História MA CITY (Imagine Taehyung com Ilustrações) - Capítulo 39


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Adolescente, Babygirl, Bangtan Boys, Bts, Daddy, Drama, Drugs, Escola, Incesto, Intercâmbio, Jhope, Jimin, Jin, Jungkook, Kitten, Love, Lovely, Namjoon, Rap Monster, Revelaçoes, Romance, Secundário, Seoul, Sex, Sexo, Suga, Tae, Taehyung, Vida Adolescente, Yoongi
Visualizações 77
Palavras 1.087
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Harem, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


GENTE, ESTE É O PENÚLTIMO CAP DA FANFIC! (prestem atenção às imagens da capa)
Logo à noite vou postar o último porque assim vocês podem ficar tristes mas amanhã tem COMEBACK e alegram-se logo.
Mil obrigadas por todo o vosso carinho. Aproveitem! Boa leitura ^^

Capítulo 39 - Porque eu amo-te


Fanfic / Fanfiction MA CITY (Imagine Taehyung com Ilustrações) - Capítulo 39 - Porque eu amo-te

A última semana de férias passa a correr e dou por mim, já de forma rotineira, no carro de Taehyung a caminho da escola. Agora com uma pequena diferença, saímos de mãos dadas. 

Ele leva-me até à sala e beijava-me como se já não me fosse ver naquele dia. Na escola, tudo era exposto e transparente aos outros alunos (até para Jennie que me lança olhares tristes e revoltados quando se cruza comigo no corredor mas eu merecia e, honestamente, não me ralava) mas em casa, o segredo de sermos um casal mantinha-se. E assim seria até nos sentirmos os dois preparados para o revelar aos pais de Taehyung e até eles se habituarem à ideia do final do seu antigo relacionamento.

Yoongi? Estamos amigos. Gostaria de poder acabar a minha linha de pensamentos em relação a esse indivíduo por aqui, caso mo permitam. Se estou feliz porquê continuar a pensar em outros caminhos para tal?

Jungkook? Tinha finalmente assumido o relacionamento com uma menina lá da escola. Só desejava que as coisas lhe corressem sempre bem e que ele também, como eu, encontrasse a felicidade.

Jimin? Nada tinha mudado para ele. As raparigas ainda eram alvos dos seus olhares e toques por toda a escola. Não adiantava absolutamente nada tentar colocar juízo naquele loiro. Há coisas que nunca mudam e, honestamente, algo me dizia que Jimin era uma delas.

Jun? Cada vez mais tinha a certeza que tinha encontrado a minha melhor amiga para toda a vida. As suas discussões com Hoseok eram breves e superficiais e, segundo ela, nada que uma boa noite de sexo não resolvesse.

Eu? Sinto que ao longo destes últimos meses tenho vindo a ser moldada e definida pelas pessoas que cruzaram destinos comigo.

Dou por mim a pensar como estaria a minha vida se nunca tivesse apanhado o voo para cá. Estamos sempre a uma decisão de distância de uma vida completamente diferente e é isso que torna os nossos dias tão desafiantes. Não me arrependo. As escolhas mais assustadoras fazem-nos crescer e, no final, trazem sempre um bónus. Seria ele Taehyung?

A minha caneta deixa de escrever este seguimento de pensamentos, na aula de história.

-Alguém tem uma caneta preta? - Pergunto, virando o meu tronco para trás e encarando Jun depois de os meus colegas abanarem a cabeça em negação.

-Sempre prevenida. - Diz Jun com um sorriso maquiavélico.

-Porque é que tudo o que dizes me lembra de sexo? - Reviro os olhos. Jun ri-se de forma a assentir à minha pergunta com a sua inseparável culpa. Todos os mínimos detalhes sobre as noites com Hobi são-me contados e eu acabo por ficar traumatizada com as descobertas e peripécias dos dois. Cheguei a contar a Jun sobre a tarde com Yoongi e algumas das aventuras com Jungkook que, na altura, eram segredo. Sem pormenores, asseguro. Não por ter vergonha mas sim porque não era saudável lembrar-me deles. Tinha de fazer com que Taehyung ocupasse a minha mente a cem por cento.

Caminho até ao ruivo que fumava um dos seus Marlboro na entrada da escola. Os cigarros baratos. Os cigarros para o desenrasque e para os nervos. Que se estaria a passar com Taehyung?

-Está tudo bem? - Pergunto, retirando os fones dos ouvidos e enrolando-os à volta do telemóvel.

-Uhum. - Diz, sem grande hesitação.

-Porque é que estás a fumar? - Levo a minha mão ao cigarro e atiro-o para o chão num reflexo, esmagando-o com o pé de seguida. Esboço um olhar chateado de forma a repreender o ruivo que se limitou a pegar-me no pulso com força e revirar os olhos. Um revirar dos olhos diferente do habitual, impaciente e desejoso por algo. Sentia que, agora que o jovem já tinha fumado e desanuviado a tensão, me ia esperar uma bela seção de sexo. Sem me questionar duas vezes, deixo-me ser levada pelos seus passos.

Às vezes conhecemos tão bem alguém que só pelo tom da sua voz, é possível ler pensamentos. Já não tínhamos nada há mais de três semanas. Os seus toques e beijos pareciam-me forçados e Tae apercebeu-se das minhas duvidas. Sentir que não agradas o teu parceiro já é mau. Agora imagina sentir isso durante o teu período de tensão pré-menstrual onde todas as emoções ficam à flor da pele.

Ele mimava-me cada vez mais. Porque se preocupava comigo ou porque queria sexo, não sei, mas nunca me deixou sozinha um segundo que fosse e eu estava eternamente agradecida por isso.

Os meus pensamentos esvaem-se numa nuvem de fumo quando Taehyung abre a porta do carro e me pede para entrar.

-Vou repetir. Está tudo bem? - Questiono quando ele se senta no banco de pele do condutor.

-Não. - Bufa. - Tivemos uma palestra de educação sexual.

-E isso deixou-te nervoso? - Pergunto, fazendo-me passar por despercebida e deixando estas semanas sem sexo ou carinhos com Taehyung em baixo do tapete.

-Não. Não foi só isso. - Começa a batucar no volante, sem sequer ligar o veículo. - Já não podia ouvir aquela mulher. - Continua, soltando a sua raiva na experiente que, provavelmente, tinha realizado o discurso e a “aula” para a educação dos jovens nesse campo. - Ela estava sempre a dizer “Deixem a vossa primeira vez para alguém especial. Façam-no de forma protegida e segura, sem que se sintam obrigados. Façam-no com alguém que vos transmita proteção e confiança para que mais tarde, não se arrependam. Tudo vai acontecer de forma natural e, para a maior parte, apaixonada. Não se preocupem. Não é um bicho-de-sete-cabeças se vocês forem responsáveis e cuidadosos”. - As suas palavras entram-me no coração a mil à hora. Sinto-me pressionada e tento inalar o pouco ar que sobra naquele carro. Ele estava-me a preparar para um assunto onde Yoongi seria o protagonista. - Olhei para ele. Para aquele que te tirou a virgindade, S/N. Tu não foste obrigada. Tiveste de te entregar a ele de forma genuína. - Também a ele lhe falta o ar. - Se tiveste uma ligação tão grande com ele, porque é que estás comigo?

Levo a palma da minha mão à sua orelha, forçando o seu rosto a olhar-me. Mesmo que não tivesse cem por cento de certezas em mim mesma. Mesmo que o Tae não ocupasse cem por cento da minha mente. Mesmo que não tenhamos andado tão íntimos ou mesmo que o Yoongi ainda seja tão presente na minha vida, eu sentia que havia apenas uma coisa que eu pudesse dizer.

-Porque eu amo-te.


Notas Finais


Curiosos para ver como acaba? Não percam o cap que vai sair hoje.
Tenho um friozinho na barriga por saber que está a acabar.
Beijinhos <3 Até logo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...