1. Spirit Fanfics >
  2. Luxúria - KakaHina >
  3. Chapter 8

História Luxúria - KakaHina - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Cheguei com capítulo novo procês

Capítulo 8 - Chapter 8


Fanfic / Fanfiction Luxúria - KakaHina - Capítulo 8 - Chapter 8

Kakashi estava mais uma vez sentado na sua confortável cadeira de couro preto, observando a mulher a sua frente com um rosto que não transmitia nada.

—....E esses os documentos aqui, neles estão todos os movimentos da Arabic Inc. No último mês que eu estive lá, tudo devidamente organizado. Rin estava extremamente profissional passando as informações para Kakashi que prestava atenção em todas.

— Certo, já está decidido que daqui a dois meses você viaje a Itália e tente uma negociação com aquela empresa de mineração. Kakashi assinou alguns documentos revisados enquanto Rin o encarava. — O que foi?

— Nada. Ela sorriu forçado pegando mais alguns papéis para ele assinar.

— Conheço você a tempo suficiente pra saber que o seu nada sempre é alguma coisa. Kakashi falou pegando mais papéis e tendo a atenção desviada para a porta que era aberta pela secretaria.

— Senhor Hatake, ligaram da floricultura e dizendo que a encomenda foi entregue, eu poderia ter vindo outra hora mas disse que queria saber assim que chegasse. A mulher parada na porta sentiu o olhar de Rin pesando sobre ela.

— Obrigada Yugao, pode se retirar. Ele agradeceu e ela pediu licença e saiu.

— Flores? Que ridículo. Rin falou enquanto ajeitava o terninho caro que usava.

— Senhorita Nohara, estamos trabalhando, mas vou pedir que se não se repita a atitude que teve ontem. Kakashi voltou a revisar documentos e assiná-los.

— Eu não fiz nada de mais e se fizesse também a minha vida pessoal não te diz respeito, não mais Kakashi. Aqui você é meu chefe, lá fora é só mais um e a sua namoradinha é mais uma na sua vida, igual eu fui. Ela falou na mesma posição que estava, sentada de pernas cruzadas.

— Isso está muito além da sua compreensão Rin. Ele falou levantando da cadeira e indo observar a cidade movimentada a tarde.

— Vai me dizer que se apaixonou? Ela falou séria mas ele pode sentir uma o tom choroso escondido nas palavras.

— Olha, Rin não se meta onde ninguém está te chamando e mais...

— Kakashi, você ta sendo solicitado na sala de reuniões com urgência pela presidente e o senhor Sarutobi. Obito invadiu a sala o interrompendo vendo o clima tenso do local.

— Já vou, cuide disso Rin. Kakashi apontou os papéis e saiu da sala deixando os dois.

— Você sabe de alguma coisa, não sabe Obito. Ela descruzou as pernas com sensualidade e levantou se colocando a frente de Obito. — Eu sei que sabe. Ela passou as unhas longas pelo lábio dele o vendo estático.

— Não sei de nada. Obito poderia estragar todo o esquema de casamento do amigo, mas ele queria que Kakashi se casasse de uma vez e Rin o esquecesse.

— Eu espero Obito, se não vou ficar muito chateada com você. Ela disse dando um beijo rápido na boca dele. — Irei visitar você hoje, me aguarde.

— Tudo bem. Ele respondeu e saiu da sala seguindo para a sua própria.

Enquanto isso na sala de reuniões Kakashi era encarado pelo antigo presidente e a atual. O contrato da presidência novamente posto na frente dele, ele lia as linhas com atenção para verificar que não modificaram nada.

— Kakashi, pelo que ando sabendo você e a moça Hyuga tem se dado muito bem. Hiruzen falou enquanto Tsunade ainda olhava Kakashi. — Então por que ainda não assinou estes papéis?

— Eu tenho um ano pra casar assim que assinar, mas não tenho nenhuma garantia que vou conseguir me casar nesse um ano. Ele foi direto.

— Entendo, então o que quer que façamos? Tsunade falou pela primeira vez. — Minhas passagens pra a França, quero comprar de uma vez sem precisar voltar antes do tempo por causa desta empresa.

— Senhora, eu não estou pedindo nada, acho que a situação não está muito a meu favor aqui. Assim que eu assinar eu me comprometo a casar dentro de um ano, só que vocês escolheram a noiva e eu estou fazendo o possível para isso acontecer. Eu só acho mais fácil convencer alguém a noivar dentro de um ano do que se casar. Ele falou alisando o rosto.

— Kakashi, está pedindo para que mudemos as condições? Hiruzen perguntou incomodado.

— Kakashi, eu vou falar com os acionistas da empresa. De todo modo um compromisso sério firmado já é o suficiente para validar sua posse ao cargo. Tsunade falou e piscou para Kakashi, ela estava doida pra abandonar empresa e tudo que tivesse, ela queria ir jogar no novo cassino de Mônaco.

— Tsunade.... Hiruzen tentou interferir.

— Hiruzen. Ela respondeu calando o homem.

— Senhores por favor não briguem por isso, senhora, muito obrigada por pensar no que eu falei. Kakashi falou e logo em seguida Hiruzen saiu emburrado e Tsunade com aspecto cansado atrás dele.

Kakashi estava ainda sentado na mesa de reuniões mexendo uma caneta entre os dedos quando Obito entrou sem fazer barulho.

— O que eles queriam? Perguntou ficando de pé em frente a mesa.

— Perguntar porque ainda não assinei os papéis de posse à presidência. Kakashi falou e soltou o ar em seguidas.

— Entendi, você assinou hoje? Obito perguntou curioso.

— Ainda não, tentei sutilmente negociar uma coisa e a Senhora Tsunade disse que vai falar com os outros acionistas, enquanto isso eu ganho mais tempo com a Hinata e se der certo não preciso me desesperar tanto quanto eu achava. Ele falou e terminou de contar sobre o que conversou na pequena reunião privada com Obito.

Enquanto isso Hinata em seu escritório já tinha organizado contratos de vendas, parcerias com digital influencers, e agora faltava apenas uma coisa, separar todos os produtos que seriam lançados no próximo mês, e para ela a pessoa mais indicada para estar em todas as capas de revistas, jornais e outdoors usando e abusando de seus produtos novos era Tenten, a noiva de seu primo. Uma das mulheres mais bonitas do Japão e uma das mais bem pagas modelos do mundo, elas tinham combinado isso com antecedência já que a agenda da quase cunhada vivia cheia e daqui dois meses ela iria para Itália, para a semana de moda de Milão.

— Ko, ligue para essa mulher. Ela é assessora de Tenten, confirme com eles o dia que ela virá fotografar os novos produtos. Hinata falou com seu assistente que prontamente foi fazer o que ela tinha pedido.

Hinata passou o resto do dia no laboratório, resolvendo os problemas que surgiram na fórmula da base que ela estava desenvolvendo. Após muitas pesquisas e novas misturas. Enfim conseguiram chegar num veredicto sobre o produto que tinha ficado perfeito.

— Problema resolvido... Ela olhou o relógio e viu que já eram sete e meia da noite. — Agora eu tenho um compromisso até amanhã. Hinata se despediu do funcionários, tirando o jaleco e luvas, enfim soltando os cabelos.

Pediu a Ko que trouxesse seus pertences e foi até o carro com pressa, sabia que se atrasaria para o encontro com Kakashi. Já que ele tinha mandado uma mensagem dizendo “te pego as oito e meia”.

Entrou no carro e rapidamente pisou no acelerador com vontade, deslizando pelas ruas com facilidade, pensou que as vezes o jeito Sakura Haruno de ser funcionava. Se furasse alguns sinais não teria problema, ela não ficaria mais pobre por pagar algumas multas.

Já em seu quarto ela revirava o closet na busca de algo que a agradasse, uma boa roupa e um belo perfume isso seria o suficiente para o Hatake surtar e ela se animava com a ideia. Hinata Hyuga se vestiria para matar, matar de tesão qualquer homem que se aproximasse dela.

Olhou o closet e entre as peças de cores fortes que gostava de usar, encontrou um Versace preto de silk satin, de decote drapeado, indo até dois dedos abaixo do joelho com uma fenda escandalosa na perna direita. Tinha comprado a peça na última vez que foi a Paris, e ela tinha alças eram tão finas que o mais leve dos puxões as arrebentariam com facilidade.

— É esse, com certeza! Pegou a peça perfeitamente pendurada no cabide e levou até a cama a deixando lá. — Agora um sapato. Ficou parada de braços cruzados e batendo um dedo no queixo durante um tempo, observando a vasta variedade de sapatos naquele closet decidiu por usar uma de suas mais novas aquisições, a famosa sandália de Yves Saint Laurent, a Opyum preta de saltos dourados que dividia o nome com um perfume da mesma marca, que por sinal ela também tinha. — Acho melhor eu ir tomar um banho, logo.

Bom ela sabia que não ficaria pronta de uma hora para outra mas contava com os atrasos do Hatake ao seu favor, tomou um banho relaxante lavando os cabelos depilando onde precisava e no final passando hidratante por todo corpo.

— Atrasada sim, fedorenta e mal vestida nunca. Falou em frente ao espelho enquanto secava os cabelos longos com ajuda de um secador.

Terminou com o cabelo, fez uma maquiagem rápida em frente sua penteadeira, passando um batom vermelho para destacar todo visual, foi ao quarto e olhou o vestido em cima da cama, escolhendo apenas uma calcinha vermelha de seda, já que era meio impossível usar sutiã com aquele vestido e também não era necessário, a calcinha não marcava o tecido fino do vestido que deixava suas curvas valorizadas.

Se vestiu e calçou as sandálias, foi até a cômoda pegando a caixinha com a joia que tinha ganhado e a colocou no pescoço observando como tinha ficado, uma pulseira de ouro branco no pulso e um anel na mão esquerda. Estava pronta só faltava o perfume e o escolhido foi La vie est belle da Lancôme.

Se olhou no espelho, colocando a mão na cintura e um sorriso sacana brotou nos lábios, estava gostosa pra um senhor caralho e ansiosa pra ver a reação do homem que vinha ao seu encontro.

Desceu até a sala e viu Natsu sentada na varanda da sala que o apartamento tinha lendo. A mesma quando a viu arregalou os olhos e abriu um sorriso.

— Quando eu acho que a senhora não pode ficar mais bonita, eu me surpreendo. Ela falou fechado o livro o colocando numa mesinha.

—Obrigada Natsu-san, você é muito gentil. Hinata falou pegando o celular e guardando na bolsa de mesma marca da sandália.

— Hinata-sama, deseja algo antes de sair? Perguntou indo em direção a cozinha.

— Não Natsu-san, obrigada pode voltar a ler. Chegarei tarde hoje então não se preocupe com mais nada. Hinata disse indo em direção ao elevador, sabia que ele estava chegando ao ler a mensagem que ele tinha enviado. — Até mais Natsu-san.

Hinata bufou de impaciência com a velocidade que o elevador descia até o térreo, o preço pago por morar no último andar de um prédio de quarenta e seis. Pessoas entravam e saiam e enfim ela chegou, o cheiro do perfume floral frutado ficando para trás e um homem totalmente boquiaberto a esperando sentado em umas das poltronas que tinham na entrada do condomínio.

— Hinata, Uau. Ele a beijou no canto da boca como da outra vez e olhou de cima a baixo parando o olhar na gargantilha nada discreta que ele a tinha dado, não tinha palavras para expressar o quanto ela estava gostosa naquele vestido, sentiu o sangue ferver uma figada no pau que com certeza estava bem animado com a visão.

— Gosta do que vê Kakashi? Ela perguntou com um sorriso de lado e com o peso apoiado em um das pernas fazendo a outra ficar aparente na fenda do vestido.

— Com certeza, vamos? Ele mais uma vez apoiando as mãos um pouco acima do bumbum dela a guiando para o carro dele parado em frente a portaria.

—Sim, ela sorriu ladino enquanto andava com sensualidade até o veículo que teve a porta aberta por Kakashi dando passagem a ela.

Observou o homem dando a volta no carro, usando uma camisa branca com dois botões abertos deixando parte do tórax definido a mostra e uma calça xadrez cinza alfaiataria, o sapato social preto no pé e o relógio da Tag Heuer no pulso compunha o look, não tinha um dia que Hinata o visse e não o achasse mais bonito que da última vez.

É Kakashi, hoje você será meu! Disse baixo em seguida mordendo o lábio inferior observando ele entrar no carro sorrindo.


Notas Finais


Hinata do céu, vai matar o homem desse jeito.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...