História Ma' Sweet Honeypie. - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Abo, Bottom!jungkook, Lemon, Omegaverse, Romance, Taekook, Top!taehyung, Vkook, Yaoi
Visualizações 333
Palavras 1.328
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá minhas tortinhas de mel! Muito obrigada pelos comentários do capítulo anterior. Estou muito feliz com os mimos e tratarei de respondê-los em breve. Hoje consegui postar mais cedo pois eu estou super animadinha devido ao dengo que andam me dando!

Boa leitura!

Capítulo 6 - Ciúminhos.


Fanfic / Fanfiction Ma' Sweet Honeypie. - Capítulo 6 - Ciúminhos.

A casa parecia cada vez mais animada. A alegria de Jeongguk fez que aquele imóvel finalmente se tornasse um lar, já que quando era apenas Taehyung, até mesmo as cores das paredes pareciam neutras demais. 


Já fazia dois dias desde que o híbrido fora resgatado das ruas, e diferente do primeiro dia, Jeongguk já dormia em seu quarto. O que Taehyung chamava de modesto, o pequeno Jeon admirava cada detalhe. Nunca havia assistido televisão antes, e ter uma em seu quarto era um completo luxo.


No restaurante, Taehyung também era notado por seus amigos. O chefe havia começado a cantarolar enquanto cozinhava, e passou até mesmo a se vestir melhor para ir trabalhar. Seu humor estava ótimo. Mas apesar disso, Kim ainda não havia contado para seus amigos. 


— Jieun virá hoje. — Hoseok adentrou a cozinha. O alfa rapidamente colocou o seu chapéu de cozinheiro. — Disse que trará algumas amigas.


— Anda conversando com Jieun? Seu... — Jimin pegou a colher de pau. — Talarico! 


— Park Jimin! — Taehyung o repreendeu, segurando o porquinho pela cintura. — Pare com isso. Largue essa colher! 


— Me solta! Sem vergonha, talarico, biscoiteiro, eu vou... — O pequeno ômega tentava sair dos braços do melhor amigo, mas é claro, sem sucesso.


Não era novidade que o Park tomava as dores, mesmo que as mais fracas, de seu melhor amigo. O baixinho protegia o chefe de qualquer coisa, mas durante os últimos dias, estava bastante desatualizado. O dono dos pensamentos de Taehyung não era mais Jieun, mas sim um garoto com orelhinhas macias, lábios inchadinhos e dono de um sorrisinho engraçado.


— Jimin. — Taehyung sussurrou. — Vem cá. Eu preciso te contar uma coisa.


Assim, o chefe atualizou o amigo sobre o que estava acontecendo. É claro que o porquinho não aceitou de primeira, chegando a roncar por falta de ar. Não poderia acreditar que o melhor amigo havia 'adotado um mendigo do dia para noite.


— Ele não é um mendigo, Jimin-ssi. — Defendeu-o. 


— Não? Ele mora nas ruas. O que é então? — Revirou os olhos. Jimin roubou um dos morangos do pote afim de se acalmar. O mastigou como um verdadeiro roedor, engolindo a fruta em seguida. — Nem ao menos sabe quem é ele de verdade! Ele pode ser traçoeiro! 


(...)


— Então você prefere o Alvin, Simon ou o Theodore? — Jimin conversava com Jeongguk completamente encantado. O coelho que havia preparado um bolinho para o café da tarde, agora estava sentado sob os próprios pés no tapete da sala, enquanto tinha a cabeça apoiada no sofá. 


— Gguk gosta do Alvin. — Respondeu, fechando os olhinhos. Taehyung logo o pegou pela cintura com facilidade, o colocando no sofá devido ao frio.


— Ambos os filhotes no sofá. — Cobriu os garotos com um edredom. 


Desde a chegada do coelhinho em sua casa, Taehyung havia se mostrado um homem extremamente protetor. Mesmo que Jeongguk se mostrasse independente, Kim o tratava como uma verdadeira criança.


— O hyung gostou do bolinho? — Jeongguk deitou-se sob o colo de Jimin.


Emburrado, Taehyung se sentou na poltrona. Sozinho, e sem cobertor. Cruzou os braços, visivelmente incomodado. Os mimos de ambos os ômegas fazia que o alfa revirasse os olhos. Seria ciúmes?  

 

          "Estou te vendo através da janela."


Namjoon, um dos amigos de infância de Taehyung e Jimin, mandou uma mensagem para o alfa. Em questão de minutos ambos os alfas já estavam conversando na cozinha.


Namjoon e Taehyung eram alfas-dominantes. Populares no ensino médio, ambos agora vivem no mesmo patamar de vida. 


— Não sabia que comprou um híbrido. — Namjoon começou, comendo um pedaço do bolo preparado pelo pequeno. — Logo um híbrido de coelho? Oh, é. Ouvi dizer que eles tem bastante energia.


— Não o comprei para isso. — Defendeu-se. — Nem ao menos o comprei. O resgatei das ruas.


Apenas ômegas possuiam descendência de algum animal, e muitos deles eram comprados ou adotados como meros animais de estimação. A prática era comúm, porém havia pessoas pró e contra essa situação.


— Conta outra. — Gargalhou, chamando a atenção do porquinho, que se levantou, cruzando os braços.


— Namjoon hyung!! — O garoto se aproximou, e o mais velho ergueu os olhos em sua direção. — Você acha que os ômegas servem apenas para práticas sexuais e procriação?


Omeganista. 

*O mesmo de feminista, porém, consiste em acreditar que o direito dos ômegas e alfas deveriam ser iguais na sociedade.


— Ah, é, porquinho? E vai dizer que você não adoraria ter filhotes comigo? — Namjoon largou o bolo, levantando-se e partindo para perto do garotinho.


— Filhotes? Com você? — Revirou os olhos, ainda de braços cruzados. — Nem mortinho! 


(...)


— Hyung? O Jiminnie e o Namjoon hyung... — Ggukie adentrou o escritório, se sentando sob o colo do maior, encolhendo-se afim de se aconchegar ali. — Eles estão abraçadinhos lá na sala.


O garotinho estava corado, denunciando que estava desconfortável com tanto carinho perto de si. Taehyung havia estranhado o fato de Jeongguk estar tão pertinho daquela forma, mas relembrou o que Hoseok disse. Coelhos tinham fases. As vezes, grudentinhos, e as vezes, isolados. 


— E você quer ficar abraçadinho com o hyung aqui? — Riu, vendo o garotinho assentir conforme ele digitava no computador. — Hm... 


— Eles ficam bem juntos. — Sussurrou. As orelhinhas estavam abaixadinhas, demonstrando tranquilidade. 


— Ficam. — O mais velho o acariciou entre as orelhas, beijando-lhe a testa. — Agora, por que não está agasalhado devidamente, huh? 


— Ggukie não está? — Olhou para os próprios pés descobertos pela meia. — É, as patinhas estão geladinhas. 


— Pézinhos, amor. Pézinhos. — Corrigiu.


— É, Taehyung-ah! Pézinhos. — Mostrou os dentinhos em um sorriso cujo foi capaz de derreter todo o coração mole do alfa.


O pegou pela cintura, o aconchegando em seu colo. O maior levou o garotinho para o quarto destinado a ele, e com cautela o calçou um par de meias nas 'patinhas.


— Agora o Ggukie vai encher a barriguinha? — Indagou estendendo os bracinhos para ser pego novamente.


— 'Tsc. Por que está tão manhoso hoje? — O pegou novamente no colo. — O que acha de comermos pizza no jantar?


— O que é pizza, hyung? — Deitou a cabeça no ombro do maior.


(...)


A aquela altura, Jimin e Namjoon já haviam ido embora. Agora, Taehyung e Jeongguk estavam de dengo sob o tapete da sala. O homem estava apoiado com as costas no sofá, enquanto o coelhinho estava apoiado sob ele. 


— Pizza é tão gostoso! — O garoto dizia de boca cheia conforme praticamente roia a fatia.


— É mais gostoso que a comida do hyung? 'Tsc. Estou triste! — O coelhinho negou, colocando a borda da pizza recheada na boca de Taehyung. 


Bruto. Não gostava da bordinha.


— Você não gosta de catupiry? — Perguntou retoricamente, mas ainda sim Jeongguk fez questão de frizar, negando com a cabeça. Odiava catupiry, havia descoberto agorinha mesmo.


A porta fora aberta, e por alguns segundos, um silêncio tomou conta do ambiente. Taehyung olhou para trás, afinal, talvez Namjoon havia esquecido algo. Mas a surpresa foi ainda maior. A mulher de fios negros e saia elegante passou pela sala calmamente, pairando seu olhar sob os rapazes na sala.


— Posso saber quem é esse ômega? — Jieun pronunciou-se.


A menina de traços delicados se aproximou dos garotos, acariciou as orelhas do pequeno, antes de selar os lábios aos de Taehyung. 


— Jieun, esse é o Jeongguk, e Jeongguk, essa é a Jieun. — Taehyung logo tratou de apresentá-los.


Jieun estendeu a mão para o menor amigávelmente.


— Oh! Ele é adorável. — Ela disse, e o pequeno aproximou o rosto do rosto da mulher sem ao menos pensar. 


Jeongguk cravou os dentes na pele pálida de Jieun, e após fazer uma careta brava, correu para cima. Era uma das grandes características dos coelhos. Mordidinhas de ódio, e bem raramente, de amor.



Notas Finais


Oi, meus piticos! Que a guerra comece entre Jieun e Jeongguk. Gostaram do capítulo? Comentem aqui para eu saber!

Até logo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...