História Magia - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Bruxa, Fantasia, Fantasialesbica, Feitiçeira, Feitiço, Ficçãolesbica, Lesbian, Lésbica, Lesbicas, Lobos, Magia, Romance, Sexo, Wicca, Wolf
Visualizações 66
Palavras 792
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Literatura Feminina, Magia, Mistério, Misticismo, Saga, Sobrenatural, Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 5 - Capítulo 5 - Bom dia


Fanfic / Fanfiction Magia - Capítulo 5 - Capítulo 5 - Bom dia

Capítulo 5

“Bom dia”

Lua acordou animada, porém quando olhou para o lado notou que estava só, pensou que a noite passada poderia ter sido apenas um sonho mas quando foi ao banheiro notou que a banheira ainda estava cheia, dirigiu-se para a cozinha porém não havia sinal de Helena, a fera havia ido sem despedida e sem bilhete.

_Bom dia lulu – Disse entristecida

_Miau!

_Bem vamos começar o dia. “Tenho que acreditar que foi um sonho”

Lua começou lavando o banheiro, depois foi para a cozinha e ficou admirando a prateleira na parede e lembrando como foi divertido vaze-la, depois de alguns minutos viu que floresceu no tronco da árvore uma flor azul, chegou mais perto e a flor ficou maior, isso a assustou então foi para o quarto. Ela não entendia sua vida nem como tudo funcionava na cabana então preferia não intervir em muita coisa...

Chegando no quarto decidiu que deveria colocar uma roupa vestiu- se como de costume colocou seu capuz verde, porém quando foi colocar o colar notou que havia sumido.

_Aquela fera, como ela pode? – Disse indo para cozinha.

_Lulu você acredita nisso? A única vez que conheço alguém que me trata bem! Somos roubadas. Sei que ganhei a pouco tempo, mas mesmo assim, era importante pra mim.

Neste momento Lua percebeu que queria a fera e não o colar.

Longe dali a fera caminhava o mais rápido possível tentando se afastar da cabana, não estava mais nua, pois além de recuperar seu colar pegou uma muda de roupa de Lua, ela sabia que precisava viajar para realizar suas missões pessoais e tinha certeza que se antes já se sentia presa a garota se permanecesse lá não partiria. Entrou em uma taverna e comprou uma garrafa de rum, voltou para a trilha e seguiu rumo ao sul.

Lua estava triste, foi para a trilha que fazia todos os dias para recolher lenha, seu carrinho estava diferente, mais rápido, mas ela não entendia como. Colheu toda lenha que precisava e levou pra casa. Lá fez um arco e algumas flechas, nem ela entendia como tinha aquele conhecimento, como ainda havia sol tentou caçar, sem dificuldade acertou uma pequena lebre, fez uma prece rápida de agradecimento e retornou novamente para sua casa.

_Consegui comida Lulu!

_miau, miau!

_Vou preparar para nós um ensopado de lebre.

_Miau!!

Lua começou o preparo de tudo ferveu a água escaldou a lebre e rapidamente o jantar estava pronto, ela amava cuidar de sua gata e por alguns momentos esqueceu- se da tristeza.

A fera avançava rapidamente em sua mente os olhos de lua apareciam radiantes e pela primeira vez em muito tempo sentiu saudade.

“Devo estar louca, sentindo falta de alguém que conheci à um dia”

Chegou a uma pequena vila, e procurou alguém que estivesse precisando que fosse realizada alguma missão, foi quando ouviu duas mulheres conversando.

_A Cachorro do senhor Teotônio foi morta noite passada.

_A fera novamente.

Helena não se conteve e perguntou:

_Que fera, existem feras por aqui?

A mais nova tomou a frente e disse:

_alguns dizem que é um urso, outros que é uma raposa, mas o que importa é que tem acabado com os animais da vila.

_Obrigada, pela informação.

A fera foi diretamente as autoridades da vila para oferecer- lhes seu serviço, que foi aceito por uma quantia alta se obtivesse êxito. Esperou anoitece e foi a busca da criatura... Começou a busca pela parte mais escura da vila, notou que as pegadas eram de um felino grande mas não sentiu medo, continuou na trilha quando viu a criatura era uma onça, teve que conter o riso e notou que ela estava atrás de duas ovelhas.

A onça estava com fome quando viu duas ovelhas soltas pelo campo ela preparava-se para atacar quando sentiu uma dor intensa em seu pescoço, ela não entendeu mas em menos de 6 segundos seu pescoço fora arrancado.

A fera retornou pela manhã com a onça em um dos ombros e a cabeça em um saco preto entregou para o governante da vila e recebeu sua recompensa. A dois anos não realizava missões por estar pressa a Lua, mas agora se sentia realizada com a caçada.

Lua não acordou com a fresta de luz do dia como sempre, Lulu achou estranho então subiu em sua barriga e começou a miar, a garota então acordou.

_Bom dia Lulu.

_Miau!

_Estou atrasada né?

_Miau!

_Certo hora de levantar.

Lua foi para o banheiro e tomou um banho quente lavou seu longos cabelos com um shampoo que é ela mesma fez. Aprontou-se e foi para a cozinha, pegou um pouco de ensopado serviu a si e a Lulu, porém quando olhou para a árvore assustou-se, a flor azul agora tinha um corpo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...