1. Spirit Fanfics >
  2. Mais que amigos >
  3. Beautmont Califórnia

História Mais que amigos - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Voltei com um capítulo cheio de novidades🤭
Espero que gostem e boa leitura❤

Capítulo 8 - Beautmont Califórnia


Fanfic / Fanfiction Mais que amigos - Capítulo 8 - Beautmont Califórnia

Benjamin Hanscom 

Acordei bem cedo hoje, mas pra falar a verdade eu nem dormi direito só de ansiedade pela viagem. 

Não é só pelo motivo da Beverly estar indo junto, pois confesso que esse é o principal. É também a saudade que eu tô da minha mãe e da minha irmã. Devemos chegar lá pelo início da noite.

Estou terminando de tomar meu café, quando meu celular toca. Me levanto e o pego em cima da cama. É Beverly quem está me ligando. Atendo.

- Oi Bevvie. 

- Ben, você está demorando muito. - Beverly fala nervosa. 

- Meu bem, ainda são sete e meia. Nosso vôo é só às dez. Ainda temos duas horas e meia.

- Eu sei, mas estou anciosa.

- Me conta uma novidade. 

- Você pode vim logo?

- Daqui a pouco. Só vou terminar de tomar meu café. 

- Você não poderia ter vindo tomar café comigo? 

- Bevvie fica calma, você tá muito nervosa. Dormiu bem?

- Não. Estou acordada desde às quatro da manhã. - Cuspo meu café, e eu achando que era ancioso. 

- Fica calma ok. Já já chego aí. E trate de comer alguma coisa, ou você não vai comigo. -Beverly resmunga baixinho mas concorda.

- Tá bom. Não demora.

- Não se preocupe. Tchau. - E ela desligou o celular sem se despedir.

Começo a rir e vou até o banheiro escovar os dentes. Volto pro quarto, verifico as passagens e pronto. Tudo certo, hora de buscar a dona estresse. 

Saio de casa em direção ao apartamento da Beverly. Piso fundo no acelerador, pois conheço bem aquela ruiva, e é  bem capaz dela estar roendo as unhas nesse momento.

Chego no prédio dela e desço do carro. Entro correndo e vou até o elevador. Assim que ele para no andar que Beverly mora, saio e vou até o apartamento dela. Toco a campainha e a porta é imediatamente aberta. 

Beverly está parada bem à minha frente, usando um short jeans preto, blusa branca com um casaco preto e um par de tênis branco. Ela me olha de cima a baixo com uma expressão engraçada no rosto.

- Você já estava perto da porta? - Pergunto achando graça. 

- Sim. E você demorou. - Ela responde. 

- Bom, já estou aqui. Podemos ir agora. 

- Que bom, só me ajuda com as malas?

- Malas? Está levando quantas? - Ela morde os lábios e começa a rir.

- Só duas e uma mochila. 

- Bevvie... pra quê isso tudo? Não vamos ficar lá o mês todo.

- Eu sei, mas nunca se sabe. Agora para de falar e vem me ajudar 

Entro no apartamento e a ajudo com as malas enormes. Beverly realmente se empolgou com a viagem. Assim que saímos do prédio, coloco as malas no carro e depois nos acomodamos.

- Seu carro vai ficar no estacionamento do aeroporto? - Beverly pergunta colocando o cinto.

- Não. Já falei com um dos meus seguranças para vim buscar e levar pra empresa.

- Hum, entendi.

- Animada senhorita Marsh? 

- Como sempre senhor Hanscom. Califórnia aí vamos nós. 

Dirigi bem rápido, até chegarmos ao Nebraska City Aeroport. Beverly é só alegria, parece até uma criança. 

Retiramos as malas dela, e a minha única mochila, e seguimos para fazer o check-in e o despache das bagagens.

Após termos feito tudo, nos dirigimos até a ala de embarque, entramos no avião e começamos a voar.

Estamos sentados um ao lado do outro, e vendo um filme que está passando, que por acaso é de terror. O assassino é um palhaço que come crianças. Beverly olha para mim e vejo que está pálida. 

- Ben, estou passando mal. Acho que vou vomitar. Esse filme é muito horrível, e esse palhaço tá me dando medo. - Ela realmente não está bem. Está suando muito e começo a ficar preocupado. 

- Você tá muito pálida. Quer que eu chame a aeromoça e peça algo? 

- Sim, por favor. Quero uma garrafa de água. 

Quando vejo a aeromoça, faço um aceno e ela vem em nossa direção. 

- Em que posso ajudar senhor? - Ela pergunta com gentileza. 

- Poderia trazer uma garrafa de água  para a minha amiga? Ela não está muito bem.

- Mas é claro. O que ela tem?

- Está com enjôo. 

- Quer que eu traga um remédio também? 

- Seria bom. Obrigado. 

- Por nada. Eu volto logo.

A aeromoça volta com uma garrafa de água e um comprimido. Beverly toma e logo em seguida deita a cabeça em meu peito. 

- Acho que vou ter pesadelos com esse palhaço hoje à noite. - Quando ela fala, posso sentir o medo em sua voz.

- Você realmente ficou com medo do filme? - Começo a fazer carinho em seus cabelos. 

- Fiquei sim, principalmente do palhaço. - Eu a abraço e ela relaxa um pouco.

- Tenta dormir um pouco. Quando estivermos perto de pousar eu te acordo.

- Mas e se eu tiver pesadelos e começar a gritar?

- Isso não vai acontecer, estou aqui com você.  

Beverly concorda e fecha os olhos. Continuo fazendo carinho nos cabelos dela. Depois de alguns minutos, a aeromoça aparece. 

- Ela está melhor?

- Está sim. Até conseguiu dormir. 

- Que bom. Eu jurava que vocês eram um casal de namorados. - Ela comenta e dá um sorriso. 

- Sério? Porquê?

- Pela forma que você a trata. Deve gostar muito dela não é? 

Olho pra Beverly ainda mexendo em seus cabelos. 

- Gostar é pouco. Eu amo essa mulher. Conheço ela desde que tínhamos onze anos.

- Bastante tempo. Isso que é amizade verdadeira. - Fala surpresa. 

- A mais verdadeira. 

- Isso é muito bom, e fico feliz que ela esteja melhor. Se precisar de mais alguma coisa é só me chamar. Com licença. 

Quando ela se retira, olho novamente para a Beverly e beijo seu cabelo, seus olhos e seu nariz.  Depois de algum tempo, o cansaço me consome e acabo dormindo.


[...]


Beverly Marsh

Já estamos quase chegando ao aeroporto Jack Brooks em Beautmont.  Ben está dormindo, e me recuso a acordá-lo. É tão lindo que chega a doer meu coração. 

Não consegui dormir, pois fiquei com muito medo de ter pesadelos com aquele palhaço horrivel, e por isso ouvi toda a conversa que ele teve com a aeromoça. 

Ben disse que gostar de mim é pouco. E disse também que me ama. Claro que ele já me disse isso várias vezes, mas dessa vez foi diferente. Pelo menos eu senti que foi diferente. 

O avião começou a pousar, o que significa que chegamos e que preciso acordar ele. 

Passo a mão em seu cabelo, depois em seu rosto e paro em seus lábios. Preciso me controlar. Ben me ama, mas eu sei que é como uma irmã. Cutuco ele de leve.

- Ben, acorda. - Falo baixinho,  ele começa a se mexer e depois abre os olhos. - Chegamos seu dorminhoco.

- Você está melhor? - Ele começa a bocejar. 

- Sim. Esperta, vamos descer logo.

- Eu sei. Tenho que chamar um táxi pra gente. 

Depois que desembarcamos, Ben chama um táxi e seguimos para a casa da mãe dele.

- Amanhã vou alugar um carro para nós dois. Assim poderemos sair quando eu não estiver ocupado. 

- Mas você não tem um carro aqui? 

- Tenho, mas a Beatrice usa.

- Ah tá. - Só podia ser a bruxa da irmã dele.

- Conseguiu dormir Bevvie? 

- Aham, claro. - Minto na maior cara de pau. Mas ainda bem que não dormi, pois pode ouvir tudo o que ele disse.

- Que bom, porque assim que chegarmos, vamos tomar banho, comer alguma coisa e vou te levar pra passear na praia.

- Adorei a ideia.

Chegamos ao nosso destino. Ben desce e abre a porta para mim. Paga o motorista e retiramos nossa bagagem.

Antes de chegarmos à porta, a irmã dele aparece e se joga nos braços dele. Fico sem gostar, mas preciso me lembrar que ela é sua irmã. 

- Ben, que saudade. Você está muito gato. - Beatrice fala apertando ele.

- Oi Bia, e você cresceu mais um pouco desde a última vez que te vi. Continua linda como sempre.

Estou me sentindo invisível aqui. Então Ben se vira para mim e me chama.

- Vem cá Bevvie. - Caminho até eles e Ben segura minha mão. - Bia, você ainda à reconhece né?

Beatrice revira os olhos diante da pergunta de Ben. 

- Claro que sim, ela não mudou nada. Oi Be verly. - Quando ela fala dando pausa em meu nome, sinto o incômodo e a antipatia em sua voz.

- Oi Beatrice. Tudo bem? - Respiro fundo e tento ser o mais gentil possível. 

- Agora está. Meu irmão está aqui, então tá tudo bem. 

Ben segura minha mão mais forte e me olha.

- Vamos entrar. Precisa tomar banho e comer. - Eu assinto e entramos juntos. 

A mãe dele está nos esperando na sala, e assim que o vê, ela levanta do sofá e o abraça. 

- Meu filho querido. Que saudades. 

- Ele não está lindo mamãe? - A bruxa da Beatrice se intromete.

- Está sim. - Ela o solta e quando me vê, vem até mim. - Olha quem veio junto. A menina dos cabelos de fogo. 

Fico meio que sem graça, e dou um sorriso. Arlene é uma ótima pessoa e sempre me tratou muito bem.

- Você está muito linda meu bem. - Ela me abraça forte. 

- Obrigada senhora Arlene. Fico muito feliz em vê-la depois de tantos anos. 

- Eu também minha querida. Assim que eu soube que você viria, tratei de preparar o melhor quarto da casa para acomodá-la. Deve estar cansada.

- Só um pouco, não se preocupe.

Ben se aproxima e pega uma das minhas malas. É impressão minha ou ele parece estar constrangido?

- Vamos subir? - Ele fala sério. Fico sem entender mas concordo, e sigo ele até o quarto. Assim que chegamos, ele coloca minha mala no chão e me encara.

- Depois que você se instalar e tomar banho, desce pra gente jantar. - Seu tom de voz é seco e ele continua sério. 

- Tudo bem. E o nosso passeio, ainda tá de pé?

- Podemos deixar para amanhã? Concerteza a minha mãe vai querer conversar comigo. 

- Podemos sim, sem problema. - Respondo triste. 

- Obrigado. Te espero lá em baixo. 

Ben sai e fecha a porta. Fico ali sentada sem compreender o que aconteceu. 

Depois de alguns minutos pensando, me dou conta de que a mãe do Ben me chamou de menina dos cabelos de fogo. E só uma pessoa me chamou assim, a pessoa que me escreveu o poema e me enviou em anonimato.

Me levanto, vou até minha mochila e abro, retirando o cartão que eu ainda guardo e sempre levo comigo para todo lugar. Volto novamente a me sentar e começo a ler. 

" Cabelos de fogo, como brasas no inverno. Meu coração queima."

Coloco a mão na boca, estou tremendo de tanto que estou surpresa. 

- Não pode ser... Céus... 


  



Notas Finais


Espero que tenham gostado. Eu sei o que vocês estão querendo e juro que está bem próximo de acontecer🤭
Até a próxima😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...