História Madness Starts Here - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Arlequina (Harley Quinn), Batman, Esquadrão Suicida
Personagens Bruce Wayne (Batman), Comissário James "Jim" Gordon, Coringa (Jack Napier), Harleen Frances Quinzel (Harley Quinn / Arlequina)
Tags Arlequina, Batman, Coringa, Esquadrão Suicida, Harley Quinn, Jack Napier, Joker, Suicide Squad
Visualizações 43
Palavras 1.866
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Romance e Novela, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu sinto muitíssimo por deletar essa história tempos á trás, mas eu tenho motivo... Bom, tinha uma pessoa que estava plagiando a fanfic e isso me desanimou tanto que pensei: "Melhor apagar pra pessoa não plagiar mais", já que denunciar não tinha resolvido nada. Mas que coisa de se pensar, não é? Mas eu tinha acado de fazer 15 anos, por favor não julguem.

Eu espero que ainda tenham pessoinhas lindas que vão continuar lendo. <3

Capítulo 5 - Apreensão


Jack Napier

- Grávida, amor? - Ri, mas na verdade estava soando frio. - C-como?

- Não se faça desentendido, Jack! - Ela segurou minhas mãos, as dela quentes e as minhas frias como gelo. - Você sabe muito bem como colocou um bebê em minha barriga!

Sim, é claro que eu sabia. Ter um filho com ela não estava em planos sobre o que ganhar esse ano... Não senti a euforia por saber disso, não senti compaixão, alegria, animação, ansiedade pelo novo bebê, na verdade eu não senti nada... Absolutamente nada.

- Está feliz? - Ela perguntou ao olhar a minha expressão. - Sei que não falamos disso... Mas olha, estamos casados tem bastante tempo e ter um filho é normal a essa altura da vida.

Finja, finja que está feliz! Você não quer estragar tudo, não é? Agora que as coisas estão melhorando.

Não ouça! Você não quer, nunca quis um filho, por que mudar de ideia agora?

Apenas finja, Jack, ela não precisa saber que não está sentindo nada. Minta para ela.

- É claro que estou feliz! - Dei o meu máximo para forçar um sorriso largo. - Só não imaginava que seria assim tão rápido e tão de repente, mas é claro que estou feliz!

Jeannie me deu mais um abraço, muito mais apertado que o outro, em resposta acariciei suas costas levemente.

- Vou te apoiar em cada momento.

- Eu sei que sim. Vamos cuidar deste bebê juntos e finalmente a nossa família estará completa! Você, eu e nosso filho.

Nosso filho.

Por que era tão amargo pensar isso? Por que tinha um gosto ruim na boca?

Ela está me enjoando!

Não diga isso, ela te ama e você deve ama-la de volta.

Só porque uma pessoa te ama não quer dizer que deva ama-la também. A escolha tem que ser sua.

Eu a amava? Sim, claro que sim, não é?

Não.

Sim.

Não.

Eu não sabia a resposta.

- Quer sentir? - Ela perguntou e puxou a mão em direção ao seu estômago sem esperar a minha resposta.

- Não sinto nada... - Disse ao sentir apenas a barriga plana dela.

- É que só tem algumas semanas. Logo estará tão grande que eu mal conseguirei ficar de pé de tanto peso. - Sinceramente eu não sabia que se ela estava exagerando ou não.

***

Arlequina

- COMO ISSO PODE ACONTECER?! - Gritei com a toda a minha fúria, no entanto o que queria mesmo era poder bater e jogar a mesa em alguém, mas aquela maldita camisa de força estragava tudo. E sabe o que mais estraga tudo? - Jeannie, não é?

- Sim, mas como a gente ia intervir em uma coisa dessa? - Meu capanga preferido, Jonny "Congelado" Frost, era uma boa pessoa, um excelente criminoso, não que eu fosse admitir isso para ele é claro, mas o cara fazia os serviços com uma rapidez e eficiência muito boas.

- Desse um tiro nela no meio da rua "sem querer", ela quebrar alguma parte do corpo, eu sei lá! - Bufei irritada.

- Chefe, você é mais inteligente que isso. - Ele andou pela cela.

Naquele hospício era muito fácil se infiltrar. Tudo o que ele precisava fazer era se disfarçar se enfermeiro e apesar de ser um criminoso ele não tinha cara de um. Sempre que tinha novidades Frost me contatava imediatamente. Seu novo e exclusivo serviço agora era nada mais nada menos que vigiar o meu psiquiatra, Jack Napier. Não era uma tarefa muito difícil, já que ele passava a maior parte do dia comigo aqui no Arkham, o problema mesmo era quando ele ia para casa. Não queria que ele descobrisse que estou no seu pé, porém não podia deixa-lo sozinho... Eu fazia isso com todos, precisava descobrir a suas fraquezas quando eu não estivesse por perto, sempre funcionava e era uma ótima maneira de destruir os psiquiatras que passaram. Sendo a vilã que sou, eu sempre consigo o que eu quero.
Jack era diferente dos outros, eu sentia a ambição nele, não que os outros não tivessem, mas a dele era diferente. Ele todo tinha um ar diferente, algo nele me intrigava, não era um psiquiatra sóbrio, Jack esconde algo e vou descobrir.

Tudo estava indo perfeitamente bem nas primeiras consultas com ele, até eu colocar Jonny em sua cola. Descobri que tinha uma esposa, bem, bem... Vejamos, uma casa simples? Podemos dizer que sim. Família? Ah, isso ainda me era um segredo, não por muito tempo é claro, eu ainda não coloquei ninguém para averiguar isso.

- Quero que descubra se ele tem alguma família, ou se a putinha da esposa dele tem. - Disse firme ao meu capanga. - Sei que vocês não podem impedir aquela lá de engravidar do meu psiquiatra. Todavia podemos acabar com a vida do bebê, ela engravidar não vai ser um problema um mim. Tenho grandes planos, e esse bebê não está neles e muto menos ela.

- Quer que acabemos com o bebê agora? - Perguntou.

Fiz uma careta.

- Não, tenho a pessoa perfeita para cuidar disso. - Sorri.

Eu sabia exatamente quem iria executar.

***

Jack Napier

Mais um dia de trabalho. Hoje eu ia animada, ficar em casa nos últimos dias tem sido estressante, Jeannie só fala do bebê e as pessoas que vão visita-la só falam do bebê. Não era nem formada direito e já tinha mais atenção do que eu e Jeannie tivemos em anos.

Assim que entrei na cela encontrei a loira que fazia meu corpo inteiro se arrepiar apenas com um olhar. Estava sentada na cadeira, em frente a mesa, me sentei de frente para ela.

- Bo... - Ela me interrompeu com um mal humorado.

- Oi, Dr. Jack. - Colocou os braços sobre a mesa. - Tiraram a minha camisa de força.

- Parabéns, vejo que não está agressiva. - Disse rápido. - Mas uh... Eles cederam ao meu pedido, sem mais câmeras ligadas aqui.

O olhar dela tomou um brilho inexplicável.

- Oh, finalmente uma boa notícia aqui! - Pulou da cadeira com um baque. - Nesses dias sem você aqui eu pensei muito.

- Isso é ótimo! - Liguei o gravados, mas ela o desligou.

- Sem isso. - O segurou e o apertou.

- Não quebre! Quer usar camisa de força outra vez?

Ela colocou de volta e fez um bico.

- As câmeras desligadas são algo perfeito, não acha? - Ela se aproximou mais de mim, seus shorts rasgados estavam mais rasgados ainda e sua blusa... Só restavam trapos cobrindo os seios e parte das costas e barriga, mais tatuagens naqueles lugares.

- Por quê?

- Ah, você sabe... Mais privacidade. - Lambeu os lábios os molhando, acompanhei cada movimento com muito tesão.

Arlequina me enchia de ansiedade, pensamentos impuros e nada bons, mas era tão incrível sentir aquilo tudo. Adrenalina, emoção, tudo isso com apenas uma pessoa, era fantástico.

Tão fantástico que mal senti ela sentando em meu colo.

Nunca me senti tão vulnerável quanto naquele momento, assim que ela colocou os braços ao redor do meu pescoço e jogou a cabeça para trás fazendo seus cabelos terem um movimento extremamente sexy, quando ela encaixou a sua intimidade a minha... Era algo que eu não podia controlar, não sei se porque era meu corpo respondendo á ela ou se apenas era porque eu não queria.

- É mais um gravador no seu bolso ou está excitado comigo no seu colo? - Ela quase riu de mim.

Rebolou lentamente para me provocar.

- Quer isso, Jackzinho? Você me quer? - Sussurrou em meu ouvido fazendo todo o meu corpo ter um choque elétrico. - Não consegue responder? - Seu hálito quente em meu pescoço.

Ela vai nos matar...

Não, ela quer transar!

Mas e eu? O que eu queria? Ah, eu queria ela... Eu desejava ela como nunca desejei ninguém antes. Era impuro e incerto, errado e nojento? Não, apenas errado.

Por cima de minha caça eu podia sentir tudo dela com aquele projeto de short. Sentia sua bunda arrebitada inclinada para mim, sua intimidade era quente dava para sentir. O corpo firme dela, o grande decote perto do meu rosto revelava uma parte dos seios, eram maravilhosos A pele pálida, o cheiro... Ela era um droga.

- Opa... Acho que são dois gravadores agora... - Riu baixinho.

- Arlquina... Eu não acho uma boa ideia...

É uma ideia perfeita!

É uma ideia sensacional.

Vai ser uma transa incrível, olha só para ela!

Cede, Jack, cede...

Ela passou a língua pelo meu pescoço depois de dar dois beijos ali, e então sugou a minha pele com tanta força que achei que ia arranca-la. Senti algo em mim pulsar, e eu sabia exatamente onde estava pulsando.

- Me beije. - Ela ordenou rígida olhando para mim. - Me beije agora.

Eu não questionei, eu queria. Ninguém vai ver, ninguém vai saber.

Quase que me jogo para ela de tanta vontade de beija-la. A segurei pelo pescoço e juntei nossas bocas com força, ela gemeu e eu adorei o som.

Sua boca estava quente, mas tinha um gosto tão maravilhoso! O som de nossas bocas se colidindo, o jeito como apertei sua cintura com força e ela correspondeu.

Arlequina me puxou mais para ela, e propositalmente passou seus seios por minha camisa de botões, um arrepio passou por mim. Seus seios eram firmes, mas não duros. De tamanho médio e muito gostosos, porém quando me movi para aperta-los, Arlequina separou nosso lábios dando vários selinhos antes de soltar de vez.

- Você ainda não está pronto, mas em breve sim. - Saiu de cima do meu colo e apontou a minha ereção bem aparente.

- Dê um jeito nisso doutor, não quer que os guardas saibam da nossa diversão, não é mesmo?

Engoli em seco, era um longo dia.

***

- Bem vindo de volta meu amor! - Minha esposa me recebeu com toda a felicidade do mundo.

Meu jaleco estava todo amassado e minha camisa faltava um botão, mas eu escondi bem.

- Estou fazendo o jantar, você prefere bife a milanesa ou frango á passarinho? Também tem dois tipos de molhos, mas eu sei que você gosta do branco, mas não tanto assim. Me dei a liberdade de escolher, estou com tanto enjoo a tomates e... - Ela saiu da cozinha e veio em direção a mim.

Estava exausto.

- Muito cansado? Vá tomar um banho antes do jantar, não quero sujeito de Arkham aqui em casa. - Quando estava em minha frente ela virou a minha cabeça com tudo. - O que é essa marquinha aqui?

Droga! Eu não vi o que era, mas sabia o que era, um chupão. Ah e eu sentia que era dos grandes.

- Foi você... Ontem quando comemoramos o bebê... - Tentei disfarças, ma s minha garganta doía e o coração batia forte.

- Hum... Não vi de manhã, mas tudo bem! - Foi em direção a cozinha. - Vá logo tomar um banho, Jack. Deus me livre você ter alguma sujeira de Arlequina pela casa. A gente nunca sabe em que buraco ela se enfiou.

Ah, Jeannie, você não faz ideia.

 

Continua...


Notas Finais


Bom amores, espero que tenham gostado e se sim, por favor comentem!
Um milhão de kisses! <3 <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...