História Magical Music - Presos pela música. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Tags Bron, Drarry, Pansmione
Visualizações 84
Palavras 1.815
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Avisa que eu chegueiiiii, E a gente vive apenas uma vez. Então se arrisca, beija, acerta, erra... O amor não vem com estrela na testaa... *Dançando que nem uma retardada*
OH QUEM VOLTOOOOOU.... PRA SA-CA-NA-GEM!

VOLTEI SEUS LINDOOOOOOOOOOS! e arrasando com essa Short Fic de HP!

Ela vai ser dividida em 3 capítulos.

BOA LEITURAAAAAAAAAAA

Capítulo 1 - Hermione, I'm going to hit you with that ddu du ddu du


Fanfic / Fanfiction Magical Music - Presos pela música. - Capítulo 1 - Hermione, I'm going to hit you with that ddu du ddu du

 

— Essa casa não possuí janelas, lareiras, e é impossível aparatar daqui de dentro.  E é claro, é impossível de ser rastreada. — Esclareceu Granger, andando de um lado para o outro. 

 

 — Como vamos sair daqui então? — Foi Pansy quem perguntou. Ela estava vestindo um pijama branco com desenhos de cobra. Provavelmente estava dormindo em Hogwarts, antes de ir parar ali. 

 

— Eu olhei os quartos. — Comentou Ronald. — Nas cômodas, eu achei três tocadores de CD trouxa, um em cada quarto. 

 

— E no que isso pode ajudar? — Resmungou Potter, revirando os olhos.  

 

— É CLARO! — A castanha berrou, fazendo todos a olhares assustados. 

 

— O que é claro, Granger? — Malfoy irritou-se. 

 

— Os ‘toca CDs’ é claro! — Ignorou-o, enquanto falava. — Aquelas cartas, que estavam conosco quando acordamos... Entreguem-me elas aqui, preciso lê-las. 

 

 

Seis papeis agora se encontravam na mão de Hermione, ela os olhava com expressão de curiosidade. Logo, ela deu um pulinho alegre, olhando a todos com um sorriso largo. 

 

 

— Descobri! Olhem. — Ela depositou alguns papeis na mesinha que se encontrava ao seu lado, e ficou com apenas um em sua mão, lendo-o em voz alta. — “Eu faço do jeito que eu quero, porque eu sou uma garota má. Se você gosta de mim ou me odeia, ou o que quer que qualquer um diga. Quando a batida começa, é mais um sucesso”.  — Os olhares caíram mais uma vez sobre si. — Esse era o papel da Parkinson. — Pansy sorriu, percebendo o quanto a citação combinava com si mesma.  Hermione trocou o papel. — “Um rostinho doce, mas uma atitude oposta. Um corpo magro escondendo o dobro da potência. Seguindo nosso caminho, sem importar com os outros. Quando você diz Preto, nós dizemos Rosa, nós arrasamos”. Esse era o meu papel. 

 

 

— Certo Granger. Mas, o que isso tem a ver com nossa situação? — Blaise suspirou, recebendo um aceno de concordância de Draco. 

 

 

— Espere, já irá entender. — Trocou o papel mais uma vez. — “Na escuridão há uma luz vermelha. Olhos na esquerda e na direita, andando no fogo. A luz do começo está se aproximando. Quem é que tá com medo?”. Esse era o do Ron. — Pegou outro papel. — “Com essa dança especial, Latata. Eu vou queimar tudo, tudo, tudo. O que é tão difícil? As pessoas estão com inveja. Ótimo, vamos queimar a noite toda. Muah, muah, muah”. Esse era do Zabini. 

 

 

— As frases... São conectadas! — Gritou a Parkinson, entendendo a situação. — Cada frase tem um conceito, e cada uma possuí outra que a complementa. Por exemplo, a frase do Blaise complementa a do Weasley, já que as duas falam de “fogo”! 

 

 

— Isso! “Segurando o café com uma das mãos enquanto a outra pluga os fones. Andando enquanto o vento passa por meus dedos. Alguém que irá abraçar cada pedaço meu. Enquanto fazemos nosso hobby juntos”. A do Harry. E agora, a última, ou melhor, a do Malfoy; “Eu esperei que houvesse. Que alguém assim surgisse, mas aqui está você. Eu deveria te contar ou não, me preocupei tanto com isso. Minha mente está confusa. O café que supostamente iríamos beber juntos. Já são dois copos vazios”. — A Granger sorriu, vendo a cara de confusão dos outros, e a expressão de curiosidade da Parkinson. — Essas frases na verdade são músicas conhecidas no mundo trouxa. Essas letras, quando se juntam, formam uma música, a cada par. 

 

 

— A minha complementa a da Granger, a do Blaise complementa a do Weasley, e a do Draco complementa a do Potter. — Concluiu Pansy, sorrindo. 

 

 

— Okay, mas e os tocadores? — Harry revirou os olhos mais uma vez. 

 

 

— Cada um está portando as músicas. As músicas que estavam em nossos papeis. Talvez, nós precisemos apenas encontrar os quartos certos de cada dupla, assim sairemos daqui. 

 

 

Ao terminar essa frase, um baque alto soou pela casa. Hermione fechou os olhos com força, e quando os abriu novamente, já não se encontrava na sala escura, mas sim em um quarto. As paredes eram revestidas com um carpete preto, e o chão com um carpete rosa. A cama que se encontrava em meio ao cômodo, era preta com dosséis Pink. 

 

 

— Isso é realmente bonito. — Olhou para o lado assustada, dando de cara com Pansy, que admirava o quarto, indo em direção à cômoda. — Olhe. — Em cima da mesma, um toca CDs se encontrava. Era rosa, combinando com o quarto. — Que tal ligarmos? 

 

 

“NÃO LIGUEM O TOCADOR DE CDS!” 

 

 

—Você ouviu isso? — Pansy assentiu, se sentando na cama. 

 

 

“NÃO LIGUEM O TOCADOR DE CDS!” 

 

 

— Que voz é essa? — Olhou para a morena, que segurava a barra de seu pijama, enquanto dava de ombros. 

 

 

“SENTIMENTOS SERÃO REVELADOS, E AMORES SERÃO FORMADOS ASSIM QUE O DISCO GIRAR.” 

 

 

Hermione estacou no lugar, assim que a música começou a soar pelo cômodo, sem ninguém ter lhe iniciado. 

 

 

BLACKPINK!

Ah yeah, ah yeah

BLACKPINK!

Ah yeah, ah yeah.

 

 

Seus corações passaram a bater rápido. Pansy olhou Hermione, tendo em lembrança, os sentimentos profundos que nutrira pela castanha no sexto ano, antes da guerra. Esses sentimentos voltaram a se fazer presente no mesmo momento. 

 

 

Um rostinho doce, mas uma atitude oposta.

Um corpo magro escondendo o dobro da potência

Seguindo nosso caminho, sem importar com os outros.

Quando você diz Preto, nós dizemos Rosa, nós arrasamos (BLACKPINK!)

 

 

Hermione suspirou, lembrando-se dos sonhos que lavavam sua mente durante as noites, os quais envolviam a morena de cabelos curtos. As sensações vindas à tona finalmente.

 

 

Se quisermos, conquistamos qualquer coisa.

O que quer que você faça, é como cortar água com uma faca.

Nossas mãos estão ocupadas com um cheque bem gordinho

Se você estiver curioso, cheque os fatos

Minhas expectativas são altas

São como peixes na água

Eu sou um pouquinho tóxica

Você caiu na minha, sou espertinha. 

 

 

Encararam-se, sentindo um arrepio percorrer seus corpos. Hermione se aproximou da cama, sentando-se na mesma, ficando de frente para Pansy. 

 

 

Pense duas vezes

Não posso ser boazinha como as outras pessoas

Não se engane

Eu só sorrio fácil pra mim mesma

Você pode não saber muito bem ainda

Se você quiser, pode me testar.

Você é tão previsível

Se você queria algo fácil

 

 

Começaram a se aproximar, sem se importarem com o que aconteceria a seguir. 

 

 

Ah, só espere até eu fazer o que eu faço.

Acerto-te com aquele ddu-du ddu-du Du (ah yeah, ah yeah!).

Acerto-te com aquele ddu-du ddu-du Du (ah yeah, ah yeah!).

Ddu-du ddu-du Du

(Te acerto com aquele, te acerto com aquele, te acerto com aquele).

BLACKPINK!

 

 

Seus lábios finalmente se tocaram, iniciando um beijo envolvente, calmo e doce. A boca de Mione era macia, seus lábios se movimentavam sem muita experiência, enquanto Pans comandava o beijo, tentando quebrar o espaço que ainda restava em meio às duas. 

 

A música continuava tocando altamente, abafando os gemidos baixinhos que Hermione soltava, enquanto Pansy a puxava, trazendo-a para seu colo. 

 

 

A sensação de suas intimidades se chocando fazia a Granger enlouquecer, precisando de mais contato. As duas já estavam excitadas, completamente molhadas. A Parkinson estava quase enlouquecendo, e ao quebrar todo o espaço que ainda havia entre elas, Hermione gemeu alto, sentindo sua intimidade roçar mais uma vez à da outra. 

 

 

Mione enroscou suas pernas na cintura de Pansy ao sentir a mesma puxar sua camiseta da Grifinória pra cima. Assim que ficou apenas de sutiã, Pans arrancou a saia da garota com um movimento, deixando-a apenas de roupa intima. 

 

 

Deitaram-se sobre a cama. A morena por cima, e a castanha por baixo. 

 

 

O caminho que eu percorro agora

É o cruzamento das BLACKPINK

Norte, Sul, Leste, Oeste, nós comandamos tudo

Nós compramos toda a sua lista de desejos

Atraindo-te e te repelindo pra bem longe

Eu faço do jeito que eu quero, porque eu sou uma garota má

Se você gosta de mim ou me odeia, ou o que quer que qualquer um diga

Quando a batida começa, é mais um sucesso.

 

 

O pijama de Pansy foi jogado para o outro lado do quarto. A morena passou sua boca pelo pescoço desnudo da castanha, deixando chupões que no final com certeza deixariam marcas. Desceu os lábios até o ventre da garota, enquanto ela gemia e arfava com os toques quentes sobre si. A mão da Parkinson deslizou para dentro da calcinha vermelha de Hermione, que arfou e contraiu os lábios. Assim, mais uma peça de roupa foi jogada em algum lugar do quarto. 

 

 

Pense duas vezes

Não posso ser boazinha como as outras pessoas

Não se engane

Eu só sorrio fácil pra mim mesma

Você pode não saber muito bem ainda

Se você quiser, pode me testar

Você é tão previsível

Se você queria algo fácil

 

 

Quando nenhuma peça de roupa restara no corpo das duas, Pansy lambeu seus dedos, na intenção de lubrifica-los.  Ajoelhou-se entre as pernas da Granger, levantando-as e as posicionando em seus ombros. Levou um dedo até a intimidade da castanha, massageando o local enquanto estocava um de seus dedos na entrada da mesma, fazendo Hermione cravar seus dedos nos lençóis, se contorcendo pela dor e pelo prazer que a preenchia. 

 

 

Ah, só espere até eu fazer o que eu faço

Acerto-te com aquele ddu-du ddu-du du (ah yeah!)

Acerto-te com aquele ddu-du ddu-du du (ah yeah!)

Ddu-du ddu-du du

 

 

Levou um segundo dedo até a entrada da garota, estocando devagar para a mesma se acostumar novamente com a penetração. Os gemidos das duas eram abafados pela música, apesar de serem altos e excitantes para qualquer um que as escutasse. O barulho dos dois corpos se chocando era viciante. 

 

 

O que você vai fazer quando eu

Chegar, chegar com aquele, aquele, uh? uh huh

O que você vai fazer quando eu

Chegar, chegar com aquele, aquele, uh? uh huh

 

 

Enquanto movimentava seus dedos dentro de Hermione, Pansy gemia descompassadamente. Sua intimidade latejava, pedindo por contato. Parou de estocar a castanha assim que a mesma soltou um gemido estrangulado seguido de seu ápice. 

 

 

Quente, quente, quente como fogo

(Ddu-du ddu-du du, ddu-du ddu-du du)

Quente, quente, quente como fogo

(Ddu-du ddu-du du, ddu-du ddu-du du)

 

 

A Parkinson gemeu alto, ao sentir os dedos de sua castanha atingir seu clitóris inchado, massageando-o. Seu corpo gritava por mais. Estava quase lá.

 

 

BLACKPINK!

Hey!

Ddu-du ddu-du du du du du

Ah yeah, ah yeah, ah yeah, ah yeah

Quente, quente, quente como fogo

Quente, quente, quente como fogo

 

 

Gemeu alto, assim que sentiu seu clímax se aproximar, desmanchando-se nos dedos da castanha, que respirava ofegantemente. Caíram na cama, deitadas uma ao lado da outra, olhando-se profundamente.

 

 — Granger...

 

— Parkinson...

 

Ficaram se encarando, olho no olho, castanho no preto. Um silencio constrangedor tomou conta do quarto, que antes estava tomado pelo som de gemidos. Olharam-se por mais uns instantes, antes de terem seus lábios colados mais uma vez naquela noite.

 

— Eu te amo...  

 

As palavras saíram abafadas, em uníssono. Sorriram. Um sorriso verdadeiro. E depois, dormiram. Dormiram bem pela primeira vez naquele ano. Apenas por estarem nos braços de quem realmente amava. 

 

 

Acerto-te com aquele ddu-du ddu-du du

 

 

XxXxX

 

 

CONTINUA... 


Notas Finais


FICOU UMA MERDA NÉ? minhas habilidades com Hots estão diminuindo (mentira, elas nunca existiram rs)
Eu preciso melhorar meus hots, mds kksksksk

desculpa os erros.

EVERY DAY
EVERY NIGHT
LATATA

Bye, E'Dawnieeees! Comentem, pra me incentivar um pouquin ;w; quero conhecer meus leitores fantasma!
Bye, Bye! Beijos de Cookie! (Vindos da minha Cookie Jar) (entendedores entenderão) (#Cookie Jar) (#DuploSentido Reina)


O PRÓXIMO SAI SEMANA QUE VEM! YEAAAAH


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...