História Mais Que Amigos - Capítulo 6


Escrita por: ~ e ~TaniSenju

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Naruto Uzumaki, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Temari
Tags Sakura Haruno, Sarada, Sasuke Uchiha, Sasusaku
Visualizações 430
Palavras 3.142
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey!
Sei que demoramos, mas foi por motivo de força maior.

Mas, sem mais delongas, aqui está o capítulo cinco!

Curtam, aproveitem e comentem muito.


# Trilho sonora nas notas finais #

Capítulo 6 - Capítulo Cinco


Fanfic / Fanfiction Mais Que Amigos - Capítulo 6 - Capítulo Cinco

Capítulo 5


Um sentimento me descrevia nesse momento: DESESPERO. Ao decidir-me tudo pareceu limpo e claro na minha mente, mas agora que eu estou na mesa do café, esperando pelo Sasuke, mil e um coisas ruins passam pela minha mente. Não que eu pense que ele me abandonaria, ou que pediria para tirar a criança, pelo contrário, ele faria qualquer coisa por mim, e eu sei disso por que eu faria o mesmo por ele.


Depois de mais cinco minutos sentada aqui, eu já havia desistido de dizer como me sentia. Depois de dez minutos, eu já estava pegando minha bolsa e, aproveitando que ele não apareceu, estava indo embora, desistindo completamente de contar para meu melhor amigo, sobre a gravidez.


- Sakura! Desculpe a demora. Eu tinha um monte de coisas para resolver, mas eu vim o mais rápido possível. – quase pulei de susto ao ver Sasuke chegando apressado e sentando-se a minha frente.


Bem na hora! Ele chegou bem na hora em que eu estava indo embora, não podia ter vindo um pouco mais tarde? Ou nunca vir? Droga!


- O-oi – Foi tudo o que conseguiu sair da minha boca naquele momento.


- Você está bem? Parece um pouco pálida. - Ele me perguntou, com o semblante preocupado.


- Claro! – respondi rápido demais. - Deve ser impressão sua. – Eu disse após limpar a garganta. Já que estávamos ali, eu devia me acalmar e falar o que tinha vindo falar.


- Então me conta. Você disse que tinha uma novidade – Ele disse de maneira animada.


Meus nervos ficam a flor da pele. Será que já são meus hormônios de grávida? Essa é uma péssima hora para eles se manifestarem.


- Fala você primeiro. Já que nós sabemos que eu sou a mais curiosa aqui – Eu disse com um sorriso forçado, que Sasuke pareceu – ou fingiu - não perceber.


- Certo, eu primeiro então - Ele arqueou as sobrancelhas, e eu me preparei, para ouvi-lo dizer que estava namorando com aquela ruiva, maravilhosa, que eu tinha visto sair de seu apartamento – Eu consegui aquela vaga de emprego em Nova York! Você acredita? Eles me ligaram hoje, e mandaram uma representante, para falar sobre o contrato. Eu finalmente consegui! - Ele terminou suspirando.


Pin! Foi como se uma luz vermelha tivesse acendido dentro da minha cabeça. Se eu falasse sobre a gravidez, ele não iria aceitar a oferta de emprego dos sonhos, ele com toda certeza ficaria comigo, ele jogaria fora a chance de ser um grande advogado. Ele não realizaria o sonho da vida dele. E eu por amar ele, nunca conseguiria viver com o peso disso nas costas – ou no ventre. Eu não contaria sobre a gravidez. Eu não podia.


Está decidido. Ele não saberá desse filho.


Forcei o maior sorriso que eu pude, as bochechas chegaram a doer, segurei suas mãos e disse as coisas que devia dizer, para alguém que tinha conseguido algo grande. Dei todo apoio que uma verdadeira amiga daria. Apesar das circunstâncias, eu estava realmente feliz por ele.


Falamos sobre os detalhes da sua mudança, sobre o lugar aonde ele ficaria. Ele prometeu me ligar todos os dias – e realmente espero que isso aconteça. E eu prometi me manter longe do Gaara – e realmente pretendo fazer isso. Me pediu, quase implorou para eu visita-lo depois da minha formatura, daqui a umas três semanas, e claro, eu disse que vou, não sei como. Até que ele lembrou que eu também tinha algo para dizer a ele.


- Ah! Mas e a sua novidade? Também quero saber. Assim temos mais motivos para comemorar. – disse todo feliz.


Como eu já havia resolvido, vou omitir. Afinal, não quero ser a responsável por uma perda de uma oportunidade dessa na vida dele. Não! Eu vou aguentar a barra.


- Eu não tinha nenhuma novidade. Foi só uma desculpa para te trazer aqui, já que você estava me evitando esses dias – Eu disse como se estivesse brincando. Nem eu sabia que podia mentir tão bem.


Pelo visto ele acreditou em mim. Continuamos conversando sobre seus planos futuros. O que não era pouco. As experiências que teriam nos tribunais nova iorquinos. Como disse antes, estou realmente feliz por ele, desde que se formou, sempre foi seu sonho ser aceito em um dos mais conceituados escritórios de advocacia do mundo. Vou dar todo apoio que ele precisa. Sempre.


Sasuke ainda consegue me fazer tomar um café com leite e uns biscoitos de leite que sempre adorei, mas no momento não é um dos meus favoritos. Acho que serei uma daquelas grávidas que enjoam de tudo. Espero que Sasuke não presencie nenhum desses enjoos, ou não sei que desculpa vou lhe dar.


Depois de pedir a conta, Sasuke me leva para casa. Me diz que quer me mostrar algumas coisas que ele comprou para levar e as fotos do lugar onde ele vai morar.


Quando saímos do elevador, já sinto o embrulho no estômago, tento disfarçar e arrumar uma desculpa para ir para o meu apartamento, mas Sasuke não me dá brecha., me arrasta para o seu apartamento. Mal ele abre a porta e sinto o refluxo, corro para seu banheiro e despejo todo o café da manhã em sua privada.


Como era de se esperar, Sasuke está logo atrás de mim segurando os cabelos e passando as mãos, com carinho, nas minhas costas. Quando termina esse momento nada glamoroso, Sasuke me ajuda a ficar de pé e lavar a boca com seu enxaguante bucal – como se soubesse que com o gosto de vomito na boca, me faria vomitar de novo -, depois praticamente me carrega e me deita em sua cama. Impossível não comparar essa com aquela vez que ele me carregou e me fez sua, mesmo que sejam situações que se diferem, o carinho é o mesmo.


- O que você tem Sakura? – pergunta com a testa franzida, depois de me deixar confortável em seus travesseiros – Desde a hora em que eu cheguei naquele café que eu percebi que você não está bem.


Meu medo se concretiza. Merda de enjoo. Não tinha outra hora para vir? Que desculpa vou dar para ele agora?


- Eu estou bem. – tento sorrir, mas acho que chega a ser mais parecido com uma careta – Foi só um mal estar.


Sei que ele não acredita, vejo em seus olhos. Sua testa franzida, seus lábios comprimidos. Essa desculpa não vai colar om ele.


- Não me enrola. – replica sério.


Respiro fundo. Seja o que Deus quiser.


- Tá, tudo bem. Eu falo. – tomo outra lufada de ar e disparo – Esses dias tive uma infecção intestinal. Pronto, foi isso.


Desvio meus olhos dele. Não quero ser pega na mentira de novo. Mas, também, não posso contar o verdadeiro motivo dos meus enjoos, tonturas, falta de apetite e sono. Quero acreditar que vai ser melhor assim.


- Sakura... – ele praticamente geme de dor – por que você não me disse? Como posso viajar sabendo que você está doente? – olho para ele espantada. Tento abrir a boca e dizer que estou bem mas ele me corta – Vou ligar pra agência de viagem e adiar meu voo.


Sasuke já ia se levantar do meu lado, mas em um impulso, agarro sua camisa e o faço deitar ao meu lado novamente.


- Que merda é essa? – digo já com raiva. Esse hormônios vão me enlouquecer. – Você não vai adiar coisa alguma. Em uma semana você vai estar SIM naquele avião, nem que eu tenha que te levar amarrado.


Ele se espanta com minha explosão súbita. O que posso fazer se nem eu mesma consigo controlar meu temperamento?


- Mas como vou viajar sem ter certeza que está bem? – insiste ele.


- Você vai ter que confiar em mim Uchiha. – digo sorrindo e sei que ganhei essa batalha.


Mas até quando?


#


Hoje é o dia em que o Sasuke vai viajar para passar um ano fora. Um ano fora do Japão. Um ano longe a casa. Um ano longe de mim.


Tento a todo custo sorrir sincera. Mas nem a meu espelho eu estou enganando. Passamos essa última semana arrumando suas malas, ele resolveu não levar muitas roupas, mas comprar lá o que ele mais precisar. Sasuke não é consumista, só compra o necessário. Mas ele sempre lembrava de uma coisa outra e me pedia a opinião para saber se devia levar ou não. Eu tive que me dividir entre a faculdade – que já faltam poucas semanas para me formar -, o trabalho – que ainda tenho que avisar meu atual estado – e as malas do Sasuke. Ele me deixa louca.


Depois da invenção da infecção intestinal, Sasuke regulava minha alimentação. Praticamente entupiu a minha geladeira de frutas e legumes, alegando que eu não me alimento direito, que como muita besteira na rua, que tenho que ter minhas refeições regradas e cheias de vitaminas e carboidratos, não sei como não montou uma dieta para mim seguir. Essas situações me fezem pensar se ele seria assim, ou mais neurótico se soubesse que espero um filho dele. Creio que seria bem mais protetor.


A viagem de táxi até o aeroporto é silenciosa. A hora da despedida está chegando. Vai ser muito difícil para ambos esse tempo longe. São muitos anos grudados um no outro. Não sei em quem vai doer mais, porém, tenho uma enorme impressão que vai ser em mim a dor maior.


Chegamos ao aeroporto e Sasuke faz todos os procedimentos enquanto o aguardo próximo a área de embarque.


Quando ele volta, vem andando em minha direção com as mãos nos bolsos. Já perto de mim, Sasuke tira uma mão do bolso e vejo uma correntinha com um pingente, que não identifico na hora, balançando em sua mão. Se aproximando mais ainda de mim, ele fala:


- Comprei esse presente para você não esquecer de mim. – como se isso fosse possível. – Vira, deixa eu colocar em você.


Faço o que me pede e me viro de costas para si. Ele desliza a corrente dourada em meu pescoço, só então posso ver com clareza o pingente. É como se fosse um pequeno galho com flores de cerejeira rosas e alguns detalhes em verde esmeralda, semelhante a cor dos meus olhos.


- É lindo. – tremo os lábios de emoção – Obrigada, mesmo que não precise de algo pra lembra de você.


Sasuke sorri emocionado.


- Também comprei algo para você. – tiro da bolsa o meu presente pra ele. – Na verdade, mas fiz do que comprei.


Entrego-o e ele abre uma caixa média. Tira o porta-retratos retangular com um mosaico de fotos nossas. Algumas atuais e outras mais antigas. Sasuke fixa os olhos uma foto que está em destaque, bem no centro do quadro, é uma foto nossa no apartamento dele, estávamos assistindo filme e ele começou a tirar umas fotos bem estranhas minhas, depois tirarmos essa, estávamos deitados em uma antigo sofá cama que tinha lá, abraçados, o Sasuke está beijando minha bochecha enquanto eu dou um sorrisão pra câmera.


Sasuke olha o porta-retratos por mais um tempo e depois olha para mim com os olhos marejados e me abraça.


- Obrigado.


A hora da decolagem chega. Estamos abraçados faz uns minutos. O som do alto falante chama mais uma vez seu voo. Meu coração aperta mais cada uma das vezes que ouço.


- Promete que vai se cuidar ? – diz ele sofrido – Que vai se alimentar direito. Vai no médico. E acima de tudo, vai me avisar se algo acontecer. Qualquer coisa. Eu pego o primeiro voo e volto.


Com lágrimas nos olhos lhe respondo.


- Prometo. – deixo algumas lágrimas cair em seus ombro. – Promete que vai me ligar todos os dias? Não importa o fuso horário, vai me ligar seja que hora for?


Sasuke afrouxa os braços ao meu redor e pega meu rosto em suas mãos. Acaricia minhas bochechas e responde:


- Ai de você se não me atender. – sei que está tentando me fazer rir, mas não dá certo. – Promete para mim que não vai mais dá moral pro Gaara?


Reviro os olhos. Como ele é bobo.


- Prometo Sasuke. Não tem mais espaço para ele na minha vida. Relaxa.


- Promete que vai se guardar para alguém que te mereça. Alguém que saiba que você gosta de chocolate quente com marshmallow mas sem eles molharem por completo. Que você adora tomar banho de chuva, mas tem medo dos trovões. Que você não consegue mentir olhando nos olhos da pessoa e, que te ajude a procurar corais quando for a praia. Que te proteja das assombrações, dos filmes de terror que insiste em assistir mesmo tendo medo. Que chore com você assistindo filmes de cachorros. – ele respira fundo e termina – Que te ame da forma que você é, porque é impossível não amar.


Fico sem fôlego com suas palavras. Ele me conhece melhor que todos. Sempre sabe o que eu penso antes mesmo de eu abrir a boca. Sabe meus segredos, meus medos, meus anseios e meus sonhos. Impossível não me emocionar com suas palavras.


- Eu prometo. – é só o que eu consigo dizer.


Os alto falantes anunciam a última chamada para seu voo.


Alto falantes idiotas.


- Não esquece que eu te amo. – diz Sasuke olhando nos meus olhos. Seus olhos estão carregados de dor e angústia.


- Eu também te amo... amigão.


Depois de um último abraço, o mais doloroso de todos, ele se vai.


Ando de modo automático até o banheiro do aeroporto. Entro em uma das cabines, abaixo a tampa da privada, sento no vaso, me debruço e choro. Choro como nunca chorei antes. Choro pela falta que ele me fará, choro pelo nosso filho que vai nascer sem um pai, choro pelos momentos que vamos perder, choro ainda mais por perceber que estou apaixonada pelo meu melhor amigo.


Não posso ser hipócrita e dizer que é só tenho tristeza para por para fora, estou feliz por essa realização na vida dele. Só me dói ficar tão longe. Ainda mais ele não sabendo do nosso filho ou filha.


Enxugo os olhos, me recomponho e vou embora. Ainda tenho uma consulta marcada para hoje.


#


Chego na clínica já são 11 da manhã, o voo do Sasuke saiu às 9:30. Logo após minha chegada, sou atendida por uma doutora muito simpática. Tsunade. Ela me diz que que está tudo bem comigo. Me passa uma lista de remédios para fortalecer o feto e vitaminas. Disse também que é muito cedo para ouvir os batimentos do bebê e que é para eu voltar daqui à umas 5 ou 6 semanas que só então vou poder ouvir seu coraçãozinho.


Para meus fortes enjoos, ela me passou outro remédio e uma dieta a base de frutas e outras coisas.


#


No outro dia, chego cedo na faculdade. Não consegui por nada no estômago. Acordei muito enjoada.


Temari conversou comigo hoje, depois do dia em que ela me levou no hospital – e ela começou a sair com o Sai, filho do meu chefe, mas não durou muito. Temari nunca foi de se prender a alguém -, me procurou várias vezes para saber quando eu contaria para o Sasuke. E quase me arrancou a cabeça quando disse que não falei nada por conta de sua viagem e seu emprego dos sonhos. Mas acabou me entendendo e me apoiando.


Quando acabam nossas aulas, me separo de Temari e vou a cantina tentar comer algo. Me dirijo a fila da lanchonete, mas ao me virar para trás, vejo Naruto e sua namorada, Hinata, eles fazem um belo casal. Hinata é prima de Sasuke, já saímos juntos os quatro algumas vezes. Naruto me ve e acena para mim, faço um sinal de que vou lá com ele, já que chegou minha vez na fila. Compro um sanduíche natural e um suco de maracujá. Me direciono para mesa onde está Naruto e Hinata


- Oi gente. - digo feliz. – Naruto, você por aqui? Bateu saudade do tempo de universitário é?


- Olá Sakura. – Diz Naruto sorridente como sempre. – Saudades? Não. Deus me livre. – deu uma risada - Eu estava por perto e resolvi passar pra buscar a Hina.


- Olá – diz Hinata com voz meiga – Como você está? Sasuke disse que esteve doente e que era para ficarmos de olho em você. – completa achando um pouco engraçado.


Reviro os olhos. Sabia que Sasuke ia aprontar uma dessas. Sua preocupação é sempre exagerada, mas eu gosto.


- Sasuke como sempre exagerando. – respondo tranquila e mudo de assunto – Mas me contam, como vocês estão? Faz um tempo que não nos vemos.


Engatamos uma conversa animada sobre os últimos acontecimentos. Desde a faculdade ao assunto que estava me machucando, Sasuke.


Naruto é formado em história, e a Hinata ainda cursa psicologia, também está prestes a se formar, entrou na universidade um ano após eu ter entrado, teve que trancar por um tempo por problemas de saúde, então só agora irá se formar. Temos quase a mesma idade, eu tenho vinte e quatro e Hinata vinte e três. Naruto é um ano mais velho que Sasuke, enquanto o loiro tem vinte e sete, meu melhor amigo tem vinte e seis.


Depois de comer, me levanto para me despedir do casal, mas ao fazer isso minha cabeça roda, sinto uma forte vertigem. Ah não, de novo não. Ponho a mão na face para tentar disfarçar, mas é tarde, vou desfalecendo aos poucos, antes de fechar os olhos, vejo Naruto correndo até mim.


#


Quando acordo, olho ao redor e reconheço o lugar. Esperava acordar no hospital como da outra vez, mas não, estou no meu apartamento, mas especificamente no meu quarto. Fecho os olhos novamente, a luz me incomoda. Abro-os lentamente de novo. Olho ao redor e encontro três pares de olhos preocupados me observando. Hinata, Naruto e... Temari. Pelo olhar da última, vejo que não está somente preocupada, mas está com cara de culpada.


- O que houve? – pergunto baixinho.


Naruto suspira, mas quem fala é a Hinata.


- Você desmaiou na universidade. - começa com sua voz meiga, se aproximando de mim – Ficamos muito preocupados, Sasuke nos disse que esteve doente, pensamos que fosse algo relacionado à isso, íamos leva-la ao hospital, mas então chegou a Temari aflita pra saber o que houve. Nos disse para trazer você pra cá... e... nos disse outra coisa também.


Meu coração acelera. Não podia ser o que eu estava pensando. Não. Por favor Deus, que não seja isso. Eles não podem saber. Não agora.


- O-o que ela d-disse?


Dessa vez quem responde é o Naruto. Com voz firme ele diz:


- Que você está grávida Sakura, e o filho é do Sasuke.


Merda!


E agora?! Temari sua bocuda.


Quando estou prestes a chorar e implorar para não contarem ao Sasuke, Hinata me surpreende. Me pegando desprevenida, ela ao meu lado na cama e me abraça. Me deixa chorar em seu ombro. Fazendo carinho em meus cabelos.


- Calma Sakura. – diz, me acalentando, enquanto a solto e vou me acalmando. – Ela também nos contou sobre seu motivos de não contar essa notícia para o meu primo. E quero que saiba mesmo não concordando com isso, vamos te apoiar e te ajudar no que for preciso.


Surpresa, olho para o Naruto e pra causar mais surpresa ainda, ele confirma com a cabeça e com o olhar, sorrindo.


E nesse momento, soube que poderia contar com eles para enfrentar a tempestade que estava vindo pela frente. Meu filho poderia não ter um pai, mas teria outras pessoas maravilhosas tanto quanto ele.


Notas Finais


Muitas lágrimas na despedidas deles?
- me: muuuuitas!

Então, esse foi o último capítulo desse ciclo. No próximo, ja teremos muitas outras coisas. E eu e a ~TaniSenju prometemos não demorar tanto pra postar o próximo.

Achei muito fofa essa música pra esse capítulo:

Ed Sheeran - Photograph

https://youtu.be/nSDgHBxUbVQ

Bjinhos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...