História Madly Mad In Seul - Capítulo 7


Escrita por: ~ e ~Wielle

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Adolescente, Bangtan Boys, Bebidas Alcoólicas, Colegial, Jikook, Kookmin, Namjin, Taeyoonseok, Viagens
Visualizações 158
Palavras 2.182
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Festa, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Nos vemos nas notas finais.

Espero que gostem (≧0≦)
°
°
Boa leitura >•<

Capítulo 7 - Six


Fanfic / Fanfiction Madly Mad In Seul - Capítulo 7 - Six

 Capítulo 06


×Demasiadamente gay×








— Escuta aqui... - disse, com os dentes rangendo - Quem você pensa que é pra ficar assim, de papinho com meu Jimin? 

A falsa cara de confusão do rapaz - que, sem perceber, eu já odiava - me dava vontade de socá-lo. 

Já me bastava ter que aguentar ele se jogando em cima do Jimin na minha frente, agora teria que suportar expressões fingidas? 

— Perdão, quem é que está me perguntando isso mesmo? Ah, é... - continuou - Jeon Jungkook, o cara que tem faminha de pegador, que provavelmente nunca teve um relacionamento sério com alguém por sua infantilidade, que diz ser hetero e que fez o "seu" Jimin chorar.

Jong-soo já tinha trocado de expressão - e aparentemente de personalidade também - em segundos. Eu não sabia o que dizer, e não tinha uma resposta pronta pra esse tipo de situação. 

— Ah, Jungkook, você vacila tanto... - ele nega com a cabeça enquanto anda pela área ao nosso redor, me encarando pelo canto de seus olhos - Se Jimin é seu, como você mesmo disse antes, por que não o trata como tal?

— Eu o trato como meu...

— Ah, cale a boca! "O trato como meu"! A pinóia que você trata ele como seu! - ele estava visivelmente irritado - Porra, Jungkook, você estava quase beijando o Jimin enquanto ele ainda estava desmaiado! D-E-S-M-A-I-A-D-O! Imagina se ele acordasse e ficasse com trauma porque um colega que dizia ser hetero e pagava de amiguinho o abusou enquanto esteve desacordado... Dá pra entender o tamanho da merda que você quase fez, Jeon? 

— Eu não ia o beijar, ia fazer respiração boca a boca! - me expliquei - Mas espera... Eu não te devo explicação nenhuma, afinal, o que você é do Jimin?

— Respiração boca a boca?! Aish... O Jimin não merece passar por isso. - revirou os olhos - Eu, por enquanto, não sei o que sou do Jimin... Mas pode ter certeza que futuramente eu serei tudo isso que você não 'tá sendo.

— O quê?

— Ah, você não entendeu? Eu disse algo muito avançado para a sua pequena mente compreender? - ele fez uma breve pausa, e uma falsa cara de inocente - O Jimin será meu, Jungkook. Meu.

— Acha mesmo que ele vai querer você? - retruquei - Ele te conheceu agora, e tenho certeza que nem vai querer ouvir seu nome quando souber o quão falso você é.

— Falso? - riu nasalmente - Desculpa, quem é que diz ser hetero mesmo?

Antes que eu pudesse responder, o mesmo já havia tomado sua direção à algum lugar qualquer - no qual eu torcia que fosse a puta que pariu, e que ele não voltasse de lá -. 

— Do que te importa se eu sou hetero ou não? - gritei, esperando que ele ouvisse - 'Tá querendo me pegar, é?

Sem resposta. Ele simplesmente me ignorou e continuou seu trajeto. 

— Cadê o Jong-soo? - a voz minimamente ofegante de Park Jimin invade o recente silêncio - Onde ele foi?

Por quê? Quer ir falar com seu novo amiguinho? "Amiguinho"... Aish... 

A partir de hoje, estarei de olho em você, Jimin... E na naja - digo, no Hyun - também. 

— Ah, ele deve ter ido embora. - respondi, simplista - Por quê? 

Ele suspira. 

— Nada, esquece... - ele olha para seus pés - Eu só queria falar com ele. 

Como é quê é? Eu ouvi bem essa caralha?

— Falar o quê exatamente? - perguntei curioso -.

O alaranjado apenas me olhou com deboche e cruzou seus braços branquinhos, ele pode tá fazendo uma cara de "E eu te devo satisfações?" mas mesmo assim continua uma gracinha de garoto pré-adulto com rostinho de bebê.

— Falar com ele, osh! - respondeu simples -.

Park Jimin não está sendo arrogante? O quê diabos esse Jong-soo fez nele? Feitiço? Será que esse gótico metido a besta é feiticeiro? Porquê se for, isso explica muita coisa. Para começar, explica a beleza fachada dele, na boa, como é que vêem beleza naquele filhote de cobra? Ele também deve ter feito uma poção para fazer o Jimin ver ele como uma pessoa dócil e adorável.

*Okay, talvez eu seja um pouquinho infantil a base disso*

Pobre Jimin, mal sabe ele que tá caindo na isca do predador e que vai ser "usado"...

Hey, espera ae...

AH MAS NÃO VAI!

NÃO VAI MEXER EM PARK JIMIN NEM A PAU!

— Licença? - uma voz feminina invade o quarto - Park Jimin, já pode ir.

— Ele vai pra casa? - falei, meio incrédulo - Tipo, a senhora sabe que ele ainda tem aula, e muitas para falar a verdade!

— Jeon cala a bo-

— Senhorita - me corrigiu - Não seja um aluno mal educado e deixe-me terminar de falar!

Senhorita? Não é isso nem aqui, e nem em Marte! Eu sei que umas mulheres com certa idade não gosta de ser chamadas de "senhora", mas, ôh porra, de longe vê que ela já é idosa!

— Muito obrigado, senhorita, mas minha mãe já voltou pra casa... - Jimin diz, timidamente - Não sei se é realmente necessário que eu vá, já que foi apenas um desmaio, não é mesmo? 

Isso, apenas um desmaio. Continue sabendo apenas disso, obrigado. 

— Oh... Mas jovem, você precisa repousar!

Porra, para de encher o saco do rapaz...  vai fazer tricô, jogar baralho, sei lá! 

— Eu já repousei bastante, já estou bem melhor e posso sim continuar aqu-

— Eu levo ele pra casa, dona Kwan - fala sério, alguém tinha que tirar o Jimin das garras daquela mulher -.

Minha fala foi respondida com olhares incrédulos de Jimin e de um sorriso da senhorita - que pra mim tá mais pra senhora - Kwan. 

Eu daria um jeito de não levar ele pra casa.

— Oh, que maravilha Jungkook! - exclamou - Jimin, já pode ir então.

O garoto apenas concorda com a cabeça, para cima e para baixo, parece estar confuso com isso.

[...]

— Jimin! Jimin! - o chamei - Jimin, me espera!

Eu corria em velocidade máxima pelo corredor, e Jimin corria mais rápido ainda. Até que finalmente parou. 

Mas não porquê eu pedi, e sim porquê ele iria pegar algo de seu armário.

— Jimin-ssi, você é rápido! - falei ofegante -.

— Tá, tá - respondeu sem dar muita atenção no que eu havia falado - Vamos logo.

— Então... - me apoio ao armário do lado do dele, conseguindo assim o olhá-lo perfeitamente - Você não vai pra casa não meu querido.

— Como assim, "não vou pra casa"? - ele fecha a porta do armário com força, fazendo um grande barulho -.

— É isso mesmo que ouviu. Você não vai para casa!

E me olhando de cima a baixo, o garoto solta:

— Se eu fosse você, pararia com essas brincadeirinhas estúpidas.

— Eu não estou brincando!

— Tá o quê então?

— Eu só pensei em que, com isso, nós poderíamos dar início ao trabalho.

"Ah" ele soltou com a boca.

— Jimin, que tal começarmos nosso trabalho indo num cinema bem famoso e turístico que tem aqui? Ele é bem retrô, por isso tem fama - dou uma pausa e me aproximo mais de Jimin, uma a proximidade na qual meu coração ficou acelerado - Além do mais eu... Eu queria ficar mais... Huh... - talvez não seja uma boa ideia dizer que quero ficar mais próximo a ele, não agora, vou dar um tempo nisso -.

— Queria ficar mais o quê, Jeongguk?

Ele falou manhoso? É isso mesmo? Alguém me ajuda!

Calma, calma, respira...

— Esqueça. Mas então, o quê acha?

— Você vai pagar tudo?

— Cada centavo!

— Oh - lançou - Bem, então pra mim está okay!

Sorri sem perceber o quão grande era ele em meu rosto, e, por impulso, abracei Jimin o fazendo tirar os pés do chão.

— Me solta! - ordenou, e eu cumpri -.

— Desculpa, me empolguei...

— Aham... - me fitou -.

Tão perto...

Tão lindo...

Tão único...

Tão gay! Jeon, pare com isso!

— Espero que esse cinema retrô seja bom.

— E é, mesmo sendo uma cópia de algum cinema do passado, ele é muito bom! E a pipoca então... Nem se fala! Eu vou te pagar uma, o maior balde que tiver! Assim verá que é a melhor pipoca que já experimentou.

— Nossa, você falando assim até parece que ela é banhada a ouro!

— Ah não, ela é banhada na manteiga mesmo.

— Eu estava brincando.

— Eu sei.

Há poucos minutos estávamos conversando distraídos, como nunca ficamos antes. Mas, agora, estamos nos olhando, um para o outro, profundo, eu não quero tirar meu olhar do dele, e aparentemente ele não quer também.

Isso é tão bom.

— Ah... Garotos?

QUEM É O FILHO DA PUTA QUE OUSA APARECER AQUI E ESTRAGAR A PORRA TODA?!

— Oi diretor.

Ainda bem que ele não lê mentes.

— Desculpa atrapalhar vocês com o... - parou, parecendo pensar bem no que falaria - com o quê seja lá quê estavam fazendo.

Sábio, muito sábio.

— Só passei aqui para avisar que já informei os professores que lhes dariam aula hoje, que não estarão aqui por motivos pessoais, mas não ficarão com faltas.

— Okay, obrigado!

O homem assentiu com a cabeça e saiu dalí, deixando apenas Jimin e eu.

— Eu... Eu vou... - ele parece meio perdido nas próprias falas - Eu vou tomar um banho no vestiário. Você vem?

Arregalei meus olhos, não posso acreditar, está me chamando para tomar banho com ele?!

— Tomar banho com você? Sim, eu vou!

— Tá, só não fica na cabine muito perto da minha, eu tenho vergonha...

Ah, ele não se referia a tomarmos banho juntos num chuveiro só...

Que bom, eu nem queria mesmo...

— Ah... Claro..! Eu vou pegar minhas roupas no armário e... - interrompi minha fala ao ver Jimin mordendo seu lábio inferior -.

Cara, como é que ele conseguia me fazer ter mais vontade ainda de saber o gosto daquela boca? 

Se eu pudesse, morderia até ela ficar toda vermelha e inchada. 

— E então,  - sacudi a cabeça e me concentrei no que dizia- nós dois tomamos banho e vamos ao cinema.

Ele assentiu com a cabeça e nós dois tomamos nossos devidos rumos. 

[...] 

No vestiário, pude ouvir o barulho do chuveiro em uma das cabines; Jimin. Mas não era só o som da água que podia se ouvir, uma canção era cantarolada de forma melodiosa e eu tinha certeza que era a voz do alaranjado. 

Tenho certeza que já ouvi essa música antes...

Serendipity! 

Assim que liguei meu chuveiro, em uma cabine moderadamente distante da cabine de Jimin, o som d'água ficou mais alto e não pude mais escutar a música que era cantarolada. 

Bem que ele podia cantar mais alto, né? 

Tomei um banho rápido, queria aproveitar ao máximo o tempo que teríamos juntos... Não que o cinema fosse longe da escola, mas demorava um tempinho para chegar lá de carro nessas ruas movimentadas. 

— Jimin?

— Sim? - respondeu, baixinho -.

Aquela voz seria capaz de me fazer perder o controle.

— Que... - respirei fundo e enrolei uma toalha em minha cintura para sair da cabine - Que horas são?

Ao sair da cabine só pude reparar em um Jimin de cabelos molhados, sem camisa, usando apenas uma boxer - que ele tentava desesperadamente tampar com sua toalha - e com o rosto corado. 

Tão fofo... 

Tão gostoso... 

— Eu pegava com força! - sussurei -.

— O quê disse? - perguntou -.

— Que horas são nessa porra! - nunca menti tão bem mentido como agora - É que deixei meu celular no armário e...

— Tá, tá. Faltam poucos minutos para às sete da noite.

— O quê? Mas já! Caraca... O dia passou rápido em!

E como passou. Eu voltaria no tempo para que tudo acontecesse novamente, claro que sem aquele idiota do Jong-soo, algo me diz que aquele cara vai ser uma pedra no meu sapato.

— Jeon?

— Sim?

— Vai ficar aí parado só de toalha ou vai se mexer para irmos logo? Ah, não! Não me diga que vai assim?!

Jimin começou a rir, provavelmente imaginou a seguinte cena: um nú coberto apenas com uma toalha em pleno cinema famoso de Seul

– Imagina se a toalha caís-

A expressão dele mudou, porque ele não terminou a fala? Não sei! Mas... Jimin? Que cara é essa? Tão... Provocadora e... Aish!

— O quê ía falar? - perguntei curioso, provavelmente esse era o fato da sua mudança de expressão tão repentina -.

— Oh, nada. Não era nada...

— Então qual foi a dessa cara aí?

— Suponhamos que eu pensei em algo que não deveria pensar - quê? -.

Bem... Vamos nos divertir um pouquinho, né?!

— Suponhamos que pensou em algo acontecendo comigo.

— Suponhamos que sim... -respondeu ele -.

— Oh - fiquei surpreso com a resposta - Então suponhamos que seja algo errado, certo? Porém um errado gostoso.

— Suponhamos que seja isso... - tá ficando envergonhado Jimin? -.

— Bem, então suponhamos que você viu algo assim.

Sem lerdeza nenhuma, tirei minha toalha da cintura, deixando minha parte íntima tampada com o boxer vermelho amostra.

Claro que Jimin tapou seus olhos, mas sim, ele viu.

— Suponhamos que sim, só que... Sem isso aí. - Jimin disse, referindo-se da boxer -.

Oh, ele me imaginou sem nadinha de nada no corpo...

Então suponhamos que eu te quero do mesmo jeito, só que na minha cama.

Só suponhamos mesmo.


Notas Finais


Olá leitores! ♡

Não sei bem o que dizer depois desse capítulo... Mas tá aí, povo!
No capítulo passado teve gente reclamando do cu doce do nosso Jikook maravilhoso... Pronto, agora eles pararam um pouquinho de doce rsrs
Esperamos que estejam gostando sz

E, como eu sempre digo, beijo na nuca de vocês ❤️🌚

~Wielle

вує вує 👋🌚♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...