História Lucy a garota que amava arvores - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Árvores, Espírito, Lucy
Visualizações 2
Palavras 1.019
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Magia
Avisos: Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Lucy a garota que amava arvores


Fanfic / Fanfiction Lucy a garota que amava arvores - Capítulo 1 - Lucy a garota que amava arvores

                             Lucy a garota que amava árvores

Em uma cidade pacata e pobre do interior de Goiás havia uma garota que se chamava Lucy.

Lucy além de ser pobre tinha uma família difícil e conturbada, seu pai era alcoólatra  sua mãe agressiva e um irmão ladrão, todos da pequena cidade os conheciam, a família problemática quem tem uma filha louca que conversa com arvores, era assim que eram chamados.

Lucy desaparecia de vez em quando, mas sua família e seus visinhos sempre sabiam aonde a pequena garota de 15 anos estava, ela sempre ia pra um único lugar, pra floresta conversar com as arvores.

Para Lucy conversar com as arvores era algo comum,  ela se sentia livre pra desabafar com elas, pois sabia que seus segredos seriam todos guardados e não fora diferente daquele   dia.

Lucy: Bom dia dona flora.

Flora: Bom dia Lucy problemas de novo?

A doce e bela arvore de ipê rosa perguntou a pequena garotinha, de todas as arvores da floresta, da que a garota mais gostava, era de dona Lucy.

Lucy: Mamãe está brava de novo com meu irmão, e papai gastou todo dinheiro de novo em bebidas.

Ela disse abraçando a grande e já de idade arvore.

Dona flora como sempre dizia coisas boas pra animar a garota.

Flora: Não fique assim querida, dias bons estão por vir, acredite.

Lucy: A senhora sempre diz isso, mas nunca chega esse  tão famoso dia!

Flora: Tenha paciência querida, olhe pro meu tronco, estou aqui a bastante tempo e já vi muita coisa, e acredite dias bons estão por vir.

Lucy começou a resmungar em voz baixa o que deixou a velha árvore estressada.

Flora: Não faça isso sabe o tanto que e feio ficar resmungando?

Lucy: Desculpa.

Flora: Assim está melhor agora vá pra casa, já esta ficando tarde.

Lucy: Sim senhora.

Lucy então se despediu-se e  foi pra casa com a  esperança de tudo ter melhorado por lá, mas tanto ela como a velha árvore estavam enganada as coisas não iriam melhoram não tão cedo.

Quando Lucy chegou em casa naquele mesmo dia, foi espancada pela mãe, o pai entrou em coma por causa de tanta bebida ingerida naquele dia, e o irmão foi preso.

A garota agora estava proibida a ir a floresta, o que acabou causando grande dor no coração da jovenzinha.

Ela só ficava trancada dentro do quarto, um dia, dois dias, três.....

Duas semanas haviam se passado é sua mãe finalmente havia a liberado do castigo, que a garota nem se lembrava do que fizera pra merecer o castigo, ela foi em direção a floresta, toda feliz e com o sorriso de orelha a orelha.

Enquanto adentrava a floresta, percebeu que o clima estava mudando, mas não se importou, cumprimentou alguns manguezais, alguns ipês amarelos e brancos, mas os mesmo estavam com um semblante triste, e mal cumprimentavam a garotinha.

Uma forte rajada de vento passou pela garota que se assustou um pouco, mas que mesmo assim resolveu seguir em frente, para encontra sua velha amiga.

O céu já estava se tornando escuro, uma grande chuva estava por vir.

Quando a garota se aproximou do centro da floresta ela mal podia acreditar no que vira, saiu correndo em direção ao que antes era a sua arvore favorita, e que agora era somente um pedaço de tronco.

Dona Flora havia sido cortada dois dias atrás, a pobre garota abraçou o tronco do ipê e começou a chorar, era inevitável não ouvir o choro da garotinha por grande parte da floresta.

Os barulhos dos trovões eram misturados junto ao choro da pobre criança. As primeiras gostas começaram a cair mas a mesma  não quisera  sair do lugar e nem sairia.

Lucy: A senhora disse que dias melhores estavam por vir, mas não vieram a senhora mentiu dona flora.

A garota estava magoada e descontente, nunca sentira tanta tristeza nem quando sua mãe a espancava, ou quando recebera a noticia que seu pai estava em coma, ou quando seu irmão foi preso pela quarta vez.

A garotinha chorava enquanto era encharcada pela chuva que se intensificava,  questionava-se  o que fizera de errado pra merecer uma vida rum, não acreditava em Deus, mas ela queria acreditar que um existia, mas se existia porque a deixava sofrer tanto? O que fizera de mal para merecer tanto sofrimento?

Os strondos do trovão estavam altos e assustavam a garota que ainda estava abraçada ao tronco. No seu pensamento ela pediu, por favor, e apenas  uma vez, que seu sofrimento acabace.

E mesmo ela não sabendo Deus chorava junto com ela, que por fim concedeu seu mais profundo desejo.

A garota estranhou, quando percebeu que não sentia mais frio, estava no mesmo lugar e ainda chovia, ela percebeu também que agora estava seca, ela se levantou e olhou pelos lados, ainda chovia como era possível ela não estar se molhando?

De repente a floresta que antes estava escura por causa da chuva se iluminou, uma forte e bela luz rosa se fez presente na  frente dela, um sorriso gigante se fez presente em seus lábios, ela sabia quem era, dona Flora.

Dona flora que agora era um espírito da floresta, estendeu seus braços para a garotinha que correu em sua direção a abraçando.

Lucy: Dona flora a senhora voltou.

Flora: Eu não lhe disse querida? Dias bons estavam por vir; vamos tem uma pessoa querendo conhecer você.

Estendeu a mão pra garota que pegou sem pensar duas vezes, e as duas seguiram floresta adentro.

No outro dia a mãe de Lucy foi atropelada enquanto atravessava a rua e acabou falecendo, o pai de Lucy acordou do coma, ele teve um sonho com a filha, ela estava distante segurando na mão de Deus e estava sorrindo. Quando soube da morte da filha soube que não era um sonho, prometeu a Deus que não beberia nunca mais, pena que prometeu tarde de mais.

O irmão de Lucy continuou na cadeia por um bom tempo.

E o que dizer sobre Lucy?

Lucy agora se encontrava feliz, sem sofrimento, e do lado de dona Flora, a única que lhe mostrou que a amava.


Notas Finais


Espero que tenham gostado :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...