História Maid's daughter - Fillie - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Stranger Things
Personagens Billy Hargrove, Chefe Jim Hopper, Dustin Henderson, Eleven (Onze), Jonathan Byers, Joyce Byers, Kali "Eight" (Oito), Karen Wheeler, Lucas Sinclair, Maxine "Max" Mayfield / "Madmax", Mike Wheeler, Nancy Wheeler, Personagens Originais, Steve Harrington, Will Byers
Tags Fillie, Finn Wolfhard, Millie Bobby Brown, Stranger Things
Visualizações 35
Palavras 2.180
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Heyy, peoples! Tudo bem? Espero que sim! Hoje estou começando minha segunda fic aq.

Esse cap começa falando um pouco dos personagens principais

PS: se flopar, eu apago e finjo q nd aconteceu!

Beijinhos de luz e boa leitura!

Capítulo 1 - É pegar ou largar!


Sobre Millie Bobby Brown


Millie Bobby Brown é uma garota de 16 anos, ela mora em uma vila não muito conhecida, em Vancouver, Canadá, tinha muitos amigos, era extrovertida apenas com quem já conhecia, pois com desconhecidos, era bastante tímida. Ela morava apenas com a mãe, pois, infelizmente, seu pai veio a falecer quando a garota tinha apenas nove anos de idade. Suas melhores amigas eram Julie e Sarah, elas eram irmãs gêmeas idênticas, sempre estavam juntas, sempre sorrindo e sempre tentando ajudar com algo que estava ao seu alcance, assim com Millie. A mãe de Millie era Kelly, Kelly Brown, uma mulher doce, gentil, meiga, carinhosa, bonita e muitas outras qualidades, que, também, foram repassados à Millie. Kelly era dona de um restaurante local que ficava abaixo de sua casa, onde muitas pessoas elogiavam como tudo lá era muito bom. O falecido pai de Millie, se chamava Robert, Robert Brown, ele conheceu a mãe da garota na escola onde eles estudavam quando mais jovens, e foi, como dizem, amor a primeira vista. Voltando à Millie, a garota estudava em uma escola pública, não era uma das melhores, mas, aprendia o básico, básico como ler e escrever, contas de multiplicação e divisão, etc. Como na Vila onde a garota morava tinha poucos moradores, todos se conheciam, na escola, por exemplo, praticamente todos os alunos se conheciam, isso era bom. Na escola, haviam cerca de 150 alunos, sim, bem pouco para uma escola que era, relativamente grande. Sobre o restaurante de Kelly, Millie sempre ajudou a mãe lá. O restaurante era bastante conhecida na Vila.

Millie tinha os cabelos na altura do ombro, cabelos e olhos castanhos, pele clara. Nem tão alta, nem tão baixa. Lábios carnudos e rosados no tom certo. Sorriso encantador. Uma garota pura, simples e esforçada em tudo que fazia, sempre. Ama a natureza, adora ficar um tempo apenas apreciando as plantas, flores, árvores, alguns animais, como, cachorros, gatos, esquilos e alguns outros. Não teve muitos contatos com a tecnologia bem moderna, como, celulares e computadores, já os viu algumas vezes. A primeira vez que mecheu em um celular, ficou maravilhada com o que o tal aparelho conseguia fazer, conversar com outras pessoas de longe foi o que mais gostou de fazer, aquilo era incrível!


Sobre Finn Skata Wolfhard

Finn Skata Wolfhard é um menino de 17 anos, mora em um dos bairros mais ricos de Vancouver, Canadá. Não tinha vergonha de falar com ninguém, não importa quem seja. Wolfhard mora com seu pai e com sua mãe, mas, seu pai, principalmente, vive viajando e sua mãe sempre ocupada as vezes viajando, outras vezes saindo com amigas, ou saindo à trabalho, por isso, quando era pequeno ficava, a maioria do tempo, com sua babá. Agora que já é mais velho, quando isso acontece ela fica "sozinho", pois sempre tem empregados em sua casa, cuidando de cada canto, pois o senhor Eric Wolfhard, pai de Finn, e senhora Mary Wolfhard, mãe de Finn, sempre querem todo perfeito, literalmente tudo. Os pais de Finn são donos de várias empresas, mas, a principal é a uma escola, não qualquer escola, a escola que todos queriam estudar. Finn sempre teve muitos e muitos amigos e amigas, algumas vezes eram amizades falsas, só por interesse. Seus melhores amigos são Jacob, Jack e Noah. Finn, Jack e Noah se conhecem dês da infância. Jacob se tornou amigo de Finn recentemente, talvez, à um mês? Sim, um mês! Mas, Finn tem muitos outro amigos, além desses. Finn nunca tocou, sequer uma vez, em um fogão, por exemplo, sempre foi mimado o bastante, para algumas pessoas ele chegava a ser irritante por isso. Sempre teve o que queria, dês de que nasceu.

Finn tem, em sua cabeça, grandes cabelos em formados de cachos negros. Seus olhos, também, negros como a noite mais profunda. Pele tão clara que podemos disser que é pálida, deixando seus olhos e cabelos ainda mais destacados. Era alto, extremamente alto. Lábios rosados em um tom perfeito, mas, não são muito carnudos. Sempre teve tudo que acabara de lançar, como, celulares, TVs, vídeo-games, tudo...


                 Começo do primeiro cap


Sexta-feira

Millie havia acabado de acordar, ficou um tempo a mais em sua cama, pensando em coisas aleatórias. Logo, deu um pulou ligeiro de sua cama, fazendo-se levantar. Foi direto para o banheiro, fez suas higienes pessoais. Voltou ao quarto e trocou seu pijama rosa por uma blusa branca comum, um short jeans azul claro e um chinelo, também, azul. Logo, desceu para o restaurante, que se localizava em baixo da casa da garota.

Ao chegar lá, Millie viu sua mãe de frente para o fogão de quatro bocas.

- Bom dia, mãe! - ela desejou, rapidamente a mãe da garota virou-se em sua direção

- Bom dia, minha filha - logo Kelly puxou-a para um abraço aconchegante.

- você quer que eu faça algo para te ajudar? - a menina pergunto, sua mãe sorriu vendo como Millie é simpática.

- na verdade, hoje não! Obrigada - agradeceu - Hoje não está tão cheio, eu conseguirei fazer tudo à tempo! - Millie assentiu e subiu novamente para seu quarto.

Como as aulas da garota são a tarde, ela teria mais um tempo livre, então, ela pegou um livro para ler, ela ama ler, é o seu passa tempo favorito. Millie ficava a maior parte do tempo livre lendo e lendo.

Quando a menina olhou para o relógio branco em sua parede, assustou-se com a rapidez que o tempo passou. Já eram onze e meia da manhã. Apressou-se e foi para o banho morno. Em menos de alguns minutos, ela já estava na frente de seu quarda roupa, escolhendo como iria hoje. A escola que a garota, estuda não é necessário o uso de um uniforme. Logo, ela pegou uma calça jeans preta, uma blusa rosa bebê, um tênis branco e uma jaqueta, também, jeans.

Pegou sua mochila e desceu, novamente, para o restaurante.

- filha, seu lanche está na geladeira. - rapidamente, Millie dirigiu-se a geladeira. Pegou a vasilhinha com um pedaço de bolo dentro e colocou em sua mochila.

- tchau, mãe! - despediu-se

- tchau, filha! - despediu-se também. Millie, então, saiu pela porta da frente do restaurante. A garota andou alguns minutos, até que se viu em frente à casa de Julie e Sarah. Deu três batidas leves na porta da casa das gêmeas. Rapidamente uma delas abriu a porta. Ao ver que era Millie, a menina a puxou para um abraço apertado. Após saírem do tal abraço, a outra menina apareceu. Então, as gêmeas pegaram suas mochilas e começaram o trajeto até a escola. As vezes, como elas são muito parecidas, Millie as confundia.

Ao chegar à escola, as meninas, rapidamente, foram cada uma para suas respectivas salas, pois as três eram de salas de aulas diferente.

{...}

Millie já estava em casa, estava lendo um livro de capa vermelha qualquer. A garota estava tão entretida que nem sequer viu sua mãe entrar em seu quarto.

- Aí, mãe! - deu um leve pulo na cadeira onde estava, quando sua mãe tocou seus ombros por trás.

- desculpa - Millie assentiu - Filha, preciso conversar com você - Millie preocupou-se, pois sua mãe quase nunca era tão seria assim como está agora

- O que aconteceu? Você está me preocupando! - era verdade, o que Millie disse.

- Hoje, enquanto você estava na escola, recebi uma ligação - Kelly olhou para os próprios pés, Millie esperou ela continuar - Eles me fizeram uma proposta, praticamente irrecusável! - olhou para a filha novamente.

- Que...Que proposta? - Millie perguntou com a voz trêmula, por estar nervosa.

- Eu irei trabalhar como cozinheira na casa dos Wolfhard's - Kelly respirou fundo

- porque? Mãe,...Por favor! - Millie não queria que sua mãe fosse. - Eu terei que ficar aqui sozinha? - Millie, quando a mãe dela saia, tinha que ficar em casa sozinha ou ficar na casa das gêmeas, já que sua família não morava ali, perto delas. Kelly balançou a cabeça negativamente para a menina

- Na verdade, você irá comigo! Nós...Nós vamos nos mudar para lá, porque eu irei trabalhar, agora, em tempo integral!...- Kelly respirou fundo novamente, olhou para Millie e viu uma lágrima solitária descer pela sua bochecha direita - Não estou fazendo isso só por mim, estou fazendo isso por você - Kelly pegou a mão esquerda da garota - olha... você vai estudar na escola que eles são donos, é uma escola particular, onde, também, o filho do Sr. Wolfhard estuda. - Millie não queria ir, não queria ter que deixar seus amigos, não queria! - Vou descer para fechar o restaurante e avisar algumas pessoas que não teremos mais nosso restaurante. Nós iremos amanhã, às oito da manhã. Arrume suas coisas, por favor! Hoje você pode sair para se despedir ou, se você preferir, pode ser amanhã bem cedinho. - a mãe da menina soltou sua mão da mão de Millie e foi para o andar de baixo como havia dito que faria.

Millie resolveu que iria se despedir das amigas amanhã. Ela não queria ir, mas faria um esforço pela sua mãe. Millie estava pensativa. Chegou na conclusão que realmente sua mãe estava, de certa forma, fazendo isso por ela também. Ela estudará em uma escola mil vezes melhor do que a que está. Sua mãe já havia resolvido tudo na escola da garota.

Após mais pouco tempo pensando, ela resolveu juntar suas coisas, já que amanhã passaria a manhã com as amigas.

Millie pegou dias malas de tamanhos médios e que, com certeza, abrigaria todos seus pertences como roupas, sapatos, alguns poucos livros, entre outras coisas. Começou a esvaziar suas gavetas e seus cabides, tendo algumas boas lembranças do local, sorria sozinha ao se lembrar de certas coisas.

Quando terminou, sentou-se na cama, ainda com algumas recordações.

Millie nem sua mãe, precisariam de levar móveis para a casa dos Wolfhard's, pois elas teriam outros lá.

A garota estava apreensiva, pois não conhecia ninguém que veria amanhã. Ela respirou fundo, olhou para todos os lados de seu quarto, que logo que se mudarem seria devolvido ao dono. Elas, até então, moravam em uma casa de aluguel, o restaurante de Kelly também era alugado.

Já estava à noite, Millie estava cansada, pelo fato de ter tido o trabalho de quardar todos os seus pertences que estavam naquele recinto. A garota deitou-se em sua cama e, rapidamente, pegou no sono.

- filha? Millie...- Kelly balançava a filha de um lado para o outro - Millie, acorda! - Millie abriu seus olhos devagar

- quantas horas? - Millie perguntou sentando-se na cama e olhando para sua mãe

- seis e meia. - A mulher respondeu - Achei que você fosse querer passar as últimas horas aqui com suas amigas - Millie assentiu, tirando uma coberta lilás de cima de suas pernas. Kelly saiu do quarto deixando Millie sozinha no mesmo recinto. Millie, por sua vez, arrumou sua cama e foi trocar seu pijama rosa por uma roupa descente para passar o dia. A menina optou por um vestido preto com diversas flores vermelhas e um tênis rosa claro.

Desceu as escadas, avisou sua mãe que estava saindo e que iria à casa de Julie e Sarah para passar o dia. A garota andou por alguns minutos e chegou ao seu destino. Bateu na porta à sua frente que logo foi aberta por uma mulher um pouco mais alta que Millie

- Olá querida - a mulher cumprimentou a menina - como posso ajuda-la? - perguntou

- Olá - retribuiu o cumprimento - Eu queria saber se a Julie e Sarah estão - A mulher assentiu vendo um singelo sorriso no rosto de Millie

- É só você subir as escadas - apontou para a escadaria branca ao seu lado esquerdo - E entrar no primeiro quarto à direta - terminou. A mulher já conhecia Millie, principalmente, por que as filhas falavam bastante da amiga.

Millie deu cinco batidas na porta branca que foi aberta por Julie, Millie soube isso quando foi abraçada pela mesma. Julie sempre, para cumprimentar Millie, dava um abraço apertado nela, que Millie sempre retribui.

- Oi - Sarah disse sentada na parte de baixo de uma beliche. - entra! - convidou, Millie apenas entrou e seguiu caminho até a beliche que Sarah se encontrava sentada até o momento.

- o que você tem? - Julie perguntou preocupada com a amiga

- tenho uma má notícia! - Millie respirou fundo, Julie sentou-se na cama, se juntando a amiga e a irmã. - Hoje às oito da manhã eu irei me mudar, não tenho certeza de onde é, mas sei que é longe. - A expressão de julie e Sarah mudaram para triste no momento em que Millie revelou tal coisa.

{...}

Millie, agora, estava voltando para casa, porque daqui poucos minutos irá se mudar.

Ao chegar, viu sua mãe carregar algumas malas para fora da casa, então percebeu que, realmente, não era um pesadelo, mas sim, verdade. 


Notas Finais


Eaii, paro ou continuo??

Gostaram?


Esse é o link para minha outra fic:

https://www.spiritfanfiction.com/historia/my-brother--fillie-17640674


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...