História Luz, Câmera e Amor - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangtan Boys (BTS), Drama, Romance, Suspense
Visualizações 35
Palavras 2.105
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Literatura Feminina, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


DOBRADINHA!!!!! 🎉🎉

Não consegui me segurar e estou de volta o mais rápido... rsrsrs

Espero que estejam gostando ❤

Deixem comentários para eu saber tudinho o que esperam e o que acham!!!

Desculpem qualquer erro e boa leitura! 💜

Capítulo 7 - Por um fio - Parte I


Fanfic / Fanfiction Luz, Câmera e Amor - Capítulo 7 - Por um fio - Parte I

Leiam as notas iniciais, obrigada! :)

 

_______’s pov

 

- Não, Jungkook. - fala com ele ao telefone. - Eu preciso que alguém me cubra enquanto eu sou eu mesma no evento de beneficente daqui três dias!

- Não pode fazer isso. - disse ele. - Você colocará a missão em risco. Esse tal de Min Yoongi não pode ser tão importante assim.

- Somos amigos. - disse aflita. - Ou éramos. O que importa é que eu disse que ia e não posso simplesmente não aparecer novamente.

- E qual o problema com isso? - bufei com a pronuncia de Jungkook. - Você já deu um bolo nesse idiota uma vez, faz de novo, ______.

- Eu não posso.

- Não pode ou não quer? - nada disse. Talvez eu não quisesse magoar o Yoongi novamente. Eramos amigos antes de eu ir para academia. - Não vou deixar você colocar a missão em risco! Está entendendo, ______? - revirei os olhos. Foda-se! Vou ligar para o Hope. - Minha resposta é NÃO! - Jungkook sabe ser chato quando quer. - Temos assuntos sérios para tratar.

- Se você não quer me ajudar vou pedir ajuda a outra pessoa.

- Hope? - indagou. - Ele está proibido de te ajudar. - disse autoritário. - Estou olhando para ele agora. - fechei os olhos em desagrado. - Ouviu? Passa para cá seu telefone!

- Espera! Eu não fiz nada. - ouvi a voz de Jung Hoseok pelo telefone, mas ele não teve vez com o Jungkook que consegue ser bem irritante quando quer.

- Jungkook, isso é mesmo necessário? - disse desmotivada. - Eu só preciso de reforço em um único dia, em um único momento. - dei de ombros. - Eu apareço, digo “oi”, deixo um cheque para a caridade e vou embora. - balancei a cabeça brevemente. - Embora, não, volto a ser An Min-ho na missão. Sem problemas e sem efeitos colaterais.

- ______, você estará nesse evento protegendo Park Jimin e nada mais do que isso, entendeu? Não estará lá para ser você mesma e muito menos para namorar. A resposta é NÃO! Já disse! - desligou em seguida.

- Alô? Jungkook?? Inferno!!

Olhei para o meu celular irritada.

 

(…)

 

Três dias depois…

 

Abri a porta de entrada e peguei a roupa que chegava da lavanderia. Uma roupa formal para Jimin, uma para mim e um vestido cor azul perolado.

- Ah, desculpe. - o rapaz da lavanderia se voltou para mim. - Hya Shon Ji… - li o nome dele que estava bordado no uniforme da lavanderia do condomínio. - Isso não está certo.

- Ah… - ele olhou para sua prancheta. - Sim, são três encomendas para a casa 27. - seu olhar negro se voltou para mim e ele esboçou um sorriso. - Dois ternos e um vestido. - estreitei os olhos. - Boa sorte. - o rapaz que atendia por Hya Shon Ji deu uma piscadela e se virou indo em direção ao carrinho branco sem portas ou janelas, um carrinho que circula apenas dentro do condomínio, como os carrinhos de golfe.

Fechei a porta e olhei bem para as roupas que estavam dentro de sacos transparentes.

- Legal. - revirei os olhos e subi para o meu quarto.

Rapidamente coloquei o vestido dentro de uma mochila junto com uma sapatilha que achei na mala que Hope preparou para mim quando eu vim para a mansão nesta missão maluca. Coloquei o terno que usaria no evento de caridade sobre a cama e fui até o quarto de Jimin para levar a roupa para ele. Bati à porta e ouvi um pode entrar abafado.

Abri a porta e vinha uma luz fraca do banheiro que tinha a porta aberta. Coloquei a roupa de Jimin sobre a cama e me virei para sair dali…

- Você disse que falou com Lina, mas até agora nenhuma notícia. - Jimin saiu do banheiro só de toalha. - Espero que tenha razão, Min-ho. - Jimin tinha um corpo bem definido, isso justifica as horas que passa na academia que fica na ala leste da mansão. Que corpo. Havia algumas cotículas de água ainda em seu corpo e elas escorriam contornando seus músculos. Talvez esse trabalho não seja tão ruim… quantas vezes eu pude apreciar um belo conjunto assim? - Min-ho? - pisquei os olhos e caí na real. - Tudo bem?

- S-sim. - limpei a garganta. - Quer dizer, sim! - apontei para a cama com a mão um pouco trêmula. - S-sua roupa.

Droga! Controle-se, mulher!

- Você está realmente bem, Min-ho? - Jimin deu um passo em minha direção, aparentemente preocupado, e eu me afastei um passo.

- Estou. - respirei fundo. - Eu… Acho que a minha pressão caiu, sei lá.

- Se não quiser ir no evento hoje por estar mal, não tem problema. - disse ele. - Pode ficar.

- Imagina. Estou ótima. - rapidamente me corrigi. - Ótimo!

- Okay. - Jimin disse em dúvida e se voltou para suas roupas que eu havia colocado sobre a cama. - Min-ho… - ele me olhou por cima do ombro. -, você acha que devo falar com a Lina hoje no evento beneficente?

O quê?! Ela estará no evento? Min Yoongi estará lá! Park Jimin estará lá e An Min-ho estará lá para cuidar de um K-Idol em apuros e EU, _____, estarei lá!!! Que desastre!!! O destino brinca mesmo com as pessoas. O destino é do mal. Aigoo!

- Não?! - disse agitada. - Vai assustar ela se você for muito afoito. Fica calmo. - disse para ele se acalmar, mas era como um eufemismo para mim porque EU era quem estava em pânico. - Vamos deixar ela dar o próximo passo.

- E se ela vir falar comigo? - ele levou uma das mãos a nuca. - O-o q-que devo di-dizer?

- Primeiro, não gagueja! - o repreendi.

- Eu não levo muito jeito para falar com garotas. - Jimin deixou seus braços caírem pela lateral do corpo coberto apenas com a toalha branca envolta da cintura.

Sua nudez parcial estava me deixando sem ação. Eu mal conseguia manter meus olhos erguidos aos olhos dele.

- Segundo, veste logo uma roupa. - grui e me afastei dele indo em direção a porta. - Depois conversamos sobre possíveis conversas. Porque assim não dá!

- Tipo o quê?

Puxei o ar para meus pulmões.

- Sei lá. - elevei os ombros enquanto olhava para a porta. - Você pode dizer qualquer coisa. O que quiser dizer.

Virei conselheira amorosa. Pelo amor de Deus! Eu me dediquei por anos para ser uma agente da Inteligencia Coreana, não babá e muito menos conselheira amorosa.

- Esse é o problema, Min-ho. - disse ele. - Eu quero falar com ela, mas tenho medo de parecer bobo ou sei lá. - fechei os olhos e balancei a cabeça negativamente. - Já coloquei uma roupa. - olhei para ele por cima do ombro.

- Que bom. - virei-me aliviada.

- Você tem o mesmo que eu entre as pernas, não entendo sua esquisitice.

- Você mais do que ninguém deve preservar sua intimidade e não ficar andando pela casa só de toalha. - o repreendi.

- Min-ho, está é a minha casa. Eu ando até pelado se eu quiser. - engoli em seco. - Acostume-se com isso.

Estalei os dedos ao me lembrar.

- Lina gosta das músicas de Choi Min-ho. - aleguei. - Seja quem for, ela gosta dele. O admira, para ser mais claro.

- Escuta… - Jimin se sentou na beirada da cama. - Então ela gosta de você por ter o mesmo nome do cara que ela gosta. É o que está dizendo?

- Não sei. - levei a mão ao queixo, indicando pensar. - Mas ela o admira com certeza. Olha, você tem que ser gentil com ela e simpático. Mostrar a ela que você é mais do que os olhos podem ver. Pergunta se ela gosta… de sorvete.

- Sorvete? - ele arqueou uma sobrancelha e eu bati a mão no ombro dele coberto pela manga da camisa azul clara.

- Qualquer ser humano que se preze gosta de um gelado. - bufei. - Não é possível que ela seja exceção. - olhei em volta brevemente. - Já sei! Vamos praticar.

Péssima ideia sua maluca! O que pensa que está fazendo, _____? Minha mente gritava e esperneava comigo. Assim ele vai desconfiar que você é uma garota! Tenha paciência. Até um Zé ninguém é mais inteligente que você!!!

- Praticar como?

Maravilha! Continue, pois não dá para voltar atrás.

- Finge que eu sou a Lina e me pergunta se eu gosto de sorvete e qual sabor.

- Você não é a Lina nem de perto. - revirei os olhos.

- Então finge que você está representando. Vamos lá! - o puxei para que ficasse de pé. - Lembra do que eu te falei sobre persona? - ele balançou a cabeça minimamente. - Eu sempre imitava a minha irmã quando era mais novo. - limpei a garganta para fingir que eu interpretaria, mas, na verdade, ia falar com a minha voz normal. - Oi. - sorri. - Sou An ______, muito prazer.

- OH! Meu Deus!! Aigoo!! - Jimin tinha os olhos arregalados. - Você parecia uma garota falando. Como faz isso?

- Isso se chama interpretar. - disse óbvia com uma voz engrossada. - Você mais do que ninguém devia saber disso, Jimin. Não é um ator?

- Ator em construção! - ele elevou o dedo indicador brevemente ao me corrigir.

- Anda, pergunta logo.

- O quê? - Jimin parecia atordoado. - Você me assustou com essa voz de garota. - abri os braços brevemente. - Está bem… - elevou os ombros. - Você gosta… - ele hesitou. - … de sorvete, ____?

- Sim! - sorri. - O meu favorito é o de casquinha.

- Oh, meu Deus!

- O que foi? - disse com a minha voz normal.

- Isso é muito estranho. - disse ele atordoado. - Pare com essa voz de garota! Nunca mais faça essa voz de garota para mim, ouviu, Min-ho? - Jimin se afastou. - Mesmo que seja a imitação da sua irmã.

Meu telefone apitou. Peguei o celular e era uma mensagem de um número desconhecido:

 

Espero que o vestido seja do seu tamanho, _____. :)

Boa sorte no evento hoje!

XX (beijos) da sua esperança! :)

P.S:. Nenhuma palavra sobre isso com o chefe Jeon!”

 

Sorri discretamente ao ler a mensagem de Jung Hoseok.

- Eu vou preparar tudo para mais tarde. - disse e deixei o quarto de Jimin.

 

(…)

 

Cheguei no evento com Park Jimin. Ele estava tão gato. Parecia um príncipe encantado dentro daquele terno sem gravata. Mostramos os convites no celular e entramos.

- Olha ela lá. - Jimin me cutucou e ao olhar em volta vi Lina com algumas crianças. Ela pintava o rosto de uma menina que estava fantasiada de bailarina. - Eu vou chegar mais perto. - bateu a mão no meu ombro e se afastou em seguida.

Jungkook pode me matar, mas eu preciso fazer isso. Olhei em volta a procura do banheiro e vi Min Yoongi de terno conversando com algumas pessoas. Em seguida avistei o corredor dos banheiros e segui para lá. Ia entrar no banheiro feminino, mas uma mulher saía de lá.

- Aqui é o banheiro feminino. - disse ela assustada. - O masculino é a outra porta.

- Oh! É mesmo. - fingi de desentendida. - Que cabeça a minha. - entrei no banheiro masculino e rapidamente entrei em uma cabine vazia.

Abri a mochila e tirei de dentro o vestido e a sapatilha. Trouxe a mochila com a desculpa do pequeno ou grande problema de sangramentos nasais. Até que colou bem essa mentira horrível. Tirei minha roupa, a faixa que fica em volta de meu seio e a peruca. Coloquei tudo dentro da mochila e vesti o vestido e a sapatilha. Dei uma batida no cabelo, para o ajeitar e escondi a mochila atrás do vaso sanitário. Entreabri a porta da cabine e não tinha ninguém.

Nenhum homem à vista.

Ótimo!

Saí da cabine e olhei a mim no espelho. Ajeitei o meu seio dentro do vestido azul e saí dali furtivamente. Uma vez de volta ao salão corri meus olhos em volta. Vi Jimin na fila junto com as crianças. O que ele quer? Se pintar como as crianças? Hã! Ele não tem jeito com romance mesmo, e isso é tão fofo.

Agora tenho que ser rápida. Onde está Min Yoongi?


Notas Finais


Então?
O que acharam??? Digam para eu saber. Amo saber o que pensam e o que querem.
Acompanhem minhas outras fics @Kathy95
Até o próximo capítulo.
Vejo vocês em breve!
XX Kathy


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...