História Main Character - Jikook - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Jikook, Jimin, Jungkook, Romance
Visualizações 107
Palavras 2.611
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 14 - Chapter 14


Fanfic / Fanfiction Main Character - Jikook - Capítulo 14 - Chapter 14

  Meia hora. 

  O lugar da gravação ficava a meia hora da minha casa, oque não era nada comparado a hora que passávamos em viagem para o estúdio no meio do nada. Mas daquela vez, não fomos tão longe. A equipe alugara um chalé num vale sem ter que sair por tanto tempo de Seul. A princípio, vi apenas aquela casinha distante, mas a medida que nos aproximávamos, percebi que o chalé, era... um sonho de consumo. 

  Os furgões da empresa já montavam acampamento aos arredores. Vi duas mesas, dispostas com potes de salgadinhos e jarras de suco, serem vigiadas por dois staffs corpulentos cheios de músculos. Eu não entendia o porquê, os lanches não iriam fugir, não é mesmo?  Um dos furgões ainda estava em descarregamento, apesar do frio, os dois homens que tiravam os equipamentos estavam com o rosto brilhante de suor. Câmeras começavam a ser montadas. Computadores a serem instalados em mesas dobráveis. E caixas e mais caixas estavam sendo levadas para dentro do chalé, oque tinha dentro meus olhos não alcançavam. 

  Nossa van parou perto da estrada, afinal, precisava-se de espaço para gravar.  

  O chalé era uma monstruosidade glamurosa de alvenaria. Algo que eu só tinha visto em filmes e fotos de férias de verão, apesar do aspecto dele ser perfeito para uma temporada de inverno. Sobre a porta, tinha uma placa de ferro, com o símbolo do infinito. As janelas eram todas de vidro temperado e cadeirinhas de vime ficavam na varanda. Eu ficava tentado a entrar naquela casa e tirar um cochilo com as janelas abertas, sentindo o cheiro da plantação de lavanda do outro lado da estrada. No primeiro andar, um gradil de madeira limitava a pequena varanda, do que deveria ser um único quarto. 

  Eu saí do carro e fiquei olhando embasbacado para o chalé. Enquanto alguns dos meus colegas de trabalho iam saindo logo atrás de mim. Todos pareciam se maravilhar com o chalé, mas logo se voltavam ao trabalho. 

  Enquanto eu estava olhando o chalé ao seu esplendor na luz do dia, ouvi uma risadinha as minhas costas. Me virei e vi o Jungkook encostado na van. Os olhos ainda inchados do cochilo no caminho.

  -Gostou? -perguntou, indicando o chalé com a cabeça. -Eu que dei a ideia. 

  -Como achou isso aqui? 

  -É do Namjoon Hyung. Eu sei que parece meio intrometido ter oferecido a casa dele para a gravação, mas... ele mal vem aqui.

  Me virei para o chalé. Como alguém mal iria naquele lugar? Era maravilhoso. Quando voltei para olhar o Jungkook, percebi como estava descabelado e amassado. HyeMi teria trabalho com ele.

  -Eh... o chalé é lindo. E é bem o estilo do Rabbit morar num canto que não lembre nada ele. -comentei. 

  Ele balançou a cabeça. 

  -Jimin...

  -Jeon Jungkook! -interrompeu HyeMi, pulando da van com uma bolsa grande demais para ela no ombro. Por um buraco no zíper, uma escova de cabelos estava dando 'oi' ao mundo. -Para o camarim, agora! 

  Ele me olhou como se dissesse: Depois conversamos. 

  Enquanto Jungkook e HyeMi foram para dentro, onde um quarto os serviria de camarim, eu me aproximei do chalé e me sentei nos batentes da escada. Passei o tempo olhando a movimentação. Como o diretor parecia radiante explicando as cenas aos câmeras. Eu desejava um dia ter a oportunidade de fazer como ele. Sonhar e realizar a cena. Ele tinha um trailer-escritório, parado na frente do chalé, bem ao lado do furgão de lanches, lá ele ficava mexendo no computador ou ditando ordens. 

  -Está aprendendo? -uma voz perguntou a minha direita.

 Me virei rápido e vi Namjoon Hyung parado ali perto. Sorri de alívio ao vê-lo, mas também de nervosismo. Aquele homem tinha um efeito estranho em mim, algo nele me fazia querer suspirar, ou encher tanto os pulmões de ar que eu não conseguia soltar rapidamente. 

  -Por enquanto estou só esperando. -eu disse. -Sabe, ele está muito estressado, não quero atrapalhar. 

  -Entendo. 

  Ele sentou ao meu lado no batente, o ombro tocando o meu. 

  -Cuidei do roteiro. E esse chalé vai ser melhor para o Rabbit do que um apartamento. -ele disse. -Vamos tirar um dia nessa semana para gravar a cena da chegada dele na cidade. Teremos dias corridos. Varias cenas em um dia só, vai ser cansativo. 

  -Imaginei que seria. Mas você não é roteirista sozinho, não é? 

  -Não. Tenho mais dois colegas. Eu cuido mais da parte de entrega e finalização. 

  -Hum. 

  Namjoon riu. Eu não entendi o porque, mas quando o olhei ele já me fitava. Me senti corando. Não era possível que eu me sentisse daquela forma por ele, e daquela mesma forma pelo Jungkook. Burro. Burro.

  -Você está... corando? -ele perguntou, ainda com um esboço de sorriso. 

  Deixei uma arfada escapar e tentei focar outra coisa.

  -Eu sou tímido. -Eu disse sem rodeios. 

  -Okay, Jimin. Eu sei que você está com o Jungkook. -ele parecia quase decepcionado. -Esqueceu que eu estava na casa dele? 

  -Claro que não. Só que... ah, deixa. -gesticulei para que esquecesse. 

  -Não. Você está frustrado. 

  -Claro que estou, Jungkook me avisou sobre você e eu sou idiota que não presta atenção. Ou presta atenção demais. Ah, mas que burro que eu sou. -afundei o rosto nas mãos. -Jungkook vai ficar decepcionado comigo, porque eu sou um péssimo ficante premium. 

  -Jimin, o que você está falando? -Namjoon perguntou. E para ser sincero, eu quase não me entendia também. -Avisar oque sobre mim? 

  -Que você é... assim! -apontei para ele todo. -Encantador. Você podia pelo menos cheirar mal. 

  Ele riu. Eu fiquei parado, decidindo se eu ficava chateado pela risada ou apreciava seus dentes bonitos. 

  -Você gosta de mim? -ele perguntou ainda com ar de riso.

  Desconfiei que fosse deboche, mas vindo dele, não parecia ser isso. Namjoon tinha uma forma de falar, que eu suspeitava que se ele me xingasse, seria de forma sucinta e doce, que me faria aceitar como um elogio.

  -Não sei dizer. -admiti de uma vez. -Não tem como não gostar. Mas eu gosto do Jungkook.

  Namjoon segurou meu queixo, e eu senti um arrepio pelas minhas costas e uma vontade enorme de suspirar. Segurei a respiração. Tentava não olhar para a boca dele, tão bonita. 

  -Não quero atrapalhar nada seu com o Jungkook. Pelo contrário, os apoio muito. -ele disse, mas passou o polegar abaixo da minha boca. -Mas... se mudar de ideia...

  Minhas entranhas pareciam que iam dar um nó. Eu queria beija-ló? Sim. Estava desejando me jogar naqueles ombros? Absolutamente. Mas eu era um imbecil traidor? Não. Eu não tinha nada fixo com o Jungkook, mas eu não estragaria tudo por conta de um cérebro sexy. 

  Suspirei. 

  -Não torne tudo difícil. -pedi. E ele soltou os dedos com delicadeza, e um sorriso de canto de quem não se sentia nem um pouco ofendido pela recusa. -Eu quero dizer, você e o Jungkook são amigos, eu não quero me tornar um... impasse. 

  -Jungkook e Taehyung também são amigos. -ele argumentou. -Ele me contou que vocês namoravam, e que você terminou para ficar com ele. 

  -E mesmo assim você veio me propor isso? 

  Namjoon sorriu, aquele sorriso natural indecifrável. Olhou para o restante da equipe e suspirou. 

  -Você me disse que "não tem como não gostar". -ele riu. -Claro que tem, Jimin. 

  -Mas você é como um personagem de livros. Sabe? Meio... perfeito. Parece que pode acalmar o mundo e enfrentar ele se preciso. 

  Ele aparentemente gostou da descrição. Ergueu as sobrancelhas e sorriu. 

  -Nunca pensei em mim dessa forma. 

  -É assim que eu te vejo.

  Namjoon chutou umas folhinhas no chão e elas chiaram como se quebrassem. 

  -Você me ver de um jeito muito romântico. Mas se pensasse direito, -ele apoiou um cotovelo num batente mais alto. -Veria que eu estava dando em cima do futuro namorado do meu amigo. Que eu não me importei com os sentimentos dele caso você aceitasse sair comigo. E usei de uma informação que ele mesmo me confidenciou. É, Jimin, tem como não gostar. 

  Eu não entendia onde ele queria chegar. Por que estava me contando tantas desvantagens sobre ele? Mas infelizmente por mais que ele dissesse isso, eu entendia que o seu charme era justamente isso. Não o fato de não se importar, mas a manipulação da sua voz em não me fazer perceber oque ele estava fazendo, me seduzia muito. 

  -Hyung... 

  Antes que eu pudesse continuar, a porta do chalé abriu e Jungkook saiu de lá. Estava de terno preto, já maquiado e o cabelo estava um pouco bagunçado ainda, mas parecia proposital. Ele nos viu nos batentes, próximos um do outro. Meu primeiro instinto era afastar, mas minha visão dele mal me fazia respirar. Eu tinha dois homens lindos perto de mim, e isso era uma oportunidade em um milhão. 

  Jungkook passou as mãos no blazer e disse: 

  -Como estou? 

  Olhei-o de cima a baixo e sorri. 

  -Maravilhoso. 

  Namjoon balançou a cabeça concordando. 

  -Um príncipe mortal. -ele riu. -Rabbit. 

  Jungkook demorou um pouco pra sorrir para ele, como se cogitasse se era seguro corresponder. 

  -Jimin Hyung, -chamou. -Vamos ali dentro. 

  Namjoon entendeu sua deixa de ir embora, levantou com a desculpa de alguns papéis para organizar e se foi. Já eu, me levantei e o acompanhei para dentro da casa. Por dentro também era magnífico. Entramos diretamente na sala, mas Jungkook me guiou para a escada caracol. Tudo dentro da casa parecia novo, até o corrimão gelado e bem polido de ferro. Subimos e chegamos imediatamente num quarto. O primeiro andar era todo ocupado pelo quarto. Tinha uma cama grande, bastante espaço para muita coisa, mas era ocupado por um guarda roupa, uma televisão na parede e uma estante de livros. O resto era livre, sem nem mesmo um tapete. Só havia uma coisa que parecia ser nova ali, a penteadeira montável de HyeMi, com sua caixa de ferro de maquiagens, na frente da janela para ter luz. 

  Jungkook rodopiou no quarto e se sentou na cama. 

  -Aqui é o covil do Namjoon. -disse rindo. Passando as mãos no lençol da cama. -Tudo muito limpo, muito cheiroso. Ele é um chato. 

  Eu ri e me aproximei, sentando ao seu lado. 

  -Não acho isso. 

  -Claro que não. Você adora ele. Acha que ele é o seu príncipe encantado que vai te comer nessa cama. 

  Arregalei os olhos. Silêncio. Ele se virou para mim, e fechou os olhos. 

  -Perdão. Eu... falo muito. 

  Eu poderia me levantar e gritar com ele. Poderia sair dali batendo os pés e o xingando de mil maneiras. Mas... eu pensava nisso. Tinha sido um dos meus primeiros pensamentos entrando naquele quarto, quantas pessoas já tinham passado naquela cama. Eu seria uma delas? Mas eu também pensara isso na cama dele. Eu não via como isso poderia ser melhor. 

  -Me desculpa mesmo, eu não sei oque deu em mim. Eu não devia ter dito isso. -ele começou, com uma bateria de palavras. -Eu as vezes falo demais quando eu estou nervoso, ou com ciúmes...

  -Jungkook! -interrompi, e ele se calou. -É, eu entendo oque esta pensando. 

  Jungkook parecia surpreso. 

  -Espera, não está com raiva? 

  -Claro que estou. Mas também não estou. 

  Ele franziu a testa, confuso. Aquele terno preto, só me fazia pensar em como eu era pervertido. A pouco eu estava com o Namjoon desejando-o de todas as formas. Agora eu estava com o Jungkook, desejando arrancar aquele terno peça por peça. O que estava dando em mim? 

  -Eu... -comecei. -Ah Jungkook! Claro que eu pensei nisso! -a verdade saiu sem querer, assim como ele. -Quer saber? Eu pensei isso mesmo. Estávamos conversando agorinha, e a ideia surgiu da minha cabeça. 

  -Você quer ele? 

  Por que todos eles pareciam ser tão... aceitáveis? 

  Jungkook parecia que estava disposto a me entregar ao Namjoon de mãos beijadas. Como era possível? 

  -Você não se incomoda? -perguntei. 

  Jungkook deu de ombros. 

  -Namjoon sempre conseguiu encantar meus namorados. Imaginei que não seria diferente com você. 

  Eu o olhei incrédulo.

  -E você está bem com isso? 

  -Não. Claro que não. Mas se você quiser ele... o que posso fazer? Te trancar no meu quarto? Não quero ser preso. -ele explicou. -Você quer ele? 

  Eu não conseguia engolir a pergunta. Eles falavam disso com naturalidade, e eu era o brinquedinho deles. E não era de um jeito bom. 

  -Jeon Jungkook, eu vou bater na sua cara! -exclamei não muito alto. Ele pareceu assustado. -Você vai mesmo me entregar numa bandeja de prata para ele? Por que não coloca uma maçã na minha boca e me serve no jantar? Que falta de consideração! 

  Me levantei indignado, e ele fez o mesmo. 

  -Jimin, não é oque eu quis dizer... 

  -Você quis dizer "pode ir para o meu amigo, ele já te conquistou mesmo, não vou fazer mais esforço". -bufei. -Você tem que aprender uma coisa, mocinho. Se alguém quer alguém que você também quer, lute pela pessoa. Conquiste. Faça ela imaginar você na cama, não o outro. 

  Jungkook estava mortificado com a resposta. Parecia próximo a ficar verde. 

  Não me importei, continuei falando. 

  -Você é burro! Como um abajur! Vai ter que aprender muito ainda, por causa disso eu deveria descer agora e ir atrás dele. 

  Ele tentou se aproximar, mas eu recuei e ergui as mãos pedindo que me deixasse falar. 

  -Ele é muito gostoso. E sim, eu pensaria sobre ele mais um pouco se eu não tivesse uma conclusão diferente. Tive pensamentos bem inapropriados, mas eu também tive pensamentos nada puros com você. Compreende? 

  -Sim, mas Jimin, eu não quis dizer dessa forma. Eu não me importo quantos pensamentos você tenha com ele, porque...

   -Porque você quer me vender como uma pu...!

  Ele me interrompeu com um beijo. Fez bem, ou eu falaria besteira demais. Aceitei o beijo de bom grado, passando meus braços pelo pescoço dele. Quando nos afastamos ele arfava.

  -Meu Deus, como você fala idiotice. -ele disse, respirando fundo. -Eu não te venderia. -ele fez uma careta para a palavra. -De onde você tirou isso? 

  -Estava chamando atenção, para te deixar um pouco desesperado. 

  -Parabéns, conseguiu.

  Nós rimos. Apoiei meu rosto no blazer e o agarrei um pouco mais. 

  Ele se inclinou para sussurrar no meu ouvido:

  -Eu entendo você querer ele, Jimin. Não leve isso a mal. Não é como se eu estivesse desistindo de você. Eu nunca faria isso. Só estou dizendo que, eu tenho medo de errar e você preferir ele. Não quero que imagine mais ele do que eu. Só estou dizendo que eu vou fazer de tudo para que você não pense nele dessa forma. 

  -Então... por que disse aquilo? -me senti corar pela primeira vez. -Aquilo de "ele é o seu príncipe que vai te comer nessa cama". 

  -Eu fiquei com raiva dele. Desculpa ter descontado em você. É que ele se sempre ganha vantagem. 

  -Não comigo. 

  Jungkook balançou a cabeça e beijou meu pescoço. 

  -Eu sei, amor. 

  Foi o apelido. Foi tudo. Me deu um arrepio geral no corpo, que se eu não estivesse agarrado a ele me faria bambear as pernas. Foi um "amor" sussurrado, tão confidencial que o tornava cem vezes mais valioso. 

  -Amor? -perguntei. 

  -Tivemos a nossa primeira DR, imaginei que pudesse começar a chamá-lo assim. 

  -Ah. Sim. Pode chamar. 

  Passos estralaram na escada, e uma voz veio em seguida. 

  -Meninos, sou eu, HyeMi. Sem pânico. -ela avisou.

  Ainda bem. Pois eu não soltei dele nem quando ela entrou no quarto, nos viu e deu saltinhos de felicidade. 

  -Eu sabia! 

  -Noona, -chamou, Jungkook. -Não conte a ninguém. 

  Ele me apertou mais nos seus braços e apoiou o queixo na minha cabeça. 

  -Okay, talvez ao Namjoon. -ele disse, e eu o dei um murrinho no peito. -Ele merece saber que o Jimin está comigo, de verdade.


Notas Finais


Não odeiem o Namjoon, ele ainda vai ser meu bebê kkkkkkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...