História Madness (Camren) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane, Lauren Jauregui, Normani
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Visualizações 19
Palavras 1.050
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Luta, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Fala cambadaaaaaaaa
Hoje é meu aniversário mas quem ganha o presente é vocês!
Tá aí mais um cap
Comentem o que estão achando, assim fico com mais animo de escrever

Capítulo 3 - Capítulo 3


povs Camila

--Não querendo reclamar, mas já reclamando, eu to com a minha bunda dormente de ficar sentada aqui-- digo me remexendo

Já estava sentada nessa cadeira por horas, olhando pra cara da menina que me deu comida

--Você quer se deitar? -- perguntou ainda de olho no canivete que ela segurava, será que ela não se cansa de fazer isso?

--Seria bom, porém eu não estou vendo nenhuma cama aqui, olhos verdes-- digo com irônia

--Olhos verdes? -- pergunta levantando as sobrancelhas

--É, eu não sei o seu nome, e tenho certeza que você não vai me dizer, então vou te chamar assim já que seus olhos são verdes-- digo levantando os ombros

--Ta certo, você tem razão-- concorda e guarda o canivete na cintura -- Vamos, nós vamos sair daqui agora, cansei desse cheiro de poeira

Diz e vem até mim me desamarrando, mas dessa vez deixando minhas mãos ainda presas

--Você já sabe né? Não tente fugir, me obedeça se não você vai se da mal.

Logo sai me puxando, com delicadeza, pelos braços até subirmos uma escada e atravessar uma porta velha, vamos andando por um corredor que parecia de filme de terror, e quando vamos dobrar vejo o filho da puta que me bateu vindo em nossa direção

--Vai levar ela pro chefe J? -- pergunta todo prepotente -- Aposto que ele adoraria esse lanchinho

--É melhor você calar a boca e sair da minha frente, se não eu coloco meu canivete no teu pescoço e dessa vez ele não vai sair limpo-- diz a garota olhando pra ele e me puxa novamente pra continuar andando, esbarrando no ombro dele quando começa a andar

Vejo o cara respirando fundo e a olhando com ódio, mesmo com a bandana ainda no rosto era nítido que ele estava com o maxilar travado

Continuamos andando e subimos mais uma escada até parar na frente de uma porta, a qual a menina dos olhos verdes abre e manda eu entrar.

Obedeço e logo ela entra atrás de mim e tranca a porta

--Não faça eu me arrepender de trazer você pra cá por favor-- diz quando afrouxa as cordas da minha mão

--Por que você está fazendo essas coisas por mim? de todos os que já falaram comigo desde que estou nesse inferno, só você realmente se importou comigo e me ajudou com alguma coisa-- pergunto quando me sentei na cama que tinha ali, massageando meus pulsos que estavam doloridos

--Como eu já te disse, eu não concordo com eles, porém não tenho opções-- se senta no outro lado da cama-- Agora se deite e durma, o dia vai ser longo amanhã e nada bom

--O que você quer dizer com isso? -- pergunto fazendo o que ela me disse

Ela me olha como se quisesse me ver através da minha alma, e vejo no seu olhar triste uma batalha intensa entre sentimentos, como se ela decidisse se me contaria ou não

Ouço ela respirando fundo antes de fechar os olhos

--Amanhã eles vão pedi o seu resgate-- disse baixo, tão baixo que eu só escutei pois estava perto

Me encostei na cabeceira da cama processando todas as informações, se eles vão pedi o meu resgate logo eu vou está em casa, não é?

--É por que isso seria ruim? -- pergunto não entendendo nada

--Esquece isso, está na hora de você dormir -- diz se levantando -- Quer comer algo antes de dormir? -- Pergunta mexendo em uma gaveta

--Não, aquele bolo que você me deu mais cedo estava tão bom que eu comi mais do que eu devia, se eu não estivesse no meio do meu próprio sequestro eu juro que lhe perguntaria onde comprou-- digo

Escuto sua risada e logo ela se vira comendo o que parecia ser uma barrinha de cereal

--Fico feliz que tenha gostado do bolo que eu fiz

--Você quem fez?? Ta de brincadeira-- digo abismada

--É, quando você fica sozinha no mundo cedo, você aprende a fazer muitas coisas se não morre-- diz e de repente fica seria

Ficamos alguns minutos caladas só olhando uma pra outra quando ouvimos batidas na porta

Ela olhou assustada pra porta e arrancou a bandana, só tive tempo de ler seus lábios falando "finja que está dormindo agora!"

E logo fiz o que ela pediu

--Já vai-- escutei a menina falando enquanto abria a porta -- O que foi? --Escutei ela perguntar

--Onde a garota está? -- Uma voz grossa e nojenta perguntou pra ela

--Está dormindo, por quê?

--O chefe está mandando você levar ela, parece que as coisas não deram certo.

--Diz que eu já estou indo, só vou por a bandana.

Escutei a porta bater mais continuei de olhos fechados por alguns segundos e quando abrir ela já estava amarrando a bandana novamente

--O que foi? -- pergunto me levantando

--Eu não sei, temos que ir -- disse vindo pro meu lado e amarrando minhas mãos de novo

Saímos do quarto e fomos andando pro andar de baixo novamente e paramos em uma porta grande pra logo depois entrar

--Aqui está a garota-- diz e um homem de preto se vira na cadeira

--Já estava na hora-- fala se levantando e parando em minha frente-- Camila Cabello..... A jovem médica e Presidente do hospital dos Pais.... --Segura meu queixo o apertando -- POR QUE SEUS PAIS TEM QUE FAZER A PORRA DO SEQUESTRO SER TÃO COMPLICADO? ERA SÓ DA O DINHEIRO E PRONTO, VOCÊ IRIA PRA CASA, MAS AGORA VOCÊ VAI SOFRER, JÁ QUE SEUS PAIS QUEREM ASSIM, SE ELES QUEREM ME FAZER DE IDIOTA ELES QUE VÃO SER -- Diz e me empurra pra trás

--Leve ela pra sala, e batam nela, vamos mandar uma foto pros pais delas verem que não estamos brincando.

Depois disso a menina me puxou e levou até aquela sala andando de pressa

--DROGA, DROGA, DROGAAAAA-- a garota esmurrou a parede quando chegamos na sala que eu estava presa antes

--Que merda seus pais foram fazer com ele em? agora eu vou ter que bater em você a mando dele -- disse andando de um lado pro outro passando as mãos no cabelo

--Por favor não faz isso-- pedi já chorando

--Eu não tenho escolhas-- disse baixinho e veio pra cima de mim, e a última coisa que eu fiz foi fechar os olhos....


Notas Finais


Iae? Eu volto assim que eu tiver retornos positivos :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...