História MAGIC (Destiel) - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Castiel, Crowley, Dean Winchester, Lúcifer, Rowena MacLeod, Sam Winchester
Tags Destiel, Supernatural, Wincest
Visualizações 82
Palavras 2.022
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Magia, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu acabei demorando um pouquinho pra postar, fiquei sem ter o que fazer de novo kkkkkk O Destiel me deu a criatividade necessária pra postar esse cap.
Espero que gostem e está mais grandinho, talvez dê pra compensar esses dias de atraso hahaha
Comente e favorite pra gente poder se amar pra sempre! <3
Boa leitura!
***

Capítulo 10 - Thristy


 

Dean e eu descemos até a cozinha para preparar o café da manhã. Eu estava preocupado da minha casa ser invadida ( E dessa vez por uma invasora de mais ou menos 300 anos) Então era notável minha tensão, mas Dean não perguntou nada ainda bem.

-Tudo bem, acho que vou fazer panquecas e deve ter calda de chocolate já pronta. - Pensei um pouco. - Ainda da pra fazer os clássicos ovos com bacon.

-De quantos ovos você precisa? Dois? - Dean perguntou com malicia.

Ri revirando meus olhos enquanto abria a geladeira pra pegar o que precisava.

Tentei ensinar Dean a fazer alguma coisa, e ele conseguiu fazer ovos mexidos. Tudo bem que passaram um pouco do ponto, mas estão comíveis. Não vou mentir, foi ótimo estar com ele nesse tempinho matinal e sim, rolou uns beijinhos.

-Eu tenho fetiche muito grande de fazer sexo numa cozinha. - Dean confessou enquanto me assistia virar uma panqueca.

 Ri de sua fala.

-Como você gostaria que fosse isso? - Perguntei.

-Começaria numa bancada com farinha sob meu corpo e depois a gente iria pra mesa, teria umas caldas de morango.

-Isso parece bom, menos a farinha. - Dei uma pausa e então continuei. - Acho que corre o risco dela entrar onde não deve isso não seria agradável.

Dean riu concordando e então minha mãe apareceu na cozinha com uma cara confusa.

-Bom dia... - Ela falou se aproximando de nós.

-Bom dia! - Dean sorriu pra ruiva.

-Mãe, esse é o Dean. - Eu olhei pra ela e ela olhou pra mim. Todas as expressões passaram no rosto de Rowena, ela caminhou entre raiva e felicidade, tédio e animação em menos de dois segundos.

Por fim ela soltou um “oh” levantando as sobrancelhas e então foi preparar um suco pra por à mesa.

Eu queria ter magia suficiente para ler a mente dela, espera... Isso não seria tão legal já que fui proibido de fazer esse tipo de coisa.

Terminei as panquecas e tomamos café enquanto minha mãe e Dean conversavam. Dean saiu daqui logo depois de ter terminado de comer. Levei Rowena até aquela cabana onde Aalis quase me matou. A ruiva examinou o lugar cuidadosamente enquanto eu ficava do lado de fora vigiando caso alguém aparecesse.

-Meu Deus! - A ruiva sacudiu os cabelos, estressada. - Só queria magia suficiente pra me comunicar com essa vagabunda.

-E a sua outra amiga, a Elena? - Perguntei. - Por que não tenta falar com ela.

-Elena me deve um favor, não vou cobrar ele agora.

Terminamos de vasculhar o lugar e fomos embora sem conseguir muita coisa. O restante do dia foi entediante e longo, amanhã tenho escola e medo de ser morto lá.

-Cass, essa mulher praticamente não existe... - Meg falou do outro lado da linha.

-É porque ela já deve ter uns 300 anos, Meg. Tecnologia não devia ser uma coisa muito usada naquele tempo, ainda mais por uma escrava.

Contei toda a história da minha mãe e do grande Coven aos gêmeos e desligamos o telefone com o combinado de conversarmos melhor amanhã na escola. O restante do dia foi chato e bem entediante, pelo menos não houve sinal da Aalis. Isso me alivia e me preocupa ao mesmo tempo, estamos com a magia debilitada graças aquele feitiço e ela nos mataria facilmente (Não sei por que minha mãe ainda quer ver ela) Mas pelo menos não precisamos nos preocupar com isso enquanto ela não estiver por perto.

No outro dia Rowena me deixou na escola como de costume, fiquei preocupado com ela indo sozinha pro trabalho em outra cidade, mas mesmo assim segui pra dentro e encontrei os gêmeos logo na entrada.

-E ae Cass! - Meg falou vindo me abraçar.

-Olá! - A cumprimentei e seu irmão.

-Mas e então como ficou aquela história? - Mad perguntou dando inicio a nossa caminhada até a sala de aula.

-Bom, a minha mãe falou que vai resolver tudo com a Aalis, mas eu não me sinto seguro que ela vá conseguir fazer alguma coisa sem magia. Ela pode morrer a qualquer momento, vocês acham que conversa funciona?

-Nós, pessoas normais. - Mad começou seu raciocínio. - Resolvemos bastante coisa à base da conversa, então talvez dê certo.

-Estatisticamente falando, sua mãe tem 50% de chance de resolver tudo na conversa. - Meg virou seu rosto rapidamente em minha direção jogando seus curtos fios para perto de seus olhos. - Quão rancorosa essa Aalis deve ser?

-Não sei... Acho que bastante.

-Então vamos alterar a estatística para 15% - Mad falou. - Acho que é mais realista do que 50%.

-15% o que? - Perguntei.

-15% de chance que ela consiga resolver tudo na conversa.

-Oh meu Deus, vocês não estão ajudando sabiam disso? - Passei a mão nos meus cabelos enquanto respirava nervoso.

Andamos em silencio durante um tempo, quando chegamos de frente a porta da nossa sala uma garota passou por nós. Tinha cabelos ruivos e lisos que vinham até a cintura, usava uma blusa rosa bebê com um casaco leve roxo escuro, usava uma saia um pouco justa pouco mais escura que o casaco e que era um pouco curta também, e ela estava com um sapato de salto preto. Ela era linda.

-Quem é aquela? - Perguntei ao MadMeg.

-Louise Maia. - Meg respondeu. -  Ela é uma das populares da escola.

-Todo mundo conhece ela, mais pela beleza do que pela amizade. Acho que ela não tem muitos amigos próximos, mesmo que todo mundo aqui saiba quem ela é. Pessoas bonitas causam medo em pessoas normais, concorda? - Mad me fez refletir.

-Eu não sei... Acho que sim.

-Definitivamente. - Meg falou de maneira rápida. - O que acham que os outros veem quando olham pra ela? Eles veem um molde a ser seguido, todo mundo quer ser igual a ela... Ela é tão perfeita.

-Você também é! - Falei arrancando um sorriso dela. - Olha seus cabelinhos, seu estilo e sua personalidade.

-Obrigada Cass. - Ela parece tímida agora.

-Obrigado também Cass. - Mad falou. - Quando você elogia minha irmã gêmea você também deve achar o mesmo de mim já que somos bem parecidos, certo?

-Sim... - Às vezes eu não sei conversar com eles.

Por fim entramos na classe e nos sentamos juntos pela primeira vez depois da briga.

As três primeiras aulas correram bem. Quando fomos liberados pro intervalo resolvemos pegar um lanche e comer na pracinha em frente a escola, era bom e ventilado. O sol matinal que começava a esquentar me trazia uma sensação boa.

-Então Cassie, por que não fala sobre seu futuro namoro com Dean? - Mad perguntou.

-Eu ainda não conversei com ele sobre isso. Quando ele chegou lá em casa ontem eu estava tão... - Fui cortado pelo de olhos âmbar.

-Como é?

-Ele foi na minha casa ontem.

-Fazer o que? - Meg perguntou.

-Bom... Ele queria transar na verdade, mas... - Mad me cortou mais uma vez.

-Ta vendo? O que eu te falei sobre Dean Winchester? Ele só quer te ter.

-Mas eu falei com ele que não estava no clima e dormimos juntos. - Finalmente consegui completar a frase.

-Sem nada mais? - Meg perguntou.

-Nadinha, eu até apresentei ele a minha mãe.

MadMeg pareciam surpresos com essa atitude do menino Winchester, será que estava tão carente que apenas dormir com alguém ajudaria?

-Olá Castiel. - Gabe chegou se sentando ao lado de Mad.

-Olá Gabe! - Sorri pra ele. - Onde está o Dean?

-Deve estar comendo, estava passando aqui e vim falar com você.

-Olá Gabriel, como é bom te ver hoje! - Meg falou sarcástica.

O loiro virou seu rosto na direção da morena e deu a ela um pequeno sorrisinho com ar de desprezo.

-Gabbie. - Uma voz delicada e fina falou chamando a atenção de todos.

A menina de mais cedo estava vindo em nossa direção. O vendo soprava contra seus longos cabelos ruivos e ela parecia uma deusa caminhando até os mortais. Como é possível alguém ter tanta beleza? Eu só queria um pouco...

-Hey Louie. - Gabe se levantou estendendo os braços onde a garota se jogou delicadamente e depositou um selinho na boca do loiro.

Olhei pros gêmeos em negação.

-Eles estão juntos? - Sussurrei.

Ambos fizeram que sim com a cabeça.

-Esse aqui é o Castiel. - Gabriel me apresentou a sua namorada (acho). - Aquele que te contei.

-Olá me chamo Louise. - Ela sorriu pra mim encantadoramente revelando covinhas em suas bochechas. Os olhos dela eram verde musgo.

Sorri pra ela tentando não parecer apaixonado, mano gosto de garotos! O que está acontecendo?

Só quando os dois se afastaram que percebi que Gabriel tinha falado de mim pra ela, tá, mas falado o que? Que eu sou o novo peguete do Dean. Inclusive eu quero falar com ele ainda hoje.

-Não quero você com eles. - Mad fez cara feia.

-Eu não estou com eles, garoto.

-Sabe o que isso me lembra? - Ele perguntou a sua irmã.

-Sei.

-O que? - Perguntei.

-Meninas Malvadas. - Ele respondeu virando seus olhos pra mim. - Você vai pro grupinho dos populares e os esquisitos da escola te perdem pra eles.

-Eu jamais trocaria vocês! - Passei meus braços no pescoço de ambos num abraço.

Quando o sinal tocou, fomos pra sala de aula e terminamos as classes.

A grande massa de alunos caminhava em direção à saída da escola, os irmãos me falavam sobre alguma coisa que eles pensaram em fazer pra tentar descobrir mais sobre Aalis já que agora tinham um nome.

-Hey Cass! - Dean apareceu atrás da gente.

-E ai, Dean? - Falei sorrindo pra ele.

Ambos os gêmeos fizeram uma careta com a presença do Winchester.

-Eu fiquei sabendo daquele show que você deu ali no pátio. - Dean pegou o queixo de Mad e o encarou.

-Ficou? - O moreno riu. - Ficou sabendo que eu espero te ver morto pra poder cuspir no seu caixão também?

-Quanto ódio! - Dean pareceu realmente tocado. - Por que não leva as coisas menos a serio?

-Porque eu não sou do tipo que esquece rápido, Winchester. - Ele pareceu por um ponto final na conversa quando tirou a mão de Dean de seu queixo.

Mad e Meg apressaram o passo e me deixaram andando ali com Dean.

-Você sabe que foi muito escroto com ele, não sabe? - Perguntei.

-Eu não esperava que ele desse tanta importância pra uma transa, as pessoas daqui são muito sensíveis... Jesus.

-Mas você podia pelo menos ter convers... - Ele me interrompeu.

-Vem comigo na sala dos professores, não deve ter ninguém lá...

-Por Deus, Dean! Você está se ouvindo? Eu estou falando que você foi mega escroto com o Mad e você não da a mínima?!

Ele pegou no meu pulso e seguiu o caminho até a sala dos professores ignorando minhas palavras. Quando chegamos lá não havia ninguém, assim como Dean tinha dito.

Ele jogou nossas mochilas no chão dizendo que tínhamos pelo menos dez minutos. O loiro me abraçou ferozmente com sua boca no meu pescoço, ele estava sendo cuidadoso para não deixar um chupão ali. Eu ignorei Dean e deixei ele fazer o que quisesse sozinho, não correspondi só pela babaquice dele.

Ele levou sua boca até a minha e beijou meus lábios que permaneceram parados. Era horrível lutar contra a sede que tinha do menino Winchester, mas eu não podia dar esse luxo a ele.

-Você quer ser difícil? - Ele deixou seu rosto a centímetros do meu e olhou em meus olhos. - Vou te mostrar algo que você vai gostar.

Dean apoiou seu quadril na grande mesa que havia na sala e abriu seu zíper. Aquele barulho ecoou na minha mente e me fez engolir em seco. Ele se mostrou à mim enquanto puxava minha cabeça em direção a seu rosto novamente.

-Quer começar me beijando? - Ele perguntou num sussurro.

Então me joguei contra ele e ataquei sua boca matando minha sede de seus lábios.

(N.A// Acharam isso meio poético tbm? Kkkkk)

 

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostados amigs!!! Nós vemos no próximo que vai ter uma coisinha q vcs gostam bem hahahaha


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...