História MAGIA: Os Múltiplos - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Bruxaria, Fantasia, Magia, Romance
Visualizações 2
Palavras 2.548
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Ficção Adolescente, Magia, Mistério, Sobrenatural
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 7 - Nós Rompemos - Capítulo VII (7)


                      Naquela mesma tarde, Gloria havia achado estranho João ter se mudado para tão perto da escola, meio que de repente. Ela estava curiosa para saber o porque de tanto mistério na vida de João e saber sobre a briga dele com Beatriz, ela pensava que podia ser algo envolvido com o que aconteceu ano passado com eles.
                                                                             XXX - 2016
                                Era noite, já passava das 23 horas, e João, Beatriz e Gloria corriam por toda a escola, eles não paravam de olhar para traz, era como se alguma coisa estivesse os perseguindo. Eles pararam em frente a porta no final do corredor onde tinha as salas, acima da porta estava escrito biblioteca, Gloria tirou um grampo de seus cabelos e colocou dentro da maçaneta da porta que era redonda e tinha a entrada da chave em seu centro, não foi difícil para Gloria abrir a porta, logo todos eles entraram na. Eles empurravam prateleiras de aço a as mesas para barrar a porte e proteger eles do que estava perseguindo eles.
- A gente ta muito ferrado. - disse Gloria. - Porque você teve a ideia de trazer aquele tabuleiro idiota?
A porta começou a receber pancadas fazendo um alto estrondo. - Mas que porra você ta falando Gloria...- disse João nervoso olhando para a porta. - foi você que pediu para gente vir fazer a sessão aqui na escola e trazer o tabuleiro, eu disse que era perigoso.
- Oque vamos fazer agora? - perguntava Beatriz.
- Eu realmente não sei, eu acho...- João interrompido quando uma forte luz apareceu na janela da biblioteca, quebrando os vidros junto a um vento medonho, os três não puderam conter os gritos simultâneos.
                                                                         XXX - 2017
                                  Gloria não estava pronta para ir sozinho então chamou dois amigos dela para ir até a nova casa de João, seus amigo Kauan e Ryan. Quando eles chegaram na rua da escola, Gloria sentiu algo estranho, que não tinha sentido antes mas que parecia já tido em sua vida. Era uma forte sensação ruim, de morte, desespero e de que algo tenebroso iria acontecer, nesse momento alguma coisa sussurrou em seu ouvido as palavras que fez seu sangue gelar.
                                                        "Seu amigo, não estará mais a salvo." 
                                    Um vento forte veio em sua direção, foi quando Gloria disse "João" e logo em uma conversa aleatória Ryan disse para Kauan "Sim, ele vai morrer". Gloria sentiu um frio e sem falar nada correu em direção a casa de João. - Ou, Gloria. - disse Kauan que olhou para Ryan sem entender nada, o mesmo que o olhou com a mesma expressão.
- JOÃO ESTA EM PERIGO! - gritou ela respondendo. Kauan olhou para Ryan e os dois seguiram Gloria, a rua parecia mais longa do que era. Parecia que cada vez que eles se aproximavam da casa de João, mais longo o caminho ficava. Por fim, chegaram a casa dele, e o portão se trancou sozinho bem na frente deles.
- Que merda. - disse Gloria - JOÃÃOOOOO! - gritou ela.
- Calma Gloria. - disse Ryan tentando acalmar-la.
- É poxa, deve estar tudo bem com el...- Antes que Kauan pudesse terminar uma forte luz vermelha se expandiu vindo da janela esquerda da casa, no primeiro andar.
- Se afastem. - disse Ryan. 
                       Ryan tirou a blusa que estava e amarrou na sua cintura, ficando só com uma daquelas camisetas regatas de academia com a escrita "NO PAIN NO GAIN", logo começou a chutar o portão, tentando arrombar-lo. Com três chutes o portão se abriu e Gloria entrou empurrando o portão que soltou as dobradiças, fazendo cair no chão com um enorme estrondo.
                           Gloria chegou até a porta de entrada da casa de João e de la conseguiu ouvi um grito seguido de um outro estrondo, Gloria abriu a porta e subiu as escadas que era bem em frente a porta, chegando no topo, havia dois corredores, um do lado esquerdo e outro do lado direito, ela então seguiu para o lado direito que correspondia ao quarto onde ela viu aquela luz. Enquanto isso do lado de fora, Ryan e Kauan tentavam arrumar o portão, quando ouviram Gloria pedindo socorro, os dois mais que imediatamente largaram o portão escorado na parede e correram para dentro da casa a procura de Gloria e João.
- GLORIA! - Gritou Ryan. - Onde você está?
- Aqui em cima, a direita, tem um quarto no final do corredor. Vem logo!! - disse Gloria.
                                Ryan e Kauan subiram as escadas, foram até o quarto, chegando lá, viram Gloria sentada no chão tentando acordar João que estava desmaiado no colo de Gloria. Eles se abaixaram próximo a ela e assim como ela tentavam acorda-lo. 
- Vem, levanta ele - disse Kauan.
                          Kauan então segurou pelos pés dele, enquanto Gloria e Ryan segurou pelos braços, o e levantou e levaram ele até a cama que tinha no quarto, os seus olhares eram de total espanto, não sabiam o que tinha acontecido. Gloria passava a mão em seu rosto por estar muito nervosa, Kauan estava preocupado por ter invadido a uma propriedade e os vizinhos podiam ter visto, ou alguém na rua, Ryan estava do outro lado do quarto tentando fazer uma ligação para emergência.
- Oque ta acontecendo meu Deus. - dizia gloria.   
                          João ainda permanecia desacordado, não demorou muito para coisas estranhas acontecerem, uma luz forte e azul, apareceu pela janela e entrou no quarto fazendo um zumbido. Os três que ainda estavam la juntaram-se em cima da cama de João, e olharam a luz que os encantava e os deixavam com medo. No mesmo instante sobrou só o medo, e isso porque a luz se transformou em um livro flutuante, estranho e falante.
*Puff*
- UOAAAAAAI!!!- gritou um livro que surgiu da luz.
- Ai misericórdia. - disse Ryan - O que é você? - O livro se virou e os viu e então gritou, e logo em seguida todos gritaram juntos :
- AAAAAAAAHHHHHHHHHHHHH!!!!!!!!
                        D viu João desmaiado e três pessoa que não conhecia, ele se enfureceu e começou a atacar Kauan, Gloria e Ryan, com fracas faíscas de choque, não era nada fatal nem muito doloroso, mais era um pouco atoador, deixava marcar vermelhas. Eram varias faíscas por segundos, D fez aquilo até tirar todos os três de cima da cama de João. Feito aquilo Kauan, Gloria e Ryan foram até a porta mas não saíram. Uma luz forte e amarela se emitiu por todo o quarto e foi de encontro com a boca de João, quando ela sumiu, ele não estava mais machucado, em seu corpo não havia nenhum ferimento e a madeira que antes  estava em sua perna se encontrava no chão.
                            A porta atras dos três se fechou brutal mente, fazendo um estrondo enorme, Gloria tentou abrir a porta mais não funcionava, a maçaneta parecia ter enferrujado. Ao olhar para trás ela viu D flutuando vindo em direção a ela e seus amigos, Ryan entrou na frente dela e Kauan foi ao seu lado, os dois com a mesma intenção de proteger e impressionar Gloria, mas sem se preocuparem um como o outro. Quando D iria usar um feitiço para mata-los, João abriu seus olhos, e um forte campo de força se expandiu pela casa, não era um campo de força normal. Aquele campo de força começou a restaurar tudo na casa, havia algumas coisas empacotadas e foram saindo da caixa e indo cada uma para o lugar correspondente. Os pratos, copos e talheres se encontravam em uma caixa escrita utensílios e voaram para cozinha e se posicionaram entre gavetas e armários. Lá em cima, no quarto, a prateleira quebrada se reconstruiu, o sangue que lambuzava o chão foi sumindo como se ali estivesse uma esponja super potente e absorvente. Por fim quando tudo se colocou no devido lugar, João se levantou, lentamente, e olhou para seus amigos que tinham o olhar de espanto.
- Tudo bem D. - disse João - eles são amigos.
- Amigos mestre? - perguntou D se virando para os três.
- Amigos. - disse Gloria que saiu de trás de Ryan e Kauan e foi em direção ao livro flutuante, seu olhar agora era de puro encanto. Seu olhar voltou a João e ela viu que sua expressão era de preocupação. - O que aconteceu? Quer dizer tudo isso, o que foi?
- Olha eu sei que devo muita explicação aos três, mas agora, sinto que tem algo maior por vir. - João estava agitado, fechou as cortinas do quarto, passou por seus amigos destrancou a porta e seguiu pelo pequeno corredor que tinha bem a frente da porta, sendo seguido por seus amigos e D. Quando chegou ao meio do corredor ele parou, algo o deixou com medo. - Voltem pro quarto...agora.
                           Antes que pudessem virar a porta atras deles se fechou e trancou, as luzes começaram a piscar, um frio se espalhou por todo ambiente, não era um frio normal como o de um vento que soprava em uma temperatura normal, era algo mais sinistro e perigoso que trouxe aquela brisa fria e medonha. Kauan ouviu um sussurro em seu ouvido, a voz era grossa, logo ele sentiu cheiro de enxofre, olhou para o lado e ele viu uma mão, com a pele podre e cheia de buracos pelo corpo, ele viu um cadáver ambulante, um morto vivo, cheio de pequenos buracos sobre a pele podre, bem atras dele. 
- So-socorro...AAAAARRRGGGH SOCORROOOO!!!! - berrou Kauan com pavor, ao ver a criatura.
- Ei, cara calma - disse Ryan tentando acalma-lo, mas ao se aproximar dele levou um soco e fez ele bater na parece, que por sua vez se transformou em uma parede de teia de aranha.
                                 As mão de Ryan se envolveu com a parede, ele começou ouvir estranhos sons e barulho de pequenas patinhas andando por todo lado. Sua cabeça se movia de um lado para o outro procurando de onde vinha o barulho, o som então se fez atras dele, ele lentamente foi direcionando seu olhar para trás com uma expressão de horror e medo, mas não tinha nada, ele virou para frente para tentar soltar sua mão e deu de cara com uma enorme aranha peluda que soltou um alto grunhido. Ryan tentou gritar mas a aranha soltou teia eu seu rosto para impedi-lo de gritar.
- Oque esta acontecendo? - Questionou Gloria para João, pois ela não via o que Kauan e Ryan estavam vendo, que fazia Kauan gritar apavorado.
- Vamos precisamos sair daqui agora, vamos. - disse João puxando Gloria pela mão, ele a puxou e então ele afundou no chão que se transformou em uma poça de sangue, dessa vez Gloria pode ver o sangue. João reapareceu todo ensanguentado e sem ar, porem estava sem medo. Gloria se agachou e estendeu sua mão para João tentar sair daquela poça de sangue, assim que ele pegou e sua mão, algo surgiu ao seu lado, uma criatura, que parecia uma garota e o puxou de volta para o fundo daquela poça, o sangue espirrou no rosto dela, Gloria apavorada se afastou, arrastando-se pelo chão. Agora ela podia ver tudo, o cadáver que atava Kauan, aranhas pelo corpo de Ryan e a poça de sangue, e algo a mais, um palhaço, Pennywise. Gloria tinha medo de palhaços e quando criança pegou fobia por conta do filme "IT - Uma Obra Pima Do Medo".
- Não, não, não. - disse ela e então gritou quando o palhaço em um piscar de olhos estava na sua frente sorrindo macabramente - AAAAAAAARRRRRRRRGGGGGG!! - Ela tentou se afastar, mais o palhaço segurou seus pés.
- Isso não é real, isso não é real - dizia Gloria, com os olhos fechados e balançado a cabeça negativamente.
- Corra Gloria, ele é um demônio dos pesadelos, ele se alimenta do seu medo, se transforma em seu pior pesadelo.  - disse João saindo da poça e sendo jogado de novo pelo palhaço.
- Não sou real suficiente para vo...- antes que ele pudesse completar a frase, ele foi atacado por João que golpeou sua cabeça com um bastão de beisebol, uma nuvem de fumaça apareceu rapidamente, logo em seguida um forte vento se fez, e quando a se desfez, Gloria estava caída no chão e no final do corredor estava Pennywise com João, Kauan e Ryan presos em teia de aranha. Gloria se levantou e olhou para traz vendo eles no fundo do corredor.
- Solta eles, por favor. - disse ela.
- Porque eu faria isso? - Disse o demônio em forma de palhaço.
- Seja la o que for que você queira, me leva no lugar deles. - respondeu Gloria.
                           Do lado de fora da casa, Gabriel passava pela rua, e olhou para casa em que João estava morando, ele parou e encarou a casa, então viu um clarão forte e amarelado vindo da casa. Apavorado ele correu dali, porem meio caminho percorrido ele parou, e olhou para trás e pensou que podia ser algo grave pode ter acontecido, e resolveu voltar. Dentro da casa, D apareceu e começou há atacar o demônio que tinha agora uma forma de palhaço, com pernas de aranha e era cheio de buracos em sua pele, os demais na casa jogavam objetos para atingir o palhaço. Ele então se jogou em cima de Gloria que rapidamente apoiou um punhal que viu em cima de uma mesinha ao seu lado e assim que o demônio caiu em cima dela, e o punhal entrou no peito dele.
- Eu não tenho mais medo de você. - sussurrou Gloria olhando nos olhos do demônio que agonizava.
Se soltando do punhal o demônio flutuou e no ar explodiu, mais sem antes dizer "Eu volto pra você" apontando para Gloria. Todos suspiraram aliviados, Ryan e Gloria se abraçaram. João levantou Kauan que tinha- sentado no chão.
- Você esta bem? - peguntou João.
- Estou sim - respondeu Kauan - Isso foi muita loucura, mais quer saber? Nunca me senti tão vivo. - ele sorriu aliviado.
Todos ali estavam se recompondo quando o telefone tocou e caiu na caixa postal.
- Alo? João? Sou eu, Bia. Quero que você saiba que tudo que aconteceu não foi proposital, não queria contar para o Gabriel tudo, eu não queria perder ele e nem você. Arruinei tudo com ele e com você. Só espero que me desculpe. Adeus. - João aproximou do telefone para atente-lo antes de Beatriz desligar, mais ele viu pela janela Gabriel no quintal, ele tocou a campainha e logo João atendeu a porta. 
- O que faz aqui? - perguntou João.
- Eu vi o que aconteceu aqui. - disse ele. - Eu briguei com a Bia por algo que não acreditava que era possível e agora quero respostas, porque estou muito assustado. - João o convidou para entrar, e assim que Gabriel entrou em sua casa João fechou tudo com um estalar de dedos, sentou se em um sofá na sala junto a todos, chamou D, que apareceu em seu colo rapidamente, e quando o abriu, uma luz azul começou a se expandir por toda a sala até todos sumirem e só restar D no comodo, que caiu no chão e foi revirando suas paginas com um brilho até se fechar por completo.


Notas Finais


Logo posto o novo capitulo genteeee....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...