1. Spirit Fanfics >
  2. Mais que amigos (L3ddy) >
  3. Nem tudo é o que parece

História Mais que amigos (L3ddy) - Capítulo 24


Escrita por:


Notas do Autor


Eis a versão do T3ddy sobre os fatos.

Desfrutem...

Capítulo 24 - Nem tudo é o que parece


Fanfic / Fanfiction Mais que amigos (L3ddy) - Capítulo 24 - Nem tudo é o que parece

...T3ddy…

Depois do almoço “agradável” que compartilhamos com a Suellen e o irmão dela, quem se demonstrou muito entusiasmado em ser o guia turista particular do meu namorado, enquanto passa o maior tempo possível com ele a um oceano de distância de mim. Fique incomodado com os planos de viagem dos dois serem muito parecidos como tempo de estadia, cercanias, enfim muita proximidade para o meu gosto.
 Suellen já havia me dito depois que nos conhecemos no condomínio em que ela vivia com os pais que ele ficou bem interessado no Luba, no meu Luba e agora vem com essa de amiguinho de viagem.
 Confio plenamente no amor do Luba, mas saber que há alguém rondando quem você ama enquanto se está separado por 12 horas de viagem não é algo reconfortante a se pensar as primícias de uma viagem. Então para evitar desentendimentos desnecessários tentei ao máximo não pensar no desconforto que essa súbita oportunidade de aprimoramento me causava e empenhei meu tempo em resolver alguns problemas no Studio, como valores subfaturados do nosso contrato com o Riquelme que se posicionou confirmando os valores muito abaixo do mercado. O que me fez chegar a conclusão que nosso Studio serviria de fachada para algo que está além do nosso conhecimento, algum esquema  fraudulento, que por mais vantajoso que fosse começar nossa empreita nesse mercado tão concorrido com valores tão atrativos isso com certeza teria um valor muito alto no futuro e minha índole, caráter e consciência não é algo que eu queira colocar em cheque.

 Hoje é o ultimo dia que tenho com o Luba e apesar de cada fibra do meu corpo querer estar com ele, me vi obrigado a deixá-lo enquanto dirigia um trabalho que a Su não se sentia apta em executar sozinha. Apesar de todo o seu discurso no começo de não querer realmente trabalhar com fotografia, ela vem se demonstrando bem dedicada e empolgada à cada novo trabalho finalizado.
 
 Depois de uma longa manhã, por fim terminamos próximo a hora do almoço e apesar de querer correr para casa do Luba, me dispus a ajudar a Suellen a guardar o equipamento, até que por um pé em falso da escada ela se desequilibra e dou graças a Deus por não ter saído correndo para o Luba logo atrás assim que o cliente deu as costas.
 Como eu estava bem próximo para lhe entregar alguns equipamentos que foram usados na sessão, para que ela colocasse na prateleira, pude segurá-la prontamente assim que ela se virou na minha direção fazendo com que a escada bambeasse de súbito e ela viesse de encontro há mim onde nossos corpos colidiram em um baque surdo, onde só não paramos no chão porque a sustentei firmemente pela cintura diminuindo a força do impacto, levamos alguns segundos para nos recuperarmos do susto e sairmos da posição em que suas mão se apoiavam em meu peito com a cabeça praticamente colada ao meu pescoço.
 Tendo nos recuperado do susto da quase queda, me despeço das meninas e sigo para a casa do Luba. Estranho um pouco ao me deparar com a casa vazia, deduzo que ele esteja aproveitando seu tempo na casa da Dona Luiza. Sigo para a casa há poucos metro com o Plínio nas mãos, já que ele vai passar tanto tempo sem mim eu vou ficar mais feliz se ele estiver com algo meu o acompanhando e munido da almofada de pescoço verde toco a campainha, para descobrir que meu amor não se encontra, olho para o relógio vendo que ainda faltam muitas horas para o seu voo, entretanto o que me preocupa é o fato da Dona Luiza ter me dito que pela manhã ele foi me encontrar no trabalho, porém ele não apareceu por lá.

 Preocupados entramos em sua residência vazia onde cada coisa repousava impecavelmente em seu lugar, inclusive seu carro na garagem, o que não estava era ele e suas malas o que não fazia sentido algum, já que seu voo é noturno e eu que o levaria.

 Com a preocupação me consumindo tiro meu aparelho do bolso e ligo para o seu número que imediatamente me informa que está fora de área ou desligado.
 Dona Luiza sugere que eu ligue para o estúdio  pois poderia ocorrer de termos nos desencontrado, o que era uma hipótese remota já que ela tinha o visto sair com o carro, mas a essa altura tudo que eu queria era encontrar o meu namorado.

-Alice me confirmou que ele esteve lá, mas não viu quando ele saiu.
Digo para a Dona Luiza que se encontrava tão aflita quanto eu.

-Meu Deus aonde será que o meu menino está? Nós temos que…

-Ele está indo para longe de traidores desprezíveis que só querem fazer o meu amigo sofrer.

Olhamos ao mesmo tempo para a moça de calça jeans clara, camiseta branca básica e uma enorme transa embutida que caia por seu ombro adentrando a cozinha onde estávamos, proferindo palavras como se fossem espinhos ao que cravava seus olhos castanhos ferozes em minha direção.

-Como assim alguém fez mal ao meu menino?
Dona Luiza pergunta em um tom sôfrego alternado os olhos da Tháis para mim

-Traidores, quem o traiu?
Pergunto em um fio de voz enquanto as palavras da moça ecoam em minha mente “Ele está indo para longe”

-Por que você não conta à ela Lucas.
Ela dispara como se fosse me atacar a qualquer momento com o rosto tomado pela raiva, se ela fosse um desenho animado certeza que nesse momento fumaça sairia de suas orelhas.

-Contar o que? Do que você está falando? Como assim o Luba está indo para longe? E o principal que quer faze-lo sofrer?

-Talvez o fato de você o estar enganando com sua sócia seja a resposta para todas essas perguntas.

-Do que você está falando?
Dona Luiza e eu perguntamos ao mesmo tempo.

-Estou falando do meu amigo ter ido te ver e ficar o resto de tempo que ainda lhe restara contigo e te encontrar aos beijos com sua sócia.
Dona Luiza me olhou com um ar de desgosto e sofrimento misturado com surpresa enquanto Tháis prosseguia.
          -Sobre encontrá-lo destroçado aos plantos se sentindo culpado por revelar um amor que tinha todas as chances de fazê-lo sofrer, assim com fez. Estou falando do meu amigo em frangalhos sentindo que foi um experimento exótico onde não tinha a menor chance de competir com a sócia que era afim do seu namorado.

-Isso não faz o menor sentido eu nunca tive nada com a Suellen e nem pretendo ter o Luba é a única pessoa que eu amo, que sempre amei. Eu nunca trocaria a mais remota  possibilidade de estar com o Lucas parta ficar com quem quer que seja.
Digo desesperado vendo a expressão das duas se suavizarem.
           -Deus eu preciso encontrá-lo explicar que isso não é verdade.

 Pego o meu celular e ligo para Alice, peço que ela me envie as gravações da câmera de segurança daquela manhã mais ou menos na hora do quase acidente.

-Eu juro por tudo que é mais sagrado que eu não estou mentindo, por favor Tháis me diz aonde ele está eu preciso explicar, preciso esclarecer o que houve no Studio, dizer que foi um mal entendido. Eu já tentei ligar mas ele não me atende.

-E nem poderia, ele já embarcou.

-Mas o voo dele é daqui a quase 8 horas

-Seria se ele não tivesse tão desesperado para fugir do que viu.

-Mas o que ele pensa que viu é uma mentira.
Digo olhando o vídeo recebido e mostro para a gravida descrente há minha frente.
            -Dona Luiza por favor fala com ele, liga pra ele a senhora ele vai atender.

-O meu querido eu temo que não. O Lucas é muito doce e sensível,  se bem conheço meu filho ele vai se manter afastado de todos com receio de que sua dor incomode os outros.

 Sai da casa tão pequeno quanto um grão de areia, como era possível meu animo, minha vida ter mudado tanto em tão poucas horas.
 Entro na casa do meu namorado, nem sei se ainda posso chamá-lo assim, já que ele partiu achando que eu o traí, que eu sou o mais desprezível  dos homens.
 Me aboleto em sua cama a qual horas antes compartilhávamos, afundo meu rosto no seu travesseiro que ainda exalava seu perfume, alcanço uma foto nossa sobre o criado mudo e não sei dizer ao certo quanto tempo passei ali e nem quantas ligações eu perdi, na verdade nada me importava já que a única pessoa com que eu queria falar estava a mais de 9.000km distante de mim incomunicável do outro lado do oceano.

-T3ddy? Querido...
Ouço uma voz feminina vinda da sala me chamando. Me sento lentamente na cama sentindo uma enorme dor de cabeça que só perdia para a do coração. Ainda com a foto nas mãos me esforço para me levantar e seguir até aonde a voz me chama, para encontrar a Dona Luiza com uma expressão preocupada me fitando.

-Lucas que bom que te encontrei
Ela diz com um sorriso complacente
           -Sua mãe me ligou preocupada, ela disse que faz dois dias que ninguém sabe de você. O meu querido você não deve se abater assim, imagino o quanto isso deve estar doendo, mas logo ele estará de volta e vocês poderão resolver esse mal entendido.

-Ele deve estar me odiando e eu nem tive a oportunidade de esclarecer as coisas.
 Digo sentindo as lágrimas voltarem para o meu rosto e nem tenho certeza se em algum momento elas o abandonaram.

 Passei um bom tempo no sofá com a cabeça no colo da Dona Luiza até conseguir me acalmar.
 Depois de um longa conversa e com os nervos já controlados, decido ir atrás do amor da minha vida.

...

-Meu Deus Lucas isso que você está dizendo é um tremendo mal entendido.
Suellen diz surpresa enquanto explico o porque da minha ausência repentina e o porque da minha viagem dali a 2 dias

-Eu sinto te deixar na mão, mas eu não posso continuar nesse silêncio permitindo que o amor da minha vida sofra por um engano infundado.

Eu te entendo e você tem todo o meu apoio para resolver esse mal entendido, não se preocupe com o trabalho, eu e a Alice damos conta enquanto você estiver ausente.

-Você não imagina o quanto lhe sou grato por isso.
Digo levando meu copo com suco de laranja à boca.

-É o mínimo que eu posso fazer depois de toda essa situação. Eu sei o quanto uma traição pode doer e sinceramente o Lucas não  merece passar por isso mesmo que seja uma traição fantasiada.

-Me dói a mais remota ideia de que eu tenha causado qualquer tipo de infelicidade nele.

-Você tem ideia de quanto tempo ficará lá?

-O tempo necessário para ter de volta o meu amor nos meus braços.


Notas Finais


Como vocês veem a Suellen?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...