História Ma constellation - Capítulo 1


Escrita por:

Visualizações 35
Palavras 2.090
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, LGBT, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Capítulo 1


“eu te amo e prezo por você

eu te amo e estou aqui, eu vou sempre estar

eu te amo e escolho estar por você

eu te amo e, você me ama?” Alguém aí.

 

15 de Dezembro de 2010

Toronto, Canadá

 

Era dezembro e em maior parte do mundo essa época significava estar em família esperando pelo Natal que já estava se aproximando, naquela noite como em quase todas naquele mês Toronto estava tão fria que a neve que caía em abundância nas ruas não era a pior parte de sair de casa, muitos carros que estavam estacionados na rua já estavam cobertos pela neve e não iriam sair de lá tão rápido.

Em uma mansão não muito longe do centro de Toronto um garoto ainda no auge da sua vida, ainda com dezenove anos e uma grande beleza mesmo que nem sempre as pessoas valorizassem isso e a sua personalidade que ainda era a coisa mais bonita que ele podia dar para o mundo; andava dentro do seu quarto, que era um dos maiores daquela casa, de um lado para o outro, esperando que seu irmão que estava ao lado do Chris que usava sua mesa de estudos para localizar o telefone que estava mandando fotos para o Jensen a mais de uma semana.

As fotos até aquele momento eram sempre da casa, do irmão, dele e onde ele estudava mas naquela noite, pela segunda vez nela, o loiro estava recebendo mais uma foto do seu namorado e ele estava junto com uma garota mas ele ainda se mantinha esperançoso de que era somente uma montagem.

- Vocês acharam quem está me mandando essas coisas? -Jensen perguntou se aproximando da mesa e vendo que o mapa mostrava ser perto de onde eles, o lugar de onde estavam mandando as fotos.

- Essa não é a casa do Tom? -Chris perguntou espantado porque na mente dele passava o mesmo pensamento que na do Jensen, Welling estava com outra pessoa enquanto enquanto os três estavam ali achando um jeito de deixar todos em segurança.

- Temos que ir até lá. -Ryan falou levantando da mesa e vendo se sua arma que sempre ficava na cintura estava carregado e enquanto Chris fazia o mesmo, o loiro foi até sua cama se sentando e colocando rapidamente seus sapatos e pegando sua arma embaixo do travesseiro.

 

Mansão Welling

22:37

 

A mansão dos Welling não ficava muito longe dali, eles eram praticamente vizinhos do Jensen e do seu irmão Ryan, a única coisa que separavam eles era uma grande floresta que fazia com que eles fossem obrigados a pegar o carro para ir até a outra coisa casa; além do carro em que estavam Chris e os dois loiros mais três carros com seguranças pararam atrás deles o que fez com que chamassem a atenção dos seguranças que já trabalhavam na casa mas no momento em que viram o Ackles se acalmaram e o chefe deles se aproximou.

- Eu, o Ryan e o Chris vamos até o segundo andar junto com cinco seguranças os outros se dividam em grupos de quatro ou mais e olhem toda a propriedade; se qualquer coisa suspeita for vista não toquem nela até que eu chegue e se for uma pessoa não deixe que ela saia, até que eu e os garotos falem com ela. -Jensen falou assumindo o controle da operação já que tudo que estava acontecendo era por causa dele, e ele demonstrando todo aquele poder fez com que seu irmão ao mesmo tempo que sentia orgulho sentiu medo do que ele podia se tornar.

 

P.O.V Jensen Ackles

Observei os seguranças assumindo suas posições e colocando seus pontos enquanto fazia o mesmo, tentando ficar confortável mesmo com o casaco pesado de inverno para suportar a neve que ainda continuava caindo, o restante da equipe já havia sido informada que naquele momento estavam vindo até a casa. Coloquei a cinta para armas na coxa encaixando a arma que sempre carregava comigo ali e depois de tirar o meu casaco peguei outra de calibre maior no porta mala do carro já entrando na casa com os meninos vindo logo atrás.

Subi rápido as escadas sem fazer barulho, apontando e mantendo minha arma engatilhada, no segundo andar não havia barulho nos cômodos sem ser o do que ficava no final do corredor que era justamente o do Tom, o que fez com que meu coração acelerasse; apontei com a cabeça os dois primeiros quartos do corredor fazendo os seguranças irem para eles o escrito para o Ryan enquanto seguia até o final do corredor com o Chris me dando cobertura.

Abri a porta devagar mesmo já tendo certeza do que se tratava o barulho e mesmo tendo meus olhos já cheio de lágrimas me mantive concentrada, apontei minha arma para a cama enquanto me aproximava e o Chris acendia a luz fazendo tanto o Tom quanto a garota que estava com ele pararem o que estavam fazendo e me olhassem com os olhos arregalados.

- Só tem vocês dois aqui? -perguntei me mantendo firme e começando a vasculhar o quarto atrás de qualquer coisas que justificasse isso tudo.

- Isso não é nada do que você tá pensando Jensen. -Tom falou se levantando e tentando se aproximar de mim mas antes que eu pudesse responder ele Chris saiu do closet fazendo sinal negativo com a cabeça.

- Tudo limpo no segundo andar, e o quintal? -perguntei no ponto travando novamente minha arma e começando a andar de um lado para o outro, obtendo somente respostas negativas até que na ultima equipe obtive a resposta que eu queria me fazendo parar de andar de um lado para o outro.

“Achamos alguma coisa na academia Senhor.” -um segurança falou me fazendo olhar para o Chris que correu atrás de mim quando saí as pressas do quarto deixando o Tom com o olhar dividido entre o não estar entendendo e o que estava em apuros.

- Pegue o meu casaco no carro e levem para mim na academia. -falei passando correndo pela cozinha e saindo pela porta que ficava ali e ainda correndo indo até academia que ficava a quase três minutos naquela velocidade com o Chris me seguindo de perto também atento a tudo que acontecia ao nosso redor.

Assim que cheguei na academia encontrei o Ryan que parecia ter acabado de chegar também junto com o Chaz e o Jaden que estavam no galpão mas que chegaram mais rápido do que esperávamos na casa, um segurança se aproximou de mim pegando a arma de calibre maior que eu ainda carregava e me entregando o meu casaco junto com o meu celular que tinha mais uma mensagem de número desconhecido, só que antes mesmo que eu pudesse abrir ela peguei uma das lanternas que estavam com o Ryan apontando para a parede encontrei um grande mural de fotos minhas de diferentes jeitos e bem no meio um envelope de carta branco escrito apenas o meu nome do lado de fora.

No momento que abri o envelope encontrei uma carta escrita à mão por uma letra que a muito tempo eu não via e com todo o meu coração eu não gostaria de ver tão cedo, porque significava que logo mais problemas do que eu já tinha iriam aparecer. E isso me assustava de um jeito muito grande mas não maior do que a raiva que eu estava sentindo naquele momento, eu tinha raiva por ter recebido fotos do meu namorado me traindo com uma das pessoas que eu mais odiava, tinha raiva por ter que estar do lado de fora de casa com a neve caindo mas principalmente estava com raiva porque tinha alguém me observando e que se ela quisesse eu já estaria morto há pelo menos um mês.

 

"Você não deve estar feliz por receber esta carta, mas era necessário, você não está feliz assim e também não está seguro porque se tivesse eu não teria conseguido fazer tudo isso. Eu quero você de volte pra mim, eu sei que você não deve estar querendo me ver agora e eu posso entender isso mas também posso ver que onde você está não é seguro.

Quando eu supostamente estava morrendo seu irmão jurou que iria te proteger, mas na primeira oportunidade que ele teve deixou você ficar junto com Welling e olha pelo que você estava passando! Se junte a mim e eu te faço um grande homem.

Daquele que amou você desde que você nasceu, seu pai."

 

Terminei de ler a carta que não era muito longa e entreguei pro Ryan que me olhava esperançoso para tentar saber qual era o próximo passo naquela missão, mas eu apenas fiquei em silêncio esperando ele terminar de ler enquanto observava cada foto que estava na parede percebendo que eram fotos de momentos totalmente diferentes e como as fotos não pareciam se repetir e que estavam em ordem, como se fosse igual a rotina que eu seguia; porém a foto que mais me chamou atenção foi a última foto onde eu estava apenas de cueca dentro do closet do Tom e pela data que estava no canto dela ela havia sido tirada ontem.

- O que você quer fazer? -Ryan perguntou vindo até mim quando eu dei alguns passos para trás deixando com que o Chaz que já estava até mesmo de luvas começando a tirar as fotos.

- Vamos cuidar disso entre a gente e só depois informamos ao resto da equipe o que vai acontecer. -falei baixo somente pra ele e me virei começando a caminhar para longe daquela parede, e indo de volta para a entrada da casa onde os carros estavam parados.

Aquele caminho no momento em que eu fui até a academia estava escuro para evitar que mais pessoas do que fossem necessárias vissem a operação que estava acontecendo em meio ao frio e a neve, o caminho em passos mais lentos parecia que nunca chegaria ao fim mas no momento em que cheguei de volta na porta da cozinha onde havia saído me arrependi por ter pedido minutos antes um caminho mais curto.

- Você vai me falar o que está acontecendo agora? O porque invadiu a minha casa e entrou no meu quarto no meio da noite em que falou que ia ficar na sua casa, apontando uma arma pra mim? -Tom perguntou no momento em que entrei na cozinha fechando a porta já que mais ninguém estava vindo agora.

- O fato que mais te interessa é o por que eu não estou em casa essa noite? Não deveria ser o que eu vi quando invadi o seu quarto? Ou talvez o porque eu estava armado na sua casa? Faça essas perguntas pra você mesmo enquanto aproveita o seu tempo agora que é oficialmente solteiro. -fiz as perguntas devagar pra ver se ele entendia bem tudo que eu estava falando enquanto ia até a sua geladeira e pegando uma cerveja e logo depois saindo dali.

Fiz o caminho mais rápido com medo de que o Tom viesse atrás de mim querendo mais respostas, e eu sabia que não iria conseguir falar muito mais do que isso sem conseguir chorar ou pegar a minha arma e atirar na cabeça dele. Me encostei no carro abrindo a cerveja e quando deu o primeiro gole sentindo aquele conteúdo gelado descendo pela minha garganta soltei um suspiro de satisfação por ser exatamente o que eu queria.

- O que eu vou fazer da minha vida? -perguntei alto jogando a cabeça traz ainda de olhos fechados tentando realmente achar uma solução para esse problema que estava virando um ainda maior e mais perigoso.

- Que tal parar de tentar virar um alcoólatra e irmos pra casa? -Ryan falou me fazendo olhar pra ele e fazendo o Chris que estava junto rir.

- Tu devia ter pegado uma pra mim também, depois que tive que correr atrás de você acho nunca mais vou me recuperar, você tem um ritmo e tanto mesmo pra quem tava armado, credo. -Chris falou fazendo uma cara de cansado e tirando a cerveja da minha mão.

Não consegui evitar rir e entrei no carro com os dois homens que eu tinha certeza que não iriam me abandonar; o Chris era como um irmão pra mim, ele tinha se mudado para nossa casa assim que entrou na equipe com o propósito de ser apenas por um tempo mas depois de começarmos a conviver mesmo se ele quisesse sair de lá, eu não deixaria.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...