1. Spirit Fanfics >
  2. Magic >
  3. Seu primeiro fã

História Magic - Capítulo 203


Escrita por:


Capítulo 203 - Seu primeiro fã


Fanfic / Fanfiction Magic - Capítulo 203 - Seu primeiro fã

Eu uso o seu casaco de inverno
Aquele que você ama usar
Então eu posso me sentir perto
Do que é incomparável
Os momentos acordando
E você me segura em seus olhos
Essa beleza no meu travesseiro
Me hospedariam na noite
E eu vou encontrar a força para abrir a boca
Quando eu costumava ter medo das palavras
Mas com você eu aprendi apenas deixar ir
E agora meu coração está pronto para explodir
Porque eu, eu sinto que estou pronta para o amor
E eu quero ser seu tudo e mais
E eu sei que todos os dias você diz
Mas eu só quero que você tenha certeza
Que eu sou sua
Se me sinto pesada
Você me tira da escuridão
Seus braços me mantém segura
Então nada poderia desmoronar



Pov's Bruna.


Day 2, Santa Mônica, Califórnia.|| 08:44 AM.


- tínhamos mesmo que acordar tao cedo?- reclamei enquanto me debruçava sobre o painel do carro.


- sim, temos muito o que fazer hoje.- Joe disse bebendo um gole de seu café, o equilibrando em uma mão enquanto dirige com a outra.

- mas poderíamos continuar fazendo se tivéssemos acordado 2 horas mais tarde de qualquer maneira - falei indignada.

- como voce consegue fazer suas coisas com essa preguiça?


- normalmente, eu realmente não faço - disse pensando e dando de ombros.

- ligue o rádio, pare de reclamar.- Joe falou, bufei e apertei o botão do rádio em minha frente, sorrindo quando ouvi que a melodia que tocava, era minha.


-Porque todos os meus ossos
Estão me implorando para implorar por você
Me implorando para implorar por seu amor- cantei enquanto abria os vidros.

- agora voce esta animada e acordada de repente?- Joe ironizando.

- Você não para de pegar no meu pé nunca???- perguntei e ele gargalhou.

- algum dia eu disse que iria parar?- perguntou e eu neguei- então não sei como não se acostumou ainda, são anos e anos campbell.


- eu juro que vou abrir essa porta e me jogar pra fora do carro.- falei o fazendo rir.

Joe pegou minha mão que estava sob o console e a levou a seus lábios, a beijando e me olhando em seguida.

-Estou brava com você
Por ser tão voce... por mudar meu humor e alterar minha grosseria- o mesmo falou enquanto ainda segurava minha mão e prestava atenção na estrada a sua frente.


- bom, eu não estava tentando
Derreter esse coração de ferro, mas garoto você me forçou.

- te forcei é?-

- sim, aparecendo em literalmente todos os lugares que eu estava, seu stalker.

- Eu nao tenho culpa da nossas agendas baterem ok, eu nunca fiz isso acontecer, eu juro- levantou as mãos em rendição me fazendo rir.

- É estranho ter a sua versão fofa... nunca pensei que a veria. - disse fazendo uma careta.


- para ser justo, nunca pensei que a mostraria a alguém.- confessou.

- bom... Fico feliz que tenha mostrado.- eu disse o olhando, sincera.


{....}


13:20 PM.


Faziam algumas horas que eu e Joe estávamos rodando de carro pela Califórnia, paramos para tomar café da manhã em uma cafeteria que ficava a quase 40 minutos de sua casa, era no entanto, sua favorita, uma cafeteria que tinha como dono seu germano, um velho francês simpático que havia se mudado para os Estados Unidos para seguir o seu amor, margareth. Germano, contou que ele a conheceu enquanto o mesmo servia de guia turístico nas ruas de Paris, a muito tempo atrás, diz ele que foi amor à primeira vista, de sua parte, mas que ela era irredutível, não lhe daria nenhuma chance, dizia que não tinha tempo para se apaixonar apenas por alguns dias, que quando se apaixonasse, seria por alguém que movesse o mundo por ela, que ela saberia que a pessoa seria a certa antes mesmo de saber. Pois bem, parece que ela ja sabia que Germano era essa tal pessoa, já que apenas 3 meses depois, Germano partiu para a Califórnia sabendo apenas seu nome e seu rosto, os dois viveram juntos por 4 décadas, Margareth, ou Meg como Germano a chamava, infelizmente partiu a 3 ou 4 anos atrás, quando questionei porque o mesmo abriu aquela cafeteria e continua com ela foi porque o café e doces de Paris eram os favoritos de Meg, e em uma época que era difícil ficar indo e vindo de um continente a outro, Germano quis realizar esse desejo de sua amada da forma mais pura e simples. Trazendo Paris até ela.


Confesso que quase chorei ouvindo a história, enquanto tomava meu chocolate quente e mordia meu croissant, era algo tão puro e Belo, o quão forte o amor de alguém poderia ser para ela simplesmente largar tudo por você, olhava para joe que prestava atenção em cada palavra que Germano dizia, mesmo provavelmente tendo ouvido a história mais vezes do que se lembra, me pergunto se eu faria isso por ele, me pergunto se ele faria isso por mim, me perguntou se talvez ele não tenha feito isso, quando sem nenhum motivo, se mudou para new york comigo....


Estávamos de volta a Santa Mônica agora, iríamos parar para almoçar, Joe disse que eu poderia escolher o tipo de comida, mas que ele escolheria o restaurante, escolhi massa, e o mesmo estacionou o carro,em frente a um grande restaurante de nome italiano.


- quando disse que tínhamos várias coisas para fazermos hoje, não imaginei que todas elas envolviam encher minha barriga.- falei rindo enquanto o mesmo abria minha porta e me ajudava a descer do carro.

- bom... nem todas.- falou rindo.

- o que você está aprontando Joseph? - perguntei curiosa enquanto entrávamos no restaurante.

Uma jovem moça de sorriso brilhante nos levou até uma mesa, e nos distribuiu nossos cardápios.


Joe pediu um spaghetti simples e eu pedi um ao molho branco com frutos do mar, o meu favorito.

Não demorou nem 20 minutos para nossa comida chegar, o que eu simplesmente amei.

Comemos enquanto conversávamos sobre a preparação do Grammy, iríamos para hollywood no dia seguinte, para a gravadora ver se aprovava nossa música; meu estilista trabalhava em um vestido único e eu estava ansiosa para ver como ficaria numa noite tao importante pra mim, joe nao se importava tanto com a roupa, estava com mais medo de fazer tudo errado na nossa apresentação, eu tentava o acalmar.


- você se lembra de quando tínhamos 11 anos, e estávamos no 6° ano?- perguntou enquanto tomava sua soda.

- seja mais específico, o 6° ano nao foi exatamente um ano que aconteceram poucas coisas- falei enquanto comia.

O mesmo se remexeu em sua cadeira.

- bom, era um trabalho de artes, voce sempre adorou cantar, a professora mandou fazermos esse tal trabalho de música no qual tínhamos que ir la na frente e se apresentar..-

- ninguém teve coragem de ir lá na frente- o interrompi lembrando.

- bom, uma pessoa teve.- ele disse - você.- falou me encarando e eu sorri olhando pra baixo.- você parece que nasceu pra isso, você tinha uma necessidade de expressar seus sentimentos tao grande, pra você era tudo tão intenso, tínhamos 11 anos!- falou indignado- você era alguém tão madura e cheia de intensidade e sentimentos profundos e eu era basicamente o garoto que prendia o pé nas grades da cadeira.

Disse e eu ri.

- e eu que o ajudava a tirar depois.- falei lembrando o fazendo rir também.

- o que eu quero dizer, campbell, é que você, sempre foi corajosa, de uma forma que eu nunca serei.

- você me dava coragem, joe.- falei sincera- o medo que me causava me criava coragem ao mesmo tempo.- falei confusa.- eu cantei por você, e para você. Era a única forma que eu tinha de expressar meus sentimentos, nem estávamos nos falando, mesmo que você não soubesse que eram pra você na época.

- eu sabia.- falou calando minha boca.- você não era bem discreta.- disse e eu lhe dei um tapa. - Você ainda se lembra o que cantou? Porque eu me lembro até hoje.

- mas fazem anos.- disse perplexa.

- um garoto nunca esquece uma indireta em forma de serenata. - suspirou- eu passei a sua apresentação toda olhando pra baixo, sem coragem de te encarar, com medo de admitir que as suas palavras me atingiram mais do que eu gostaria.- confessou, me deixando completamente sem palavras.- Nossos momentos secretos em um sala lotada.....

- quando eu terminei de cantar eu te olhei, você não me encarava, encarava o chão, meu coração doía, mas ai você chegou, com um caderno e uma estúpida canetinha e disse "me de um autógrafo" voce nao deve ter percebido o quanto meus dedos tremiam naquela hora, enquanto escrevia meu nome.

- eu fui seu primeiro fã.

- você foi mais que isso.... foi quem me inspirou.


Dito isso joe se inclinou sobre a mesa para depositar um beijo em meus lábios.


{....}


- geovana esta indo para Londres. - comentei no carro enquanto digitava no celular.

- ela nao aguentaria a saudade de zayn por mais 1 dia.- Joe falou rindo.

- eu acho fofo.- comentei.

- eles têm algo único demais.- Joe concordou e eu também

- bom, parece que ficarei alguns dias sozinha..- suspirei pensando alto.

- você poderia ficar aqui.- falou sorrindo

- sabe que nao poderia nem se quissese, tenho uma agenda a cumprir.


- e agora voce se importa com a agenda?- perguntou e lhe dei um soco.

- para aonde estamos indo agora?- perguntei vendo ele entrar novamente na rodovia.

- para a última parada.- ele disse convencido, o olhei curiosa mas apenas fiquei quieta


Peguei meu celular e tirei uma foto do mesmo dirigindo, postando em seguida.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...