História Lucky Number - Capítulo 1


Escrita por: ¢

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Dawoon, Drabble, Fluffy, Taegguk, Taekook, Vkook
Visualizações 80
Palavras 485
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drabble, Fluffy, Slash
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Vou começar pedindo desculpas já que ando postando muitas fanfics (só anteontem foram cinco drabbles em um dia), mas são antigas que foram excluídas junto com a minha conta antiga e por isso as perdi.

São histórias que eu gostei muito de ter escrito e essa é uma delas! Eu tive essa ideia enquanto lia sobre um menino surdo e como ele se comunicava com as pessoas, era um textinho pequeno desses de facebook, mas fiquei encantada com tudo e me surgiu essa ideia com taegguk, sendo o taehyung um menino cego.

Era pra ser uma shortfic, uns seis capítulos, mas eu desisti pensando que poderia estragar toda a história. Eu realmente fiquei feliz com o feedback dessa fanfic e com todo o amor que recebi dela! Então espero que gostem ~

Capítulo 1 - .único. sim;


Número da sorte. Taehyung aprendeu seu significado quando tinha sete anos, após uma longa explicação da sua vó. Porém, aprendeu sozinho que muitas pessoas escolhiam seu número da sorte de maneira fútil e desagradável. Três era o número da sorte do seu irmão mais novo, ele o escolhera pois foi o dia em que nasceu. Vinte e quatro era o número da sorte de Hoseok, e ele só o escolhera pois o achava bonito. Dez era o número da sorte do seu pai, que só o escolhera pois foi o número que o fez ganhar na loteria aos vinte e seis anos. E dois era o número da sorte de Kim Taehyung, pois foi a hora exata em que descobriu que ficaria cego em apenas alguns meses.

Tateou o chão e apressou-se em buscar o que havia derrubado, mesmo sem saber o que era. Suas mãos bateram no chão, fazendo a poeira do tapete subir e seu nariz coçar. Ele podia afirmar que não quebrou nada, pois não ouviu nada se despedaçar.

Parou de tatear quando sentiu duas mãos afagarem seu ombro, de forma calma e lenta. O cheiro de alecrim impregnou o lugar e ele sabia de quem se tratava. Era impossível não reconhecer as mãos de Jeon Jeongguk.

Sentiu-se inútil por não conseguir achar nada, nem mesmo tão perto do chão. As mãos se soltaram e seu corpo foi de contra o que parecia o sofá, para então pender sua cabeça.

— Deixou cair…

— Eu sei. — Taehyung interrompeu o mais novo, virando seu rosto na direção da janela.

Havia dois meses que perdeu sua visão, que teve que se acostumar a andar de mãos dadas com a família e com os amigos, que pensava, todos os dias, na possibilidade de ter um cão guia.

A sala permaneceu em silêncio, o que o deixou ainda mais agoniado. Não sabia se Jeongguk ainda estava lá, se estava sorrindo, ou se tinha ido até outro cômodo pegar algo. Sentiu um toque quente contra a sua mão gelada, que logo foi erguida na direção do seu peito. Taehyung sabia que o toque vinha do mais novo sem nem conseguir explicar.

Sua mão foi tomada por uma nova sensação. A sensação da ponta caneta passando pela palma da sua mão. Quando Taehyung ficou cego e não podiam mais se comunicar através de expressões ou de falas mudas, inventaram uma nova maneira: Jeongguk escrevia em sua mão enquanto Taehyung decifrava e respondia por expressões. Por algum motivo, que não sabia, Taehyung amava quando o mais novo escrevia.

As letras, de forma, foram ganhando significado e um sorriso, involuntariamente, cresceu em seu rosto juntamente com a frequência que seu coração batia.

Nas últimas letras a respiração de Taehyung parou e, mesmo não podendo ver, soube que a de Jeongguk também.

Sem deixar nenhum som sair, apenas com a mímica dos lábios, Taehyung disse aquilo que estava preso em sua garganta.

Sim.


Notas Finais


Pode ter sido um "vamos ter filhos?" ou um "aceita casar comigo?", enfim, vou deixar o final em aberto para que possam imaginar como desejarem. ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...