1. Spirit Fanfics >
  2. Lugar Improvável >
  3. Cap 8

História Lugar Improvável - Capítulo 9


Escrita por:


Capítulo 9 - Cap 8


     °Peter

   Acordo com um barulho estranho mas familiar no andar de baixo, me levanto em um pulo e começo a descer calmamente as escadas pisando firme porem com calma para não fazer nenhum barulho:

- Izzy? - Pergunto baixo ao notar os cabelos negros e a pele bronzeada repleta de tatuagens, a mesma se vira para mim surpresa - Magnus? - Franzo a testa ao notar o feiticeiro parado ao lado do namorado que estava de braços cruzados olhando para a irmã.

- Era para você estar dormindo - ela resmunga se sentando em meu sofa e levando as mãos ao rosto - por que eu não consigo fazer nada direito? - A olho preocupado e me aproximo da mesma.

- Izzy - chamo baixinho tocando em seus cabelos com calma - qual o motivo de sua vinda? - Tiro suas mãos da frente de  seu rosto, olhando profundamente em seus olhos negros.

- Eu queria te fazer um cafe da manhã como agradecimento por tudo - ela abaixa a cabeça de leve.

- Por isso não - falo erguendo sua cabeça pelo queixo - eu estou com muito sono, então eu volto a dormir e quando o cafe tiver pronto você me acorda com muito carinho e amor, pode ser? - Pergunto me aproximando levemente de seu rosto, me controlando muito para não tomar seus labios nos meus, já que ela era namorada de Simon.

- Você promete agir como se não soubesse de nada? - Ela pende a cabeça para a esquerda.

- Normalmente ao acordar eu não sei de nada mesmo, nem meu nome - digo e consigo arrancar uma leve risada daqueles labios carnudos.

- Tudo bem - ela diz se levantando - sonha com o anjo Raziel - ela fala baixo me abraçando.

- Prefiro sonhar com o anjo Isabelle - sussurro em seu ouvido tocando em seus cabelos.

- Do mesmo jeito que eu sonhei a noite passada com o anjo Peter - ele toca em meu rosto de leve.

— Com licença — beijo sua bochecha com calma, me retirando aos poucos.

  Subo as escadas rapidamente pulando degraus até finalmente chegar ao meu quarto, fecho a pequena fresta da janela que estava aberta e me jogo em minha cama, me cobrindo com a manta cinza clara, fecho os olhos acalmando a respiração e logo sou tomado pela escuridão do sono, dormindo tranquilamente.

  •°Izzy•°

— Vocês se viram ontem? — Alec pergunta assim que o Peter sai de nosso campo de visão.

— Não, por que? — Me sento no sofá enquanto Magnus vai rapidamente para a cozinha.

— Não mente pra mim Izzy — ele sussurra se sentando ao meu lado depois de ser barrado novamente de entrar na cozinha.

— Ele veio me ver umas 3:30 da madrugada, ele disse que ficou preocupado quando você disse que eu não comi — comento — então ele veio me ver, cuidou de mim, me deu comida — digo me lembrando dos momento em meu quarto — depois foi embora e mandou uma mensagem avisando que ia dormir até tarde hoje — comento — foi quando eu resolvi fazer essa surpresa — sorrio por instinto olhando para os olhos negros tão parecidos com os meus do mau irmão.

— Sabe o que eu faria? — Ele pergunta se virando para a minha pessoa bagunçando alguns fios do cabelo completamente desalinhado.

— Não, mas aposto que você vai me falar — sorrio de lado.

— Eu acho que pode ser só carência você e o Peter — ele comenta e antes que eu possa rebater ele continua — achava, até hoje, o Peter te respeita, ele fica próximo a você mas evita qualquer contato que te desrespeite — ele comenta fechando os olhos.

— Eu também noto isso — comento baixo.

— E você também, parece que você teme que ele se afaste, então não faz o que te certa forma é a sua vontade — ele nota — ele faz o mesmo — sorrio me lembrando de como cada passo para próximo a minha pessoa ele calculava — só acho que você podia o conhecer melhor, pergunta um lugar para o qual ele sempre quis ir e o leve, faça o mesmo com o Simon, veja qual se importa mais com a sua diversão — ele dá a ideia me deixando pensativa.

— Ou convide o Peter para o jantar em minha casa — Magnus aparece na porta da cozinha — assim você avalia qual se comporta melhor, qual cuida de você melhor? Se importa com o seu bem? — Ele comenta — o Simon vai, se o Peter for você teria o local perfeito para avaliar qual dos dois você se sente melhor? — Ele pisca de leve — a comida do feiticeiro está pronta — sorrio me levantando.

— Teria como vocês...? — Não término a frase olhando para os dois e para a porta em seguida.

— Claro — Magnus diz se aproximando de meu irmão e o arrastando para fora da casa — tchau Izzy — ele diz antes de abrir um portal e entrar nele.

   Aproveito que estou sozinha para arrumar a mesa de café da manhã, colocando os pães tragos por mim, com o café puro, leite, panquecas e algumas frutas e frios. Aproveito a pequena brecha para ir para o jardim perto do lago onde crescia lindas rosas vermelhas pego algumas e coloco em um vaso de vidro colocando em cima da mesa, prendo meu cabelo em um coque e tirando meus saltos que já machucavam meus pés e subo as escadas com calma:

— Peter — sussurro entrando no quarto.

  O frio que estava do lado de fora, fazia o mesmo estar completamente enrrolado em uma manta cinza, me sento ao seu lado e beijo seus cabelos:

— Está na hora de acordar — sussurro baixo.

— Mais cinco minutos — ele pede abraçando a minha cintura e deitando a cabeça em minhas pernas.

— Não tem como, vai esfriar — comento e o mesmo se levanta devagar coçando os olhos de forma fofa e manhosa.

— Tá bom — ele resmunga se levantando.

  Descemos em silêncio, olhando um ao outro pelo canto do olho de forma curiosa:

— Rosas? — Ele cerra os olhos.

— Sim eu colhi — sorrio orgulhosa — não podia? — Pergunto o olhando.

— Não é só que essas rosas são encantadas, elas só deixam colher de você tiver o coração puro e tiver boas intenções com o feiticeiro que criou o feitiço — comenta me olhando com um sorriso de lado calmo.

— Entendi — me aproximo um pouco dele me sentando a mesa — e já que elas sabem que as minhas intenções com você são as melhores — sorrio quando o mesmo se senta ao meu lado — você quer ir no jantar do Magnus? — Pergunto olhando para o mesmo que tinha um leve sorriso nos lábios que aumenta levemente com a minha frase.

— Claro — o jeito como diz a frase parece levemente sonhador, me fazendo sorrir com a frase



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...