História Lutando contra o Destino - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Feia Mais Bela
Visualizações 136
Palavras 1.590
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá! Espero que gostem!

Capítulo 25 - As consequências de uma noite chuvosa


 Fernando acordou pouco tempo depois que Leticia conseguiu dormi. A apertou ainda mais contra si, pensando estar nos seus sonhos tão reais. Mas ao olhar para os lados percebeu que não era sonho, olhou espantando imaginando como foi parar ali, não se lembrava de nada. Procurou por Fernanda e a viu dormindo em sua cadeirinha. Levantou-se e puxou um colchão que tinha debaixo de sua cama, como não lembrou disso, depois de arruma-lo pegou Leticia cuidadosamente sem ela acordar e a colocou no colchão. Tirou Fernanda e a pôs em sua cama, não podia dormi naquela cadeirinha. Com tudo ajeitado voltou a deitar-se com Leticia, abraçados assim como acordou.

 

                                      ...

 

 Carolina acordou com o despertador de Omar tocando, olhou as horas e viu que ainda era cedo. Levantou-se e foi até o quarto de Fernando ver como estava a sua amiga. Entrou lentamente e estranhando o fato de Fernanda estar deitada sozinha na cama e ao dar a volta quase deu um grito ao ver Leticia e Fernando dormindo abraçados, se beliscou na tentativa de estar imaginando algo, porém era verdade. Escutou um barulho da porta e ao olhar viu Omar vindo em sua direção cambaleando ainda sonolento.

 Carolina fez um sinal com a mão para que ele fizesse silencio.

  Omar – O que foi? Sussurrou.

  Carolina – Olhe.

  Omar – Não acredito! Finalmente! Falou um pouco mais alto e recebeu um tapa de Carolina.

  Carolina – Não faz barulho Omar! O repreendeu.

  Omar – Ta bom! Disse impaciente.

  Carolina – Vamos! É melhor deixarmos eles acordarem por conta própria.

  Omar – Não vai demorar muito. Jaja o despertador de Fernando toca.

  Carolina – Que seja assim! Vamos! O puxou para fora.

 

                            ...

 

 Leticia escutou o som do seu celular tocar, tentou não atender porem uma voz grave a fez abrir os olhos rapidamente.

  Fernando – Mais que droga de celular. Resmungou.

  Leticia tentou se desprender dele, mas cada vez que ela tentava, ele a prendia mais ainda. – Fernando me solta, preciso atender meu celular.  

 Fernando abriu os olhos e a soltou rapidamente.

  Leticia – Obrigada. Levantou-se e correu para pegar seu celular. – Alô? Oi mamãe! .... Como? Perguntou preocupada. – Não! Eu não demoro! Eu chego aí. Calma! .... Eu tô chegando. Desligou o celular apressadamente.

  Fernando – Aconteceu algo? Perguntou ao vê-la nervosa procurando suas coisas.

  Leticia – Preciso ir.

  Fernando – O que foi? A segurou pelo braço a fazendo olhar e viu que ela queria chorar.

  Leticia – A minha casa Fernando ... a minha casa foi alagada.

 Fernando não disse nada e apenas a abraçou.

  Leticia – Eu preciso ir. Tenho que ver como estão meu pais.

  Fernando – Eu vou com você.

  Leticia – Não precisa.

  Fernando – Claro que precisa! ... espera eu me arrumar?

 Leticia afirmou com a cabeça.

 

                                      ...

 

  Omar – Desse jeito vou botar o Fernando para correr. Brincou vendo Carolina preparando o café da manhã.

  Carolina – O Fernando cozinha tão mal assim?

  Omar – Não! Ele cozinha muito bem. Mas eu prefiro você.

  Carolina – Vou pensar que é machismo.

  Omar – Machismo?! Não! É que ... parou ao ver Leticia descendo as escadas apressadamente.

  Carolina – Bom dia! Cumprimentou sorrindo. – Quer café?

  Leticia – Muito obrigada, mas não vai dar Carol.

  Carolina – Aconteceu algo?

  Leticia – Sim e eu preciso que você fique com Fernanda.

  Carolina – Diga! Foi o Fernando?

  Leticia – NÃO! ... Peraí por que eu teria algum problema com o Fernando?

  Fernando – Eu já estou pronto. Apareceu salvando Carolina.

  Leticia – Você pode?

  Carolina – Claro que posso!  Mas o que foi que aconteceu?

  Leticia – A minha casa foi alagada. Respondeu querendo chorar.

 

                           ...

 

  Julieta – Oi minha filha. Abraçou Leticia. Estavam em frente à casa dela.

  Leticia – Como isso foi acontecer? Eu nunca imaginei que nossa casa alagar assim.

  Julieta – Nem eu! Sorte que nossa casa é de andar e os quartos ficaram intactos. Você não sabe o susto que passei com a agua invadindo nossa casa.

  Leticia – Calma mamãe! Já passou. Abraçou a mãe novamente tentado a confortar.

  Erasmo – Filha?! Se aproximou.

  Leticia – Oi papai! Abraçou ele também.

  Erasmo – Como está?

  Leticia – Eu que pergunto, vocês estão bem?!

  Erasmo – Sim.

  Fernando – Bom dia! Cumprimentou se aproximando de Leticia.

  Erasmo – Bom dia rapaz!

  Fernando – Vocês estão bem?

  Julieta – Estamos sim!

  Erasmo – Infelizmente a parte debaixo de nossa casa não está nada bem. Olhou para a casa.

  Leticia – Isso é o de menos papai. O importante é que vocês estejam bem.

  Julieta – O que vamos fazer filha? Perdemos praticamente tudo da sala, da cozinha. Sem contar com a sujeira toda que tem lá dentro.

  Leticia – Nós vamos resolver isso mamãe!

  Erasmo – Como filha?!

  Leticia – Eu não sei, mas vamos! Disse confiante.

 

                          ...

 

  Paula Maria – Conceitos, bom dia! Atendeu o telefone.

  Leticia – Olá Paula Maria, sou eu, Leticia.

  Paula Maria – Oi Dona Leticia.

  Leticia – Paula preciso que você pegue a minha agenda que está na sala do Fernando e remarque os meus compromissos de hoje.

  Paula Maria – Aconteceu algo? Pergunto preocupada.

  Leticia – Sim. Depois eu explico tudo ... ah! Nem eu e nem o Fernando iremos a Conceitos hoje.

  Paula Maria – Tudo bem.

  Sara correu para a mesa de Paula Maria que encarava o telefone pensativa. – o que foi ? .... Ei! Terra chamando! Estava os dedos.

  Paula Maria – Sara, acho que nosso Fernando finalmente conseguiu. Respondeu alegre e saltitante e abraçando a amiga.

 

                             ...

 

 Depois de horas conversando com os pais, Leticia não viu outra opção. Já era quase tardezinha e estava na frente daquela enorme casa. Tanto lutou para que nunca fosse morar lá e agora, aquele lugar era o único que poderia ir.

  Fernando – Não vai entrar?! Perguntou ao lado dela, que lutava para destrancar a porta.

  Leticia – É que ... sua frase morreu.

  Fernando – Eu sei, mas Lety, as circunstâncias ...

  Leticia – Eu sei Fernando!

  Fernando – Estou aqui. Lembra? A encarou.

  Leticia – Obrigada. E finalmente abriu a porta.

  Erasmo – Que casa linda filha! Elogiou observando cada detalhe da sala.

  Julieta – Agora eu entendo o motivo de Terezinha. Pensou.

  Leticia – Bom, tem quatro quartos aqui. Eu liguei mais cedo para o senhor Humberto informando da minha decisão e ele disse que mandaria alguém para limpar e pelo que eu vi, acho que já veio. Reparou que a casa estava bem arrumada.

  Erasmo – Mas você disse que era somente o período que estivessem arrumando nossa casa.

  Leticia – Sim papai! Querem ver os quartos?

  Julieta – Vamos!

  Fernando – E onde vamos deixá-la perguntou com Fernanda nos braços.

  Leticia – Ela vai ficar no mesmo quarto que o meu.

  Erasmo – Amanhã eu busco o berço dela, assim fica melhor.

  Fernando – Se precisar de ajuda, estou aqui.

  Erasmo – Obrigada. Vamos? Chamou pegando as malas.

  Fernando – Eu te ajudo. Deixou Fernanda com a mãe e pegou as malas.

                              ...

 

  Leticia – Depois do quarto do Fernando essa é o maior que tem. Dizia mostrando o quarto.

  Erasmo – Imagino como deve ser grande o do Fernando.

  Julieta – Você não acha melhor descansar filha? Percebeu-a cansada.

  Leticia – Estarei no meu quarto, é só chamar. Saiu.

  Erasmo – Não sei como ela está conseguindo.

  Julieta – Nossa filha é forte Erasmo! Ela vai conseguir superar essa e se as lembranças que essa casa tem a fazerem ficar triste, tenho certeza que ela vai transforma-las em lembranças alegres.

 

                                 ...

 

 Fernando olhava cada detalhe daquele quarto, era o mesmo dos seus sonhos. Aproximou-se com Fernanda em seu colo e olhou para a pequena carandá que tinha. Como podia sonhar com esse quarto se era a primeira vez que entrara ali.

  Leticia – Gostou? O despertou de seus pensamentos.

  Fernando – Belo quarto.

  Leticia – Pode deixa-la na cama. Você deve estar cansado de ficar carregando ela pra lá e pra cá.

  Fernando – Não! Imagina! Fico tão feliz quando estou perto dela.

  Leticia sorriu – Obrigada. Se aproximou e começou a acariciar a filha.

  Fernando – Já disse que faço tudo por vocês. A olhou apaixonado. – Como eu fui parar lá?

  Leticia – Lá? Não entendeu.

  Fernando – No quarto. Como eu fui parar lá?

  Leticia – Não se lembra?

  Fernando – Não.

  Leticia – Você estava deitando no chão do corredor.

  Fernando – Eu devia estra muito sonolento. Sorriu.

  Leticia – E como. Gargalhou. – Foi a maior luta te colocar em cima da cama.

  Fernando reuniu as suas forças – Lety?

  Leticia – Sim?

  Fernando – Quer namorar comigo?

  Leticia olhou espantada – Na ...namorar?

  Fernando – É que sei que fui rápido ... ou estou sendo rápido. Mas é que não dá para aguentar mais. Tocou o rosto dela.

  Leticia – Fernando.

  Fernando – Não me lembro de ter dormindo tão bem como essa noite. Vocês estão ocupando um lugar muito especial na minha vida.

  Leticia – Vocês?

  Fernando – Sim, vocês duas. Olhou para Fernanda e depois para ela.

 Leticia pensou por um momento tudo que estava vivendo, lembrou de tudo que Marcia e Carolina falaram, e principalmente de tudo que sua mãe falou. Por que não arriscar? Porque não viver esse sentimento que estava nascendo? Fernando estava ali a ajudando sempre nos momentos que mais precisavam sem exigir nada e via que sua filha também gostava dele, mesmo sendo tão pequena. Talvez o seu Fernando mandou esse Fernando para viver com ela tudo que ele não pode viver.

  Fernando – Você quer namorar comigo? Olhou desesperado pela resposta.

  Leticia – Quero. Respondeu rápido.

  Fernando – Vo ... vo.… você quer? Você quer! Gritou de alegria.

  Leticia – Calma Fernando! Meus pais podem se assustar.

  Fernando – Sim! Perdão. Se aproximou mais ainda dela. – Então somos namorados?! Perguntou ainda sem acreditar.

  Leticia – Somos ... somos namorados. Sorriu e pela primeira vez o beijou, que ficou por alguns momentos estático com a reação dela, mas não demorou muito para que a segurasse pela nuca e ditasse o ritmo do beijo.

 

 Um sorriso largo se formos nos lábios de alguém que assistia a cena.


Notas Finais


Então? gostou?
Continua?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...