História Mais Que Parceiros (Itaruki) - Capítulo 5


Escrita por: e HxpeV

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Itachi Uchiha, Kakuzu, Kankuro, Karin, Kisame Hoshigaki, Kizashi Haruno, Konan, Madara Uchiha, Mebuki Haruno, Obito Uchiha (Tobi), Personagens Originais, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Tsunade Senju, Zetsu
Visualizações 38
Palavras 992
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Luta, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Fala galera, entt, esperamos que vcs curtam esse cap, tá pititinho nós sabemos, mas tá MT bom eu juro, consegui o selo NandaSK de qualidade né amg kskksksk
Entt, espero q curtam, boa leitura!!

Capítulo 5 - Saboreando Preocupações


Fanfic / Fanfiction Mais Que Parceiros (Itaruki) - Capítulo 5 - Saboreando Preocupações

~Uchiha Itachi~


Estava sentado num dos sofás da enorme biblioteca da mansão, olhava pela milésima vez a tela do celular a espera de alguma mensagem do rosado que não aparece ou manda sinais de vida a dois dias.

Meu coração se aperta em frustração e angústia ao ver as 17 ligações e 23 mensagens não respondidas por Haruki, será que aconteceu alguma coisa?

Sou tirado dos meus pensamentos por uma das empregadas domésticas a qual eu nem me lembro o nome, ela dizia que minha família me aguardava para o jantar…

-        Tem mesmo certeza disso? - pergunto erguendo uma sobrancelha.

-     Tenho sim senhor, os senhores seus pais e o jovem uchiha o aguardam na sala de jantar.

-      Tudo bem? - minha resposta soara mais como uma pergunta, levantei-me e caminhei até a sala de jantar.

        

Parado em frente a porta de madeira de Carvalho Negro maciça, sinto meu coração disparar e a euforia me tomar por inteiro, trato logo de endireitar minha postura e alinhar meu cabelo, bato na porta a espera de autorização para entrar. Após a voz rouca e seca de meu otouto soar, abro a porta e entro silenciosa e desconfortavelmente.

O sorriso que despontava em meus lábios murcha enquanto me arrumo na cadeira sob o olhar de todos ali, engulo em seco contendo a vergonha e tentando ser o mais rápido possível, o silêncio é constrangedor.

Ficamos assim, apenas olhando uns para os outros enquanto Sasuke mexia no celular, alguns minutos depois, uma das cozinheiras põe a comida na grande e imponente mesa de 12 lugares, muita comida ocupava quase a mesa inteira, não tenho dúvidas de que daria literalmente para alimentar 2 batalhões do exército e ainda sobraria para alimentar todas as pessoas em condição de rua em um raio de 1km e meio da minha casa.

Peguei apenas alguns onigiris*, são os meus preferidos, comecei a comer calmamente, estranhando tudo aquilo, é algo completamente raro dois de nós comermos juntos, imagine nós quatro no mesmo recinto e sem nenhum investidor ou cliente do meu pai…

Estava feliz, pois hoje não comeria sozinho. Pelo menos era o que eu achava nos primeiros 5 minutos, mas parece que ali eu me sentia ainda mais sozinho, não importa que estivéssemos um ao lado do outro, cada um estava em sua própria bolha.

Sasuke comia distraidamente com os fones de ouvido num volume tão alto que até eu podia escutar de onde estava, Otousan olhava alguns papéis os quais nem havia notado sua existência até agora, e minha Okaasan comia silenciosamente ora encarando o mais novo, ora olhando para o chão ou olhando para a parede atrás de mim.

Parecíamos um bando de estranhos, o clima era tenso e desconfortável, só se ouvia o barulho dos talheres e um pouco do rock nos fones do meu irmão. Eu fiquei encarando aquelas pessoas, queria conversar, contar sobre o meu dia, falar sobre minha preocupação com Haruki e pedir conselhos, queria que olhassem para mim, não para papéis ou paredes.

Queria que minha okaasan brigasse com o Sasuke e o mandasse sentar direito para comer e que meu otouto puxasse aqueles assuntos chatos sobre a empresa ou fizesse alguma piada ruim, queria que dona Mikoto tentasse se intrometer na nossa vida perguntando: "e as namoradinhas?", queria ver meu irmãos vermelho de vergonha e tossindo para tentar disfarçar…

Queria jantar em família, não entre um bando de pessoas que agem como se nem nos conhecêssemos. Quando percebi eu já encarava a todos com aquela mesma cara sem expressão e sentia um vazio no coração, a comida estava praticamente intocada no meu prato, pedi licença e me retirei, não aguentava mais essa tortura, acho que prefiro comer sozinho do que ver essa cena deprimente.

Vaguei sem rumo durante algum tempo andando pela enorme mansão, estava com os pensamentos longe, em uma uma criatura teimosa, tatuada, alta e de olhos e cabelos rosados. 

Meu coração disparou desenfreado e afoito quando ouço o toque do meu celular na sua música predileta, nossa música, Not Alone da banda Red. Com as mãos trêmulas e cobertas por uma fina camada de suor atendo meio desajeitado quase derrubando o aparelho.


-        Alô?

-     Itachi? - solto todo o ar que só agora percebo ter prendido, o alívio que senti ao escutar sua voz fora tamanho que cheguei a suspirar.

-       Sou eu, agora trate de me explicar que ideia foi essa de não me atender ou responder as minhas mensagens senhor sumido. - solto as palavras sem nem pensar, estava exasperado e muito preocupado.

-    Depois eu te explico amor, deixa o ciúme pra depois okay? Eu preciso da sua ajuda.

-       Do que você precisa? - falei no mesmo tom de seriedade que ele, meu coração apertou, sabia que algo havia acontecido desde o momento que vi sua expressão quando reencontrou a irmã. 

-      Que você me consiga uma vaga para Sakura na nossa escola, por favor.

-      Só isso? - algo estava errado, Haruki nunca pedia por favor e jamais falara comigo de maneira tão séria e direta.

-         Sim.

-    Aconteceu alguma coisa? - Acabei soltando a pergunta que tanto martelava em minha cabeça.

-         Nada que eu não possa resolver.... vai fazer o que eu pedi. - ele continua seco confirmando as minhas suspeitas, mas conhecendo Haruki como conheço, eu sei que ele irá me falar quando se sentir confortável, afinal sempre fomos assim, desde o começo.

-    Sim... claro... pode deixar, qualquer coisa sabe onde me encontrar - fui direto, mas fui sincero, pude ouvir o seu suspiro do outro da linha.

-       Obrigado. - e desligou, Haruki não está bem e eu sei disso, mas a maneira agradecida e mais leve como se despedira me tranquilizou. O rosado, assim como eu, não gosta de se expor, pelo menos não o que sente por dentro, mas sei que ele confia em mim e sabe que quando precisar eu estarei aqui, assim como ele sempre esteve pra mim.


Notas Finais


Entt povo, espero que tenham gostado, foi um pouco sad no início eu sei, maaax como não, afinal eu sou a rainha do drama né ksksks aí junta com a cabecinha dramática da dona Nanda, saiu isso, duax criaturas masoquistas que amam um belo drama kskskks é a vida.

Entt, Onigiri*: bolinho de arroz, é a comida preferida do nosso nenê segundo o tio kishi.

Aqui o link da música do nosso itaruki:

https://youtu.be/R0bXFzGjX-k

recomendo viu é MT foda.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...