1. Spirit Fanfics >
  2. Madame Fleur >
  3. Capítulo Único

História Madame Fleur - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá! Mais um dia de desafio!

O tema de hoje é "uma previsão do futuro" e será a primeira vez que estou contando uma experiência não real aqui, pois morro de medo de saber que fim levarei e nunca me aventurei por essas terras de previsão.

Boa leitura <3

Capítulo 1 - Capítulo Único


Em um mundo tão incerto como esse em que vivemos às vezes nos sentimos em um labirinto escuro, sem saber para onde ir ou quais decisões tomar pelo caminho. Em dias assim uma olhadinha no futuro nos ajudaria muito, talvez fosse possível até testar os resultados de cada escolha para garantir o alcance dos melhores finais.

Joane acordou cedo e já começou a sua sagrada faxina de sábado, mas ela estava em um desses dias em que gostaria muito de poder bisbilhotar seu próprio futuro. Com a vassoura na mão e um pano qualquer no ombro direito ela ia limpando cada canto do apartamento pequeno, deixando tudo ao seu redor muito bem arrumado e impecavelmente limpo.

O problema era que dentro da sua cabeça tudo estava uma bagunça e ela não parava de pensar sobre o possível fim do seu relacionamento, as possibilidades minúsculas de conseguir um emprego logo após se formar, questionava suas capacidades profissionais, se ficaria na cidade onde estava ou se mudaria outra vez e inúmeras outras dúvidas que pediriam por decisões capazes de mudar sua vida inteira em um piscar de olhos.

Como mágica, enquanto limpava a janela da sala um pequeno panfleto passou voando por ela e caiu no chão aos seus pés. Joane abaixou-se para pegar o papel e dar um fim nele na lixeira mais próxima, mas ficou paralisada e assustada ao ver do que se tratava, pois era um panfleto de uma cartomante. Havia a foto de uma mulher, que aparentemente era conhecida como Madame Fleur, excessivamente adornada de joias e cores, em uma sala escura de fundo arroxeado e munida do famoso baralho capaz de prever o futuro.

Era tudo o que Joane precisava para sanar as suas dúvidas e orientar suas decisões e, sem pensar duas vezes, ela correu para o quarto e se trocou em segundos, seguindo pelas ruas até o endereço indicado no abençoado panfleto misterioso que entrou voando pela sua janela e que com certeza era um sinal do universo para as resoluções que viriam.

Talvez a garota tenha se perdido e se encontrado uma ou duas vezes pelo caminho, mas no fim se viu de pé olhando diretamente para uma porta larga e adornada de arabescos que era a entrada para a sala da cartomante que provavelmente mudaria sua vida. Apertou o interruptor e escutou o leve soar da campainha que foi seguido por um destrancar da porta.

Joane olhou para a maçaneta e girou lentamente enquanto via a porta se abrir para um corredor escuro, iluminado por pequenas velas ao longo das paredes. Foi andando meio temerosa até a porta seguinte que era delimitada por cortinas arroxeadas como no panfleto e parou diante da mulher de olhar incisivo sentada na mesa à sua frente.

– Olá, minha querida! Eu já estava esperando sua visita – disse a mulher, fazendo sinal para a cadeira vazia à sua frente – Sente-se, por favor!

– Olá, Madame Fleur! – falou Joane, um pouco assustada com a hospitalidade inesperada.

– Me diga o que te preocupa, minha querida. O que te trouxe até aqui?

– Sendo sincera, um folheto – disse Joane – Gostaria de dar uma olhada no meu futuro, algo que pudesse guiar as minhas decisões do presente para que eu não estrague tudo o que está por vir.

– Sinto sua aura de insegurança desde que você chegou na esquina dessa rua – sussurrou a cartomante, lançando um olhar furtivo para a garota enquanto embaralhava suas cartas – Antes de começarmos, me permite te ofertar um conselho?

– Claro!

– A insegurança faz com que você escolha errado, então feche os olhos para ela e escolha com o coração – disse ela, estendendo um leque de cartas na mesa e pedindo que Joane escolhesse três delas – Concentre-se e escolha!

Joane olhou para as cartas à sua frente e viu os detalhes prateados no verso delas, em seguida fechou os olhos e seguiu o conselho fresquinhos de Madame Fleur, deixando que seu coração escolhesse as três melhores cartas para que ela pudesse entender o seu futuro e ser capaz de saber as decisões mais confortáveis que deveria tomar.

Escolha feita, Fleur pegou as três cartas e as separou do restante, deixando-as bem na frente de Joane. A cartomante fixou seus olhos nos da garota e parecia enxergar até sua alma, naqueles olhos verdes ela viu um universo inteiro, ela viu muitas emoções perturbadas, viu certezas irreais e medos excessivos, viu dor e culpa, mas também viu um coração extremamente amoroso, uma energia real carregada de bondade e força.

– Vejo muitas coisas em você, mas deixarei as cartas te orientarem – disse a Madame, virando a primeira carta – Os Enamorados!

– O que isso quer dizer? – perguntou Joane, aflita para saber o que o futuro a reservava

– Quer dizer que talvez seja o momento de tomar uma decisão importante no seu relacionamento amoroso, vejo indecisão pairando pela sua mente mesmo com a certeza do amor – falou ela – Você está preocupada com o futuro dessa relação e essa carta te diz que a comunicação é um aspecto crucial entre vocês.

– É mais ou menos isso mesmo – falou Joane, vendo-a virar a próxima carta.

– O Eremita! Essa carta te diz muitas coisas – disse a cartomante – Todas as respostas que você procura estão dentro de você, minha querida. Pense bem antes de tomar todas essas decisões necessárias, medite as opções e a resposta virá como uma luz, pois seu coração sabe para onde quer ir. Porém um alerta, não tire os pés do chão, quem muito olha para dentro acaba por se perder no seu próprio mundo e não consegue mais refletir a luz daqui de fora.

– Isso não contradiz todo o seu trabalho? – perguntou ela – Não quero ser indelicada, mas se posso achar minhas respostas sozinha não existe necessidade de um trabalho como o seu.

– Muito pelo contrário, Joane – falou Fleur, amigavelmente – Se você não viesse até mim, jamais saberia que essas respostas sempre estiveram com você. Eu te dou o conhecimento para ter a segurança necessária para procurá-las em seu interior, se assim o Eremita me permitir.

– Agora fez um pouco mais de sentido – respondeu Joane, ansiosa pela última carta que foi virada logo em seguida.

– O Mundo! – disse Fleur, com um sorriso – Encontradas as decisões dentro de você, é hora de finalmente se decidir e essa carta te alerta quanto ao perigo de viver em um passado obscuro e te indica que o novo é sempre melhor, as mudanças sempre valem a pena!

– Deixa eu ver se entendi. Preciso olhar para dentro de mim e lá encontrarei as respostas que tanto anseio, além das duas que já recebi aqui quanto ao meu relacionamento e as novidades pelo caminho.

– Exatamente, minha querida! – falou a cartomante, mexendo os braços lotados de pulseiras barulhentas – São decisões que só você pode tomar, mas você saberá exatamente qual caminho seguir, por meio do uso de sua parcimônia e coragem.

– Muito obrigada, Madame Fleur! – disse Joane, levantando-se da cadeira e agradecendo – Foi uma experiência esclarecedora.

No caminho de volta, Joane ficou pensando sobre o que aprendeu. Saber sobre o futuro não era questão de prever o que aconteceria, mas de aceitar o que viesse sabendo que qualquer decisão tomada seria o melhor naquele momento. Joane não teve nenhuma resposta do tipo “faça isso” ou “escolha aquilo”, mas soube de inúmeras coisas do seu futuro e estava totalmente preparada para ele, encontrando em si mesma as melhores respostas. 


Notas Finais


Foi isso!

Acho que não foi o melhor que eu poderia ter feito, mas foi o melhor que consegui fazer diante da confusão em que estou mergulhada no momento.
Obrigada por estarem viajando comigo nesse desafio! Um abraço e até amanhã <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...