História Mad Hatter - O Conto de uma Azulada - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jeff The Killer
Personagens Jeff, Personagens Originais
Tags Amor Psicopata, Anyel, Creepypasta, Jeff The Killer, Lenda Urbana, Terror
Visualizações 198
Palavras 1.252
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


.
.
Bem gente eu não sou muito boa em fazer fanfic de terror, mas eu vou me esforçar o máximo para que ela esteja boa (Ou pelo menos tentar) ~Dra. Creepypasta
.
E eu vou ajudar ela no que ela precisar também ~The X
.
Sugestões e ideias serão sempre Bem - Vindas ~Dra. Creepypasta
.
Bem fiquem com a fanfic e Boa Leitura ~The X
.
.

Capítulo 1 - Capítulo Um: Primeiro Contato


Fanfic / Fanfiction Mad Hatter - O Conto de uma Azulada - Capítulo 1 - Capítulo Um: Primeiro Contato

P.O.V Autora

.

.

Era apenas um dia normal para a cidade de Silent Hill. Tudo estava completamente normal, os adultos foram trabalhar como sempre, crianças e adolescentes foram para a escola todos em seu horário....Bem menos uma certa garota, ela tinha os cabelos azuis, pele branca como uma folha de papel, macia como se fosse uma nuvem, um de seus olhos era negro como as trevas, o outro era branco como a luz, ela tinha um belo corpo que poderia dar inveja a qualquer mulher por ai. A azulada estava sentada em um balanço de um parquinho perto de sua casa, ela não se sentia bem para ir a aula, mas seus pais a obrigaram a ir, mas isso não a impediu de poder ficar um pouco de bobeira, depois de mais ou menos 30 minutos que ela estava ali a garota se levantou e foi para a escola, no qual não era muito longe de sua casa, ela nunca gostou de ir a escola, não era a escola o problema e sim as pessoas que lá estudavam. Quando ela chegou a escola já recebia olhares de raiva de algumas garotas, e de nojo de vários garotos, como todos os dias ela não ligava para isso, apenas ia para a sala e ficava lá até o final do turno das aulas

.

.

Ao longe um garoto de cabelos e olhos negros como carvão, sua pele branca que nem papel, e um sorriso esculpido em sua boca olhava aquela azulada, ele estava a seguindo para saber onde ela iria, para no final do dia ele acabar com a vida dela como fez com todas as suas outras vítimas, ele ficou do outro lado da rua a olhando pela janela da sala, a garota olhava atentamente para o que a professora falava, e aquilo estava começando a entediar o moreno

.

.

Muitas horas se passaram e estava na hora do almoço, a azulada saiu da escola e começou a andar pelas ruas da cidade, o moreno começou a seguir de longe para não ser visto, mas mesmo que ele estivesse perto ela não o veria ou o notaria pois a garota estava no mundo da lua, ele a seguiu até que a mesma parou na frente de um restaurante e logo entrou, ele ficou do lado de fora a olhando, em alguns minutos ela saiu segurando uma pequena sacola e seguiu seu caminho até sua casa, o que não demorou muito

.

.

O moreno já estava irritado de apenas seguir sua vítima, queria a matar logo para ver seu sangue escorrer pelas suas mãos, seu delicioso sangue quente escorrendo pelas suas mãos, quando eles chegaram finalmente a um local era a casa da azulada, ele deu a volta na casa depois da garota entrar e ficou analisando para ver como ele entraria para a matar de noite, ele viu um local onde ele poderia subir e para testar se daria certo ele subiu e acabou indo parar na frente da janela do quarto da azulada, ele iria entrar mas quando escutou a porta do quarto ser aberta ele se escondeu em um local e ficou espionando através da janela

.

.

P.O.V Anyel

.

.

Eu estava em meu quarto, estava brava com meus "pais" pois eles não se importavam comigo, apenas com minhas notas da escola, que tem que ser perfeitas, mas com a minha irmã é totalmente diferente, ela é uma vagabunda eles ficam a mimando ainda, pelo amor de santo Lúcifer. Depois de ficar xingando eles e andando de um lado para o outro no quarto eu separei uma roupa e fui pro banheiro, tomei um bom banho demorado, depois sai me sequei e coloquei minha roupa, logo voltando ao quarto e me jogando em minha cama, peguei meu note e comecei a ver algumas coisas de terror no youtube, até que eu comecei a ver ou melhor rever a Creepypasta do Jeff The Killer

.

Eu soltei um suspiro e me levantei da cama logo peguei minha pelúcia estranha de coelho, ela era dividida em duas cores, uma era branca com um olho em formato de X negro, o outro lado era negro com um colho enorme vermelho sangue, e tinha um sorriso macabro costurado em sua boca, eu comecei a rodopiar pelo quarto e a falar com a pelúcia no qual a dei o nome de Wirka

.

-...Wirka deve ser muito bom ser um assassino não? Tipo olha pro Jeff The Killer ele é um assassino, ele é livre, ele pode fazer tudo que ele quiser na hora que ele quiser, eu queria poder ser ele - Eu falei e logo parei de rodopiar e olhei minha pelúcia no fundo de seu olho, eu não sei porque falava com ele, minha pelúcia nunca me responderia mesmo

.

Eu suspirei de forma pesada e voltei a me deitar na cama e fiquei vendo vídeos e mais vídeos do Jeff, eu estava me sentindo observada, mas era só impressão minha tenho certeza, quando era de noite eu fui a cozinha e preparei o jantar, jantei com meus "pais" e minha "irmã", eles perguntaram como iam minhas notas eu respondi o de sempre "Bem" depois disso eles saíram e eu lavei, sequei e guardei toda a louça, sim eu sou meio que a empregada deles, depois de terminar tudo eu voltei ao meu quarto, entrei e fechei a porta logo a trancando, peguei meu pijama e fui ao banheiro, me troquei e voltei, logo deitei na cama e não demorou muito para que eu dormisse

.

.

P.O.V Jeff

.

.

Finalmente todos dessa casa foram dormir, eu finalmente posso matar todos, começar pela garota, talvez eu usei ela antes de a matar, eu abri a janela calmamente e entrei no quarto dela, para uma garota o quarto dela é bem desorganizado, eu andei até a cama dela sem fazer barulho já com a minha faca em mãos, parei ao lado da cama a olhando, fiquei sei lá quanto tempo olhando ela, levantei a mão para a atacar, mas não conseguia abaixar ela, porque eu não consigo matar ela? Será que eu perdi a vontade de matar? Não não pode ser isso, foi então que as palavras dela voltaram a minha cabeça "Wirka deve ser muito bom ser um assassino não? Tipo olha pro Jeff The Killer ele é um assassino, ele é livre, ele pode fazer tudo que ele quiser na hora que ele quiser, eu queria poder ser ele"  Ela queria ser eu? Ela realmente queria ser eu? Um assassino? Ela gostava de mim? Tantas perguntas idiotas, eu abaixei a mão e andei até a porta do quarto dela, deu uma última olhada no quarto e para ela, dormindo serenamente na cama, depois saí do quarto

.

.

Algumas horas se passaram já estava amanhecendo, eu havia apenas matado a irmã daquela garota, já que pelo que notei ela odiava sua irmã, quando eu saí de lá comecei a andar para os fundos da casa para poder entrar na floresta já que os fundos da casa dela davam para a floresta, quando eu comecei a entrar no meio das árvores eu me virei para olhar a casa por uma última vez antes de voltar amanhã para matar os pais dela, pude ver que a garota já estava acordada e estava andando de um lado para o outro no quarto. Parei de a olhar e fui embora andando entre as árvores para chegar a minha casa


Notas Finais


Gente eu me esforcei pra tentar deixar isso coerente e bom, e bem espero que tenham gostado, eu não sei fazer capítulos tão grandes então me perdoem ~Dra. Creepypasta
.
Nos vemos no próximo capítulo, até mais ~The X
.
.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...