1. Spirit Fanfics >
  2. Mad world >
  3. Be smart

História Mad world - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Be smart


Mar'i estava no escritório há mais de vinte minutos, ela já havia explorado cada canto da sala buscando algo que lhe dissesse o que estava acontecendo. Nem seu tio Jason ou Alfred lembravam quem ela era, Mar'i tinha medo que algo tivesse feito algo ruim para eles. Agora ela estava sentada na cadeira do seu avô, as pernas balançando no ar enquanto esperava Alfred voltar. Não havia porta-retratos na mesa do vovô, o que era estranho porque ela adorava aquela foto que os dois tinham juntos. 

Ela se inclinou sobre a mesa e deitou a cabeça entre os braços, então a porta se abriu e passos suaves entraram, Mar'i ergueu a cabeça e encarou Bruce Wayne. 

-Senhorita.

-Vovô! - Mar'i voou da cadeira até Bruce e o agarrou pelo pescoço em abraço apertado. - Eu estou com medo.

Bruce a segurou com cuidado, caminhou até o sofá onde se ajoelhou e a sentou em meio às almofadas. Mar'i se afastou sentindo que aquele não o que deveria ser. 

-Vovô, você sabe quem eu sou? - ela indagou se encolhendo. Bruce a olhou com seus olhos analíticos e frios. 

-Alfred disse que seu sobrenome é Grayson, isso é verdade?

-Mar'i Grayson. 

-Qual o nome de seu pai?

-Richard Grayson, mas todos o chamam de Dick. - Mar'i olhou para suas mãos e apertou o casaco entre os dedos, piscou os olhos deixando as lágrimas caírem. 

-Calma, criança. Está tudo bem. Não precisa chorar. Mar'i, por favor se acalme. - Bruce acariciou o cabelo dela de uma maneira meio indiferente. 

-Você não sabe quem eu sou, vovô. Tio Jason não sabe quem eu sou e Alfie também não. Eu quero a mamãe e o papai. 

Mar'i voltou a chorar e Bruce pareceu suspirar irritado. 

-Se você é filha de Dick, quem é sua mãe? 

-Koriand'r.

-Kory? - Mar'i assentiu limpando novamente as lágrimas. - Quantos anos você tem?

-Sete. 

-Como você chegou aqui?

-Alguns homens maus invadiram o jardim, você me mandou descer para que eu ficasse segura, então eles apareceram e tinha aquele negócio brilhante e eu toquei nele, e agora você não lembra quem eu sou. - Mar'i soluçou voltando a chorar. Bruce estendeu a mão para limpar as lágrimas dela, havia algo de gentil em seu toque que rapidamente a fez parar de chorar.

Bruce se levantou e afastou-se dela. Mar'i puxou as pernas para cima do sofá e as abraçou tentando se sentir mais confortável.

-Fique aqui, criança. 

Mar'i observou seu avô sair da sala, ela jogou a cabeça para o lado e mordeu o lábio com força. 

-Você tem que ser forte, starshine. Tem que ser corajosa. 

Respirando fundo para ter coragem Mar'i pulou do sofá e correu até a mesa, buscou a agenda do vovô e a folheou até encontrar o número de seu pai, rapidamente pegou o telefone fixo e digitou o número. Precisou apenas de dois toques até a voz de seu pai soar.

-Bruce, algum problema? 

-Papai, é a Mar'i. Venha pra casa do vovô, eu estou com medo.

-Quem está falando? - seu pai indagou. Mar'i soluçou chorando. 

-Papai, por favor. Eu estou com muito medo.  

-Ok. Ok. Se acalme. Onde você está? 

-Na casa do vovô. 

-Seja mais específica.

-Casa do vovô Bruce. 

-Bruce Wayne?

-Sim. Vovô me deixou aqui e tio Jason está sendo um bobo. Papai, por favor. - Mar'i insistiu batendo com força contra. 

-Calma. Eu estou lhe ouvindo. - ele disse como sempre dizia quando ela estava agitada demais.

-E traga a mamãe. 

Mar'i bateu o telefone com força e torceu a boca irritada. Ela voltou para o sofá e esperou seu avô voltar, dez minutos depois Alfred apareceu na porta avisando que o jantar estava sendo servido. Mar'i o seguiu até a sala de jantar e observou a mesa posta apenas para uma pessoa. 

-Vovô não vai jantar comigo? 

-O mestre Bruce está ocupado. - Alfred explicou ajeitando o guardanapo sobre as pernas dela. 

-Então você vai jantar comigo, Alfie? 

-Claro, senhorita. 

Mar'i sorriu quando Alfred se sentou ao seu lado e lhe serviu seu jantar. Ela conversou animadamente com ele lhe dizendo tudo o que precisava saber sobre ela, todos os seus gostos e todas as maravilhosas habilidades. Então Alfred a levou até o segundo andar para o antigo quarto de Dick, Mar'i observou admirada o quarto do papai e aceitou as roupas de dormir que Alfred lhe deu. Ela dormiu em meio os lençóis brancos e os travesseiros de pena, sua mente vagava para seus pais, a canção de ninar de sua mãe e as histórias de seu pai. Mar'i pensou em seu família e sonhou com eles.

×××

Mar'i acordou com o barulho de vozes altas vindas do andar de baixo. Ela saltou da cama e saiu do quarto, flutuou pelo corredor até a escada fazendo silêncio, lá embaixo ela pode ver as sombras se movendo. Mar'i desceu a escada e se sentou nos últimos degraus esperando ouvir a conversa. 

-Essa garota me ligou, me chamou de pai e disse que estava na casa do vovô Bruce. - Dick disse. Mar'i se inclinou para frente para ouvir melhor a conversa. - Você tem algo a dizer.

-Mar'i te ligou? - Vovô Bruce indagou parecendo um pouco surpreso. - Essa garota é impulsiva igual a você. 

-Quem é ela, Bruce?

-Eu não sei ao certo. Ainda estou analisando. 

Mar'i segurou o corrimão e inclinou o corpo em direção as vozes. 

-Como assim analisando? 

-É complicado. A garota apareceu do nada e disse coisas que não pareciam reais. 

-De quão reais estamos falando? - Mar'i arregalou os olhos ao ouvir a voz de sua mãe, seu corpo foi para frente desejando ouvi-la ainda mais, porém seu pé escorregou e ela se viu caindo contra o piso de madeira.

Soltando um gemido de dor Mar'i se sentou no chão, passos rápidos vieram em sua direção e grandes olhos surpresos a encararam. 

-Você está bem? - Koriand'r indagou se ajoelhando à frente dela. Mar'i mordeu o lábio e olhou para sua mãe, seus olhos gentis e seu cabelo vermelho eram as principais características dela. - Foi apenas um corte.

Mar'i franziu a testa e então olhou para seu joelho, havia sangue se espalhando pelo tecido de sua calça, muito sangue. 

-Eu vou morrer. - ela murmurou olhando pasma para o sangue. - Eu sangrarei até morrer. 

-Não seja exagerada. - sua mãe disse balançando levemente a cabeça com um sorriso no rosto. - Apenas teremos que limpar o sangue e tudo vai ficar bem.

-Terão que amputar a minha perna e eu nunca poderei fazer nada. 

Mar'i jogou o corpo para trás, mas antes que pudesse cair no chão os braços de sua mãe a seguraram.

-Garotinha, não seja dramática. - ela pediu ainda sorrindo. 

-Eu vivo para ser dramática, mamãe. - Mar'i afirmou. Kory então a soltou e ela caiu de costas no chão. 

-Mamãe? Do que você está falando? 

Mar'i olhou para sua mãe, então para seu pai que tinha um olhar confuso e para seu avô que balançava a cabeça levemente irritado. 

-Acho melhor irmos para a caverna. - Bruce disse já liderando o caminho. - Mar'i peça a Alfred para lhe ajudar com seu ferimento.

-Ok, vovô. - ela murmurou enquanto flutuava. Dick a olhou incrédulo enquanto Kory ainda parecia em choque. Mar'i sorriu para eles e antes de flutuar pelo corredor até a cozinha, Alfred nunca dormia e ela sabia que sempre o acharia ali. 

-Vejo que já está acordada, senhorita Grayson. E também machucada.

-Mamãe e papai estão aqui, mas vovô me mandou para cá. Eu me machuquei, Alfie. - ela disse se sentando na ilha da cozinha e estendendo a perna. - Você vai tirar minha perna? 

Alfred sorriu e então pegou o kit de primeiro socorros no armário. Mar'i franziu a testa.

-Vai doer muito?

-Apenas não se mexa. - ele pediu enquanto passava o algodão sobre o ferimento. Mar'i fez uma careta, mas não falou nada. Alfred lhe deu um sorriso gentil. - Você me lembra muito seu pai.

-Você sempre fala isso. 

-Então eu acho que tenho razão.  

Mar'i sorriu abertamente. Sua mente infantil lutava para entender o que estava acontecendo, ainda era tudo muito confuso e complicado, mas agora ela tinha seus pais ali e tudo ficaria bem.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...