História Machine - Min Yoongi - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Are You Human Too, Bangtan Boys (BTS), Dorama, Drama, Ficção Cientifica, K-drama, Min Yoongi, Robô, Romance
Visualizações 5
Palavras 1.903
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii, gente, essa é primeira fic que estou postando nesse perfil! Espero que gostem.

Boa leitura!

Capítulo 1 - Projeto MY5


Fanfic / Fanfiction Machine - Min Yoongi - Capítulo 1 - Projeto MY5

Yong-joon apressa seus passos e abre a porta da sala, logo vendo seu superior ao lado do projeto mais aguardado por todos: o robô capaz de reproduzir, em seu sistema, as emoções dos humanos.

O brilhante cientista teve total importância na empresa, já que ele contribuiu bastante na constituição do protótipo. Então, em sua homenagem, o rosto do andróide é igual ao dele. Claro que isso só irá permanecer assim na fase de testes, pois se for um sucesso a face da máquina terá que ser modificada.

Os robôs já estão "dominando" todos os lugares há quase cinco anos. E, durante esse tempo, viraram uma febre mundial. Todos querem ter um andróide.

Porém, todos os que foram produzidos até agora não podiam sentir nada. A população mundial, então, começou a desejar que isso pudesse se tornar realidade. Sendo assim, o projeto MY5 será testado pela primeira vez no Laboratório Científico de Seul.

— Presidente — se curva.

— Ah, finalmente chegou! Venha, se aproxime e veja o resultado final.

Seus passos vão em direção ao robô, que está em pé, porém está desligado. Sua semelhança é tão impressionante que sequer pode-se diferenciar os dois.

— Está realmente perfeito. Ele irá começar a trabalhar logo hoje?

— Sim. Preparamos uma sala especial para você monitorar todas as ações dele. Pelo menos uma vez por semana você terá que nos entregar um relatório sobre a experiência do MY5.

— Entendido. Agora... — pega no pulso do andróide e analisa a bateria dele, que aparenta ser um relógio — ainda não me sinto confiante por causa disso. Podem descobrir a identidade dele por conta disto. Todo robô possui um.

— Mas esse é diferente. Fizemos um modelo específico só para não ficar igual.

— Podemos ligá-lo?

— Claro! Quero logo ver o próximo sucesso da Gold Technology!

Há um botão no aparelho que está no pulso do MY5. Ao acioná-lo, seus olhos se abrem e o mesmo começa a se apresentar.

— Olá, sou o andróide MY5, que foi produzido da Gold Technology. Estou ao seu dispor.

— Uau... Até a voz ficou igual.

— Não é? — o empresário sorri. — Fiz questão que tudo ficasse perfeito.

Então ambos começam a preparar o robô para ir ao lugar que ele teria que se passar por humano.

Há uma curiosidade. As emoções colocadas no sistema foram: alegria, tristeza, raiva e medo. O sentimento que seria responsável por criar laços, o afeto, não foi posto. Segundo Yong-joon, o cientista, o andróide teria que evoluir seu sistema naturalmente e passar a desenvolver isso. Ou seja, o afeto não foi programado, o próprio protótipo terá que evoluir e "sentir" tal emoção.

Do outro lado da cidade, Young Yeon-hee é convocada pelo Chefe de Laboratório, em seu escritório, para ter uma conversa urgente, segundo seu superior.

— Dr. Kim — se curva.

— Yeon-hee. Sente-se.

— Certo — faz o que ele pede.

— Se lembra que eu disse que teríamos um novato no laboratório?

— Sim.

— Pois bem — se levanta e põe as mãos no bolso. — Será um aluno de Iniciação Científica. Quero que você o oriente. 

— O quê? — arqueia sua sobrancelha.

Sua surpresa deixou seu tom informal, então ela rapidamente se recompõe e o questiona adequadamente.

— Perdão... Dr.Kim, você sabe que eu não sou a melhor pessoa para isso.

— Eu tenho ciência que você tem uma certa dificuldade em manter relações com esses alunos, mas acho que esse, em específico, será perfeito para você.

Kim Seok Jin, o chefe de Laboratório. Apenas ele e o Agente de Compras sabem que um robô irá trabalhar ali. Os demais funcionários não têm conhecimento disso. Como dito antes, o objetivo da GT é testar como o andróide irá reagir no meio de pessoas que também acham que ele é um humano. Querem saber o que ele vai sentir, se vai criar um afeto por alguém.

— Mesmo assim, doutor... Sabe que eu me incomodo fácil com a presença desses novatos.

— Então terá que começar a se acostumar. Ele também irá se adaptar ao seu humor, acredite. Agora já pode ir, ele chegará daqui a pouco.

— Sim, senhor... — se levanta e se retira.

Ela vai resmungando, com raiva da decisão do seu superior. Não gosta do fato de ter que orientar os alunos. Seu corpo se choca contra outro, quase a fazendo cair.

— Oh! Me desculpe... Ai...

— Yeon-hee? Nossa, continua distraída como sempre.

O Agente de Compras, Kim Namjoon, a olha com um sorriso no rosto. Ele é a outra pessoa que sabe sobre a permanência do andróide no laboratório.

— Senhor Kim, me desculpe, eu não lhe vi.

— Tudo bem, eu também estava com a cabeça nas nuvens. E então? Está de mau humor? Eu vi sua cara quando saiu do escritório do Presidente.

— Ah, é que... Parece que vou ter que orientar um aluno novato.

— Ora, só por isso está assim? Suas emoções são muito flexíveis. Tente não se abalar por qualquer coisa, hm?

— Mas... — a interrompe.

— Desculpe, tenho que ir a uma reunião com o chefe. Sabe como é, ele odeia atrasos.

— Ok, então. Até.

O mais alto se afasta e entra no escritório. Ela continua a seguir seu caminho e encontra com todos os seus colegas, que estavam trabalhando. Agora, todos estão parados encarando um rapaz desconhecido por todos. Esse deve ser o tal aluno.

— Olá — se curva. — Meu nome é Min Yoongi. Por favor, cuidem de mim durante o tempo que passarei aqui.

— Bem-vindo, garoto — Jung Hoseok é o primeiro a responder.

Yeon-hee revira os olhos e tenta parecer alguém mais agradável. Os olhos do robô vão em sua direção e ele sorri. É um sorriso estranho... É bonito, mas há algo diferente.

De fato, o andróide tentava disfarçar sua "característica robótica", pois nem sempre se portava como um ser humano.

— A senhorita deve ser a Young Yeon-hee, certo? Será um prazer trabalhar com você.

Os colegas de laboratório dirigem seus olhares aos da garota. Todos já conhecem sua personalidade, então dão um sorriso meio irônico ao ouvir o estranho.

— Sim... Prazer — estende a mão.

Ele a aperta enquanto encara o rosto dela. Uma de suas habilidades é ser especialista em Linguagem Corporal. Ao ver a forma como ela se expressa, é perceptível um certo incômodo vindo de sua parte.

Yeon-hee tenta parecer confortável com aquela situação. Por que aquele novato a encarava tanto? Era como se ele analisasse cada expressão que ela fizesse. A mão da garota logo se solta da dele e ela desvia o olhar. Ninguém nunca a olhou daquele jeito.

Vendo toda aquela situação, Yong-joon, que estava monitorando tudo que acontecia através da câmera que havia no olho do andróide, desativa temporariamente a habilidade de análise.

Os outros que trabalhavam no laboratório se dispersam e voltam ao seus deveres. O MY5 se aproxima da menina, com um sorriso.

— No que posso te ajudar, Sunbaenim?

— Hm — cruza os braços. — Pegue um café pra mim.

— Perdão?

— Você irá me ajudar dessa forma, pois não comi café da manhã — diz em tom cínico.

O robô arqueia sua sobrancelha e tenta compreender o porquê de ela agir assim, mas prefere fazer o que a superior pede, pois sabe que humanos podem arrumar intrigas num piscar de olhos.

Quando ele sai para comprar café, ela se senta em sua mesa e começa a mexer em seu computador. Duas pessoas aparecem atrás de Yeon-hee.

— Ei, não seja tão rigorosa com ele, certo?

— E eu sou rigorosa, Jimin? — sorri ironicamente.

— Sim. Me lembro da primeira vez que você falou comigo. Sinto arrepios até hoje.

— Pois é. O rapaz parece ser simpático e disposto. Não aja assim com ele — Jung-ah, a melhor amiga de Yeon-hee, que estava ao lado de Jimin, fala com firmeza.

— Tá, tá. Vão trabalhar.

Ambos riem e saem. Em poucos minutos Yoongi já está entregando um café para Yeon-hee.

— Obrigada.

— O que faço agora?

— Fique calado. Vou fazer umas pesquisas.

— Não seria adequado eu te ajudar, Sunbaenim?

— A melhor forma de ajuda é o silêncio — dá um gole na bebida.

De todas as emoções, a que o andróide está sentindo agora é raiva. O principal objetivo de qualquer máquina é ser útil, então quando alguém a trata como inútil, já muda completamente sua forma de funcionar. A primeira emoção que ele deveria experimentar seria a alegria, mas com a personalidade dessa garota não será possível.

— A melhor forma de ajuda é quando não se fica parado — cruza os braços, ainda em pé.

A mulher vira sua cadeira giratória na direção dele, surpresa com a atitude ousada do novato. Todos que a viam pela primeira vez costumavam temer seu olhar, mas ela não conseguiu ativar a emoção "medo" no andróide.

— Então vá dar uma caminhada. Só fique distante.

— Eu não entendo. É meu primeiro dia, então ainda não te magoei. Por que está agindo assim?

— Só não quero companhias irritantes.

— O que a Sunbaenim define como algo irritante?

Ele a encarava e, a cada frase que pronunciava, a surpreendia mais e mais. Para entender um ser humano, é preciso saber mais sobre suas origens. Então ele pesquisou por ela em seu banco de dados.

Young Yeon-hee, 25 anos. Rosto considerado bonito e cabelo levemente ondulado e despenteado. Uma brilhante jovem e bastante conhecida pela mídia. Suas pesquisas ficaram conhecidas por conta que ela contribuiu bastante para a constituição da pele sintética dos andróides. Apenas com 23 anos começou a trabalhar no laboratório que está até hoje. Foi justo na época que a GT começou a criar uma parceria com o mesmo.

A pele sintética que ela produzia ficava mais parecida ainda com o tecido epitelial dos humanos. Sendo assim, várias matérias sobre a jovem saíram na mídia.

Todavia, ela é uma pessoa polêmica. Em uma de suas entrevistas, afirmou: "Acho que é preciso sim evoluirmos mais e mais. Os andróides foram uma das melhores coisas que os seres humanos fizeram. Porém, acho bizarro o fato de pessoas quererem se relacionar com robôs. São máquinas, não têm sentimentos, só servem para obedecer comandos. Se continuar desse jeito, a interação entre humanos não irá existir mais por conta das máquinas".

— Ei! Você está me ouvindo?

Yeon-hee estava chamando a atenção dele fazia tempo, porém Yoongi estava fazendo uma breve pesquisa sobre ela. Ao recobrar sua consciência, a encarou novamente.

Então é por isso que o Chefe de Laboratório escolheu ela para o orientar? Queria testar e saber se realmente um robô poderia sentir algo logo com a pessoa mais desequilibrada do local.

Para pessoas com essa personalidade forte, a solução é agir na mesma moeda. Só assim saberão a forma agressiva como agem.

Ele segura nos braços da cadeira que ela estava sentada e aproxima seu rosto do dela. A moça arregala os olhos e fica intacta.

— Sunbaenim, não sei como os outros daqui agem com você, mas saiba que comigo não será assim. Sou diferente de todos, entende? Então é melhor começar a agir como uma profissional que eu tenho certeza que você é.

— O-o que... esse...

Ele se afasta, com um sorriso no rosto por conseguir chamar a atenção dela. Yeon-hee terá que agir corretamente, pois o andróide não sente medo com qualquer coisa.


Notas Finais


Andróide mais sexy do mundo. Concordam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...