História Mabill - Behind a smile. - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Gravity Falls
Personagens Mabel Pines
Tags Mabill
Visualizações 66
Palavras 972
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, cristais de gelo!!
Eu sou a Gellyn, e bem vindos a mais um cap!!!

sim, eu sei que eu demoro muito pra postar, mas a escola tá puxada! Nono ano não é moleza não.
Mas então, toma aí o cap novo, eu vou tentar fazer mais curto q assim eu consigo postar mais em sequencia, mas pergunta.
Vocês preferem capitulos longos, mas que demorem para sair ou capitulos mais curtos, mas com mais frequencia?

I waited for you. = Eu te esperei.

boa leitura ;3

Capítulo 7 - I waited for you.


Fanfic / Fanfiction Mabill - Behind a smile. - Capítulo 7 - I waited for you.

(Autora on)

   A garotinha de cabelos negros como a noite voltava sempre ao mesmo lugar para poder chorar sem se preocupar se iriam se ouvir. Sempre que tinha um novo machucado, a garotinha voltava ao mesmo local de sempre. Isso poderia parecer estranho para uma criança, normalmente elas choram alto para chamar atenção, mas para uma criança que sempre tem atenção isso pode não fazer diferença.

   Com os olhos cheios de lágrimas, a garota arremessava um pedra no rio e via a mesma criar ondinhas, que começavam pequenas e iam crescendo até sumirem. A garotinha tinha um pequeno arranhão na perna, ele era realmente pequeno, não estava inflamado nem nada, apenas um pequeno arranhão, mesmo assim ela chorava.

   Era assim durante vários dias, porém em um dia foi diferente. 

  A garota vinha correndo em meio as árvores e enquanto corria, um galho fez um pequeno arranhão em sua bochecha. Quando chegou a beira do rio que havia ali, ela olhou o seu reflexo na água. Seus olhos estavam vermelhos por conta das lágrimas e o corte em seu rosto sangrava um pouco, ela olhou isso e se sentou na grama e abraçou suas perna e começou a chorar novamente com a cabeça baixa. Nesse momento ouve um barulho e quando ela olhou para trás, viu um garotinho sair em meio as árvores. Não demorou muito para o garoto perceber a presença da menina e se aproximar da mesma. Ele perguntou o que tinha acontecido para que ela chorasse, a menina apenas o ignorou e esperou que ele fosse embora, mas ao invés disso, ele se sentou ao seu lado e a encorou como se ainda estivesse esperando uma resposta. Eles ficaram assim durante alguns segundos até ela resolver responde-lo.

  - Nada.

   Foi a unica palavra que saiu de seus lábios. 

 O garoto continuou a encarrar-lhe com olhos brilhantes, mas a garota devolveu o gesto com um olhar extremamente vazio e inexpressivo.

 - O seu rosto... - O menino se aproximou da menina, a fazendo recuar um pouco. - Está machucado... Espera um pouco, a mamãe me deu isso, caso eu precisasse. - Ele começou a mexer no bolço e de lá tirou um curativo. - Isso é um curativo, é para colocar nos machucados. Eu acho que eu não deveria estar te mostrando isso... Promete que não vai contar para ninguém? - O garoto sorriu gentilmente e colocou o curativo na menina.

 

A garota não entendia o por quê dele fazer isso ou do por quê ele sorrir tão gentilmente para ela, mas de certa forma isso a deixou feliz.

Durante um mês, eles se encontraram no mesmo lugar e brincavam, as vezes apenas conversavam ou ficava observando as nuvens. A expressão da menina, que um dia era totalmente inexpressiva, agora era cheia de vida. Em todos os dias que eles passaram juntos, a garota percebeu que o menino sempre aparecia com novos machucados, uns grandes e outros pequenos. O menino não reclama se eles doíam, pelo contrario, para ele era como se ele nem estivesse machucado e continuava sorrindo.

Foi um mês divertido para ambos, mas uma hora ou outra isso iria acabar. Quando o mês acabou o garoto teve que ir embora, mas antes a garota quis mostrar algo ao menino. Eles caminharam até um lugar mais dentro da floresta, lá embaixo de uma árvore havia um pequeno broto que ainda não desabrochou.

- Eu sempre vinha rega-la, mas mesmo assim ela nunca desabrochou... - A garota disse se aproximando da flor.

 

- hm... - O garoto se ajoelhou ao lado da flor junto com a menina. - Minha mãe me disse uma vez, que para uma flor desabrochar, ela precisa ser forte para poder suportar o vento, chuva e tempos difíceis. As que demoram para desabrochar são as que serão mais fortes e elas podem até não ser a linda do jardim, mas são as que contem o perfume mais doce. - Enquanto dizia isto, ele estendeu a mão ao redor da flor, que lentamente foi desabrochando. 

 

- C-Como você...

A garota não entendeu o que aconteceu e o garoto apenas a respondeu com um sorriso gentil. Ele sempre sorria de uma forma que a deixava a garota admirada, ela não entendia o motivo dele sempre ter um sorriso tão radiante, um sorriso que ela nunca se imaginou tendo um dia, mas quando os dois estavam juntos, ela pensava que também poderia ser assim. Então ela devolveu o sorriso da mesma forma. O garoto parecia surpreso e ao mesmo tempo feliz ao ver a reação da garota, mas de repente ele olhou para o lado, como se tivesse ouvido algo.

- Acho melhor eu ir... - Ele disse ao se levantar.

- Você vai voltar? - A garota se aproximou e segurou na barra da camisa do menino.

- É provável. A mamãe disse que vai nos trazer aqui mais vezes. - O menino parecia ter ouvido algo novamente. - É... já está na hora de ir...

- Então... - A garota se aproximou e depositou um beijo na bochecha do garoto. - Eu vou te esperar.

 

O garoto sorriu e depois se despediram. A menina o viu sumindo dentre as árvores. Ela não ficou triste, pois algum dia ele iria voltar, então ela continua a esperar no mesmo lugar ao lado daquela flor. Ela esperou durante muito tempo. Se passaram dois meses, três, quatro... uma ano, dois, três, quatro... e ela continuava esperando ao lado daquela flor, que nunca murchou. Enquanto o tempo passava ela percebeu que ele não iria voltar, assim como todo mundo, assim como o motivo dela chorar antes de encontrar o garoto, ele não iria voltar. Então ela se levantou, deu uma ultima olhada na flor e virou as costas aquele lugar, com a promessa de nunca mais voltar ali.

Eu te esperei.

 

continua...


Notas Finais


Então pessoas, esse foio o cap! Espero que tenham gostado.
Comentem o que acharam que isso me motiva a continuar escrevendo e trazendo essa fic pra vocês!
E não se esqueçam de responder a pergunta que eu fiz.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...