História Mafiatale- Apenas uma bala... - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Flowey, Frisk, Mettaton, Napstablook, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, Undyne, W. D. Gaster
Tags Asgore, Asriel, Chara, Frans, Papyton, Toriel
Visualizações 445
Palavras 1.265
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Harem, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente, perdão, eu ia postar uma historia, mas eu tive que atualizar uma das minhas. Mas para compensar trago a vocês esse capitulo, espero que gostem, boa leitura e até!!!!!

Capítulo 5 - Capitulo 5


Fanfic / Fanfiction Mafiatale- Apenas uma bala... - Capítulo 5 - Capitulo 5

Acordei com uma vontade enorme de ir ao banheiro, mas não podia sair da cama em disparada ou banheiro, pois deitada em meu peitoral estava à mulher mais bela de todas. Mettaton dormia em um sono profundo e calmo, parecia ate um anjinho com apenas minha camisa e a calcinha. Eu me levantei devagarzinho, me sentei na cama e quando ia levantar, sinto alguém me abraças por trás.

-Papyrus, você não vai embora assim ao meio da noite que nem aqueles caras que pensam que só foi mais uma noite de transa, e que a garota ao seu lado não passa de nada, né?-Falou ela com a voz de sono e preocupação ao mesmo tempo.

-Que isso meu amor, eu na verdade estava indo ao banheiro.-Falei me virando para poder fitá-la.-Você é uma das coisas mais importantes da minha vida.-Falei dando um selinho breve.

-Eu te amo Papy.-Falou ela acariciando minhas bochechas com os polegares.

-Eu te amo Metta, e nunca duvide disso.-Ela sorriu.

-Nunca irei.-Dei outro selinho nela e fui correndo ao banheiro.

Depois de me aliviar voltei para a cama, me deitei ao lado dela. Metta deita mais uma vez em meu peitoral, ela me abraçava com força. Fiquei acariciando seus cabelos ate que ela pegasse no sono, coisa que não demorou muito para acontecer. Eu fiquei um tempinho olhando para o teto pensando na vida, e nas coisas boas que aconteceram na mesma, e me perguntando se coisas ainda melhores podem acontecer. Bom, eu espero que sim. Mas lá no fundo tinha um sentimento de coisas ruins vindo, mas resolvi não ligar para isso.

 

---Papyrus POV’s off---

 

---Sans POV’s on---

 

Virava para direita e para esquerda na cama, e a merda do sono não quis aparecer. Alguma coisa me incomodava, e toda vez que eu tentava pensar no que me preocupava a imagem da Frisk aparecia em minha cabeça. Desisti de tentar entender o porquê dela aparecer tanto na minha cabeça, e decidi ver com meus próprios olhos. Levantei rápido e me troquei com a mesma roupa de sempre, meu terno azul escuro. Por algum motivo resolvi ir de moto para o império, coisa que eu nunca faço, pelo fato de ficar bem vulnerável numa moto. Entre bilhões de motos apenas uma me interessava, uma moto que ganhei de presente do Papyrus, essa moto é nada mais que uma LS-218, a moto elétrica mais rápida do mundo, em minha opinião. Ela sempre será minha predileta, não só por que meu caro irmão que deu ela para mim, mas sim por ser do estilo que eu curto.

Depois de ficar um tempo só olhando aquela belezinha, coloco meu capacete e subo na moto. Quando a ligo já podia sentir meu pelos arrepiarem, a adrenalina tomou conta de meu corpo e a vontade de sair dali queimando pneu foi grande, e assim fiz. O ruim de fazer isso foi por que quase derrubei a moto do Papyrus, a sua moto predileta, a maravilhosa Medusa TT Custom Project. Essa moto é o xodó dele, é tão preciosa que nem posso ousar tocar nela. A primeira e ultima vez que fiz isso, quase perdi um braço. Vai entender!

Cheguei ate que rápido no império `` Sans, esta de madrugada, por que teria alguém essa hora na rua? Pessoas normais estão dormindo, seu idiota ´´ Pensei eu dando um tapa em meu rosto igual um retardado, por que eu ainda não acreditava que estava vindo ate o império por causa de uma droga de pensamento que eu não faço ideia do que seja. Eu queria pregar uma peça em Frisk, e para isso eu teria que entrar pelos dutos, local que eu conheço com a palma da mão, pois estava com preguiça de me tele transportar, e assim as coisas ficam mais interessantes. Entro pelo local em pleno silencio, e para minha surpresa encontro Ange observando alguma coisa nos dutos. Eu chego perto dela em silencio, queria assustá-la, mas meio que não deu certo. Quando eu estava para chegar perto dela, ela aponta uma Desert Eagle Wallpaper prata em minha cabeça.

-Ah, é você Sans.-Falou ela guardando a arma. Essa mulher e rápida pra caramba, se ela quisesse teria me matado. Impressionante.

-O que faz aqui Ange?-Falei e a mesma sorriu para mim.

-Estou em serviço que Frisk me pediu, e você o que faz aqui?-Falou ela voltando a olhar por uma pequena fresta que tinha num dos dutos.

-Vim aqui fazer uma surpresa para minha Chefe.-Falei com um olhar malicioso.

-Bom, se voltar vivo você me conta o que ouve.-Falou ela dando risinhos.

-Nossa que companheira você.-Falei indignado.

-Obrigada.-Falou ela ainda rindo.

Despedi-me dela e voltei a andar pelos dutos ao encontra da sala de Frisk. Enquanto andava pelos dutos escutei uma voz conhecida, uma voz que eu conhecia bem. Quando olhei pela janelinha pude ver a pessoa que eu estava preste a dar um sustinho. Ela parecia tonta, cambaleava de um lado para o outro, e em minha cabeça apareceu uma pequena frase `` Ela vai cair desse jeito ´´ E não é que eu estava certo, quando ela estava preste a cair me tele transporte ate a mesma, antes que caísse de cara no chão. Quando olhei para ela pude ver grandes olheiras.

-Você é idiota ou o que? Quanto tempo você não dorme?-Falei irritado.

-Só faz três dias.-Falou ela com a voz fraca.

-Só três dias!! Olha para você, ta acabada.-Falei colocando ela em minhas costa.-Eu te levo ate sua sala...

-O-Obrigada.-Falou ela com sua voz manhosa.

-Me diz! o que te deu na cabeça para fazer isso, hein?-Perguntei curioso e preocupado ao mesmo tempo.

-E-Eu estou de vigia se por acaso o assassino vier.-Falou ela encostando seu rosto em minhas costas.

-Frisk, não me diga que você não entendeu?

-Não entendi o que, Sans?

-Esse cara é um assassino profissional, e a primeira coisa que ele vai querer fazer é mexer com sua cabeça, ele quer que você abaixe sua guarda para poder te afetar... Eu sei disso pelo fato deu fazer a mesma coisa.

-Acho que você esta certo.-Essa foi a primeira vez que ela concordou comigo, coisa que geralmente não acontece. Quando finalmente chegamos à sala dela, eu fechei a porta com certa dificuldade, a coloquei no chão e me sentei no sofá.

-Vem deita aqui.-Falei para ela deitasse com a cabeça em minha perna.

-Sans, eu estou bem.-Falou ela resmungando.

-Para de ser chata pelo menos uma vez na vida.-Falei pegando no braço dela, a mesma não tinha forças para se soltar de mim e acabou se rendendo. Ela no minuto que encostou sua cabeça em minha perna se perdeu em um sono profundo, e eu apenas podia observa a mesma dormir.

Hoje pude descobrir um lado diferente dela, que ela além de seria é uma criança, de brava é manhosa, calada para resmungona, coisas que nunca achei que a veria fazendo. Ela começou a gemer, parecia que estava com frio, eu sorri e com meus poderes tirei meu casaco sem acordá-la. Coloquei o mesmo sobre ela, acariciei seus cabelos e por impulso beijei o topo de sua cabeça, e a mesma deu um sorrisinho, um sorrisinho que me fez corar feito um loco.

-Ai que fofo!-Cochichou uma voz nos dutos, e eu sabia bem quem era.

-Vai se danar Ange, para de ficar bisbilhotando.-Falei sussurrando bem grosseiramente a pessoa que me olhava sorrindo.

-Relaxa seu bobinho, minha boca esta selada.-Falou ela dando risinhos, e eu corei.

-Te odeio.-Falei cruzando os braços.

-Eu também te adoro, tchau.-Falou ela e eu sorri, já entendi por que Frisk gosta tanto dela.


Notas Finais


AMO VOCÊS!!!! Muito obrigada pelos 26 favoritos!! comentem o que acharam, até o próximo. Beijinhos no fundo do coração de vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...