1. Spirit Fanfics >
  2. Luna e o amor impossível >
  3. A piscina

História Luna e o amor impossível - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - A piscina


                 Luna

Minha rotina durante a semana se resume a ir a escola durante a manhã e ajudar minha mãe com o trabalho a tarde. Durante a noite dedico meu tempo a estudar. David tem uma rotina mais corrida do que a minha. Decidi me afastar dele, na escola em qualquer oportunidade que temos de conversar eu acabo me afastando. Meu coração está começando a me enganar, só que eu sou mais esperta do que ele.

Na mansão eu quase não o vejo. Ele tem uma longa lista de atividades, curso de inglês, aula de karatê, academia. Só o vejo quando ele janta com a família, o que se resume a ele e a mãe, pois o pai vive viajado a trabalho. As vezes sou obrigada a servir os dois, o olhar que ele me lança é de dúvida misturada com "estou sempre de olho em você".

As mensagens dele também são bem apelativas.

"Eu aceito o fato de você me evitar na escola, Ana é uma pessoa insuportável, mais não há motivo pra você me evitar aqui. Já que vivemos na mesma casa."

"Vai me ignorar, ok. Tudo bem, posso viver com isso. Posso pelo menos saber o por quê?"

"Cheguei a conclusão que não posso viver com isso, me responde cacete!"

Nunca respondi nenhuma delas, apesar de ficar tentada à fazer isso várias vezes. 

Na cama ao lado da minha, mamãe dorme profundamente. Olho no celular e vejo que são três e dez da madrugada. Há noites em que meus pesadelos não me deixam dormir. Estou apenas de calcinha por causa do calor, nossa única fonte de ventilação no quarto pequeno é um ventilador que gira de  um lado para outro quase parando de tão velho. Acho que vou ter que escolher entre um vestido de formatura e ou um ventilador novo. 

Visto um sutiã e um vestido estampado com flores e vou para os fundos da mansão. O vento da noite é frio e reconfortante. Todos dormem na mansão, não há nenhum sinal de vida. Aproveito a oportunidade para dar um mergulho, as câmeras de segurança ficam bem longe da piscina. Tiro meu vestido é fico apenas de sutiã e causinha rosa. A água da piscina é morna, e está ótimo para um banho noturno. Fico apenas na parte rasa porque nunca tive oportunidade de aprender a nadar.

Apoio os cotovelos no fundo da piscina e tento relaxar o máximo possível. Ser a filha de empregada tem lá suas vantagens.

- Você tem que experimentar a sauna e a jacuzzi, principalmente se estiver acompanhada. - Ouço a voz de David atrás de mim. 

Ele está em pé atrás de mim com as mãos para  atrás, ele me mostra um lindo sorriso. 

- O que está fazendo aqui? - Pergunto assustada. Cubro com os braços as partes do corpo a mostra. 

- É minha casa Luna. Pelo visto não sou o único com insônia aqui. 

- Estava quente então resolvi dá um mergulho pra refrescar. Eu já estava indo. Pode não contar isso a sua mãe? Eu prometo que não vai acontecer de novo. - Digo quase em desespero.

- Talvez. - Ele diz com o olhar intrigante.

- Talvez? Está pensando em me chantagear, é isso?

- Talvez. - Ele diz novamente com um sorriso largo. 

Quero levantar e sair correndo, mais isso implicaria mostrar mais partes do meu corpo pra ele. 

- Pode me passar meu vestido? Está em cima da mesa perto...

- Está falando deste vestido? - Ele está com meu vestido nas mãos.

- Você vai me entregar né? - Pergunto ainda com esperanças.

Ele solta uma gargalhada que faz meu coração bater mais forte. Eu admito, eu amo ouvir a risada dele. 

David vai até uma das árvores do Jardim e coloca meu vestido em um galho que eu jamais vou conseguir alcançar. Ele começa a tirar roupa, primeiro a camisa (um longo suspiro) depois a bermuda ( uma mordida no lábios). Queria desviar o olhar mais é tentador demais para minha carne fraca. Com os músculos bem definidos, mais não exagerados, ele caminha até mim e uma batida de tambores começa no meu peito.

- O que pensa que está fazendo? - Pergunto.

- Dando um mergulho na minha piscina com minha amiga. E não precisa ficar com vergonha Luna, acredite não é a primeira vez que vejo uma mulher nua. 

- Eu não estou nua... - O olhar dele sobre meu corpo é como se eu estivesse.

David mergulha no meio da piscina e nada até mim. Ele me estende a mão.

- Vem nadar comigo. - Esse foi o convite mais excitante que já recebi na vida. Na verdade, nesse momento cada palavra que ele expressa me deixa exitada. 

- Não sei nadar. - Digo meio decepcionada comigo mesmo.

Antes que eu pudesse impedi-lo, David agarra minha cintura e em seus braços sou arrastada até a parte funda da piscina. 

- Não tem problema baixinha. - Ele diz no meu ouvido.

- Isso foi golpe baixo David. Dá pra me soltar. 

- Claro, seu desejo é uma ordem. - Ele tira os braços da minha cintura.

Começo a me debater na água e agarro o pescoço dele com as duas mãos, enrolo minhas penas na cintura dele com força. 

- Você não sabe mesmo nadar. - Ele diz em meio a uma risada. 

- Seu idiota eu podia ter me afogado.

- Eu não iria deixar isso acontecer. 

- O que quer de mim David? Por que insiste em ficar perto de mim? - Pergunto olhando nos olhos dele.

- Você é bem direta, então vou ser direto também. Você não sai da minha cabeça um minuto desde que te vi naquele banheiro limpado minha privada. 

- Nossa Devid isso é tão romântico. 

- Me deixa terminar. Você me deixou fascinado... e maluco de um jeito bom.

- O que exatamente isso quer dizer? 

- Que eu gosto de você. 

Sinto meu rosto queimar.

- Não pode gostar de mim Devid. 

- Por que não? Você é linda e inteligente, não tem como não gostar de você Luna. 

Apenas suspiro. Eu não esperava por isso nem em um milhão de anos. Não me acho tão linda quanto ele diz e comparada a ex dele sou menos ainda.  Sem falar que ele não sabe do meu passado, nem quem eu sou de verdade. 

- David... 

Ficamos em silêncio por alguns segundos. Sinto a mão dele massagear minha coxa e minhas costas. Sinto a pele esquentar onde ele toca. 

- Não quero que me diga nada agora. Fale sobre qualquer outra coisa. 

- Que tal falarmos sobre sua mão boba no meu corpo... 

- Ótima idéia. Está gostando? 

- Talvez. - Respondo. Resolvo jogar o jogo dele.

Ele me aperta mais contra o corpo dele, o que aumenta mais minha excitação. Os hormônios que ficaram escondidos durante tanto tempo começam a queimar entre minhas pernas.

- Sabe, você me deve uma por eu ter evitado que sua linda bunda tocasse o chão. Quero minha recompensa agora.

- O que você quer? Eu já disse que não vou avaliar seu pênis. 

- Você já fez isso, lembra?  Foi uma avalição bastante mentirosa. Voltando para minha recompensa, quero um beijo digno de cinema. 

- O que? - Pergunto surpresa.

- Você não quer? - Ele pergunta mais surpreso ainda. Eu não deveria ter olhado esse tempo todo para os lábios carnudos dele. 

- É que...

- É que... - Ele repete.

- Eu não sei como fazer isso. - Falo com os olhos focados no peito brozeado, bem definido, macio e...

- Você nunca beijou na vida? - Ele sorri. - Quantos anos você tem? Nesse idade todo mundo já beijou e fez...

- Você é um babaca idiota. Existem pessoas que esperam o momento certo e não fazem isso com o primeiro que aparecer.

- Você é virgem. Aí meu Deus Luna, você é pura. Para uma garota que fala tanto em pênis é um tanto surpreendente.

- Não vou beijar você. - Digo com raiva.

- Claro que não, eu que vou beijar você.

Devid me beija. Os lábios dele no início são leves e delicados, logo em seguida ele me beija de forma ávida e intensa. Minha falta de experiência não é problema pra ele. Meu corpo que antes fervilhava agora está queimando, ou melhor, está em chamas.

Quero que esse momento congele no tempo. Devid Maia está despertando sensações em meu corpo que eu jamais pude imaginar, contanto que ele não desperte nada em meu coração irei me deixar sentir. Afinal, o de ruim pode acontecer?








Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...