1. Spirit Fanfics >
  2. Lustful (Romance Gay) >
  3. Twenty-first

História Lustful (Romance Gay) - Capítulo 21


Escrita por:


Notas do Autor


Oi galera como vão??

Boa leitura a todos :)

P.s: (não é muito importante) leiam as notas finais por favor :))

Capítulo 21 - Twenty-first


Youssef Bakhir

- Cheguem mais perto, o show está prestes a começar.


Sou forçado a me levantar e empurrado até estar próximo da janela de vidro, do outro lado, é possível ver Hamlet vestido com um jaleco branco e luvas de látex. O cientista mexia em algo em cima de uma mesa de metal - comum em salas cirúrgicas.

A porta da sala se abre e de lá aparece Fernández, o policial estava algemado e era guiado com grosseria até o homem albino que aponta para uma cadeira posta próxima a mesa, Fernández se debatía tentando fugir dos homens que o puxavam para se sentar na cadeira e prende-lo na mesma. Olhava toda a cena em total confusão, olho para o francês ao meu lado e vejo que o mesmo assistia toda a cena sem entender nada assim como eu.

Outro homem, sendo empurrado por outro capanga do traficante, entra na sala e se senta em outra cadeira de frente para o policial que continuava se debatendo. O homem albino se posiciona entre os dois homens de frente para a janela de vidro. 

- Esse é o teste final da droga Cl2I4, mais conhecida como Feu Froid, a substância é feita a base de iodo, em sua maioria, a droga é injetável na veia. Seus efeitos mais comuns são: espasmos musculares, batimentos acelerados, comportamento extremamente violento e vorazes. A droga faz com que algumas áreas do cérebro fiquem anestesiadas, quase inativas, fazendo com que o usuário fique suscetível a manipulação - Hamlet explicava pausadamente, Barcelona e os demais homens ouviam tudo atentamente em silêncio, só se era ouvido a explicação do cientista e o som da cadeira de metal se arrastando pelo chão enquanto Fernández se debatía tentando escapar a todo custo - esses dois homens serão usados como cobaias. A droga demora menos que dois minutos para fazer efeito.

O homem albino pega a seringa que, antes, descansava na mesa de metal, com a agulha, o pescoço de uma das cobaias é perfurado e a droga é injetada em sua veia. O homem, em questão de instantes, fica relaxado, como se não tivesse mais ninguém dentro daquele corpo, como uma casca vazia.

- Está vendo aquele homem, Steven? Ele é o homem que estuprou e assassinou sua mulher e filhas, veja como ele está indefeso agora -  arqueei as sobrancelhas em sinal de espanto, não acreditava que Fernández fosse capaz de fazer algo desse tipo. Hamlet dizia as palavras no pé do ouvido do homem que começava a mudar suas feições - essa é sua chance de vingar a morte delas, você tem a chance de matá-lo com suas próprias mãos. 

Steven começa a ofegar de forma pesada e acelerada, seus olhos encaravam o policial que estava estático no cadeira em que estava amarrado. O olhos do homem estavam arregalados enquanto o mesmo se levantava vagarosamente, sua expressão essa atônita, mas logo mudou para odiosa quando seus olhos se focaram com os do policial amarrado. 

- Você… matou minha esposa… minhas filhas… - sua voz era rouca e baixa, o homem andava se arrastando. Fernández, por sua vez, encarava Steven com medo nos olhos - VOCÊ TIROU TUDO DE MIM!

O policial se debatia desesperadamente para se livrar das amarras, porém suas tentativas falharam e Steven consegue se aproximar de Fernández, o homem inicia uma série de socos no policial. O som dos golpes ecoavam pela sala junto com os gritos ensurdecedores e selvagens do homem. 

Respingos de sangue caíam no chão e o rosto do policial se encontrava totalmente pintado com o líquido vermelho, Steven se encontrava completamente fora de si, sendo movido por um ódio sobre-humano. Olhava toda aquela cena horrorizado, Jacque, ao meu lado, estava com uma expressão de puro horror, o francês parecia estático, parecia não conseguir se mexer ou desviar o olhar daquela cena. 

Gritos estridentes saíram da garganta de Fernández quando o homem, usando seus polegares, pressiona os olhos do policial sem qualquer dó, ouço um gritinho exasperado vindo de Jacque e ao olhá-lo vejo seu rosto assistindo tudo aquilo horrorizado, suas mãos escondiam sua boca entreaberta e seus olhos azuis estavam quase saltando do rosto. O francês não aguenta mais olhar toda aquela cena, o garoto corre até um canto do local em que estávamos se afastando do vidro, Jacque tosse com ânsia, visivelmente, passando mal.

Vou até o francês que me encara ainda assustado, seu rosto estava pálido e sua respiração pesada, seu olhar dizia que precisávamos escapar daqui o mais rápido possível.

- Hamlet, acho que já mostramos o suficiente - a voz do traficante chega até meus ouvidos, porém não dou tanta atenção, me mantenho atento à Jacque que ainda aparentava não estar bem. Dou um salto ao ouvir cinco tiros na outra sala e então os gritos de Steven cessaram assim como os de Fernández - e então, o que acharam da nossa pequena demonstração? Tenho certeza que não imaginavam que a droga fosse tão potente assim?

Encaro o traficante vendo-o com um pequeno sorriso nos lábios, ele não parecia nem um pouco abalado com toda aquela cena de violência assim como os demais homens pareciam tranquilos com tudo aquilo. 

- Realmente uma droga que tem bastante potencial, ela pode ser eficaz em uma guerra aberta - o General McJohn diz de forma pensativa me fazendo franzir o cenho incrédulo. 

- Vocês são loucos? Usar essa droga como arma em uma guerra? - não contenho meu comentário recebendo a atenção dos três homens. Barcelona dá dois passos em minha direção e para no meio do percurso.

- Mas é claro, Bakhir! Tudo em nome da segurança do país. Eu achei que você entenderia nossos motivos, já que é policial - McJohn diz sem olhar em minha direção, ainda tinha uma expressão incrédula estampada no rosto. 

- Entenda, Youssef, é tudo em nome da segurança do país. E mais, com essa droga, eu posso alcançar um alto prestígio na política - Barcelona disse de forma simplista. Então era tudo uma questão de poder, uma forma de possuir mais poder e influência - não me entenda mal, mas a melhor forma de se tornar um homem poderoso é controlando as pessoas, foi por isso que a Feu Froid foi criada.

O traficante saca uma arma apontando-a na minha direção, um sorriso brincava em seus lábios. Antes do homem puxar o gatilho da arma uma sirene soou no lado de fora da sala, tiros foram escutados no corredor, o espanto e confusão estampavam o rosto de todos.

O som dos tiros estavam cada vez mais perto, a qualquer momento, quem quer que esteja se aproximando, vai entrar por aquela porta pesada e de metal. A porta é aberta bruscamente e de cinco homens armados surgem, Barcelona dispara três tiro e logo um tiroteio se inicia na sala.

Sem pensar duas vezes, puxei Jacque para fora tentando desviar de todos os tiros, ao virar o corredor dou de cara com Aragón, um misto de alívio e confusão me preenchia no momento. O homem me estende uma arma que é aceita de muito bom grado.

- Vá até a garagem e fuja com um dos carros, tome - o policial me dá um cartão com um endereço escrito - esse é um esconderijo que Yann conseguiu arrumar pra vocês dois. Youssef, leve o Jacque pra lá e fiquem escondidos, eu encontro vocês depois.

Assenti puxando o francês para o fim daquele corredor, subi as escadas rapidamente e logo me encontrava no hall de entrada, chegamos na garagem - que estava vazia, acho que todos os seguranças estavam ocupados com a invasão - viro-me para Jacque colocando minhas mãos em seus ombros, o garoto me olha assustado e confuso, sua respiração é descompassada e pesada.

- Eu quero que você fique escondido dentro daquele carro preto - indico uma BMW estacionada na última vaga da garagem - eu preciso fazer uma coisa antes de irmos.

Jacque balança a cabeça se pondo a correr em direção ao carro, segura firmemente a arma em minha mão direita e volto para o interior da casa, precisava encontrar o laboratório. Desço novamente as escadas correndo por aquele mesmo corredor extenso com paredes feitas de pedras, consigo encontrar o laboratório depois de muita procura, entrei no lugar iniciando uma busca pelas prateleiras e mesas do lugar.

Encontro um frasco pequeno com um pó branco, era uma amostra da droga, apanhei o frasco guardando-o no bolso da minha jaqueta. Ao sair do laboratório encontrei alguns produtos inflamáveis, se vou realmente fazer isso preciso ser rápido. 



Entrei no carro ligando-o em seguida, Jacque - que estava encolhido no chão do carro - se endireitou no banco do  passageiro, piso no acelerador fazendo os pneus cantarem. Alguns homens aparecem na entrada da garagem abrindo fogo contra nós.

- Se abaixe! - os tiros perfuraram a lataria e quebram a janela traseira, mas nenhum nos atinge. Cruzo o grande portão da mansão ganhando distância do local, era possível enxergar a fumaça escura do incêndio que eu havia causado. 

Em poucos minutos chegaríamos no esconderijo, espero que agora Jacque possa ficar em segurança.


Barcelona

Virava o terceiro copo de conhaque, estava em uma casa de campo em Portugal, precisava sumir por uns dias para fugir da mídia sedenta por informações sobre o tiroteio e incêndio na mansão. Um dos meus homens aparecem na sala, não o olhei diretamente, mas faço um aceno para que ele começasse a falar.

- O incêndio destruiu grande parte dos arquivos sobre a droga e uma das amostras foi  roubada - a garrafa de bebida é arremessada na parede por mim. 

- Desgraçado! - aquele policial ficou no meu caminho por muito tempo, preciso me livrar dele e terei o imenso prazer de fazê-lo - eu quero que você casse Jacque e aquele policial, Youssef. Virem o país do avesso, se for preciso, mas eu quero que os encontrem!

O homem assente e vai embora me deixando sozinho naquele lugar. Andei até a janela da sala, meus olhos se fixam em um ponto distante daquela vasta floresta. 



- Você vai se arrepender de ter cruzado meu caminho, Bakhir!



Notas Finais


Deixo-vos com esse cap maravilhoso. Vocês estão gostando do rumo que a fic está tomando??

Vou aproveitar para fazer propaganda da minha mais nova história: Between the earth and the stars, uma história de ficção científica que eu tenho certeza de que vocês irão gostar. Se estiverem interessados sigam o Zelda abaixo:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/between-the-earth-and-the-stars-romance-gay-18746862


Se cuidem, lavem bem as mãos e, se possível, se mantenham dentro de casa.

Espero que tenham gostado e até a próxima!!!

Alt Er Love S2S2S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...