História Mais do q uma paixão humana... (Imagine Kim Seokjin) - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys, Bts, Et Bilu, Imagine Jin, Imagine Kim Seokjin, Jin, Jinsus, Pink Princess, Universo Alternativo
Visualizações 23
Palavras 1.398
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, LGBT, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Tá aí o cap. !
Demorou mas eu consegui postar!
Me perdoem pela demora.


Boa leitura!

Capítulo 6 - Um sonho revela tudo...


(Tae off)

(Autora on)

(Sonho da S/n on)

Em um comprido corredor mau iluminado, S/n estava correndo, procurando algo q era impossível de se encontrar no momento... uma saída para fora daquele inferno! O lugar era tão estreito, q n dava para abrir os braços.

Ainda correndo, começa a sentir a sola de seus pés descalços doendo e o cansaço de suas pernas, o suor em seu rosto escorria sem parar, seu cabelo molhado estava a incomodando e as lágrimas q tbm n tinham fim. Sem deixar nd a impedir de encontrar a maldita saída q n aparecia!

A cada minuto q se passava ela se cansava e mancava mais, chegou uma hr q ela n aguentou mais e acabou tropeçou para o lado, batendo sua cabeça com força na parede do lado direito, fazendo assim, um machucado, mas q jorrava sangue.

Caída no chão, olhando para a direção de onde ela havia vindo, já quase inconsciente, vendo tudo escurecer aos poucos.

Uma silhueta, n de um ser humano normal, e s, de algo q ela seria incapaz de descobrir nesse estado. A cada vez q piscava, o ser chegava mais perto sem ao menos mexer um músculo sequer,  dando para ver como ele realmente era, o mesmo n tinha rosto, estava usando um terno social preto com uma gravata vermelha e tinha braços e pernas longas.

Por mais q ela estivesse quase desmaiando, sentiu arrepios ao ver o mesmo há cinco centímetros de distância do rosto dela.

Dessa vez... estava indefesa... e tudo q ela sentiu antes de apagar, foi de ser levantada por alguma coisa.

S/n começou a abrir os olhos após um pequeno tempo, em quartinho q era por sinal, bem familiar. Se levanta, e olha em volta, local estava bem bagunçado, com as estantes caídas, tinha coisas velhas caídas no chão, etc...

Estava se sentindo encomodada ali, tinha algo errado e isso estava a encomodando, n tinha apenas ela ali, mesmo q parecesse ela n estava sozinha.

Sua estava cabeça cheia de perguntas, seus pensamentos sempre voltavam para ela parada ali novamente, e de frente para a porta, a qual encarava com alguns fios de seu cabelo na frente do rosto, sente algo atravessar ela como se ela n existisse ou apenas fosse invisível. Lágrimas surgiram em seus olhos ao ver q a pessoa ali... era ela... tudo começou a fazer sentido, ela estava presa na pior memória q ela tinha... ver aquilo de novo, estava a deixando angustiada... com medo... desprotegida... caiu de joelhos no chão ao se ver desaparecendo, suas lágrimas quentes escorreram soltas, sem q nada as impedissem, n conseguia pensar em nd, n conseguia fazer nada, apenas chorar.

A porta foi aberta com força pela Quézia e sua omma q estavam com uma feição de preocupadas, e ao olharem na direção da S/n, respiraram fundo mais aliviadas.

- AÍ Q SUSTO MENINA QUER ME MATAR DO CORAÇÃO!!?? - Diz sua mãe.

As duas começam a ir na direção dela, q ainda estava no chão e se abaixam para ficar na altura q ela estava.

- Pq estava chorando S/n?... ah! Quer saber, vem cá! - Puxa a mesma para um abraço bem apertado.

(Sonho off)

(Autora off)

(S/n on)

Abro os olhos e rapidamente sento na cama, olhando para os meus pés q estavam cobertos pelo tecido fino q uso para me cobrir , começo a lembrar do sonho estranho q tive, mas, pq aquele ser me ajudou? Como minha mãe e minha irmã me viram? Como q eu fui parar naquela memória q eu tanto odeio? Ai, como eu queria alguem pra responder elas. Me jogo para trás com os braços abertos olhando para o teto, buscando algum tipo de resposta para essas minhas perguntas...

Algum tempo depois eu continuava parada ali, com meus pensamentos no ar, quando escuto a porta ser destravada e empurrada, mas n vejo ninguém passar, lenvanto da cama com uma expressão nula no rosto, vou andando até a porta e paro um pouco antes de aparecer na frente do corredor, penso melhor sobre isso, mas como já viram minha cabeça n funciona mt bem. Tomo minha decisão, volto para trás, n pq eu desisti da ideia, e s, pra buscar o Aroldo e continuo meu caminho sem mais nem menos pra tomar no meio do meu cu. Passando pelo corredor, com os pés descalços sentindo o chão gelado, encaro as portas q eram bem parecidas, enquanto fasso isso, penso "AÍ! PQP! É A PRIMEIRA VEZ QUE SAIO DAQUELE QUARTO!!!!", mesmo q minha expressão n mostrasse isso. Ainda andando pelo corredor, escuto alguém me chamar.

- Eí! Vc! O q esta fazendo fora do quarto?! - Quando olho para trás, vejo um guarda correndo atrás de mim, e quando vou começar a correr sinto alguém me segurar e me puxar e uma sensação estranha de algo grande me atravessar por completo me arrepia, e quando percebo, já estou dentro de um quarto parecido com o meu, tampando minha boca fazendo sinal de silêncio, olhando para mim e depois para a porta, parecia q ela estava seguindo alguem com o olhar, só q estava olhando pra parede... sem nexo! Assim q a suposta "pessoa" q n existe saiu da vista dela, a mesma afrouxou os apertos e olhou pra mim.

- Q foi?! Pq tá olhando assim pra mim?! Tem bost_ - A garota colocou o dedo indicador nos meus lábios me interrompendo.

- O q vc tava fazendo fora do seu quarto? - Pergunta tranquilamente para mim, retirando o seu dedo para q eu respondesse.

- Aaaaaã... pq eu falaria?! - Olho para ela sorrindo q nem uma criança, e vejo a mesma revirar os olhos após o q eu falei.

- Pq eu salvei sua vida! Agr, fala! - Recebo um olhar da mesma mostrando q ela estava perdendo a paciência.

- Tbm... - Um leve sorriso se forma nos seus lábios - Mas antes!... - O sorrindo q havia ali some e ela volta a ficar séria - Qual é o seu nome?

- Ah s!... meu nome é Kim Giovanna, mas vc pode me chamar só de Gi, prazer! - Sorri amigavelmente e estica a mão na minha direção, eu fasso o mesmo

- (S/n) (S/s), mas pode me chamar de (S/a), prazer! - Sorrio de volta, logo soltando sua mão. Giovanna tem o cabelo na cor azul escuro estilo Chanel com franja, pele branca como a  neve, grandes olhos castanhos e levemente puxados, boca pequena, e um nariz de botão, ela tbm é magra, alta e óbvio, com duas antenas. Sua roupa é a mesma q a minha só q prata. - Gi... vc é mt linda!- Falo e vejo a mesma me estranhar.

- N sou n, mas me responde logo a pergunta q eu te fiz!

- Pq e_ - No momento em q eu ia falar  a porta foi aberta e nós duas olhamos na direção dela.

- Ufa! Finalmente te achei... - Diz Tae vindo na minha direção - E Giovanna, obg por n ter deixado o guarda pegar ela!

- Dnd!

- Agr, vc vem comigo! - Tae segura meu pulso esquerdo e começa a me puxar para fora do quartocom força, assim q passamos da porta ele a fecha e seguimos caminho pelo lado contrário do meu cantinho do isolamento, "quarto".

Depois de um tempo andando e o Tae  me dando sermões de como é perigoso eu sair andando sozinha por aí, chagamos em frente a porta e paramos, abraço o Aroldo com o braço direito, e Tae solta meu pulso, q doeu um pouco por conta do aperto me fazendo gesticular um "Aí!", e destrava a porta com a digital, barulhos de passos foram ouvidos no corredor.

- Merda... - Diz o mais velho, q logo me empurra para dentro do quarto e fecha a porta.

- Então tá... - Começo a andar pelo quarto q n é mt diferente do meu, só muda as paredes q são pretas, olhando  de um lado para o outro, pelo quarto q é bem organizado, viro de costas e começo andar assim, acabo tropeçando no meu próprio pé e batendo de leve a cabeça na parede, e deitando no chão, logo a visão vai embassando e a silhueta de uma pessoa aparecer.

- Oi... vc tá bem?... - Depois disso só vi sua mão sendo estendida.



















Continua?...


Notas Finais


Gostaram?! Espero q s!
Bjs momores!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...