1. Spirit Fanfics >
  2. Luz e Escuridão: Um Novo Mundo. >
  3. Marvel: Capitão América e Soldado Invernal Parte Final 1

História Luz e Escuridão: Um Novo Mundo. - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


(Sem Comentários aqui, sem idéias e tals... foi mal.)
Bem, agora fiquem com meu show, Catcha.

Capítulo 13 - Marvel: Capitão América e Soldado Invernal Parte Final 1


Fanfic / Fanfiction Luz e Escuridão: Um Novo Mundo. - Capítulo 13 - Marvel: Capitão América e Soldado Invernal Parte Final 1

Universo Cinematográfico da Marvel.

103 Dia.

Barragem - Washington DC - EUA - América do Norte.

Hora: 10:23 AM - Data: 12 de Janeiro de 2014

Pov de Hamilton dos Santos.


Tínhamos 20 horas quando fomos apanhados pela HIDRA.

Nós tínhamos quatro sobrando agora.

Tony e Rhodey estavam pegando suas armaduras enquanto o resto de nós empacotava nosso próprio equipamento.

Entediado, eu gravitei em torno de Steven quando ele voltou de uma missão própria, levando nós dois na sala de fantasias.

Eu estava encostado em uma prateleira de fantasias de palhaço enquanto Steven vestia seu equipamento.

Em qualquer outro dia, me perguntando que tipo de assassino / espião precisa de uma fantasia de palhaço teria sido a minha pergunta.

Mas eu tive outros problemas.

"Steven, não tenho certeza se isso e uma boa idéia, e roubar essas roupas de um museu histórico não e nada legal." disse enquanto olhava Steven colocar seu equipamento.

"Bem, eu o possuí," ele me deu um sorriso. "Além disso, vou colocá-lo de volta quando terminar. Estou basicamente adicionando história a ele."

"Não é assim que funciona," eu disse. "Quero dizer, e se alguém perder o emprego por isso?"

Steven parou por um momento.

Então, ele balaçou a sua cabeça. "Eu vou cobrir isso. Além disso, minha outra roupa está rasgada de quando eu tive que escapar do Triskelion."

Ele estava vestindo seu equipamento da Segunda Guerra Mundial, roubado da porra do Smithsonian.

"Esse não é o verdadeiro motivo."

Olhamos para ver Natasha entrando toda azul marinho. Uma saia, jaqueta e camisa. E alguns colares de pérolas e ouro que brilharam levemente quando ela entrou como um gato na sala.

Ela estava segurando uma peruca em uma das mãos, baixa e loira.

Ela se aproximou, olhando para Steven de perto.

Depois de um momento, ele respondeu. "Bucky... ele pode precisar de um lembrete. Quanto mais perto eu olho de como eu era naquela época, talvez..." Ele se virou para olhar seu capacete. "...Talvez seja mais fácil para ele se lembrar de mim."

Natasha e eu não falamos nada.

Ele parecia tomar isso como aceitação, o que era.

Ele pegou o capacete, Com um sentimento de cerimônia, ele o vestiu.

Capitão América, em traje completo. As estrelas e listras, até a estrela em seu peito.

Impressionante.

"Pare de sorri desse jeito," disse Natasha, me dando um soco de leve no ombro. "É assustador."

"Desculpe, super espiã ninja." respondi.

Ela sorriu e acenou com a cabeça em direção ao meu pulso. "Vejo que você construiu um relógio."

Eu sorri, pegando o Omnitrix, girando o mostrador e fazendo um holograma de um tigre aparece.

"Sério, você construiu um relógio apenas para mostrar imagens de tigres em forma humana?" ela disse de forma neutra.

"Bem, você terá uma surpresa em alguns instantes." eu disse de forma louca, apertado o relógio, e um flash de luz verde veio do dispositivo, antes de me envolver. 

Meu corpo levitou do chão.

E meu corpo mudou em milissegundos.

Minha altura explodiu em quase três metros.

Minha pele se transformou em pêlo laranja e branco, com listras pretas.

Meus músculos explodiram para fora, tornando-se pedras maciças sob meu pelo.

Meus pés se tornaram patas, e cada uma de minhas mãos desenvolveu uma única garra enorme saindo da parte de trás do meu pulso.

E meu rosto se tornou de um tigre.

"Rath!" eu gritei com um forte rugido, fazendo Natasha e Steven olharem para mim em espanto.

"Bem, você com certeza e um pouco adorável." Nat disse com olhos arregalados.

"Sim Baby!? Rath certamente e adorável, porquê Rath e incrível, Natasha Romanoff!?" eu gritei exibido meus músculos para ela.

"O quê você é..." Steven falou lentamente, obviamente não sabendo o que dizer.

"Mais e claro que eu direi quem sou, Steven Rogers, Rath e um Appoplexiano do Planeta Apploplexia!?" eu gritei, mais uma vez exibido meus músculos.

"Espera, você e um Alien." Nat perguntou cética.

"Sim, Natasha Romanoff, Rath e um Alienígena que vive no Dispositivo Omnitrix de Hamilton dos Santos," eu disse com um pouco de calma. "Mais Alguma pergunta para Rath meus queridos amigos."

"Como isso e possível, garoto?"

"O mundo ficar estranho a cada vez quê vejo uma coisa nova e diferente."

Steven e Natasha disseram ao mesmo tempo.

"Vocês estão deixando Rath confuso com todas essas perguntas," eu disse. "Acho melhor que Hamilton dos Santos volte e explique para vocês todo o esquema, Rath saindo."

Eu bati no peito, me fazendo volta para forma humana.

"Uau, esse cara com certeza não e a agulha mais inteligente do palheiro." eu perguntei ao dois enquanto balançava minha cabeça.

"Garoto, como você fez isso," Nat disse, pegando meu pulso e examinado o Omnitrix com olhos analíticos.

"Tony Stark e Homo Sapiens Cerebral." eu respondi com calma.

"Mais é claro quê foi Tony Stark," ela revirou os olhos. "Ele tinha que ter um dedo nisso, não é garoto."

"Sim. Não posso ser o único de nós sem um equipamento legal, afinal. Vou deixar isso com você." eu disse com orgulho.

Então olhei para seu corpo, olhando-a de cima a baixo dramaticamente. "Sabe, é engraçado, você tendo que bancar a política idosa. Embora eu estivesse meio ansioso para ver você com uma roupa de couro."

"Bem, jogue seus dados direito..." Os lábios vermelhos de Natasha se ergueram um pouco.

"Seriamente?," eu olhei para seus lábios. "Porque você não incomoda o bom velhinho ali, ele parece muito disponível pra você, super espiã ninja, e além do mais..." eu coloquei minha duas mãos em seus ombros e disse dramaticamente. "...uma técnica de ilusão desse nível, não funcionará comigo, super espiã ninja."

Isso só fez seus olhos brilharem.

Ela se virou para ir embora.

"Uh ..." Eu olhei para Steven, que estava sorrindo para mim. "Eu não entendo o que aconteceu, ela não sabe que eu só estou brincando?"

"Ela tem esse efeito." observou Steve.

Ele deu um passo à frente e colocou a mão no meu ombro, me acompanhando.

"Vamos lá. Se todos os noventa e seis anos não me ensinaram nada sobre mulheres, alguns minutos conversando também não vão ajudar."

"Você não ficou preso sob o gelo por setenta anos?" Eu reclamei.

"Detalhes."


Alguns minutos depos...


No chão, Tony e Rhodey vieram em nossa direção com outro homem.

Happy Hogan.

Eu o reconheci por hackear as Indústrias Stark... Cara, isso parecia uma vida atrás, apenas patrulhando na cidade de Nova York e coletado peças para construir minha pequena casa improvisada.

Espero ser capaz de fazer isso novamente um dia.

Eu gostava de morar naquela casa.

Happy tinha mais ou menos a minha altura, era corpulento, um terno preto e cabelo ligeiramente careca.

Tentei descobrir se ele se parecia com um ator que eu conhecia, mas nenhum veio à minha mente, o que foi quase um alívio.

Minha memória era realmente uma merda.

"Steven, você conheceu Happy." disse Tony, passando por nós rapidamente.

"Ei, Happy" disse Steven enquanto Happy entrava na sala. "Uh, Tony?" Tony parou para olhar para Steven, assim como Rhodey e Happy. "Eu pensei que estávamos mantendo isso confidencial? Esse era o nosso acordo."

"Está tudo bem," Tony acenou com a mão com desdém. "Happy é meu cara, então ele fica sabendo disso."

"E você nem discute isso com a gente?" Steven perguntou, afrontando.

"Senhor Stark, trazer um civil para essa situação não e nada legal." acrescentei, dando a Tony o mesmo olhar. 

Happy e Rhodey trocaram um olhar, ambos aparentemente entendendo de onde viemos.

"Oh, me desculpe, 'garoto', o garoto que invadiu minha empresa e o e-mail de Happy por semanas está estendendo uma opinião?" Tony perguntou incisivamente.

"Espere, o que está acontecendo agora?" Happy olhou para mim, chegando mais perto.

"Ei, eu estava espionando ele no caso de algum cara tentar sequestrar o presidente de novo," eu disse rapidamente. "Se as pessoas estivessem ouvindo o Happy desde o início, as coisas poderiam ter terminado melhor."

"Obrigado!," Happy ergueu as mãos dramaticamente, olhando para Tony. "Você vê se as pessoas tivessem me escutado -"

"Você viu o que você fez?" Tony o contou.

"Se as pessoas tivessem apenas ouvido-"

"Eu ouvi, foi assim que descobri como Killian estava fazendo as bombas!"

"Sim, e então eu estava em coma!"

"Você quer fazer isso agora, na frente do garoto Fanboy e Cap?"

"Fodase, traga a Natasha também."

"Pelo amor de... Happy!"

Os dois se afastaram, discutindo, deixando Rhodey silenciosamente sacudindo os ombros de tanto rir.

Ele esperou até que eles saíssem para se virar para Steven, que parecia preso entre exasperado e divertido.

"Então, sim," disse Rhodey. "Happy trouxe nossas armadura. Estaremos prontos para ir."

"Sim, sobre esse assunto," eu disse. "Tony não explodiu suas armaduras no ano passado? Quer dizer, eu me lembro de ter lido sobre isso no jornal."

"Sim, isso e verdade,"  Rhodey olhou para o amigo. "Mas ele simplesmente não consegue parar de fazer mais. Pepper reclama disso."

Pensei em Pepper Potts.

Então pensei em Resgate, a identidade de super-herói que Pepper acabaria assumindo no 'vingadores: ultimato'.

 Droga, ela fez um trabalho muito bom lutado contra o exercido de Thanos e o próprio Titã Louco.

Algo para o futuro.

"Ok, vamos lá", Cap me deu um tapinha nas costas. "É hora de começar."

"Na verdade, posso falar com ele?" Disse Rhodey.

Steven e eu olhamos para Rhodey.

"Uh, claro," eu disse. Rhodey acenou para mim em outra seção da sala, e caminhamos até um dos corredores úmidos.

"Vou ser franco sobre isso", disse Rhodey simplesmente. "Eu não acho que você deveria ir."

Isso não era o que eu esperava. "Espere o que?"

"Não acho que você deva continuar essa missão." disse ele com firmeza.

"Você está de brincadeira com minha cara?" Rhodey balançou a cabeça. "Sou um dos membros mais fortes dessa equipe! Quero dizer, sei que sou um garoto, mas eu posso ajudar!"

"Eu não estou dizendo isso-"

"Cassete, eu já estou até na lista de alvos de merda da HIDRA, eu mereço lutar!"

"E matar?"

Eu olhei para ele com uma expressão vazia.

"...eu já matei pessoas, Coronel Rhodes." disse sem emoção. "Acampamento Lehigh, 16 soldados mortos usado faca, machado e Glock 19," eu me aproximei e fiquei cara a cara com ele. "Um Viaduto em Washington, 29 pessoas mortas brutalmente usado uma faca e Glock 19," eu disse ainda sem emoção.  "Eu faria isso de novo se fosse para proteger todos vocês aqui. Então não me venha com esse papo melodramático comigo, Coronel."

"Garoto," ele colocou um mão em meu ombro. "Isso não é uma luta em um viaduto ou uma base militar. Isso é uma guerra,"  Rhodey balançou a cabeça. "Eu sei que você é poderoso. Natasha me disse o que você poderia fazer. Mas eu me lembro como foi minha primeira morte. E não importa o que aconteça, isso ainda me mudou. Eu não quero que isso mude você também."

"..."

Impossível.

A 'Mente do Jogador' me impede de sentir esses sentimentos tão triviais.

Eu ouvi passos atrás de mim.

Quando me virei, Steven e Sam estavam lá.

"Vocês concordam com ele?" eu perguntei ao dois com um rosto sério.

Sam não disse nada, apenas olhando entre mim e Rhodey.

Steven abriu a boca, mas a fechou após um pouco de hesitação.

"..." eu olhei de forma morta para os três.

"Não se trata de quão poderoso você é," disse Rhodey. "Mas se você entrar, chegará um ponto em que as coisas vão se resumir a matar ou morrer. E se eu permitisse que você mergulhasse nisso sem avisar sobre o que poderia acontecer..." Ele parou.

Eu olhei para Steven.

"Capitão, eu-"

Ele ergueu a mão.

Eu parei de falar.

"Você vai?"

"Sim," eu não hesitei. "Eu sei que talvez tenha que... terei... Que terei quer matar muitas pessoas. Não gosto da ideia. Mas não posso ficar parado sem ajudar os meus amigos."

"Sim, eu sei como é isso." Steven balançou a cabeça. "Eu me senti da mesma maneira quando entrei."

"O mesmo." disse Sam.

Rhodey assentiu com relutância.

"Só saiba que depois... Você tem alguém com quem conversar se precisar." Steve disse.

"Ainda não gosto disso." disse Rhodey.

"Eu sei." disse a ele.

Eu cerrei meu punho.

"Mas eu ainda estou indo, seus putos de merda."

Guerra.

Pronto ou não, ai vou eu.


Duais horas depois...


103 Dia.

Triskelion - Washington DC - EUA - América do Norte.

Hora: 12:31 PM - Data: 12 de Janeiro de 2014


O Triskelion era realmente bonito.

De nossa posição em uma floresta próxima, eu podia ver do outro lado do rio.

Algo sobre isso gritou de autoridade e força.

Pena que logo haveria uma zona de guerra.

"Ok, é aqui que nos separamos." disse Steven.

Éramos seis.

Capitão América, Homem de Ferro, Máquina de Combate, Maria Hill, Sam Wilson e eu.

Paramos por um momento. "Todo mundo tem seus sistemas de comunicação ligados?"

"Sim," eu disse. "Bem, o Omnitrix está se conectando bem."

"Era realmente necessário torná-los tão poderosos?" Sam perguntou, batendo em seu ouvido.

Ele tinha razão.

Quando Tony e 'Homo Sapiens Cerebral' estabeleceram links de comunicação, eles enlouqueceram com eles.

Pareciam pequenos fones de ouvido.

Design elegante, na verdade, apenas graças a Tony reprimindo as travessuras do chimpanzé louco.

Som cristalino, ele podia captar as vibrações dos ossos da mandíbula, então até sussurros eram ouvidos com clareza, incapaz de ser captado por qualquer sistema de comunicação na Terra que não quiséssemos.

Ah, e era FTL em velocidade e podia se projetar no espaço profundo por meio do emaranhamento quântico, até mesmo perfurar uma montanha de material para ainda se conectar.

"Ei, você quer o meu melhor ou algo que você possa descobrir em um Radio de um supermercado?" Tony disse, sua máscara de Homem de Ferro virada para cima.

Oh sim.

Tony e Rhodey estavam em suas armaduras.

Deus, as armaduras era muito foda quando você ver pessoalmente.

Homem de Ferro no clássico vermelho e dourado, todo elegante e brilhante, com uma luz triangular de cabeça para baixo no centro representando o Reator Arc que alimentou o traje.

Isso deu a ele uma presença que combinava com a do Cap.

Quase como se Tony fosse ampliado em todos os aspectos da armadura.

O Máquina de Combate era diferente.

O cinza escuro e sombrio ao vermelho e dourado do Homem de Ferro. Volumoso em vez de elegante, com uma luz quadrada no peito e uma minigun enorme no ombro direito. Seus antebraços também carregavam um par de armas.

Se Tony parecia em casa com um filme de ficção científica elegante, Rhodey pertencia a um Cyberpunk fodão e sinistro.

Sim, ele era assustador.

Mais importante, eu estava olhando para alguns das armaduras mais legais da ficção...

Oh espere...

...Eu estava olhando.

Eu olhei de volta para o Triskelion.

Hora da missão, Hamilton dos Santos..

Tenho que me concentrar cassete!?

"Ok, chega de conversa," disse Steven. Ele olhou para nós. "Todos vocês sabem o que fazer. Vão."

Dentro do Triskelion, as coisas deveriam estar indo bem.

Todos iriam se infiltrar, começando nosso ataque interrompendo a HIDRA desde o início.

Provavelmente foi muito brutal e intenso.

"Meu Deus, isso é tão chato," Tony resmungou ao meu lado. "Como algo tão intenso pode ser tão chato?"

"É assim que as coisas acontecem, Tony," disse Rhodey. “'Apresse-se e espere.' É um dos ditados militares mais antigos, cara."

Tony grunhiu.

Nós três havíamos escolhido um lugar na floresta para esperar nosso sinal.

Assim que aconteceu, tivemos alguns dos papéis mais importantes no ataque.

Mas, por enquanto, éramos apenas nós três observando o Triskelion à distância.

O vento soprava através das árvores, farfalhava a grama e espalhava ondulações na água.

Por um momento, ficamos sentados em paz.

"... Sim, isso é chato pra caralho." eu finalmente admiti.

"Você vê!?" Tony disse a Rhodey, que suspirou de aborrecimento.

"Eu realmente gostaria de poder ver o que todo mundo está fazendo." resmunguei.

Bem, talvez eles me contassem sobre isso mais tarde.


Pov em Terceira Pessoa.

Sam Wilson / Falcão.


Enquanto seguia o Capitão América pelo Triskelion, Sam teve que admitir que estava passando alguns dias estranhos.

Mesmo a Força Aérea não poderia fornecer o treinamento necessário para se preparar para tudo o que ele estava passando.

Um cara que poderia se transformar em alienígenas com um relógio e tinha o poder de um maldito jogador, Homem de Ferro e Máquina de Combate, SHIELD na verdade sendo HIDRA, de repente sendo convocado para fazer uma nova organização de espionagem.

Quando os três dobraram a próxima esquina, Sam se viu balançando a cabeça. "Eu realmente não esperava que meu dia fosse assim."

"Sim," Steven disse enquanto eles se apressavam. "Não é o que eu esperava também. Mas você se acostuma."

“Duvido”, disse Maria, a espiã vestindo seu uniforme azul com o símbolo SHIELD nos ombros. “Mas então, eu estava prestes a destruir a SHIELD ontem,” Maria olhou para Steven. "Tem certeza disso? Fazendo uma nova SHIELD?"

"Não," disse Steven. Eles dobraram outra esquina. "Mas precisamos de algo. Assim que a poeira baixar, podemos decidir o que fazer com tudo isso. Por enquanto, vamos torcer para que os brinquedos que Tony e Hamilton fizeram funcione quando a situação esquenta."

"Espero que sim," Sam olhou para o dispositivo pendurado no quadril de Maria. "Não parece muito."

Maria olhou para baixo também.

O dispositivo parecia um símbolo de pirata de metal, com um 'X' soldado ao acaso preso à parte de trás de um objeto bulboso que lembra um crânio humano.

"Não importa o que pareça," disse Maria. "Enquanto funcionar."

Naquele momento, ela levantou a mão segurando um objeto quadrado e apertou um botão.

Eles chegaram a uma porta, Sam puxando uma de suas metralhadoras Steyr SPP, Maria a Glock 19, e ambos apontaram a arma para a porta, Steven no meio deles, Escudo de Vibranium em punho.

A porta se abriu para revelar um jovem magro com pele escura, vestindo um uniforme da SHIELD e chapéu.

Ele olhou para eles em choque.

"Com licença, meu consagrado." brincou Steven, imitando a fala de Hamilton.

O jovem ergueu as mãos e deu um passo para o lado apressado, deixando-as passar.

"Tudo bem," disse Steven ao entrar. Os técnicos na sala se viraram e olharam para ele. "Vou precisar deste quarto. Se todos vocês pudessem gentilmente sair, eu agradeceria."

Se foram as armas, a educação de Steven ou a dicotomia de ambos, os técnicos correram para fora da porta.

"Tudo bem, Maria," Steven acenou com a cabeça na direção dela.

Maria acenou de volta, indo para um computador enquanto pegava o dispositivo em seus quadris em suas mãos.

"Vou cuidar das portas," disse Sam. Ele se moveu para o centro da sala e puxou sua outra arma. "Faça seu trabalho, Steven."

"Já está," Steven esperou até que Maria tivesse conectado o dispositivo.

Ele ganhou vida.

"Pronto quando você quiser, Senhor Rogers." disse X de sua casa recém-modificada.

"Tudo bem..." Steven respirou fundo.

Então ele apertou o interfone.

E o Dispositivo X começou seu trabalho.

Uma voz britânica falou do dispositivo. "Aqui é Jarvis. Estamos começando nosso ataque, Senhorita Hill."

"Sim," Maria olhou para a tela quando os arquivos começaram a aparecer e desaparecer no monitor. "Eu uh... eu posso ver isso."

"Eu realmente espero que não tenhamos apenas carregado a Skynet," Sam sussurrou para si mesmo, tentando ficar pronto. "Porque isso séria uma merda daquelas."

Steve suspirou.

"Pela primeira vez, não me sinto bem em entender a referência."


Pov de Hamilton dos Santos.


Eu estava pegando pedaços de grama da terra por tédio quando a voz de Steven saiu do Omnitrix.

Eu me levantei, olhando para Tony e Rhodey.

Com um zumbido, eles levantaram.

"Tudo bem, pessoal." eu disse suavemente. "Vamos fazer um belo monumento de porra na cara desses infelizes de merda."

"Certo."

"Claro, garoto Fanboy."

Eu acenei com a cabeça, colocado a máscara de gás em meu rosto.

Eu olhei com olhos sérios para o belo prédio logo a frente e disse em uma voz abafada pela máscara

"Certamente, isso será muito divertido."


Pov em Terceira Pessoa.

Sam Wilson / Falcão.


Sam virou-se para Steven, pronto para dizer algo.

Então Steven começou a falar pelo interfone.

E Sam parou para ouvir em silêncio.

"Atenção, todos os agentes da SHIELD. Aqui é Steven Rogers. Vocês ouviram muito sobre mim nos últimos dias, alguns de vocês receberam ordens de me caçar. Mas acho que é hora de vocês saberem a verdade. A SHIELD tem sido infiltrado," Steve olhou para Maria, que assentiu. "A HIDRA se infiltrou na SHIELD. Alexander Pierce é o líder deles."


Pov em Terceira Pessoa.

Natasha Romanoff / Viúva Negra.


Natasha Romanoff, disfarçada de vereadora Hawley, olhou para Pierce ao mesmo tempo que os outros membros do Conselho.

Pierce olhou para eles.

O homem sorriu levemente enquanto Steven continuava a falar.

Ele teve a audácia de encolher os ombros levemente, um tipo de "encolher de ombros".

Ela quase sorriu com isso.

Por mais que mal pudesse esperar para matá-lo, tinha que admirar a calma dele.

Não tanto quanto ela admirava os tons calmos e suaves que Steven costumava falar pelo interfone.

Enquanto ela compartilhava um olhar com o vereador Yen, que piscou para ela.

O tempo todo, Steven continuou a falar.

"A Equipe STRIKE e da Insight também é HIDRA. Não sei quantas mais, mas sei que elas estão no prédio."


Pov em Terceira Pessoa.

Sharon Carter / Agente 13


"Eles podem estar bem ao seu lado. Eles quase têm o que querem com a ajuda dos Helicarriers do Projeto Insight: controle absoluto."

Sharon ouviu a voz do Capitão América com horror e tristeza enchendo-a.

Ao contrário dos outros na sala, a SHIELD não era um trabalho ou mesmo um dever.

Era o legado dela.

Algo em que sua tia-avó, Peggy Carter, acreditava em todo o coração.

Sharon não conseguiu contar quantas vezes Peggy havia falado sobre a fundação da SHIELD, do orgulho e alegria que sentira em construir a organização.

Saber como seu orgulho foi despedaçado partiria seu coração.

Sharon se concentrou, olhando em volta rapidamente.

"A partir de agora, todos os agentes leais da SHIELD deveriam estar recebendo um programa em seus telefones." disse Steven.

Sharon piscou quando os telefones de todas as pessoas na sala começaram a tocar.

Incluindo o dela.

Todos pegaram seus telefones, incluindo Sharon.

Ela piscou para a tela em seu smartphone.

"Situação de Merda dos Santos?" Ela se perguntou incrédula pelo nome absurdo.

As palavras estavam em letras grandes. Com um cocô com olhos e um sorriso em cima das palavras...

Que foi o gênio ardiloso que fez esse programa?

Enquanto ela observava, ele piscou no símbolo da SHIELD e depois mostrou uma foto de um homem.

Rumlow, líder da equipe STRIKE.

Outros começaram a piscar, pessoa após pessoa.

Aparentemente, o aplicativo não apenas tinha arquivos em todos os HIDRA, mas também piscava em verde perto dos membros do SHIELD e vermelho perto de HIDRA

"O aplicativo mostrará todos os membros da HIDRA à medida que os descobrimos, com evidências para apoiá-lo, para que você saiba que não estou simplesmente espalhando divergências entre as fileiras. A ameaça é real. A HIDRA está entre nós. Eles atiraram em Nick Fury. E não vai acabar por aí."

Sharon compartilhou olhares com outros agentes na sala.

Quase como um, todos eles pegaram seus smartphones.

Todos tinham o aplicativo 'Situação de Merda dos Santos' piscando em verde, algo que visivelmente a aliviou.

SHIELD.

Todos na sala, até o técnico magro sentado no computador em frente a ela.

Agora veja o resto da base.


Pov em Terceira Pessoa.

Thomas Hernandez / Comandante da Ilíada.


Hernandez trabalhava para a SHIELD há décadas.

A única vez que ele parou foi quando sua esposa morreu, apenas para retornar ao serviço três anos depois.

Ele estava orgulhoso do trabalho que havia feito.

Ele trabalhou na Ilíada agora, um porta-aviões construído para a SHIELD para fazer seu trabalho em todo o mundo.

Ele tinha visto muitas coisas estranhas naquele tempo, sentado na ponte do transportador.

E, no entanto, ele nunca tinha ouvido falar de algo assim.

Quando de repente a voz do capitão Steven Rogers começou a sair do interfone dos alto-falantes de seu navio no meio de uma patrulha de rotina, ele não sabia o que pensar a princípio.

Ficou claro que ele estava no Triskelion com base no que estava dizendo.

Ele estava na ponte de seu navio, ouvindo Steven Rogers explicar que a HIDRA havia se infiltrado na SHIELD.

HIDRA, o bicho-papão que deveria estar morto.

Quando Hernandez recebeu o aplicativo 'Situação de Merda dos Santos'. O mesmo fizeram dez outros na ponte.

Seis tripulantes, no entanto, obviamente não o fizeram.

Por um momento, todos se entreolharam.

O aplicativo 'Situação de Merda dos Santos' mostrou fotos dos seis, aparentemente com base na proximidade.

Então Hernandez pegou sua arma.

Os seis tentaram fazer o mesmo.

E em todo o mundo, a mesma coisa se repetia várias vezes.

Alguns da HIDRA se renderam.

Outros morreram.

Alguns escaparam.

Mas nenhum agente da HIDRA estava imune à visão da 'Situação de Merda dos Santos'.


Pov em Terceira Pessoa.

Sam Wilson / Falcão.


"Se você permitir que os Helicarriers sejam lançados hoje, a HIDRA poderá matar qualquer um que estiver no seu caminho, a menos que os paremos," Steven respirou fundo. "Eu sei que estou pedindo muito... mas o preço da liberdade é alto. Sempre foi."

Sam assistiu enquanto Steven falava.

Por um momento, Steven Rogers pareceu... encolher.

Como se ele tivesse aceitado tanto, demais, como se percebesse o quanto passara.

Steven Rogers cambaleou sob o peso enquanto Sam observava.

Mas antes que Sam pudesse dizer qualquer coisa, antes que pudesse dar um passo à frente, o homem se levantou.

Steven respirou fundo e o Capitão América novamente falou.

"E é um preço que estou disposto a pagar. E se eu sou o único, que assim seja," Ele olhou para Sam e Maria. O par deu a ele determinados acenos de cabeça que ele voltou. "Mas estou disposto a apostar que não."

Steven desligou o interfone.

Sam deu um passo à frente, sorrindo para Steve. "Você anotou isso primeiro, ou foi demais?"

"Eu já fui um ator," disse Steven com um sorriso.

Eles andaram em direção à janela.

No alto, quase não se viam dois pontos, um ligeiramente maior que o outro.

Ambos voaram em direção às baias dos Helicarriers do Projeto Insight. "Agora, vamos assistir um pouco. De acordo com Hamilton, isso será uma visão e tanto", Steven colocou a mão no ouvido. "Hamilton... Agora e com você."


Pov de Hamilton dos Santos.


"Beleza!?" Eu gritei com a voz abafada pela máscara de gás.

Eu não tive que gritar, tecnicamente.

Embora eu não tivesse um link de comunicação, o Omnitrix era avançado o suficiente para captar minha voz com facilidade.

Mas quando você está voando pelo ar em alta velocidade, gritar é apenas a única maneira de falar.

"Desculpe se os passeios são um pouco difíceis." disse Rhodey.

"Bah, isso e incrível!?" Eu estava sendo carregado pela axilas pelo Máquina de Combate enquanto o Homem de Ferro voava ao nosso lado.

Estávamos cruzando centenas de metros sobre a água, minhas pernas balançando no ar.

"Concentre-se!" Tony disse. "Jarvis, estamos bem?"

Sim senhor," ele disse. "X e eu enviamos o aplicativo 'Situação de Merda dos Santos' ao redor do mundo, desligamos os dispositivos de comunicação HYDRA e começamos o estágio 2 do nosso ataque".

"Eu sabia que esse séria um belo nome," respirei o ar frio. "Tudo bem, Larguer-me."

"Boa sorte!" Rhodey me deixou ir.

Assim, eu estava caindo no ar em alta velocidade.

Por um momento, tudo o que pude ver foram os cabides abaixo.

Três deles, escondidos debaixo d'água, mas visíveis de cima.

Um brilho da luz do sol brilhou no rio, forçando-me a apertar os olhos.

Então o barulho estridente das botas de foguete se aproximou.

O Homem de Ferro voou à minha esquerda, aproximando-se dos cabides.

Máquina de Combate passou à minha direita.

Os dois homens de ferro abriram escotilhas nos seus trajes, disparando foguetes nos cabides à esquerda e à direita.

Quando as explosões abriram buracos nas portas do compartimento de cabides, a água do rio começou a correr para dentro, criando cachoeiras no cabide.

Rhodey e Tony voaram para as aberturas que haviam criado.

O que significava que era a minha vez.

Peguei meu Omnitrix, eu girei o mostrador, um holograma de um humanoide totalmente verde apareceu e bati no relógio.

Uma Luz verde envolveu todo meu corpo.

E me transformei em milissegundos.

Eu cresci até nove pés de altura.

Cristais azul esverdeado cresceram em minha pele, deslizando para fora dos meus poros, envolvendo meus dedos, e meu rosto.

Eu cresci picos enormes nos meus ombros.

Meu corpo agora era feito totalmente de cristal e vestido um macacão de cor cinza.

"Diamante!"

Apontei minhas mãos para o chão e transformei meus braços em canhões.

Quando caí em direção à terra, comecei a atirar cristais nas portas dos cabides.

Cada um do tamanho de uma faca, eles cortaram facilmente as portas de aço.

Centenas, cobrindo todas as superfícies que pude atirar nas portas.

E quando eu caí na direção deles, eu os fiz crescer.

Como um vídeo em movimento rápido de congelamento da água, os cristais cresceram em um ritmo acelerado.

Eles se uniram e depois ficaram maiores.

Logo as três portas estavam cobertas de cristais que pontilhavam sua superfície, cada uma do tamanho de um carro ou maior.

Não esta bom o suficiente.

Maior, maior, maior, maior, maior, maior.

Parei de atirar nos cristais, concentrando-me no crescimento deles.

Eles dispararam para cima para se encontrar no meio em direção a onde eu estava caindo.

Um dos cristais disparou diretamente para mim quando centenas de lanças subiram ao céu, brilhando lindamente na luz.

Pouco antes de aterrissar em uma de minhas próprias jóias, mudei para uma rampa.

Eu ainda bati nele com força suficiente para quebrar as pernas humanas, mas a durabilidade de 'Diamante' tornou o impacto insignificante e me deixou deslizar ao longo dos cristais até o centro do cabide do meio.

Virei meu braço esquerdo em uma lâmina afiada.

Foram necessários três cortes para entrar no cabide.

Eu entrei, batendo no asfalto de um dos Insight Helicarriers abaixo.

Inclinei-me de joelhos no impacto, uma cratera sendo criada pela minha queda.

Eu olhei em volta.

O Helicarrier do Projeto Insight tinha caixotes, Quinjets e homens pontilhando seu convés de vôo.

A 'ilha', ou torre de comando do navio, estava em frente a mim.

Eu fiquei no meio do navio.

Eu assumi minha posição, ignorando os atordoados agentes da HIDRA ao meu redor.

Então me levantei e levantei minhas mãos para o céu, fechando os olhos.

A luz do sol lá fora entrou pelo buraco que eu criei, deixando um raio de luz entrar no cabide escuro.

À medida que a montanha que eu estava criando lá fora crescia, a luz amarela se tornava verde-mar.

Então o buraco foi coberto de cristal.

"Mate essa aberração!?" Um infeliz gritou atrás de mim.

Ele disparou uma arma.

A bala bateu na parte de trás da minha cabeça.

Eu ignorei, e a bala caiu no chão sem efeito. "Vamos lá, atire nessa aberração!?"

Mais infelizes, cerca de quinze, apareceram e começaram a atirar também.

"Patético." Eu resmunguei em uma voz grossa em aborrecimento, mas ignorei as balas inúteis ricocheteando em mim.

O Omnitrix no meu peito falou então, a voz de Steven saindo dele.

Tudo bem, Hamilton. Está tudo ok. Neutralize a equipe."

Abri minhas mãos e corri para os homens me atirando.

Todos usavam uniformes e capacetes pretos, o equipamento que eu sempre via os homens da HIDRA.

Mas agora eu sei quem eles eram.

Eu pulei em um homem e o agrupei nos rasgos.

Ele voou para trás seis metros e bateu em uma caixa.

Eu me virei, ignorando o granizo de balas sendo disparadas contra mim.

"Aqui é Hamilton, câmbio," eu disse enquanto andava pelas balas. "Cassete, esses caras são mesmo muito irritantes."

"O que diabos aconteceu com a voz dele?," Tony perguntou. "Ele passou pela puberdade de novo?"

"Vai a merda Tony."

"Claro, garoto Fanboy."

"Filho da Puta.eu resmunguei enquanto agarrava um infeliz pela frente do uniforme e chutei a sua rótula direita.

Enquanto ele gritava, levantei-o e joguei-o contra um dos outros homens, enviando-os ao chão.

Naquele momento, um Quinjet rugiu à vida, um dos poucos descansando no convés de vôo do Helicarrier do Projeto Insight.

Ele se levantou, apontando sua arma para mim.

Em vez disso, pulei em direção a ela, pulando no cockpit.

A aeronave se ergueu em direção às portas acima de nós, o piloto me encarando enquanto eu subia no topo.

Meus pés dispararam cristais dos meus calcanhares para cortar o Quinjet e me dar um impulso.

Estalei minhas mãos para o lado, meus braços se tornando lâminas de um metro e meio de comprimento.

"Raagh!" Com uma rápida fatia descendente, cortei as asas do Quinjet. Ele caiu no ar, batendo na cabine de comando.

Pulei do Quinjet e olhei para o piloto, que me encarava horrorizado.

"Tchau, Tchau, Nazista de Merda!" Eu respondi chutando o Quinjet para longe de mim, enviando-o deslizando pelo concreto até sair do meu caminho.

Os soldados, vendo que não podiam me machucar, tentaram correr para se esconder.

Toquei o símbolo Omnitrix no meu peito.

"Homo Sapiens Veloz!"

Assim que me tornei o Chimpanzé Adolescente de pêlo Marrom, eu fiz a famosa dança estranha do Homo Sapiens Veloz.

"E isso ai!? O cara está de voltar na área Baby!?," eu exclamei alegremente enquanto dançava. "Vamos brincar de um jogo chamado de fazer um belo monumento de porrada na cara de cada um de vocês!?"

Acelerei para um infeliz e o chutei nas costas enquanto ele corria.

Pousei e corri para outro infeliz, agarrando-o pelo peito do uniforme e girando para jogá-lo o mais rápido que pude.

Ele ficou no ar quando eu o soltei, voando lentamente para longe.

Corri para outro grupo de infelizes, cerca de cinco infelizes, e comecei a bater neles.

Eu chutei um infeliz entre as pernas em super velocidade.

Eu dei um soco no peito de outro infeliz rapidamente ao estilo DragonBall.

Outro infeliz recebeu um soco ao estilo Superman.

Um infeliz foi jogado em um Quinjet.

Por último, eu varri o infeliz por entre suas pernas debaixo dele.

"Eu sou o cara, eu sou o cara, eu sou o cara, eu sou o cara," eu dei passinhos para trás ao estilo Michael Jackson. "EU SOU O CARA!? YYYYYEEEEEAAAAHHHH!?"

Eu assisti alegremente enquanto ele flutuava lentamente no ar antes de bater no Omnitrix no meu peito e mudar para outro formulário.

À medida que minha percepção do tempo diminuiu, os efeitos da minha corrida ocorreram.

O infeliz que eu chutei avançou três metros, rolando até parar.

O infeliz que eu bati ao estilo Dragonball acelerou em um instante, batendo em uma caixa.

Outro infeliz caiu de joelhos segurando sua virilha devastada.

O infeliz que eu dei um soco no peito grunhiu de dor quando suas costelas foram quebradas.

Outro infeliz girou no ar antes de bater no chão com a força do meu soco ao estilo Superman.

Um Quinjet estremeceu quando um pobre infeliz foi jogado nele.

O infeliz cujas pernas eu tinha varrido atingiu o chão.

Ele olhou para mim e soltou um grito agudo no meu rosto.

"Blitzwolfer!" Eu rosnei, soltando um grande uivo.

Minha voz que exclamou meu nome ecoou pelos cabides, depois pelos corredores.

"Que diabos foi isso!?" Rhodey disse do Omnitrix.

"Eu, Catcha." inclinei-me para o cara no chão.

Ele gritou de novo.

Eu dei um soco na cara dele, e ele ficou inconsciente.

Corri em direção à torre de comando / ilha de quatro.

Eu precisava entrar e impedir que os tripulantes fizessem qualquer coisa.

Tony e Rhodey tinham o mesmo objetivo.

Enquanto a Natasha e o Steven lideram suas equipes no Triskelion, os três atiradores pesados ​​mataram a tripulação dos Helicarriers do Projeto Insight.

Eu caminhei ao longo da cabine de comando.

Seis infelizes apareceram por trás da cobertura e começaram a atirar em mim.

Minha boca se abriu em quatro partes.

"AAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHH!?"

Quando o som desumano irrompeu dos meus pulmões como se estivesse rasgando a realidade, uma onda sônica de ruído bateu nos seis infelizes com força física.

Os caixotes que eles estavam usando como cobertura deslizaram para trás do ataque.

Caíram de joelhos, o sangue escorrendo dos ouvidos para derramar pelo pescoço.

E então eu estava entre eles.

Coloquei minha mão em dos seus ombros e depois dei um soco na cara dele, deixando-o inconsciente no chão.

Seu infeliz amigo trêmulo apontou uma arma para mim.

Minhas garras cortaram, cortando kevlar para cortar seu peito.

O homem gritou de horror.

E eu soltei meu próprio barulho. 

"AAAAHHHH?"

Ele foi jogado pela minha explosão sônica, parando na calçada.

Pulei sobre outro caixote e chutei um homem com um pé na pata, com o estalo de uma mandíbula quebrada.

Ouvi outro tiro e senti uma dor no ombro.

"AAAAAHHHHHHHHHH!?" Eu lati de dor, girando ao redor. "SEU FILHO DA PUTA!?"

Um dos infelizes da HIDRA que surdou tremulamente apontou uma Glock 19 na minha cara.

Sangue derramou do meu ferimento.

Doeu, mas apenas o suficiente para me enfurecer.

Essa e a primeira vez que me machuco nesse universo...

...

...

...

...Eu mandarei esse infeliz de merda para a vala.

Eu estava na frente dele em um instante.

Mordi o braço dele e comecei a balançar a cabeça furiosamente, atacando seu braço.

Quando ele largou a arma, soltei seu braço e o agarrei pela frente do uniforme, levantando, eu usei minha garra e decapitei sua cabeça com um golpe brutal e grotesco e joguei seu cadáver para longe de mim em desprezo.

O som de um Quinjet chamou minha atenção para mais perto da torre de comando.

A aeronave levantou e apontou suas armas para mim em uma repetição da última vez.

"Nem Fudedo que deixarei vocês atirarem em mim novamente!,"  eu respirei fundo e gritei. "AAAAAAAAHHHHHHHHHH!?"

A explosão sônica bateu no Quinjet, sacudindo-o.

Eu pulei para cima e agarrei a aeronave danificada pela parte de baixo, depois atirei uma explosão à queima-roupa no Quinjet

Então eu vi um canhão enorme virar em minha direção.

Aparentemente, eu finalmente irritei a HIDRA o suficiente para que agora valesse a pena as grandes armas em minha pessoa.

Os Canhões antiaéreos começaram a se virar contra mim.

Eu pulei para longe quando o Quinjet começou a cair, apenas para a aeronave ser atingida por balas enormes, transformando-a em estilhaços.

Eu precisava de uma maneira de desligar as armas antiaéreas, bem como os Quinjets, e Bliztwolfer não iria cortá-la.

Eu precisava de mais poder de fogo à distância.

E eu tinha esse cara em meu relógio.

Bati o Omnitrix no meu peito.

Meu corpo emagreceu ao extremo, o mesmo com minhas mãos e penas.

Meus pêlos foi substituídos por silício de cristal de cor púrpura extremamente durável, meu rosto e mãos foram substituídos por cristais de magenta.

6 cacos cresceram em minhas costas e  2 no peito com o Omnitrix no centro, e um grande chifre cresceu na parte superior da cabeça.

Meu olhos foram substituídos por apenas um grande olho totalmente verde e minha boca ficou um pouco mais larga.

Agora eu era um Crystal Sapiens do Planeta Petropia.

Ah, arrogante e orgulhoso também vieram juntos com ele é claro.

"Cromático!?eu gritei em orgulho. "Chamou o Cromático? Ele veio!"

Um Quinjet chegou perto e atirou em mim.

Eu apontei minhas mãos no chão.

A energia do meu corpo, uma tempestade de poder como nenhum dos meus outros alienígenas sequer conseguia pensar em combinar, disparou de meu corpo e me lançou no ar.

Voei em rápida velocidade e aterrissei no cockpit do Quinjet, que continuava disparando.

Eu levantei a mão e sorri para o piloto.

"Em algum momento, vocês ficarão sem Quinjets para eu destruir!"

Senti o poder atravessando o Quinjet.

Células de combustível avançadas que percorrem a aeronave até os potentes rotores nas asas e os motores a jato nas costas.

O Cromático podia sentir esse poder.

E eu aguento.

A eletricidade fluía do aço do Quinjet, entrando na ponta dos meus dedos fazendo meu corpo brilhar em uma luz arco-íris.

Os rotores do Quinjet lentamente vacilaram.

Afastei-me do Quinjet para apontar para outro que estava decolando do Helicarrier.

Eu voei em alta velocidade, e em instantes eu estava em cima para acertar outro com um raio de energia arco-íris.

O Quinjet em que eu cortei como 'Diamante', como o que eu estava agora, fez o mesmo, suas asas explodindo.

Eu atirei na arma antiaérea tentando me matar, com uma grande explosão de energia arco-íris transformando o enorme canhão em sucata.

Pulei do Quinjet e corri em direção à torre de controle.

Eu senti o poder fluindo através dele do convés, mais do que eu já senti.

Esse Helicarrier possuía mais energia do que a cidade de Nova York inteira.

Eu roubei eletricidade de uma, energia azul fluindo para minhas mãos de cor magenta enquanto eu passava, e atirei outra explosão de energia arco-íris que explodiu contra a seguinte, destruindo-a em uma onda de poder.

Os Infelizes que disparavam contra mim também foram atingidos.

Eu pulei no ar, fazendo piruetas e disparando raios arco-íris de minhas mãos para eles.

Eu comecei a correr e corri mais rápido ainda.

"Ai vai um ataque grandioso do Cromático!"

Convoquei uma grande quantidade de energia arco-íris e atirei em grupo de infelizes, fazendo todos voarem ou serem mortos para trás pelo grande impulso de energia.

Eu pulei e voei para cima.

Meu corpo brilhou em uma luz arco-íris e comecei a atirar enquanto caía.

A luz surgiu de mim para bater nos homens no convés de vôo em uma exibição estonteante de luz arco-íris, meus dedos de cristas magenta disparando o mais rápido que pude.

Eu aterrissei, depois usei outro jato de força para evitar mais tiros.

Então eu estava na torre de controle.

Tentei abrir a porta, mas eles haviam trancado eletronicamente.

...

...

...

...

...Não, sério.

Estava trancado eletronicamente .

Eu absorvi o poder que passava por ele, então bati a porta com uma explosão de energia arco-íris. "Não posso culpá-los, eu acho," eu disse, quando a porta foi enviada voando pelas dobradiças. Minhas próximas palavras foram direcionadas ao Omnitrix. "Agente Hill, estou no Helicarrier. Como chego ao gerador de energia principal da cabine de comando?"

"Está nos níveis mais baixos," disse ela rapidamente. "Caminhe pelo corredor, depois vire à sua esquerda, eu vou te guiar."

Um infeliz saiu de uma sala ao lado com uma espingarda de assalto.

Lancei uma explosão em seu peito, enviando-o voando, depois toquei o Omnitrix.

Imediatamente minha altura diminui para um 1,10 Altura.

Meu corpo, órgãos e sangue foram completamente substituídos por Borracha branca de silício, me tornado um amplificador vivo.

Meus Olhos e Bocas se Alargaram e mudaram para uma coloração verde e listas negras ao redor.

Duas pequenas tomadas com dois pequenos buracos cresceram em cada lado de meus joelhos.

Uma caixinha em forma de MP3 cresceu em minhas costas.

Fones de ouvindos com fios conectados a caixinha em minhas costas cresceram em meus ouvidos.

Agora eu era um Sonorosiano do Planeta Sonorosia.

"Eco Eco!"

Transformar-se no amplificador vivo Alienígena foi a melhor escolha para passar pelos Lugares apertados do navio.

Com minhas pequenas perninhas, eu corri pelos corredores em alta velocidade.

Se alguém se aproximasse de mim, eu me clonaria em três e soltaria um baita grito sônico.

Ainda assim, eu estava so improvisado.

Eu ainda não sabia usar o relógio corretamente, afinal, Tony e Homo Sapiens Cerebral fizeram isso praticamente ontem.

Eu tinha sido imprudente e muito imbecil no início da batalha, algo para observação.

Nesse momento, no entanto, concentrei-me em obter a fonte de energia que senti como Cromático.

"Desça as escadas." disse Maria.

Outro membro da tripulação infeliz tentou me parar.

Eu avancei em sua direção e soltei um grito sônico, que o jogou forte na parede e como consequência, o deixando inconsciente.

"Já estou indo pra lá!Eu disse em uma voz eletrónica a Maria, virando um corredor e soltando um grito sônico em um infeliz em meu caminho.

Nível por nível eu fui. Mais infelizes tentaram atirar em mim, balas voando inutilmente contra a barreira sônica de meus clones.

Eu respondi gritando e socando-os, chutando-os.

A certa altura, cinco infelizes estavam correndo para mim por um corredor.

Fazendo vários clones de mim mesmo, Disparamos um forte grito sônico no chão e observei o chão de metal quebrado em segundos para deixá-los um nível abaixo, dispensado os clones, eu pulei depois para atirar neles novamente com gritos sônicos enquanto eles estavam lá.

De lá, Maria me orientou para outro nível.

"Ok, você chegou a sala de energia principal?" Ela me disse.

"Mais e claro que estou aqui, minha consagrada" eu disse. "Essa e uma grande sala de merda, se posso dar minha humilde opinião."

Era uma grande sala cheias de máquinas e coisas estranhas.

Muito legal.

Mais infelizes tentaram atirar em mim, fiz mais clones e nós gritamos fazendo uma grande barreira sônica, fazendo alguns deles seres jogados para longe.

Claro, foi certo que os tiros ficaram realmente pesados ​​que ouvi um sinal sonoro muito familiar.

"Bem isso vai ficar mais horrível e sangrento agora!"

Pulei atrás de uma enorme maquina quando clarão vermelho da luz chegar.

Assim, eu era um humano normal com roupas da Guerra-Pós Radiação.

Balas bateram na minha capa.

Peguei minha perna e puxei a Glock 19 que me foi dada.

"Vai demorar muito!?," Eu gritei com uma voz abafada pela máscara para o Omnitrix. "Como estão todos os outros?"

"Foi um dia muito interessante!?" Sam gritou de volta, me dando uma breve visão geral enquanto eu atirava e matava esses infelizes de merda.




Notas Finais


E Corta!?
(Sem ideias para escrever aqui novamente, My sorry.)
Até o próximo capítulo meus consagrados, Catcha.
ZZZZZZZUUUUUUUUMMMMMM.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...