História Magic Shop - Capítulo 34


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Jikook, Namjin, Sope, Taekook, Taekookmin, Taeminkook, Vkookmin, Vmin, Vminkook, Yoonseok
Visualizações 398
Palavras 4.505
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, LGBT, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Slash, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Agradecemos aos leitores, todos que favoritam e comentam!!! ヽ(✿゚▽゚)ノ


Para mais informações ou se quiserem bater um papo com as autoras,
nos sigam no Twitter: @giseledute | @isidoroka ;)

Capítulo 34 - Capítulo 34


 

Jimin olhava a mancha no espelho do banheiro e apertava o lábio inferior para não reclamar da dor latente. Aquilo parecia piorar a cada dia e não sabia quanto tempo teria antes de definitivamente ficar de cama.

— Jimin, Kookie acordou!

A voz de Taehyung veio do lado de fora do banheiro e Jimin suspirou pesado, abaixando a camisa antes de abrir a porta.

— Está tudo bem, Minnie? Você parece pálido — Taehyung murmurou, segurando o rosto do mais velho entre as mãos assim que o viu. Ele não se esquecera sobre a fala de Jooheon. Como Jimin tinha o coração partido?

— Apenas cansado. Não preocupe — Park afirmou antes de selar os lábios de Taehyung. — Onde está o baby?

— No quarto — disse o mais alto, sorrindo fracamente. — Vamos?

O loiro somente deu um sorriso fraco e concordou com a cabeça. Os dois então seguiram para a escada e sem demora estavam batendo na porta do quarto mais novo, que era o último do corredor; também estavam preocupados com Seokjin, contudo Yoongi tinha explicado como o outro estava melhor sendo cuidado por um comum e quando as coisas mudassem, poderiam o ver novamente.

— Pode entrar.

A voz era fraca, mas inegavelmente pertencente ao caçula que aprenderam a gostar tanto em pouquíssimo tempo.

— Olá, dorminhoco — Taehyung entrou no quarto com uma brincadeira, parecia ser a melhor forma de fato.

— Como está se sentindo, Kookie? — o loiro questionou, puxando Taehyung pela mão até estarem sentados no pé da cama do moreno.

— Bem. Um pouco cansado. Como Seokjin está?

Os mais velhos se fitaram sem saberem ao certo como contar aquilo para o rapaz. Mas, era necessário a verdade de qualquer maneira.

—  Kookie, Jin estava muito mal — Park explicou, suspirando pesado. — Pelo visto, aquele homem o torturou de maneiras horríveis.

— Inclusive com o rosto de Namjoon — comentou Taehyung.

— Não… — Jungkook nem sabia ao certo o que dizer naquela situação. —  O que vamos fazer?

— Primeiro, nós vamos dar um tempo para ele recuperar fisicamente e depois no aproximar com cuidado — explicou Taehyung.

— Tortura é algo difícil, baby — completou Jimin. — Às vezes deixa marcas que vão muito além do físico.

Jungkook ponderou por um momento aquela fala. Tinha algo do tipo ocorrido com Jimin e Taehyung? Seria por causa dos pais deles ou haveria alguma coisa a mais? Contudo, tudo isso fugiu da mente do mais novo quando ele se lembrou do que tinha ocorrido com ele na casa de Lee.

“Desculpa.”

Você disse que ia se comportar!

“Pelo menos eu não os machuquei dessa vez. Qual foi?! Eu também estou aprendendo.”

— Kookie? Está tudo bem? — Taehyung perguntou, preocupado. — Você parece meio pálido?

Jungkook concordou com a cabeça positivamente. Ele não queria comentar sobre a voz na sua cabeça, parecia estranho e tinha um pouco de medo da reação dos outros dois quando contasse que conversava com um tal de Greg na sua mente. Definitivamente, não era algo que se contava assim, do nada.

— Acho que minha pressão abaixou — comentou o mais novo. — Depois eu como algo, mas antes eu queria perguntar algo a vocês: o que sabem sobre demônios?

Os mais velhos se fitaram e não souberam o que falar, pois em primeiro lugar sabiam basicamente o que todos os outros possuidores de magia sabiam e segundo porque sabiam da onde vinha aquela pergunta e não tinham certeza se queriam ter uma resposta. Como alguém tão doce quanto Jeon poderia ser um demônio? Definitivamente, não fazia sentido algum.

— Sabemos pouco — Jimin confessou, passando a língua no lábio inferior. — Sinto muito, baby.

O rapaz concordou com a cabeça. Se os outros diziam que não sabiam era porque aquela era a verdade, então precisava procurar informações em outro lugar.

— Vou tentar perguntar a Joon — disse o rapaz por fim. — Mas, eu já sabia… de certa forma, sempre soube que era uma coisa ruim, agora está confirmado.

Jimin sentia dor, mas foi o primeiro a alcançar o mais novo e o abraçar com carinho. Jungkook não deveria pensar nada daquilo, na realidade, era totalmente ao contrário, afinal o rapaz somente tinha o bem dentro de si.

— Ele poderia estar mentindo — afirmou Taehyung, buscando a mão do moreno contra sua enquanto sorria para a cena fofa que era Jimin abraçando o outro. — E, mesmo que o que ele tenha dito seja verdade, isso não importa, porque se você for um demônio, Kookie, é o melhor demônio do mundo, o mais carinhoso e bondoso e ninguém irá mudar a nossa opinião quanto a isso.

— Sim, você é o nosso baby — disse o mais velho, nem sabendo o porquê estava se incluindo naquilo tudo; talvez fosse uma conversa particular, certo? Jimin mordeu o lábio inferior ao sentir uma pontada no estômago. — N-não nos importamos com nada disso.

O mais novo então percebeu que tinha algo de estranho com Jimin. Ele se afastou um pouco e pode notar a testa do outro cheia de suor e como Park parecia apertar um dos olhos.

— Você está com dor — disse o mais novo, alarmado. — Minnie, o que houve?

— Não foi nada… Um dos clones me deu um soco na costela — mentiu o loiro. Era melhor se ninguém soubesse de verdade. — Nada que um gelo não resolva.

Jungkook nada falou, somente levantou a camisa de Jimin de uma vez, o que assustou ao loiro, contudo não tinha mais como esconder a mancha que agora estava maior e mais forte.

— Oh! — Taehyung não conseguiu evitar o som de surpresa. — Jimin, você disse que estava melhor!

Aquilo era tudo o que Jimin não queria, afinal não queria chamar atenção daquela maneira, somente cuidar do mais novo e se possível, arranjar alguma solução para aquilo antes que Taehyung morresse, contudo agora teria que revelar aquele segredo que estava tentando guardar há dias.

— É, estava, mas voltou a piorar — explicou Park.

— Vamos chamar Joon — disse o mais novo, enfático. — Eu vou lá.

Jimin segurou no braço do moreno com força.

— Claro que não! Joon está arrasado com tudo isso de Jin e sem cabeça para bobagens!

Taehyung bufou.

— Isso não parece bobagem! — afirmou Taehyung, preocupado. — Na verdade, isso parece bem perigoso.

— Não é nada, que droga! — Jimin praticamente gritou as palavras, ficando de pé e se afastando dos outros dois que estavam na cama. — Mas que merda! Porque vocês não podem me deixar em paz e sei lá, só transarem de vez. Não é isso o que vocês querem? Acham que eu sou idiota! Eu vejo os olhares, as mãos dadas, só falta a porra do beijo, se é que já não se beijaram e somente escondem de mim. Se for isso, ótimo!

O de cabelo azul parecia surpreso e assustado como rompante de Jimin. Por que Park estava daquela maneira quando haviam conversado e estava tudo bem em relação a tudo? Céus, sentia-se bastante culpado agora e nem entendia ao certo o porquê.

— Minnie… — Jungkook foi o primeiro a proferir algo. — Jimin, não é nada do que você está pensando.

— Ah, ha, ha! — Jimin riu em escárnio. — Que ótima piada! Você é mesmo um comediante, hein?

Jimin sacudiu a cabeça negativamente e somente saiu do quarto. Estava cansado demais de tudo aquilo e como estava sendo afetado por uma coisa que nem era culpa dele. Não tinha muita magia então ficava propenso aquele tipo de merda. Por que, céus?! Por quê?! Alguém lá em cima deveria odiá-lo e muito.

Park não foi para o quarto que dividia com Taehyung e somente seguiu pelos corredores. Estava tão irritado agora e nem sabia se era um sentimento realmente dele ou se era algum efeito colateral da doença.

— Ei, ei… olha por onde anda.

A voz alcançou Jimin, mas ele somente empurrou a pessoa que o segurou.

— Me deixa em paz!

Yoongi não estava acostumado com aquele tipo de tratamento, ainda mais de Jimin, então logo estranhou, mas Park não parecia bem para conversar e somente tentou se soltar de Min, contudo o loiro mais velho o segurou no lugar.

— Sabe, Jimin… Nós somos amigos, você sabe disso, né?

Jimin sabia, mas tinha se esquecido, então escutar tal coisa deixava seu coração mais alegre e as coisas doíam um pouco menos, então mesmo com tudo acontecendo, ele esticou os braços e abraçou o mais velho, que sorriu e retribuiu o gesto.

— Você quer conversar um pouco?

O caçador concordou, ele definitivamente precisava de algumas palavras doces de alguém e talvez Min pelo menos o escutasse, então deveria ser o bastante.

O advogado levou o loiro mais novo para o quintal de trás da casa onde estavam, era um lugar lindo, que Namjoon cuidava bastante e com muito carinho, então estava sempre bonito e bem limpo, além é claro que florido por conta de todas as plantas que o mago cuidava.

— Okay, agora podemos conversar — Yoongi falou, suspirando pesado e fitando uma árvore a frente. ele sabia bem como Jimin não gostava que o fitassem ficava envergonhado demais ou se sentia julgado, o que era totalmente o oposto que Min queria. — O que aconteceu?

— Como deixar de ter ciúmes?

Yoongi riu e fitou o outro, até perceber que Jimin falava de verdade.

— Oh, você vem perguntar para mim? — Min estalou a língua. — Eu não faço ideia! Eu morro de ciúmes de Hobi, não posso te ajudar nisso.

— Você tem ciúmes da gente com Hoseok?

O loiro mais velho franziu a testa e pareceu pensar sobre aquilo um tempo, então negou com a cabeça.

— Somos todos amigos aqui, não tenho ciúmes de vocês. Por quê?

Jimin suspirou pesado.

— Como eu deixo de ter ciúmes de Jungkook e Taehyung?

— Ainda a doença, Minnie?

Park concordou com a cabeça, fitando agora o chão. Ele tinha vergonha de estar trazendo tantos problemas e ainda mais por estar estourando por bobagem, afinal os mais novos somente queriam o ajudar e tinha acabado agindo da pior maneira, Era mesmo um idiota.

— Joon acha que alguém fez de propósito porque tinha melhorado, na verdade, tinha sumido, mas… agora voltou pior.

— Como assim alguém?!

— É… o Joon ia tentar investigar melhor, mas com isso de Jin, eu nem tenho coragem de falar nada. Namjoon está tão abalado e nem é para menos.

— Jimin, ele não cuidou de você hoje, né?

— Não, mas está tudo bem. Eu aguento a dor.

Yoongi sorriu fracamente.

— Vamos, me dê a sua mão, Minnie.

— Não precisa…

Min nada falou e somente estendeu a mão para o outro, que pareceu um pouco na dúvida, mas acabou aceitando; o mais velho então enlaçou os dedos e deixou sua magia fluir até o outro, tirando a dor de Jimin.

— Obrigado — disse o mais baixo, minutos depois. — Não precisava…

— Sem problemas — afirmou Yoongi, dando um outro sorriso. — Isso deve doer igual um inferno, mas você ainda foi ajudar Jin. Você é muito forte, Minnie.

— Não sou.

— É sim — afirmou o advogado. — E, por ser tão forte assim, eu acho que você deveria explicar o que está acontecendo para Tae e Kookie.

— Não! — disparou Jimin. — Eles não podem saber disso!

— E por que não?

— Eles vão ficar preocupados e vai ser um porre!

Hm… achei que era porque você sabia que eles se sentirão culpados e tem um coração grande demais para deixar tal coisa ocorrer.

Jimin nada falou e somente ficou olhando para a árvore que tinha a sua frente. Ele não achava que tinha grande coração, na verdade, se achava egoísta e idiota, principalmente por ser bobo o suficiente para ainda ter ciúmes quando deveria ajudar Taehyung para ele ter quem gostava ao seu lado. Por que não conseguia ser superior daquela maneira?

— Não tenho um bom coração, eu só sou egoísta — afirmou o mais novo, suspirando pesado. — Eu quero Taehyung para mim, pois sem ele… eu não tenho ninguém.

Yoongi quis falar que o outro tinha amigos, mas a quem queria enganar? Ele entendia bem o que Jimin queria dizer, pois agora que tinha Hoseok além do que como amigo, entendia como precisava daquilo de alguma maneira, como sempre gravitou ao redor de Jung esperando a sua chance e esta chegara de maneira diferente, mas não se arrependia de nada. Sinceramente? Casaria com Jung todos os dias pelo resto da sua vida, se necessário.

— Eu… não acho que você tenha só a Tae.

— Ah, vai dizer que tenho amigos que me apoiam e blá, blá, blá?

— Não, seu abusado. — Yoongi cutucou de leve o outro, que acabou dando um sorriso fraco. — Eu só ia falar que eu não acho que exista só Tae.

— Yoon, como vou arranjar outra pessoa, assim?! Para ser sincero, eu até pensei em Namjoon, nós até conversamos, mas… depois de hoje? O cara ‘tá louco por Seokjin, eu não quero ser mais egoísta ainda.

— Você não é egoísta, Jimin.

— Vou perguntar para Hoseok se ele me aceita, então. Seremos um trisal.

Yoongi revirou os olhos.

— Engraçado, eu acho que você quer um trisal com outras pessoas, não?

— Não vai funcionar, Yoongi.

— Não se você continuar fugindo.

Jimin se recostou no banco, voltando a fitar a árvore. Namjoon tinha mesmo feito um bom trabalho naquele jardim, era tudo muito bonito. Ele queria ter algo assim, mas sempre vivera fugindo, vivendo em motéis a vida toda.

— Jimin, Tae te ama como louco, nem vamos questionar isso. Jungkook ele… é um pouco confuso nos sentimentos dele, mas eu realmente acho que tem algo ali por você, mais que amizade. Eu vejo a maneira como vocês se fitam às vezes… É bem bonito, na verdade.

— Isso tudo é medo que eu invista em Hoseok, Yoon? Vai inventar história? — Jimin tentou brincar, mas sentia seu rosto quente de vergonha, mesmo em saber o porquê. Ele não tinha sentimento por Jungkook, nem o mais novo tinha por ele. Era loucura, não havia nada a oferecer para ser querido por alguém. — Não se preocupe, Hoseok nem enxerga outras pessoas com você no cômodo.

— Verdade? — Min perguntou com um sorriso bobo.

— Sim, chega a ser nojento — implicou o mais baixo. — Dois nojentos vocês dois.

— Ah, ‘tá. Por que você Taehyung são muito contidos, né? Mas não fuja do assunto, Jimin. Eu consigo sentir a aura chorosa de Taehyung daqui.

Jimin suspirou pesado e sacudiu a cabeça negativamente.

— É melhor assim, Kookie pode consolá-lo.

— Não faça isso, Minnie.

— Ser egoísta?

— Não, sofrer quando a solução é simples — afirmou o advogado, dando uma batidinha no joelho do loiro. — Eu sei como é correr desses sentimentos e morrer de medo de perder seu melhor amigo, mas sabe o pior? Magoar a pessoa que ama para ela não te magoar quando você nem sabe se vai acontecer. Eu fiz essa besteira e quase perdi meu Hobi, agora estou aqui dizendo isso para você não perder o seu Tae e nem o seu Kookie.

— Ai, você é muito chato, Yoongi.

— Eu sei que estou certo.

— O que eu faço?

— Isso é com você — afirmou Min. — Mas eu começaria contando tudo e depois dando uns beijos em Taehyung.

— Ei! Que isso?!

— Você pode falar do meu e eu não posso falar do seu?! — reclamou Yoongi, estalando a língua. — Pois saiba que se eu fosse solteiro, Tae não me escapava!

— Para de falar merda, Yoongi!

— E Kookie? Já viu aquelas pernas?! Eu babo muito.

— Chega!

— E os braços? — disparou o advogado. — O sorriso de Taehyung?

— Eu vou te bater, Yoongi!

— Quem é o ciumento agora?

Jimin bufou alto e ficou de pé, irritado com Yoongi. Onde já se viu uma coisa dessas! Ele não ficava falando de Hoseok e como ele era gostoso por ali.

— Faça a coisa certa, peste. — Yoongi afirmou, levantando-se e ameaçando estapear a cabeça do mais novo, porém apenas o segurou com delicadeza antes de depositar um beijo nos cabelos tingidos de Park. — E, qualquer coisa, é só me chamar.

Park suspirou pesado.

— Cuidado, se alguém ver um duque se misturando com gente da minha casta… Vai dar problema para você. 

— Minnie, eu literalmente casei com um comum. Eu ‘tô lá ligando para isso?

— Mas deveria — afirmou o mais baixo. — Seus pais logo aparecerão, Yoon e você sabe que não será fácil.

— Hoseok é o homem que eu amo. Não há nada que meu pais possam fazer.

— Não quer dizer que não vão fazer de tudo para atrapalhar.

Min sabia daquilo, mas não queria pensar muito sobre o assunto, pois tinha medo deles realmente conseguirem atrapalhar, afinal ele também tinha amado Namjoon. Lembrava-se bem das tardes de outono, que passavam debaixo do cobertor, rindo e se beijando como se aquela fosse a vida nunca fosse acabar. Durou pouco e tinha chorado tudo o que tinha no corpo quando terminaram, então não iria deixar a mesma coisa acontecer com Hoseok. Dessa vez seria diferente, ele iria lutar por Hoseok de todas as maneiras possíveis.

— Vai ficar tudo bem — garantiu Yoongi, com um sorriso. — Para nós dois.

— Okay. Eu vou acreditar em você. É uma promessa, Yoongi — Jimin afirmou, sorrindo em seguida. — Vai ficar tudo bem para nós dois. Não deixe de cumprir.

— Abusado. Você precisa fazer a sua parte. Vá já ver Tae e Kookie.

Jimin concordou com a cabeça e começou a andar em direção a casa, contudo logo voltou para Yoongi.

— Eu ‘tô decente? Meu cabelo ‘tá bagunçado?

Yoongi riu.

— Você parece uma divindade que veio a terra, Minnie. Agora anda, vai logo!

Jimin então foi de uma vez, pensando no que falaria para os outros dois, afinal estava com medo de ser sincero. Desde quando aquilo lhe trouxera algo de bom? O melhor era fingir que não sentia nada e continuar a viver. Porém, não podia agir como se não houvesse sido um completo idiota com os mais novos e precisava pedir desculpas.

Ele passou pela porta do quarto de Seokjin e não pode deixar de parar por um instante. Não chegava ainda a ser um grande amigo do mais velho, contudo, queria poder vê-lo e talvez abraçá-lo, mas logo sacudiu a cabeça, faria aquilo quando o professor estivesse bem e fazendo piadas novamente. Era realmente o certo.

Então, na sequência, somente voltou para o quarto do mais novo, batendo de leve na porta e novamente foi recebido pelo tom suave da voz do caçula. Jimin abriu a porta só um pouquinho e espiou para dentro do quarto.

Jungkook estava abraçando Taehyung, que agora parecia dormir nos braços do mais novo, que novamente chamou Jimin para entrar de vez no cômodo. Park mordeu o lábio inferior e mesmo na dúvida, acabou por fazer isso.

— Ele chorou — explicou o mais novo. — Mas estava bem cansado e acabou dormindo.

— Tae é sensível… sempre chora até adormecer… — Jimin suspirou coçando a nuca sem jeito. Ele não sabia o que fazer, como pedir desculpas para melhorar aquilo. Taehyung era sua alma gêmea e ainda assim adormeceu chorando por sua culpa. — Eu fui um babaca.

O mais novo negou com a cabeça, chamando o outro para sentar na cama e Jimin assim fez, um pouco afastado mais por vergonha do que qualquer outra coisa.

— Nós conversamos — afirmou Jungkook. — E é isso, não vai ter mais nada. Eu juro que não aconteceu nada e nem vai acontecer. Ele te ama, Jimin.

— Não, não… Não é isso o que eu quero!

Jimin acabou falando alto demais e Taehyung se mexeu, piscando algumas até focar em Jungkook, sorrindo logo com a visão. O de cabelo azul se espreguiçou e somente naquele instante viu Park ali.

— Minnie, me perdoa! — Taehyung praticamente pulou da cama, buscando as mãos do mais velho. — Eu fui um idiota, um egoísta!

O coração do Park se apertou com a visão das súplicas de Kim e ele não conseguiu segurar as lágrimas, abanando a cabeça várias vezes.

— Eu que sou egoísta! N-não foi sua culpa, e-eu… só estava com muita dor, mas isso não é desculpa! — afirmou Jimin. — Vocês dois ficam bem j-juntos, é bonito. E-eu… não tenho problemas com isso.

Ele tinha, contudo não queria estragar a felicidade de Taehyung.

— C-como não? E-eu parti o seu coração é por isso que você está assim!

— Como você descobriu?!

Jimin não queria que Taehyung soubesse, pelo menos não daquela maneira. Amava demais Kim para que ele se culpasse por algo que não tinha culpa.

— Eu… andei pesquisando — Jungkook disse, sorrindo sem graça quando Jimin o fitou. — Na verdade, eu venho olhando isso há um tempo, daí eu vi o livro que Joon estava lendo e só juntou uma coisa à outra. — O rapaz respirou fundo. — Eu sinto muito, Jimin. Nunca foi minha intenção me meter assim…

— Os dois poderiam parar, por favor? N-não é culpa e ninguém, ‘tá? E-eu vou ficar bem. E eu não os culpo… é ó q-que… Eu sou inseguro, okay? Grande parte dessa doença tem base na minha insegurança… Mas eu não vou morrer — Jimin afirmou olhando para o de cabelo azul. — Não vou. Como eu poderia deixar algo assim acontecer?

Taehyung e Jungkook se fitaram alarmados.

— Morrer? — Taehyung foi o primeiro a perguntar. — Você pode morrer?!

— I-isso eu não vi no livro — comentou Jungkook, com os olhos arregalados. — Minnie… Divindade, o que eu fiz?! Greg, você sabia disso?!

“Garoto, você falou em voz alta!”

— Quem é Greg? — Jimin questionou, mas o puxão que Taehyung deu em seu braço o obrigou a encará-lo. — Meu anjo, eu não vou morrer. É impossível. Você me ama, não é? Se você me ama, meu coração não ficará partido.

— Então levanta a camisa!

— Tae…

— Jimin. — Taehyung foi enfático. — Jimin, por favor, nós precisamos descobrir algum meio de resolvermos isso. Joon ‘tá mal agora, então temos que procurar algum mago disposto a ajudar. Eu tenho economias que estava pensando em lançar o meu livro, mas podemos usar para isso…

— Tae, para!

— Como eu vou parar?! Você é a minha vida toda, Jimin!

— E eu não vou a lugar algum! Eu não vou a lugar nenhum sem você? Como cuidaremos do nosso baby se você se desesperar agora, hn?

Eles têm um filho agora?

“Ele está falando de você, sua anta!”

Ainda não entendo.

“Estou cercado de idiotas!”

— M-mas… você quer que ele seja seu baby também? — Taehyung questionou, preocupado. — Você não precisa forçar nada, Minnie.

— Acho que depende de Jungkook — disse o mais velho, fitando Jeon com um sorriso fraco. — A decisão está com ele.

— Do que vocês estão falando mesmo?

“Eu vou me separar de você, garoto!”

— Nos diga primeiro quem é Greg — questionou Jimin.

— O quê?

— Você disse: “Greg, você sabia disso?” — Agora foi a vez de Taehyung questionar. Ele sabia que Park estava pensando sobre o assunto e precisava de alguns minutos para dar uma resposta definitiva sobre tudo. — É algum amigo seu que não conhecemos?

— Ah… Não foi nada, modo de dizer. É um meme.

Jimin levantou uma sobrancelha.

— Olha, eu conheço todos os memes, nunca vi esse aí.

— É um brasileiro — explicou o mais novo.

Os mais velhos se fitaram e depois voltaram a olhar para Jungkook. A quem ele pensava que enganava?

“Fala logo, animal!”

Não!

“Argh! Garoto teimoso!”

— Foi coisa momento, não é nada. 

— Tudo bem, se você não quer falar — disse Taehyung, sorrindo fracamente. — Não iremos te forçar.

— Mas estamos aqui para o que precisar, okay? — Jimin completou.

“Fala logo! Eu vou tomar sua consciência e conversar com eles, o que acha?!”

Você não seria capaz!

“Não estranhe se acordar amanhã com dois paus na boca!”

Para com isso, Greg!

“Fala logo!”

— Não falo!

“Burro.”

— Kookie… — Jimin tentava não parecer preocupado, mas era exatamente assim que estava. — O que está acontecendo?

Jungkook gritou.

— Greg é a voz na minha cabeça. ‘Tá satisfeito? Eu disse! Idiota. — Jungkook proferiu alto, batendo os braços no colchão forma quase infantil de tão emburrado.

— Okay… Não precisa ofender.

Jungkook arregalou os olhos.

— Não, não vocês! — afirmou o rapaz, alarmado. — A voz, ela que é idiota. Ele me deixa louco vinte e quatro horas por dia, sete dias na semana! Greg é um porre!

“Abusado!”

Calado!

— Então… Tem uma voz dentro a sua cabeça? — Jimin questionou.

— Sim… Argh! Vocês pensam que eu sou doido, não é? Eu sabia. Por isso não queria contar. Greg, idiota.

Taehyung estava preocupado, mas era um pouco engraçado a forma como Jungkook parecia irritado, mas não muito, como se Jeon estivesse brigando com um irmão, contudo no fundo ainda gostava muito da pessoa.

— Assim… se você nos explicar melhor… — falou o de cabelo azul. — Por que não tenta?

Jeon respirou fundo e pensou nas melhores palavras, mas não realmente havia, o melhor era dizer tudo de uma vez e ser sincero.

— Quando eu perco o controle, eu fico diferente, né? Então, é essa voz. — Jungkook bateu na própria testa. Como não conseguia explicar algo assim? — Eu não sei explicar direito… Mas antes, Greg era mal, agora ele está tentando se comportar.

“Fala que eu gosto deles! Manda um beijo! Diz para Taehyung comer mais que ‘tá muito magrinho!”

— Minha divindade, como você é irritante! — o mais novo afirmou, escondendo-se por debaixo das cobertas.

— Parece que ele te disse algo vergonhoso. O que foi? — Jimin proferiu, se deitando ao lado do mais novo, sem invadir o espaço que ele havia feito para si debaixo do pano.

— Ele… está falando que gosta de vocês.

— Oi, Greg — Taehyung disse, mesmo que ainda fosse estranho, contudo, depois de anos, o que realmente era bizarro no mundo mágico? — Era você hoje mais cedo, não era? Obrigado por nos proteger.

“Jungkook… eu o amo.”

Calado!

“Fresco. Eu vou protegê-los. Por que eles o protegeram primeiro.”

— Vocês estão conversando agora? — Park questionou, curioso. — O que ele acha de mim?

— Que você é lindo — disse o mais novo. — E que ele gosta do seu sorriso e odeia te ver sofrer.

— É? Ele disse isso tudo?

— Talvez.

— Fofo. Tudo em você é fofo Jungkook? Até a voz na sua cabeça?

Jungkook voltou a se encolher envergonhado. Como poderia ficar assim quando minutos antes tinha decidido desistir de Taehyung para não causar sofrimento em Jimin? Agora, na verdade por mais loucura que fosse, talvez quisesse ter os dois. Mas era errado ou não era?

“Eu te falei.”

É, ele tinha falado, pensou o mais novo, suspirando pesado.

Taehyung gostou da cena dos outros dois deitados e não resistiu a fazer o mesmo, dessa vez se enfiando entre Jimin e Jungkook, que riram juntos. Eles não queriam ser tão confusos, porém, não sabiam ao certo o que fazer com toda aquela situação. Park estava doente, Jeon com uma voz na cabeça e Kim percebia que tinha que agir logo para talvez melhorar um pouco para todo mundo, afinal as coisas estavam confusas e um tanto sem rumo.

“Eu gosto deles, Jungkook e você também.”

O que isso significa?

“Acho que você sabe garoto.”

Ele sabia, claro que sabia, mas não era o momento certo.

“Se for assim, nunca será o momento certo.”

Jeon suspirou pesado. Greg tinha razão, mas ainda assim esperaria mais um pouco, mesmo que fosse a decisão errada.

Não estava pronto para um passo daqueles e esperava que mesmo que não dissesse nada, os outros dois entendessem.

Jungkook precisava de tempo e esperava que pudesse ter isso antes que estragasse tudo. Estava depositando um cartão de confiança no destino e esperava que estivesse certo no final das contas.

 

 

 


Notas Finais


Gostaram do capítulo? Divulguem a fic!

E, por favor, deixem comentários com as suas opiniões; amamos lê-los.

Até amanhã ;*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...