1. Spirit Fanfics >
  2. Luzes >
  3. Five

História Luzes - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


demorou mas veio.


boa leitura.

Capítulo 5 - Five


Kimimaru

 

 

 

“A sensação do medo já esteve muito maior...

 

 

 

 

Mas não quer dizer que não estou com medo agora.

 

 

 

Sujo é assim que me sinto no momento...

 

 

 

Na verdade desde de sempre...

 

 

 

Se dúvida é desde que eu me entendo por gente ou por objeto, tanto faz!

 

 

 

Ele me prendeu nesse quarto...

 

 

Completamente branco...

 

 

Até a cama que é o único móvel no quarto...

 

 

 

Com a exceção da Tv embutida na parede...

 

 

 

Que eu já até sei pra que vai ser...

 

 

 

Tortura?

 

 

 

Tem uma porta pro banheiro que por sinal só tem uma pia e um vaso.

 

 

 

E por quantos dias estou aqui? Duas semanas exatas.

 

 

 

E por quê?

 

 

Segundo ele, eu fiquei me exibindo pro clientes dele que vieram aqui...

 

 

 

 

Só porque um dos amigos dele passou a mão da minha bunda...

 

 

E eu juro que quase vômito naquele momento.

 

 

 

E aqui estou de castigo me preparando pro pior.

 

 

 

E a minha situação?

 

 

 

 

Cabelos secos e todo sujo e batendo na minha panturrilha.

 

 

 

 

Orelhas um pouco fundas e os meus lábios ressecados.

 

 

Estou magro que dá de conta os ossos da minha costela e uma pequena  profundidade logo embaixo da costela.

 

 

Minhas roupas sujas, uma calça bege de tecido leve só pra passar frio e uma regata branca.

 

 

E minha idade no momento? 8.

 

 

Ah não... – eu digo sôfrego escutando o som da tranca da porta destrancando.

 

 

 

De novo não!

 

 

Como foi seu castigo Kima? – o de cabelos brancos diz sorridente entrando no quarto e trancando a porta novamente.

 

 

Não me chame de Kima – digo desconfortável me encolhendo na cama.

 

Por que não Kima? Pensei que nos já tínhamos uma... – ele faz uma cara pensativa – intimidade –lambe o lábios.

 

 

Meu castigo vai acaba? – pergunto inocentemente vendi ele sorrir e subir na cama e ficar por cima de min

 

 

É Claro que não, boneca – ele diz sussurrando a última parte no ouvido e mordendo com força o meu lóbulo.

 

 

Aí! – exclamo com dor.

 

 

Te machuquei boneca? – ele pergunta sarcástico enquanto lambe o meu pescoço com sua língua áspera.

 

 

 

Enquanto eu seguro a ânsia de vômito

 

 

Parece que alguém está gostando não é mesmo? –  ele diz eu olho pra sua calça vendo algo marcado nele.

 

 

 

Por favor... não... – eu imploro já chorando vendo ele sorri de orelha a orelha.

 

 

Você acha que tem escolha Kima? – ele diz arqueando a sobrancelha e eu engulo o seco.

 

 

Então ele me manda eu me levanta e ele se senta na beirada da cama.

 

Vamos ditar as regras – ele diz – eu mando e você, Kima, vai fazer e o seu castigo acaba e você poderá sair do quarto mas, se você erra vai levar uma punição – ele diz e eu assinto lentamente.

 

 

 

 

 

 

 

 

Tire minha camisa – ele ordena e me direciono.

 

 

 

Começo a tirar a sua revelando o corpo magrelo e levemente definido que tanto sinto nojo.

 

 

 

Chupe-os – ele diz e assim eu faço sentindo  o vômito chegando na minha garganta.

 

 

 

Ele tinha gosto de suor e sujeira.

 

 

 

O outro – ele ordena e eu passo pro outro deixando eles todos molhados.

 

 

 

 

 

 

 

 

Lixo é substituível não é?

 

 

 

 

 

 

Então eu acho que eu posso tenta ser substituído.

 

 

 

Você quer leitinho vadia? – Ele pergunta enquanto eu choro silencioso.

 

 

 

Até o som da mão dele contra a minha bochecha ecoa pelo quarto.

 

 

Quando eu pergunta algo você responde, boneca – ele fiz enquanto eu soluço – então... a vadia vai querer leitinho?

 

S-sim – eu digo baixo.

 

 

Excelente – ele diz sorrindo e pega meu queixo forçando a olha-lo. – Aonde vai querer leitinho Kima?

 

 

Eu abro a boca pra tenta responder algo mas ele impede colocando o dedo na minha boca como um sinal de silêncio.

 

 

Já entendi – ele diz sorrindo me forcando pra baixo com sua mão em minha cabeça – você vai bebe seu leitinho.

 

Então ele desce sua calça junto da cueca deixando o seu pau meio duro amostra.

 

Chupe o saco – ele diz e respiro fundo.

 

Então eu começo a chupa sua bola uma por uma enquanto ele se masturba.

 

 

 

 

 

 

 

 

Lixo pode ser queimado não é?

 

 

 

 

 

 

 

 

Como será um corpo de alguém queimado...

 

 

 

 

 

 

Eu acho que estou assim por dentro.

 

 

 

 

 

 

 

 

O pau agora – ele diz sádico e eu só obedeço.

 

 

 

Mas quando eu começo a colocar dentro da minha boca com nojo e repulsa e ele coloca a mão em cima da minha cabeça e faz colocar tudo dentro.

 

 

Isso vadia... assim bem gostoso – ele diz enquanto dita os meus movimentos.

 

 

 

 

 

 

 

Eu não sei que líquido é esse que está caindo na virilha dele...

 

 

 

Se suor de um de nos dois...

 

 

 

 

 

 

Ou lagrimas de alguém que está desejando conhecer a morte.

 

 

 

 

 

Mais rápido boneca... – ele diz gemendo enquanto faz que com uma de minhas mãos estimule os seus ovos.

 

 

E esses gemidos...

 

 

 

 

 

 

 

Que me causam dor interna e externa.

 

 

 

 

 

 

Ele fode a minha boca como se fosse nada...

 

 

 

 

 

E quem dera se eu fosse nada.

 

 

 

 

 

 

Ele nem se preocupa em deixar ele toda machucada.

 

 

 

 

Mas se ele se sentir prazer, vai estar tudo bem.

 

 

 

Está vindo, vadia, engula tudo – ele diz sinto um gosto ruin invadi minha boca e quente e como ordenado... engulo tudo.

 

 

 

E eu acho que não vou aguentar.

 

 

 

Me beija – ele me puxa pra cima...

 

 

 

 

 

 

 

 

E sela nossos lábios...

 

 

 

 

 

Mas eu não aguento...

 

 

 

 

 

E vômito em cima dele.

 

 

 

 

 

Sua vadia imprestável! – ele me empurra fazendo eu cair com força no chão.

 

 

 

 

Por favor... me desculpe - eu digo tremendo por conta do medo.

 

 

 

 

Me poupe de suas desculpas – ele diz se levantando e pegando sua no chão e de lá um controle.

 

 

 

Você sabe que deve ser punida, boneca? – ele indaga pra min e que assinto chorando e me levantando e me sentando na ponta da cama.

 

 

 

 

Você sujou a minha criança – ele diz em meu ouvido.

 

 

 

 

Mas ela queria só sentir o prazer de brincar com você de novo... – ele diz me forçando a olhar pra sua criança acordada no meio de suas pernas.

 

 

 

 

Me desculpe – murmurro.

 

 

 

Do que adianta... Mas alguém tem sair punido, mas a culpa não é minha se alguém tiver se  sair punido não é boneca? – ele acariciando o meu rosto.

 

 

 

 

 

Sim... – ele limpa minhas lágrimas que insistem em cair.

 

 

 

 

E de quem é a culpa? – ele diz me olhando friamente.

 

 

 

 

Delas – aponto pra Tv onde mostra um monte de crianças acorrentados levam choques.

 

 

 

E por que seria ? – indaga ele.

 

 

 

Por causa que você era uma criança e se elas não estivessem aqui, você não teria como me chantagear pra eu ficar ainda aqui – Eu digo de cabeça baixa.

 

 

 

 

Correto, boneca... – ele diz me empurrando na cama e rasgando minhas roupas.

 

 

 

 

 

Sabe de uma coisa boneca... – ele diz se posicionando em cima de min.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Você pode até fugir de min... – ele começa a se inserir a força dentro de min enquanto uma dor insuportável toma conta de min.

 

 

 

 

 

 

 

 

“Você pode até fugir de min"

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Você  pode...”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Até fugir de min"

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mas eu não vou... – ele entra totalmente dentro de min enquanto eu me contorço de dor.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Mas eu não vou...”

 

 

 

 

 

 

 

“Você pode até fugir de min, mas eu não vou...”

 

 

 

 

 

 

 

Sair da sua cabeça. – ele começa a se movimenta bruscamente dentro de min e eu...

 

 

 

 

 

Já sinto o sangue.

 

 

 

 

 

 

 

“Você pode até fugir de min, mas eu não vou sua cabeça”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SAÍ DE PERTO DE MIN! – Grito assustado me levantando.

 

 

 

Calma, calma... – uma mulher tenta se aproximar de min mas eu recuo.

 

 

 

 

Quem é você? – eu pergunto ofegante.

 

 

 

 

 

Sou Sakura Haruno, sou a enfermeira da escola – Ela se apresenta.

 

 

 

 

O que você estáva fazendo comigo? – Pergunto desconfiado.

 

 

 

 

 

Você tinha desmaiado... – ela diz.

 

 

 

 

 

Logo após você ter me beijado – Obito aparece atrás dela.

 

 

 

 

 

Obito? – Indago.

 

 

 

 

 

Vou liga pro seu irmão vim te buscar – ela se retira.

 

 

 

 

 

Você tava gritando... – ele diz me  fazendo dá dois passos pra trás.

 

 

 

 

... –

 

 

 

 

Pedindo por ajuda – ele diz com a menção de se aproximar.

 

 

 

 

 

Saí daqui por favor... – eu peço.

 

 

 

 

 

 

Mas – interrompo.

 

 

 

SAÍ! – Grito e ele saí.

 

 

Me desculpe – ele diz saindo

 

 

 

 

Menma

 

 

 

 

Como assim? Como ele ta?  Já estou indo – ele diz desligando a  ligação .

 

 

 

Quem que atrapalhou a nossa foda?– pergunto o abraçando por trás e cheirando seu pescoço quetinha um doce cheiro de chocolate.

 

 

 

A escola, tenho que ir – ele diz se vestindo e eu faço um beicinho.

 

 

Você acabou de tampar a visão do paraíso – digo brincalhão.

 

 

 

Engraçadinho – ele diz pegando o celular.

 

 

 

 

Mas agente nem passou das preliminares – reclamo.

 

 

 

Eu sei, recompenso na próxima – ele diz vindo até min.

 

 

 

 

Que aconteceu? – eu pergunto preocupado por causa da pressa dele

 

 

 

 

O Kimimaru passou mal na escola – ele diz Me dando um selinho rápido.

 

 

 

 

Então vai logo porque ele ta sempre com uma cara tipo de... doente? – Digo .

 

 

 

 

 

Até mais tarde – ele saí .

 

 

 

Até – digo.

 

 

 

 

Me jogo na cama onde estávamos antes e que no momento está impregnando com cheiro dele me fazendo delirar.

 

 

 

Vejo meu celular e alguém está me ligando por vídeo.

 

 

Era Ino.

 

 

 

 

 

 

 

Oi- sou interrompido por uma voz do outro lado

 

 

 

 

 

TITIO! – Mitsuki grita sorrindo pra min.

 

 

 

 

 

Mitsuki! – digo contente – como vai meu sobrinho favorito ?

 

 

 

Por que é o único sobrinho, né filho ? – Ino aparece.

 

 

 

 

Sim mamãe! – ele diz contente.

 

 

 

 

Porque você não vai pegar um de seus brinquedos pra mostrar pro titio – Ino pede a ele, que vai.

 

 

 

 

Que raridade você me liga maninha – digo a ela.

 

 

 

 

Também senti saudades – a loira fala irônica.

 

 

 

 

 

 

Qual o motivo por me liga? – indago indo direto ao ponto.

 

 

 

 

 

 

A doença do Mitsuki tá evoluindo – ela diz com um olhar preocupado.

 

 

 

Como ele ta? – pergunto.

 

 

 

Bem, na medida do possível – responde.

 

 

 

E pra que me precisa ? – pergunto.

 

 

 

 

Talvez o seu sangue possa ajudar ele – ela diz – já que eu não achei o pai dele.

 

 

 

 

Mas será que o meu não funcionaria ? – eu digo.

 

 

 

 

Não custa a tenta – ela responde.

 

 

 

 

 

 

Sasuke

 

 

 

 

Cadê ele? – pergunto a enfermeira .

 

 

 

Está na enfermaria – ela me diz e começa a falar a outra coisa mas eu a ignoro e vou atrás dele.

 

 

 

Entrando a enfermeira , sinto algo pulando em meu pescoço.

 

 

 

Kimimaru... – digo a ele.

 

 

Então ele olha pra min, me mostrando o seus olhos inchados e vermelhinhos e a ponta do nariz também vermelha, tudo indicando  choro.

 

 

 

 

Sasuke... – me chama chorando escondendo o seu rosto em meu peito, agora a minha camisa se encontrava molhando .

 

 

 

Me conta o que aconteceu – peço a ele , pegando-o no colo e colando na maca.

 

 

 

Eu me lembrei dele...  – ele diz me abraçando novamente então ele me relata tudo que aconteceu

 

 

 

 

Sabe de uma coisa Kimi? – indago limpando suas lágrimas.

 

 

Oque ? – diz ele baixo.

 

 

Agente pode fugir deles o quantos quiser mas agente não vai esquecer deles – eu digo e ele me olha triste.

 

 

 

Mas agente pode superar eles,  superar o que agente passou, e nos vamos fazer isso juntos, certo? – pergunto a ele.

 

 

Certo... – diz sem animo.

 

 

Vamos tomar um sorvete – eu mando.

 

 

 

E minha aula ? – indaga desconfiado.

 

 

Amanhã você vem – digo dando de ombros.

 

 

 

 

 

 

Que legal... – diz irônico.

 

 

 

Vamos logo tenta te reanimar – digo o puxando.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


1. Sasuke e kimmaru em momento de irmãos.


2. Um pouco do passado do Kimimaru.


3. Um pouco de Mistsuki e Ino pra voces.


4. Por hoje é só.

5. O que acharam???


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...