é uma AU.
Por hoje é somente isso, avisos e conselhos dados, quem reclamar apenas se retire e quem gostar, aprecie simples assim. Já vi muitas pessoas reclamando sobre enredos e tal, mas devemos fazer aquilo que nos agrada primeiramente, então é isso…


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...