História Mais que 365 Dias - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer, Camila Cabello, Danielle Campbell, Fifth Harmony, Justin Bieber, Little Mix, One Direction, Selena Gomez, Zayn Malik
Personagens Camila Cabello, Danielle Campbell, Harry Styles, Jade Thirlwall, Justin Bieber, Lauren Jauregui, Liam Payne, Louis Tomlinson, Luke Hemmings, Michael Clifford, Niall Horan, Perrie Edwards, Personagens Originais, Selena Gomez, Zayn Malik
Tags Camren, Jerrie, Larry Stylinson, Muke, Ziam
Visualizações 18
Palavras 4.316
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Lemon, Poesias, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey, quem veio com Dois capítulos seguidos?
🙋🙋
Amei o clipe do Harry, kkkk, embora tenha dado risadas dele na guerra de comida kkksjsnsjsjs
Mas enfim, estamos aqui para falar sobre o capítulo, melhor, estão aqui para ler :-)

Tem smut e bem, uma surpresa no smut, assim como o capítulo está todo fofo ❤
But, como toda fofura vem em excessão, digo e aviso, próximos capítulos virão bem, digamos fortes e vão mexer com vocês.

Mas chega de blá, blá, blá
Boa Leitura!!

Larry is Real 💙💚

Capítulo 11 - Chapter Eight


Fanfic / Fanfiction Mais que 365 Dias - Capítulo 11 - Chapter Eight

Naquela mesma noite 

9:20 P.M. 

Restaurante Trattoria Toscana/ Doncaster

*Louis* 

Animado, era o que Louis estava em excesso aquela noite, embora a chuva lá fora tenha molhado parte da barra da sua calça, e ensopado seus sapatos por dentro, ele estava feliz por estar passeando, melhor, estava em um encontro com Harry, fazia tanto tempo que ele estava sentindo mais era um frio na barriga amistoso. Enquanto Harry segurava sua mão e o guiava para dentro do local, Louis fica pensando, nas coisas que aconteceram, as benditas brigas que eram mais que desnecessárias entre ambos, queria mesmo abordar aquele assunto com Harry, em nome do amor que tinham um pelo outro e pelo Nathan. 

A calça apertando as coxas de Louis, o deixava agoniado, ainda mais por estar um pouco molhada, contudo, não podia fazer muito já que a chuva não fora muito, “amigável” ao ficar forte e com a ventania, o banhar assim que Louis abriu a porta do carro. 

Céus, ele estava pior que uma garota em um encontro, sinceramente, ele era um cara casado e Harry também estava molhado — a diferença era que o maior estava mais gostoso — Harry não ficava feio de nenhuma forma, isso era o que indignação Louis e ao mesmo tempo o fazia admirar. 

Assim que ambos se sentam na sua devida mesa, veem uma garçonete se aproximando com a caneta presa no cabelo castanho e uma caderneta nas mãos. 

— O que os rapazes vão querer? — Disse em um tom oferecido, mais para o Harry e aquilo me deixou nervoso. 

Mas se controlou para não estragar sua noite. Louis odiava sentir esse ciúmes excessivo do meu marido. 

— Hum, Crespella da Casa e Seafood Risoto para nós dois. — Harry disse olhando o menu — E vinho tinto para cada um. — Ele concluí. 

— E vão querer alguma sobremesa? — Ela umedece os lábios brincando com a caneta nos seios. Nojenta, pensava Louis. Ela acha que queriam — mais o Harry do que ele — come-la como sobremesa, Louis rolou os olhos e não foi discreto. 

— Acho que está tudo certo, por enquanto, não é amor? — Harry encara o marido com um sorriso.

“Touché”, Louis pensava ao retribuir o sorriso concordando, após a garçonete encolher os ombros e ficar vermelha com a cena que via. 

— Pode ir querida, qualquer coisa vamos pedir para que traga. — Louis sorri sem mostrar os dentes. 

Harry dá uma risada baixa, vendo aquela cena, mal sabendo que estava deixando Louis nervoso com tal ato, a moça se afasta de modo educado. Em seguida deixa ambos a sós. Harry não parava de rir e isso foi afrontar ainda mais a fera que habitava dentro de Tomlinson. 

— O que está achando engraçado Harold? — Louis o encara de cara fechada. 

— Ahh, amor... — Harry limpa as lágrimas escorrendo pelo canto do seu olho.

— Amor é uma ova! — o menor bufa. — Não me faça te dar uns tapas aqui na frente de todos Harry, estou avisando. 

E para deixar a situação mais estressante para Louis, seu marido se curva para frente e apoia os cotovelos sobre a mesa, olhando fixamente para seu rosto, um tanto com admiração. Propriamente deixando Louis constrangido e corando aos poucos, Harry causava certas coisas no menor, que ele não saberia explicar, certamente, o próprio Harry sabia suas artimanhas para domar a fera Tomlinson e isso era o que deixava Louis encucado, afinal ele sempre cedia. 

— Você é a criatura mais linda quando fica nervoso! 

— Por que não consegue levar as coisas a sério? — Louis fez beicinho e rolou os olhos. 

— Meio difícil, com o pingo de gente que você é. — Harry pisca. 

— Idiota! — Louis mostra o dedo do meio para o mesmo. 

— Guarde esse dedo, porque vou usá-lo para fazer outra coisa mais tarde. — Cheio de malícia na voz, Harry pega na mão de Louis e deposita um beijo sensual no seu dedo do meio. 

— Harry! — Louis disse em repreensão. 

— Não tenho culpa se tudo que faz é sexy. — Harry deu de ombros, voltando a se encostar na cadeira de forma ereta. 

— Estamos em público, pelo amor. Seja mais discreto! — A franja caiu novamente em seu rosto e Louis, bufa para arruma-la de volta. 

— Falou aquele que abriu as pernas para mim quando eu estava dando aula, me fazendo perder o bom senso a cada hora que passava. 

Louis sorri ao lembrar de quando estava estudando e fez aquele jogo de provocação com Harry, perdendo no finalzinho, mas por um bom motivo. 

— Você foi recompensado no final. Não reclame! — Rebateu com um sorriso safado no canto dos lábios. 

— Não estou. — Harry ergue as mãos para cima — Inclusive, queria que fizesse aquilo pra mim de novo. Sabe, para matar a saudade daquele tempo....

Louis joga o guardanapo no rosto de Harry, já que ele falava em alto som, quando um casal de idosos passava perto deles. 

— Ei! 

— Cale essa boca ou mude de assunto! — Fazendo careta, Louis solta um suspiro longo. 

Dessa vez, fora a vez de Harry rolar os olhos.

— Sem graça, ia falar uma coisa bem sexy. — Harry finge está indignado — Bem — Ela tosse — Se vamos falar de coisa séria, gostaria de tratar de um assunto com você. — Louis deixa seu rosto suavizar e seus olhos vidrados nos verdes do seu marido.

— Também gostaria, mas vou deixar que fale sobre o seu primeiro. 

— Temos que controlar essas discussões diárias que temos. — Falou o mais velho e Louis concordou. 

— Que bom que chegou a essa decisão, já que era mesmo desse assunto que eu queria tratar com você. — Louis umedece os lábios olhando para os lados e depois para seu marido — Sei que brigas entre casais é algo comum mas por conta de Nathan, precisamos ser mais cuidadosos. Pela própria situação que ele se passa e também para que não aconteça o pior no nosso relacionamento. 

O maior medo de Louis era perder Harry, agora ele se sentia tão dependente do mesmo, era uma forma de estar firme e forte. 

— O que supõe sobre essa última frase que disse? — Harry o encara sério. 

— Sabe — Louis coça a nuca — A tantos casais que se desentendem e acabam se divorciando. Não quero que isso aconteça entre nós. — Por de baixo da mesa, Louis sente suas mãos soarem em excesso. 

Ele olha para seu marido, cujo arrumou uma posição na cadeira, esticando sua mão para Louis que no mesmo instante colocou a sua sobre a de Harry. 

— Pois descarte isso da sua mente, a possibilidade de eu deixá-lo é mínima. Cem por cento nula. 

— Eu sei, digo o mesmo em relação a mim. — Louis olha para o teto de madeira — É que casais se separam, e eu e você, isso já aconteceu. 

— Louis amor, olha pra mim?! — Harry pede e com o coração um pouco apertado, o menor o encara — Aquilo foi passado, vamos tentar viver esse presente maravilhoso. Estamos maduros, crescidos e temos um filho que está prestes a fazer um ano de idade. Não acha incrível? — Louis concordou com um olhar meloso — Amor, o que sinto por você é eterno, mesmo que venha acontecer algo, creio que não vá, mas se vier a tona, saiba que enquanto essa chama no meu peito estiver viva eu vou lutar por você e o nosso amor. 

Harry acabara de tocar em um ponto sensível do coração de Louis, tanto que fizera o menor sentir as lágrimas de felicidade subindo. Harry era único para ele, seu homem, seu marido, seu melhor amigo, seu tudo. 

— Obrigada por isso. — Louis volta a fazer bico — Eu farei o mesmo por você, serei capaz do impossível para ter você na minha vida. Eu te amo muito Harry Styles. 

O sorriso mais puro acaba de sair de seus lábios e Harry o acompanha, esboçando suas belas covinhas laterais da sua bochecha, o ser mais encantador de se ver. 

— Amo você Louis Tomlinson Styles. — Harry se aproxima de seus lábios e deposita um selinho rápido. — Feliz dia dos namorados! 

— Feliz dia dos namorados. — Louis deposita um beijo na ponta do nariz de Harry. 

 

(...) 

Assim que foram servidos, o casal trocou algumas palavras, Harry certas vezes fazia Louis sorri de seus comentários, assim como era vice-versa, apreciavam a bela comida e o vinho que haviam — Harry — escolhido. Era a noite que tantos os dois almejavam, embora algumas vezes Louis estivesse com a cabeça toda em Nathan e em como ele estava, se Anne estava negando a lhe dizer a verdade só para que ele não deixasse de aproveitar a noite com o Harry. Ele sabia que aquilo era mais que preciso contudo, a saúde de Nathan era importante nível estremo. 

— Como será que ele está? — Louis pergunta.

— Bem amor, se minha mãe não ligou até agora é porque Nath, está se comportando. — Harry dá um gole no seu vinho. 

— Ou ela não quer que voltemos para a casa, porque estamos em um encontro. — Louis constatou, traçando a ponta do seu dedo na borda da taça. 

— Lou, uma coisa eu te garanto. Minha mãe não faria uma coisa dessas, ela sabe como estamos preocupados com nosso filho assim como entende esse sentimento de querer protegê-lo, mantê-lo bem. — Harry pigarreia — Ela não está escondendo nada. Mas se quiser, eu ligo para que você fique calmo. — Harry parecia levemente irritado como também chateado com o que Louis estava falando. 

Louis observa Harry puxando seu celular do bolso. 

— Está chateado comigo? — Louis murmura no seu canto. 

— Não amor, eu não estou. — Harry o encara seriamente. 

— Eu sei que está mentindo. Posso ver em seus olhos que não é o que diz... — o menor aponta para o marido. 

Louis em seguida olha para os dedos como se procurasse uma forma de se distrair, sendo assim inútil. Ele não gostava de agir daquela forma, sabia que estava estragando a noite dando um dos seus “leves surtos” de pai preocupado; não que Harry não fosse um, ele até era por demais, contudo no momento, Louis estava para o auge. 

Como resposta Harry deixa o celular cair sobre a mesa e solta um suspiro longo. 

— Lou... — Chamou o mas ele continuou com a cabeça baixa — Amor, olha pra mim! — Aquela voz que sairá docemente dos lábios de Harry, fez com que Louis obedecesse; Era a segunda vez que Harry o chamava daquela forma, a segunda vez que Louis cedia tão suavemente — Você não tem que pensar isso, não estou com raiva de você, muito menos estou chateado por estar preocupado com o nosso filho, eu também estou. Mas essa noite, quero pensar que está tudo bem com ele, queria aproveitar o máximo de tempo com você. E se hoje estivéssemos sozinhos com nosso filho, eu ia amar, pelo simples fato de vocês serem o que mais me importa. — Harry sorri de lado — Não fique pensando nisso, okay? Estou tranquilo e amando cada segundo aqui ao seu lado.

Louis sentia sentiu seu ar faltar, Harry é tão encantador, tão seu, assim como também bastante paciente com ele, já que sempre conseguia deixar Louis bem após uma longa conversa séria. 

— Tudo bem, me desculpe por isso, novamente. 

— Shiiu, não peça desculpas, elas não são necessárias. — Harry piscou para o mesmo. — Vou ligar para minha mãe, está bem? 

— Não. — Louis balançou a cabeça — Está tudo bem, não precisa fazer isso amor. Sei que Nathan está bem. 

— Certeza? 

— Uhum...vamos aproveitar nossas poucas horas namorando como antes. 

Harry concorda e volta a ficar na posição de antes. 

— Fico pensando aqui — O maior fala — Imagina como seria nós dois indo para a escola, falar com a professora de Nathan após sermos chamado por ele se meter em uma briga. 

Louis solta uma risada, imaginando a cena. 

— Certamente, se ele foi provocado por um colega ousado, eu lhe daria os parabéns por ele se defender. — Louis comenta atraindo o olhar de representação de Harry. 

— Isso é um mal exemplo senhor Styles. — Harry molha os lábios — Assim pensariam que somos péssimos país. 

— Claro que não, eles pensariam que somos pais que ensinam o filho a se defender dos brutamontes e babacas. — Louis rebate. 

Harry rir, jogando a cabeça pra trás. 

— Você é maluco, desde quando apoia violência? 

— Não apoio. — Louis fez careta — Mas sim, ao fato de ter sido machucado no passado e não pude me defender, Nathan só irá se defender. Mas nunca provocar uma briga, vou deixar isso bem claro para ele. 

— Nesse caso, abro uma exceção. — Rindo Harry esquiva seu corpo — Sabe do que eu gosto? 

— Hum?

— Dos seus beijos. 

Louis sorri.

— Gosto de sentir seu corpo em contato com o meu. 

— Sério? — Harry indaga sorrindo e Louis assentiu — Gosto da sensação de ter seu corpo suado em contato com o meu.

— Pode sentir isso se quiser. — Dessa vez Louis se esquiva.

— Minha mãe está na nossa casa, assim como a Perrie. 

— Quem disse que precisamos ir para casa? — Louis umedece os lábios.  

— Mudamos rápido o foco da conversa não acha? — Harry rir. 

— Acho que só, mudamos o foco porque queremos saciar um pouco dos nossos desejos. — Louis Concluiu. 

— Okay. Então vamos sair daqui! — Harry levantou, arrumando a calça que estava com uma ereção, visivelmente para qualquer um ver. 

Louis não se conteve e solta uma risada baixa.

 

(...)

Motel 

10:50 P.M. 

 

Harry fecha a porta com o pé, enchendo Louis de beijos, ambos cambaleavam pelo cômodo desajeitados, já que não fitavam o que lhes tinham ao redor. 

— Viu a cara da gerente quando você disse que o quarto era para nós dois? — Louis indaga quando Harry puxava sua blusa para cima. 

— Sim. E vou dizer uma coisa — Harry joga a blusa de Louis no chão, em seguida aperta sua cintura — Eu não logo para o que ela está pensando agora. 

— Eu também não. 

Sorrindo um para o outro, Harry e Louis, voltam a se beijar com mais intensidade, as grandes mãos de Harry apertavam a bunda de Louis, enquanto o menor, massageava os bíceps do marido, ele gostava dos músculos de Harry, assim como aquela bunda dele. Louis podia ter a dele, mas a do Harry era também, maravilhosa. 

— Sabe aonde ainda não fizemos amor? — Harry indaga, distribuindo beijos pelo corpo de Louis. 

— Fizemos em tantos lugares amor. Nem sei dizer em qual. — Louis solta um gemido em seguida — Diga-me aonde! 

— Banheira de Motel. 

— Hum, parece interessante! — Louis morde o maxilar de Harry. — Vai enche-la? 

— Agora. 

— Então vou me despir! — Louis se afasta do corpo do marido. 

— Não quer que eu faça isso? 

— Eu quero que faça outra coisa, na banheira. 

— Oh! 

Louis dá um risinho, virando-se de costas e ganhando um tapa na bunda.

— Harry!

— A culpa não é minha se a sua bunda é tentadora! — Harry ergue as mãos para cima, entrando no banheiro. 

Louis rolou os olhos, em seguida ao ouvir o barulho da água enchendo a grande banheira. Ele vai tirando cada peça do seu corpo lentamente, pensando que Harry o fazia agir de tal modo insano que no passado o fazia ficar recluso, mas não era como se Louis não gostasse de fazer amor, ele gosta, ainda mais porque é com o Harry e ele só se interessa pelo que seu marido vai lhe proporcionar. Somente isso. 

Após esta completamente nu, Louis respira profundamente, caminhando para dentro do banheiro, imaginando como Harry deveria estar, sorrindo ao ver que Styles estava dentro da banheira, todo sexy enquanto as espumas cobriam seu corpo e as pétalas vermelhas boiavam pela água. 

Sempre romântico, sim, Louis amava aquilo, Harry nunca deixava de surpreende-lo. 

— Você não vem peladão? — Harry bate com a palma na água, fazendo ela espirrar um pouco para os lados. 

Louis fica um tanto constrangido, a ponto de sua face corar, não somente por isso, mas porque Harry olhava faminto e de modo sexy para ele. Aquilo de certo modo tirava o ar de qualquer um. 

— Calma grandão! 

Louis morde os lábios, colocando a perna na água morna seguida de outra, até estar com todo o corpo coberto pela água. Ele se move para ficar de frente para Harry, passando suas mãos nas coxas e subindo para a V-line do marido e parando no abdômen. Harry por outro lado, puxa Louis para o seu colo e encaixa a bunda do mesmo no seu membro, fazendo dos lábios de Louis, sair um gemido arfado. 

— Lindo! — Harry chupa o pescoço de Louis. 

O menor, sentindo os sentidos ficarem aguçados, nada pareceu existir apenas a chama que consumia seu corpo, sem contar os toques que Harry lhe fazia no corpo. 

Ambos voltam a juntar os lábios, no mais profundo beijo, cujo as línguas se embolavam uma na outra, as mãos de Louis ficam envolta do pescoço de Harry, enquanto ele rebolava no colo do mesmo, provocando ainda mais a ereção de Harry. Louis gostava de provocar o marido, era um dos seus mais novos hobbies na prática sexual entre ambos. 

E tudo queimava, como as chamas de um vulcão em erupção. 

Louis estava mais atiçado com tudo, queria poder fazer coisas novas com seu marido, assim como queria que Harry lhe fizesse coisas novas. 

— Amor.... — Louis gemeu, após sugar a língua de Harry toda para sua boca — Eu....eu quero foder você! 

Ele estava com receio que Harry rejeitasse o seu pedido, afinal Louis era o único, que, bem, não havia experimentado muito o fato de ser o ativo da vez; Harry deixava mas não era sempre, Louis nunca pediu, essa era a primeira vez, por isso ele estava nervoso a espera da resposta. 

— Você sabe que eu amo quando toca no meu corpo babe. — Harry sorri com malícia — Pode fazer o que quiser comigo! 

Louis sorri, beijando Harry novamente, com mais força. Suas bocas pareciam estar em uma guerra sem planos de apaziguar. Logo depois, quando Louis se afasta do corpo de Harry, ele vê o marido virando de costas, sorrindo de orelha a orelha. Era tão lindo, observar Harry de quatro, a visão ampla da sua bunda e todo o seu corpo. Tentando a tudo, Louis passa seus dedos na entrada de Harry que com seu toque, gemeu e grunhiu de ...... Agonia? 

Por ser um tanto malvado, Louis solta uma risada, beijando cada lado da bunda de Harry, sentindo seu próprio membro latejando de prazer, ereto o suficiente por encostar na sua barriga. E aqui o deixava a um ponto de loucura maior do que já tinha. 

Ele apoia as mãos na cintura de Harry, segurando seu membro e morando na bunda do maior. 

— Posso? — Ele provoca, roçando sua glande na entrada avermelhada do marido. 

— Oh merda....sim Lou, por favor... — Harry implora, movimentando seu corpo para frente e para atrás. 

Louis sorri satisfeito, as vezes era bom estar no controle das coisas, logo que ele penetra dentro de Harry, sentindo seu membro sendo apertado pela entrada de Harry, mas teve a sensação boa por estar dentro do mesmo. 

— Uuh ooh que delícia! — Gemia Harry cheio de tesão na voz. 

— Você é muito gostoso Hazza! 

Gemia Louis, movimentando de vagar em Harry, sentindo seu corpo queimar um pouco mais do que o esperado. Contraindo seus glúteos, Louis ia para frente e para trás, dando tapas nas laterais do bumbum de Harry, chegava a ficar vermelha e aquilo o excitava. 

— Oh Louis, é só isso que você tem? Até eu meto com mais força dentro de você! 

Louis sabia que era mais uma das provocações de Harry, e certamente aquilo funcionou, pois ele aumenta suas estocadas cada vez mais para fundo, alcançando a próstata de Harry. 

— Oh sim! Isso babe! — Harry leva sua própria mão para seu membro. Iniciando o processo de masturbação. 

Seus gemidos ecoam juntamente junto com os de Louis, tento uma sincronia maravilhosa das suas vozes atiçadas pelo prazer. 

Louis foi sentindo o corpo se eletrizar como uma corrente elétrica, que o “ligava” para ir cada vez mais rápido e mais forte nas estocadas, dessa vez ele não economizava em entrar mais fundo em Harry. A água movimentava a medida que Louis não parava de penetrar em Harry assim como o maior não economizou em se masturbar na mesma velocidade que o marido. 

— Oh vou gozar! — Harry empina sua bunda e abaixa a cabeça. 

Louis continua a se movimentar dentro dele, apertando com mais força a cintura de Harry, tendo em si, uma falta de ar, aquela comum quando se estar com o ápice bem próximo. E ele aumenta mais as estocadas, suas mãos vão até o cabelo de Harry, puxando o assim que suas pernas tremem e seu gozo é liberado dentro de Harry. 

— Oh céus! — Louis jogou a cabeça para trás, completo e satisfeito a cada, uma, duas e três estocadas dentro de Harry. — Amor... — Louis beija as costas do marido, ainda dentro dele — Entre em mim! — pede com a voz manhosa. 

Harry para de se tocar, nesse momento, Louis sai de dentro do mesmo. Harry volta a se sentar, puxando Louis para seu colo. E mesmo que suas respirações estivessem ofegantes, eles se beijam. 

As mãos de Louis apertam os ombros largos e grossos de Harry, e ele volta a rebolar no colo do marido. Mas Harry ao invés de corresponde-lo, apenas desce seus lábios para o mamilo de Louis, sugando o bico do seu peitoral, como se fosse uma balinha. Passando para o outro lado, deixando Louis louco, de modo que ele finca suas unhas no peito de Harry. 

— Hazza..... — Gemeu o menor, tombando a cabeça para trás. 

Harry lambe cada linha da barriga de Louis, em seguida morde a pele fina da clavícula do menor. 

Louis desejava ter Harry dentro de si logo, seu corpo implorava de várias formas para que isso acontecesse. 

E como se o seu marido tivesse ouvido seu pensamento, levanta a bunda de Louis, encaixando seu membro dentro do menor, e ao ser preenchido pelo grande membro dentro de si, ele treme, porque cavalgava com força em Styles. 

— Você é tão gostoso Lou! — Harry segurava sua cintura, enquanto Louis continuava a se mexer para cima e para baixo. 

Com as mãos envolta do pescoço de Harry, ele rebola de modo sensual e convicto para atiçar mais o membro do marido. Louis gostava de fazer aquilo para deixar Harry um tanto mais que ele estava. 

— Oh porra! — Louis morde os lábios do marido — Você me fode! 

— Você me mata! — Harry aperta a bunda de Louis. 

Ambos dão um sorriso um para o outro, como se gostassem daqueles comentários safados. 

— Eu só consigo voltar para você! — Louis fecha os olhos, sendo abraçado pelo prazer em auge. 

— E você me leva de volta para casa. — Harry morde seu ombro. 

 

(...)

11:26 P.M. 

Deitados na cama, Harry fazia um carinho na cabeça do Louis, eles haviam feito amor, quatro vezes seguidas, de várias formas possíveis, aquilo era uma novidade para ambos, embora, certas vezes aquela fosse o número que usavam quando iam para cama, quando estavam cheios de prazer. 

— Temos que voltar, está ficando tarde para aquelas duas, que devem estar exaustas... — Harry murmura com a voz rouca perto do ouvido de Louis. 

O menor, se arrepia por inteiro somente por ouvir aquela voz grossa pelo seu ouvido. 

— Hum... — Louis se espreguiça — Você acabou comigo hoje. — Ele se vira roçando seu nariz no peito de Harry, o corpo quente do mesmo o aquecia debaixo do lençol vermelho. 

— Você gosta que eu sei! 

— Cala a boca! — Louis lhe dá um tapa no peito. 

— Estou mentindo? 

— Não. — Louis rir. — Okay, mas vamos parar com isso! 

— Como assim? 

— Nada. — Louis rir de si mesmo — As vezes sou um tanto louco. 

— Gosto da sua loucura amor! — Harry junta mais seus corpo. 

— Temos que fazer isso mais vezes. Adorei namorar você! — Louis sela seus lábios no queixo de Harry — Mas estou com saudades do nosso filho! 

Harry solta uma risada. 

— Eu também. Não imagina como. 

— Vamos embora então, quero abraçar meu filho e dormir. — Louis faz um movimento para se levantar, mas Harry o puxa para ficar por cima de seu corpo. — Ei! 

— Um beijo antes! 

Harry envolve sua mão na nuca de Louis, iniciando um beijo calmo. 

 

(....)

Casa dos Styles 

11:50 P.M. 

 

— Estavam fazendo coisinhas, não estavam? — Perrie olha para o casal de mãos dadas. 

Louis sentia vergonha, pela irmã ser tão indiscreta. As vezes tinha vontade de esconder Perrie para evitar constrangimento ao público. 

— Quieta! — Ele a ameaça. 

Como resposta Perrie solta uma risada estridente. 

— Own, ele ficou com vergonha. — Ela aperta a bochecha de Louis — Relaxa que todo mundo aqui faz sexo, amor...o que vocês chamam de colar os corpos nus. 

— Céus! — Louis rolou os olhos e deu um tapa da mão da mesma. 

Harry apenas rir e encara sua mãe que descia a escada com a bolsa. 

— Não querem dormir aqui? Está tarde para se dirigir. — Harry caminha até Anne, lhe dando um abraço de lado. Diferente de Louis que discutia com Perrie como se fossem os dois, crianças. 

— Não querido, Perrie disse me que me leva para a sua casa e amanhã cedo, volto para Holmes Chapel! — Anne sorri delicada. 

— Ele deu muito trabalho? — Louis pergunta, após beliscar a barriga da irmã, cuja fazia careta. 

— Não, ele estava bem feliz e agitado, assim, logo que lhe teve oportunidade, Nathan dormiu. — Anne fala — Meu neto é uma criança muito boa, assim como não dá trabalho algum. 

Louis sorri e abraça sua sogra.

— Obrigada por vir! 

— Não agradeça querido, amo cuidar de Nathan! — Anne beija sua testa — Cuidem-se os dois. 

— Pode deixar mamãe. De um beijo em Gemma por mim! 

— E por mim também. — Louis disse. 

— Claro! 

— Tchau, coisa chata minha! — Perrie pula no irmão que cambaleia para trás devido ao desequilíbrio que teve — Amo você mesmo que me ache chata! 

— Ah Pe, eu também te amo, ser irritante! — Ele rir e dá um beijo na bochecha dela. 

— Tchauzinho Cunhado gostoso. — Ela abraça em Harry. 

Louis nega com a cabeça e ambos se despedem das duas. Em seguida sobrem para seus quartos de mãos dadas, o dia fora maravilhoso e terminará da mesma forma e era tudo que Louis sempre quis. Porque era tudo que seu relacionamento era, sabe, especial, único. Ele não imaginava perder tudo aquilo. 

 

 


Notas Finais


Perdoem meus erros :-/
Espero que tenham gostado e bem....Louis foi Tops, sbjahaja :-V

Até o próximo capítulo ❤
Beijos beijos da autora


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...