História Lyra - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Alvo Potter, Andromeda Tonks, Angelina Johnson, Arthur Weasley, Astoria Greengrass, Blásio Zabini, Carlinhos Weasley, Cho Chang, Dominique Weasley, Draco Malfoy, Fleur Delacour, Fred Weasley Ii, Gina Weasley, Gui Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Hugo Weasley, Jorge Weasley, Lílian L. Potter, Lorcan Scamander, Luna Lovegood, Lysander Scamander, Merlin, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Molly Weasley II, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Órion Black, Pansy Parkinson, Percy Weasley, Personagens Originais, Ronald Weasley, Rose Weasley, Scorpius Malfoy, Ted Lupin, Theodore Nott, Victoire Weasley
Visualizações 18
Palavras 1.406
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Magia, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Então gente, essa é a minha segunda fanfic, a primeira n deu certo então acabei excluindo. Bom, espero que gostem.

Capítulo 1 - 1- Piloto


Fanfic / Fanfiction Lyra - Capítulo 1 - 1- Piloto

Pov Lyra

Estou tão animada por voltar para Londres, esses dois anos em Nova York foram incríveis, mas não tem nada comparado a estar em casa, cheguei ontem a noite bem tarde, todos já dormiam, então nem consegui fazer a surpresa que queria, aposto que meus pais vão adorar quando virem que eu voltei uma semana antes das aulas em Hogwarts começarem, então vamos aproveitar para ter um tempo em família. Apesar de ter dormido tarde, fiquei muito inquieta essa noite e acabei não demorando muito pra levantar, mas foi tarde o suficiente pra todos já estarem se servindo no café da manhã. Assim que cheguei ao topo da escada pude ver meus pais e meus irmãos abrirem imensos sorrisos, desci as escadas correndo e os abracei, faziam 3 meses que eu não os via, a saudade já tava bem apertada.

- Eu senti tanta saudade de vocês.- falei um pouco emocionada.

- Nós também sentimos sua falta, minha princesa- disse meu pai beijando o topo de minha cabeça.

- Parece que até que enfim se lembrou que tinha família, pirralha- falou Scorpius

- Vamos enfim tomar um café da manhã juntos depois de todo esse tempo.- disse minha mãe.

Nos sentamos e uma sensação enorme de nostalgia adentrou meu peito, meu pai estava sentado na ponta da mesa com sua xícara de café, os cabelos que antes eram loiros, já dividiam espaço com os platinados e os olhos sempre muito transparentes e cheios de uma tonalidade azul. Minha mãe, sentada à sua direita, com os longos cabelos castanhos presos em um coque bagunçado, os olhos castanhos no mesmo tom do mel que sempre colocava em seu chá. Scorpius, o primeiro filho, idêntico ao meu pai, tanto no jeito quanto na aparência, o mesmo sorriso cafajeste e as mesmas cantadas baratas dignas de um Malfoy, o amor por quadribol e o posto de capitão, e a falta de interesse em relacionamentos. Órion, completamente igual a minha mãe, exceto pelos olhos, a única coisa que lembrava que Granger não era seu único sobrenome, sempre lendo o jornal a mesa e discutindo novos livros com minha mãe, os cabelos bagunçados e o carinho e compaixão extrema com os outros, além de entrar para a história como o único Malfoy que não pertence à casa das cobras. E eu, a mistura perfeita, a aparência completamente igual a de meu pai, exceto pela ondulação do cabelo, e a personalidade de uma certa Granger, o amor pelos livros, o carinho com os amigos, a determinação e foco nos estudos e a coragem, mas também temos a parte de minha personalidade que fez de mim uma sonserina, a ambição extrema, o jeitinho cafajeste, despreocupação e a vontade de se provar. Somos a família mais caótica de todos os tempos, mas com um amor do tamanho do mundo.

- Lyra! Lyra! - Órion estava estalando os dedos em meu rosto- você tava viajando aqui.

- Só pensando em algumas coisas- falei deixando o assunto no ar.

- Então filha, nós tínhamos marcado com seus tios de irmos almoçar na Toca hoje, acho que seria legal se fôssemos, todos adorariam te ver, sumida- falou minha mãe.

- Isso é perfeito, simplesmente perfeito- falei feliz.

- Bom, é melhor irmos nos arrumando então, não quero chegar por último de novo- falou meu pai.

Não nos demoramos na mesa do café, subi logo para meu quarto e aproveitei para tomar um banho quente, lavei o cabelo e me enrolei no roupão super macio que estava na minha cama, enrolei meu cabelo na toalha e fui para o closet em busca de algo para vestir, por fim optei por um vestido de alcinha bem levinho e com estampa florida, calcei uma sandália e coloquei um brinco de argola, segui para o banheiro e sequei meu cabelo com um feitiço rápido, passei uma maquiagem bem leve e estava pronta. Sentei na sala junto com meu pai e os meninos para esperar por minha mãe, que estava atrasada como sempre, ficamos discutindo sobre quadribol por uns 20 minutos até ela aparecer. Seguimos todos para a frente da casa e aparatamos, fazia um tempo que eu não aparatava, então demorei cerca de 10 segundos para me recuperar do impacto, vovó Molly assim que ouviu o barulho saiu correndo para fora de casa e abraçou a todos, por fim ela me viu lá atrás e saiu correndo de um jeito desajeitado, parou na minha frente e passou a mão em minha bochecha, uma lágrima caiu de seus olhos e ela me abraçou com toda a sua força, me senti extremamente culpada por não tê-la visitado mais vezes, e naquele momento eu prometi a mim mesma que nunca mais abandonaria minha família daquela forma. Vovô Arthur veio logo em seguida e me abraçou meio sem jeito, mas foi um bom abraço, ao fundo vi a Toca completamente reformada, e foi um choque imenso, sabia que meus pais e tios haviam ajudado a pagar a reforma, mas não fazia ideia que tinha ficado uma verdadeira mansão, era linda, entramos todos e eu não conseguia conter minha surpresa ao examinar todos os detalhes, estava perfeita, os meninos sentaram na sala, minha mãe foi ajudar minha avó na cozinha e eu aproveitei para explorar esse lugar desconhecido. Já havia passado pela sala de jantar, pela sala de cinema, a biblioteca e o quarto de brinquedos, era irreconhecível, por fim vi uma porta de vidro que dava para o jardim, assim que a abri fiquei encantada, tinha uma fonte que jorrava água cristalina, balanços de madeira, e a minha parte favorita, várias cerejeiras, o vento batia nas folhas e o chão ficava completamente tomado de uma linda cor rosa, fiquei um certo tempo a admirando, até que uma voz interrompeu.

- Imaginei que fosse estar aqui- falou James vindo em minha direção.

Corri o mais rápido que pude e me joguei em seus braços, me senti completamente em casa, tinha sentido tanta saudade desse trasgo.

- Bom, sou um ser previsível- falei e ele me soltou rapidamente.

- Não posso negar- falou e rimos- então, o que achou da nova Toca?

- Não tem mais cara de casa de vó, mas eu achei que ficou incrível, a biblioteca então, é magnífica.- falei com brilho nos olhos

- E gostou do seu quarto? Eu ajudei a decorar, fiquei meio perdido entre tantas opções de cortina e papel de parede, mas no final ficou aceitável- falou sem jeito.

- Eu nem sabia que eu tinha um, me mostre agora mesmo, James Sirius Potter!- falei pegando em sua mão e o arrastando casa adentro.

Subimos uma escada e fomos para o segundo andar, seguimos pelo corredor da esquerda e paramos na última porta, estava muito ansiosa, James abriu a porta para mim e eu fiquei maravilhada com o que vi, tinha uma varanda, uma cama enorme cheia de almofadas, uma lareira, espelhos imensos e um closet mais ainda, a penteadeira era simplesmente perfeita, repleta de fotos minhas com os meus amigos.

- Eu amei cada detalhe, me senti em casa, obrigada- falei e lhe abracei

- De nada, pequena- falou retribuindo o abraço.

Lentamente fomos nos separando e os nossos olhos se perderam em um transe, os corpos ainda grudados e as respirações calmas, os olhos dele viajavam da minha boca para meus olhos em busca de um consentimento, e eu selei nossos lábios então, era um beijo calmo e cheio de carinho, logo ele pediu passagem com a língua e eu permiti, suas mãos se firmaram com mais força na minha cintura e os beijos se intensificaram aos poucos, ele me colocou contra a parede e tirou sua camisa, aquele corpo era minha perdição, logo me impulsionou para cima e prendi minhas pernas em volta de sua cintura, ele me carregou até a cama e se colocou por cima de mim, ainda sem quebrar o beijo, suas mãos procuraram a barra do meu vestido e a levantaram, fiquei um pouco envergonhada com seu olhar sobre meu corpo e ele percebeu.

- Tão linda- sussurrou em meu ouvido.

Voltamos a nos beijar com um desejo extremo, sua boca explorou meu pescoço por completo e voltou aos meus lábios, até que a porta se abriu, olhei assustada em sua direção e pude ver as caras surpresas de tia Gina e tio Harry, eles rapidamente fecharam a porta e nós nos separamos, nos vestimos novamente e a abrimos com certo medo.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...