1. Spirit Fanfics >
  2. Mais que um babá (Taoris-Kristao-ABO) >
  3. Capítulo vinte e dois

História Mais que um babá (Taoris-Kristao-ABO) - Capítulo 22


Escrita por: Galaxy_hailang e K_Any

Notas do Autor


Boa leitura!

Estávamos terminando o cap, é isso mesmo galera, acabou os capítulos prontos e agora é voltar a colocar as idéias em prática.

O cap está uma vibe mais vegana e afins.

Capítulo 22 - Capítulo vinte e dois


Fanfic / Fanfiction Mais que um babá (Taoris-Kristao-ABO) - Capítulo 22 - Capítulo vinte e dois


[Na manhã seguinte] 

Zitao ainda estava em sua cama afinal estava morrendo de preguiça de se levantar e ainda não se passava das seis da manhã, o que era o auge, era para está dormindo ainda mas não havia conseguido e bem, o motivo dessa falta de sono tinha nome e sobrenome.

Wu Yifan.

Sim, o ômega estava pensando no alfa, pensando no seu plano de fazê-lo cair aos seus pés e começou a pensar também nas variáveis, e haviam muitas. Zitao sempre foi emotivo, seus sentimentos sempre foram bastante intensos e aflorados, dependendo da situação é claro e pensado muito bem, lembrou-se de algo que Baekhyun lhe falou quando ainda não trabalhava para os Wu, o Byun havia feito um comentário na brincadeira, o qual era; "Vê se não se apaixona por ele!" Algo do tipo relacionado ao Wu, lembrou-se que riu disto também porém  havia  possibilidades disto acontecer, mesmo não querendo.

—Não Zitao, você não pode. —Falou para si mesmo suspirando, não poderia negar que achava Yifan estupidamente lindo, sexy e mais alguns adjetivos mas isso era apenas uma atração, tinha que ser senão estará na merda, talvez. —E se? —What if, agora era esta a questão, o que poderia acontecer se se apaixonasse por Yifan? Não saberia levando em consideração que o alfa demonstrou apenas desejo por si, pelo seu corpo e isso era algo que de certa forma magoava Zitao mas não deveria já que era este o propósito de seu plano, seduzi-lo e acabou, não cruzariam a linha e nem era para está pensando em cruzar e muito menos a linha. Sua mente realmente estava uma bagunça, deveria ser a falta de comida, estava com medo dos trovões e relâmpagos que não teve coragem para descer de madrugada e fazer um lanche. Iria comer por três no café e iria começar com o pré-café da manhã.

Já sonhado com uma boa caneca de chocolate quente e bolinhos recheados Zitao se levantou calçando os chinelos que lembravam pantufas seguindo para o banheiro; após escovar os dentes e lavar o rosto para despertar tirou as roupas e se enfiou debaixo da água quente, quente não, pelando. Mas quem se importava, era uma manhã fria e chuvosa o que era sinônimo de ficar deitado o dia todo e dormir ou maratonar filmes acompanhado de chocolate quente e mais algumas besteirinhas e claro, duas crianças. Com certeza a segunda opção. Saiu do box já vestido no roupão e seguiu na velocidade da luz para o closet, pegou um simples moletom e calça além de meias mas o que importa era que ficaria quentinho. Após se "arrumar" desceu para cozinha encontrando Kyungsoo nesta fazendo o café da manhã que em sua humilde opinião estava muito cheiroso.

—Bom dia Soo gege! —disse dando um pequeno susto do Do que lhe deu um tapa. —Ai que mau humor.

—Vai assustar seu pai.

—Ele não tá aqui mas faria isso.

—Coitado do seu pai. Acordou cedo, de novo.

—Não consegui dormir e a fome não deixou. Acredita que não fiz dois lanches nessa madrugada hyung? —falou seguindo até a geladeira, buscando algo para comer.

—Antes de dormir tome um chá que ajuda. Fiz chocolate quente e tem biscoitos ali, come até eu terminar o café seu buraco negro ambulante.

—Ai hyung eu te amo! —abraçou o outro logo indo pegar uma caneca enorme para colocar seu chocolate quente. —Tem mashimelows?

—Está na dispensa.

—Oba oba! —saiu correndo. —Ai Soo, eu adoro mashimelows!

—Você adora tudo Zitao.

—Eu também te adoro Soo. Just let me adore you...

Likes the only thing i'll ever do... —Kyungsoo completou e logo ambos riram.

—Não sabia que gostava do Harry gege. —disse colocando uma porção de mashimelows no chocolate quente e comendo alguns.

—Agora sabe. Como foi lá na empresa?

—Trabalho oficialmente para o Faniquito duas vezes. —Disse sentando-se em cima da mesa.

—Espero que dê tudo certo, não acho que vai ser fácil.

—Nada nessa vida é fácil gege.

—Não sobre isso, sabe? É muita coisa envolvida e logo você será uma figura pública, logo poderão saber de algumas coisas do seu passado e usar isso contra você. Essa é minha preocupação. —Kyungsoo olhou para Zitao. —E se isso te afetar?

—Eu pensei bastante nisso gege e cheguei a uma conclusão, não vou deixar isso me afetar, as pessoas podem saber algumas coisas de mim mas nunca saberão tudo, estou com a consciência limpa, só não posso baixar a guarda.

—Qualquer coisa eu encomendo algumas
mortes. —fala dando de ombros fazendo Zitao ficar espantado. —Que foi?

—Nada.

—Ah tá. O Min me falou que gostou de você, não só ele é claro mas enfim, fique ciente que naquele empresa têm todo quanto tipo de gente.

—Começando pelo Lei.

—O que ele fez, dessa vez?

—Respirou perto de mim.

—Ele me irrita a nível extremo, não sei porque não o matei ainda.

—É porque você têm consideração pelo Faniquito. Isso aqui tá muito bom.

—Eu sei lindo.

—Eu sei que sou. Mudando de assunto Soo, quando é que vamos poder falar do WeiMin?

—Quando você quiser.

—Tá. Por quê não têm fotos dele por aqui? Achei que deveria te muitas já que ele era muito querido.

—Ah as fotos... Quando ele faleceu ninguém ficou muito bem é claro e principalmente Zhihao aí o Kris pediu para Sehun tirar as fotos pois era difícil para ele ver Zhihao lhe questionando toda a hora coisas relacionadas a Wei não estar mais aqui.

—Imagino. —disse e já sabia o que fazer sobre as fotos. Como seu pai sempre dizia; "Fotografias congelam o tempo e eternizam momentos, memórias se vêm e se vão mas nada pode mudar algo que está guardado no coração." Sorriu com o pensamento.

—O que foi?

—Lembrei de algo que meu pai me disse quando eu era pequeno.

—Sobre sua mãe?

—Não tecnicamente, mas sim e não.

—Está me bugando pirralho.

—Desculpe. Hyung te falei que meu irmão é meu fotógrafo oficial agora?

—Luhan?

—Sim!

—Alguém com senso e paciência para você né.

—Aff hyung. Mas essa não é a melhor parte... Sabe o Lei? Então... —Contou o que Luhan havia feito em relação a Lei e Kyungsoo riu fazendo uma nota mental de contar para Minseok e Junmyeon.

—E o Kris? Ele não disse nada não?

—Se disse eu não sei, só falou para Lei sair da sala e ele tava muiiiito sério na hora.

—Vou buscar informações sobre isso.

—E me conta. Não mas têm outra mellhor parte. —Riu.

—Fala então.

—Envolve o Sehun e o Lu. —Se aproximou de Kyungsoo para contar o que achou das poucas intenções de ambos.

—Calma, você acha que o Sehun se interessou no seu irmão? —falavam baixo pois alguém poderia aparecer.

—Sim.

—Me mostra uma foto do seu irmão.

—Vou pegar meu celular, já volto! —saiu da cozinha correndo e acabou tombando com Yifan próximo a escada. —Aish Faniquito saia da frente.

—Você esbarra em mim e eu que tenho a culpa?! Por favor Huang.

—Sim e não me chama pelo sobrenome, tá parecendo meu pai. Eu em. Aliás, bom dia e licença. Dá próxima vez vou atravessar seu corpo, eu em. Ah, está muito bonito senhor Wu, very sexy... —riu e saiu dali subindo as escadas correndo e voltou na mesma velocidade mas encontrando Yifan na cozinha e com ele Jongin e Sehun. —Bonzur...

—Bom dia Taozi, ficamos sabendo que você têm o poder de atravessar matérias... —Sehun fala rindo e Zitao encara Yifan que riu fraco, Jongin estava ocupado comendo.

—Hahaha, suck my dick tá bom! Depois eu que sou o petulante, você me paga Faniquito, caro. —ameaçou e o alfa apenas sorriu, um sorriso um tanto cafajeste do jeito que Zitao gostava nele.

—Que baixaria Zitao, isso é coisa que se diga? —Kyungsoo fala em tom de repreensão.

—Desculpe hyung.

—Vou aderir. É super conceito.

—Não é? É sobre isso.

—Muito sobre.

—É super sobre.

—Tá, é sobre o quê? —Sehun estava tão perdido quanto os demais.

—Isso? —Zitao fala como se fosse óbvio.

—Isso o quê? —Jongin questiona.

—Isso oras. Vem hyung que eu te mostro a foto. —Foram para o outro lado da cozinha.

—Alguém entendeu?

—A única coisa que entendemos é que ômegas falam em códigos indecifráveis. Pra que isso? Eu realmente queria saber sobre o que era o "isso". —Sehun fala frustado.

—Você não viu nada Sehun, todos os dias eu tenho que fazer um cursinho para entender o que o Soo está falando. Ômegas são complicados. —Jongin fala a última parte baixo por segurança. Yifan estava pensativo, pensado no Huang é claro, já sabia que o ômega é muito bonito sem maquiagem e fica mais quando sorri da forma que fazia agora a pouco e também como este combinava com cores pastéis.

—Quando é que vão oficializar o namoro mesmo?

—Tô pensando numa forma, têm que ser inesquecível.

—Eu posso ajudar! —Zitao apareceu do nada assustando o Kim.

—Como?

—Em qualquer coisa. Quem você acha que ajudava meus irmãos com os crush? Meu pai? Nem na China e nem no BR. —se sentou ao lado de Yifan.

—Seus irmãos? O Luhan também?

—É Sehunnie, principalmente o Lu... —sorriu travesso. Zitao era as vezes como uma raposa traiçoeira e como toda boa raposa estava traquinando sem pensar nos problemas, e talvez por isso desceu a mão–discretamente– pela coxa esquerda do Wu e apertou devagar virando-se para este e sorrindo dócil, Yifan outro lado queria esganar Zitao, e talvez por outro lado aquilo pareceu uma tentadora idéia.

Eu já vou indo. —Yifan se levantou.

—Ainda não está cedo Faniquito? —olhou para cima. —A Lin vai ficar brava.

—Vou voltar para almoçar. Soo depois te aviso ok?

—Tá. Toma cuidado.

—Sempre.

—Eu te acompanho. —Zitao se levantou saindo dali com o alfa.

—Foi impressão minha ou o Kris ficou estranho do nada?

—Impressão sua Nini, —Kyungsoo notou bem o que estava acontecendo ali. —Sehun que ficou estranho. Quer nos dizer alguma coisa Sehun?

—Quê?

—Nini ele está escondendo alguma coisa.

—Até parece, eu não escondo nada de vocês.

—Se o Soo falou é porque é verdade. O que é?

—Por favor Jongin, quando foi que eu escondi alguma coisa de vocês?

—Deixa ele Nini, a verdade sempre será revelada e você Oh Sehun não me engana, eu sinto que você esconde algo. —Kyungsoo fala servindo o café.

—Zitao não precisa me seguir até aqui. —Yifan fala destravando o carro, Zitao dá a volta e entra no veículo e Yifan imita o ato. —O que está fazendo?

—Lá fora está frio Fanfan e bem, você vai mesmo ir trabalhar sem tomar café?

—Não é isso que quer perguntar não é? —Os olhares se encontraram e Zitao suspirou.

—Como sabe?

—Só sei. O que é?

—Tá, por que vai vim pra almoçar? Você nunca faz isso e se fazia eu não sabia. Então?

—Por que é tão curioso?

—Vai Fan só me responde. O que lhe custa em?

—Não vou falar porque você não sabe ser diacreto. —disse observando as feições de Zitao.

—Como ousa dizer isso? Se não quiser falar eu não vou insistir. —cruzou os braços ficando em silêncio por poucos minutos. —Vai Faniquito me conta, prometo não contar para ninguém.

—Você é insuportável às vezes.

—Assim você me magoa. Vai me diz, uh?

—Cale-se por um minuto Zitao.

—Faça isso você Faniquito. —Yifan se inclinou em direção ao ômega, deixando seus lábios a poucos centímetros de distância, ambos olhares mais uma vez se encontraram e a respiração de Zitao já começava a ficar irregular por está ficando nervoso com o olhar do alfa sobre si, com este tão perto.

—Você quer que eu faça...? —A pergunta saiu como um sussurro, Zitao queria sim que ele o fizesse, queria até demais para alguém que não sentia nada pelo alfa, desejo, é, essa seria a única explicação. —Me responde uh?

—E se eu quiser?

—Aí eu penso se devo ou não. —Não deveria mas queria.

—Você com certeza não deve, mas quer. —E Zitao também queria. Estaria aos beijos com o Wu naquele exato momento se o celular de Yifan não estivesse tocado. —Atende, deve ser importante. —Achou que era Lei e isso lhe chateou muito, mais do que deveria. — Eu já vou indo, ah, certeza que a Fada não vai ficar brava com você?

—Não, ela dormiu comigo então não vai e daqui a algumas horas estarei aqui.

—Ela está no seu quarto? Poderei entrar lá senhor Wu?  —Sorriu atrevido, Yifan odiava e ao mesmo tempo gostava desse sorriso do ômega. Gostava de coisas demais no Huang, isso poderia ser problema.

—Você entraria com ou sem autorização. —disse verificando de quem era a ligação. Era de sua mãe. 

—Sim mas estou tentando cumprir com as regras honey. —sorriu. —Já que tenho autorização, depois irei ver a Lin.

—"Honey" Zitao? —Yifan o olhou incrédulo.

—Qual é? Não seja chato Fannie.

—Chato é você.

—Obrigado mas deixando isso para lá, irei deixar as crianças dormirem mais um pouquinho hoje ok? Bye Honey. —Saiu do carro rindo, logo correu para dentro de casa. Yifan conectou o celular ao veículo logo retornando a ligação de sua mãe, em seguida saiu dali tentado não pensar muito sobre as palavras de Zitao e neste necessariamente, era muito errado está desejando o ômega e mais dele mas outra coisa que adimitiu ser errada era negar seus próprios sentimentos. Agora se encontrava num dilema, se entregar ao que realmente queria ou optar pelo certo? Mas o que era o certo e o errado?

Não sabia, não sabia de mais nada, a única coisa que sabia era que estava fodido, como Chanyeol houvera lhe dito logo quando contou sobre Zitao e as palavras do Park já faziam sentido e agora se encaixavam como peças num quebra cabeça.

Zitao passou na cozinha e após pegar seu chocolate quente subiu indo dar uma olhada nas crianças, não encontrou Zhihao em seu quarto então seguiu diretamente para o de Yifan. Assim que abriu a porta fitou ambas crianças dormindo juntinhas na cama do pai, iria tirar uma foto se estivesse com o celular mas não estava por isso se contentou em observá-las por alguns instantes, não era nenhuma novidade dizer que havia desenvolvido um sentimento enorme pelas crianças, poderia dizer sem sombra de dúvidas que as amava, amava como se fossem suas.

—Haohao? —Zitao ouviu a voz de Meilin soar no cômodo pouco iluminado. Se apressou para ir até a garota mas acabou tropeçando nos próprios pés fazendo um pouco do chocolate cair sobre seu moletom.

—Aff. —Deixou a xícara na mesinha ao lado da cama e se sentou na beirada desta. —Ainda está com soninho minha fada, volte a dormir sim? —Fez carinho nos cabelos da ômega que o abraçou o forçando a ficar ali. —Ok, Haohao vai ficar aqui com você. —Disse se deitando ao lado de Meilin e logo se cobrindo, não demorou muito para pegar num sono também. 

[...]

—Zitao foi e ficou, nem tomou café. —Kyungsoo fala, tomava café com ambos alfas.

—Será que ele dormiu de novo?

—Não sei, vou lá verificar. —Kyungsoo fala saindo dali seguindo para o quarto de Zitao, bateu mas não ouviu nada e por isso abriu a porta e não havia ninguém lá. Já sabia que Meilin houvera dormido com Kris e provavelmente Zhihao estaria no quarto do pai e se ambas crianças estavam lá Zitao também estaria. —Não pode ser, ele não seria tão atrevido.  —andou até o cômodo abrindo a porta devagar e viu os três dormindo na cama, Zhihao abraçando Zitao por trás e Linlin sendo abraçada pelo ômega, uma cena digna de filme, pareciam até uma família. — Daqui a pouco isso começará a se aprofundar, e talvez possa sair de controle.   —disse retoricamente. Logo pegou o celular e tirou uma foto, tinha que ter uma prova do crime.

—Oi Soozinho. —Jongin apareceu atrás do ômega que quase gritou de susto.

—Seu fela da mãe, vai assustar seu pai. —Kyungsoo lascou um tapa no alfa que lhe abraçou.

—Desculpe Soozinho. —Riu e bem, Kyungsoo amava aquela risada desse ser estabanado que era Kim Jongin. —Você está melhor?

—Tô Nini, não se preocupe.

—Se passar mal de novo me fala tá?

—Uhum, agora desgruda.  —Se separou do abraço, queria ficar ali mas o cheiro do alfa lhe fez ficar enjoado derrepente. —Os pais do Kris vão vim almoçar aqui hoje, quer ir comprar algumas coisas comigo? —Pergunto sorrindo.

—Claro Soozinho! —disse todo bobo pelo sorriso que ganhou do ômega, ah mas nem Zeus sabia o quanto Kim Jongin era cadelo de Do Kyungsoo.  Logo desceram para cozinha para avisar Sehun.

—Hum vamos no mercado, preciso de algumas coisas específicas para o almoço de hoje. —Sehun que prestava atenção no celular voltou a atenção para o casal.

—Eu posso ir fazer isso Soo. —disse em prontidão como sempre.

—Não precisa, cuida da casa sim? Não vamos demorar. —Disse indo pegar o cartão que Yifan havia o dado para fazer compras.

—Mas hyung–

—Te vemos daqui a pouco. Tchauzinho. —Puxou Jongin e saíram, não demoraria tanto,  só precisava de algumas coisinhas básicas para uma receita.

[...]

Wu's Company

—Amor, digo, aff, Kris, sério que terei que te chamar de senhor presidente ou senhor Wu? Eu sou seu noivo e acho isso desnecessário. —Lei fala após entrar na sala de Yifan sem ao menos bater na porta. Yifan levantou o olhar para o ômega e pediu silenciosamente para que se aproximasse.

—Primeiro; não entre na minha sala sem bater ok? Poderia está numa video-conferência ou outra coisa e seria interrompido por você. Segundo; sim, terá que me tratar formalmente assim como estou lhe tratando. Terceiro e último;  lembre-se que aqui é meu secretário, sabe que odeio misturar trabalho com vida pessoal. Fui claro o suficiente? —Lei nada respondeu. —Que bom que entendeu. O que queria perguntar? Se for sobre o trabalho lhe responderei.

—Ah, isso bem... Por que sairá antes do almoço hoje? Iria almoçar com um dos acionistas.

—Ah isso, remarque este compromisso ok? Para amanhã se der, não quero ficar adiando coisas do tipo e se não der cancele.

—Ok.

—Irei buscar meus pais em Incheon, irão almoçar lá em casa. Você pode ir comigo, se quiser é claro.

—Acho melhor ir direito para sua casa.

—Tudo bem. Era só isso?

—Ah não, lembrei de outra coisa. A XiaoTong...  ela comentou comigo que estão falando do... Zitao. Não sei, os demais modelos não gostaram da presença dele aqui sabe?

—Uhum.

—Só estou falando porque depois quando esse projeto for lançado, Zitao vai ganhar muito hate e não vai ser gratuito, sabe que tem muitos outros modelos aqui a espera de uma oportunidade maior.

—Esses que foram escolhidos na ultima seleção, a qual Zitao participou e não passou? Ah sim, despois isto será esclarecido porque se Zitao estivesse na empresa desde aquela seleção ele seria escolhido do mesmo jeito. Era só isso? Estou ocupado.

—Era. Licença. —Disse e saiu dali morrendo de ódio, Zitao era mais que uma pedra no seu sapato, era o pedregulho inteiro e acabaria com ele, custasse o que custar.

[...]

Mais tarde naquela manhã:

Yifan estava seguindo com seus pais para sua casa, eram quase meio dia.

Como anda meus netinhos? Faz um tempo que não os vejo. —Yifei fala.

—Bem.

—Zhihao não está dando trabalho para o babá? —questionou desconfiado.

—Eu já te falei sobre ele querido, não há melhor não é Faniquito?

—Mãe... —Yifan suspirou tirando risos dos mais velhos.

—Não seja chato. Como eu ia dizendo, Zitao é perfeito, assim como eu também lhe disse. —Olhou de maneira estranha para o marido e sorriu da mesma forma.

—O que disse mãe? —Yifan prestava atenção no trânsito e por isso não percebeu o olhar pretensioso da mãe.

—Só coisas boas, que Zhihao me disse é claro.

—É realmente um milagre, Zhihao gostar de um babá.

—Não é só ele,...—deu uma pausa— todos gostaram, incrivelmente.

—Todos...? —disse Xian baixo. —É excelente, não é querido?

—Claro. —Respondeu Yifei, sua esposa havia o atualizado sobre o babá e dado mais algumas informações e também disse o que se passava em sua cabeça, coisas mirabolantes que o Wu mais velho não levava a sério mas levaria, assim que conhecesse Zitao.

[...]

—E onde está a princesa mais adorável do vovô? —chegou de surpresa, proferindo alegremente, porém não teve muito sucesso na abordagem. Meilin estava nas costas de Zitao o fazendo de pônei enquanto este fazia a garota rir a cada flexão que fazia. Zhihao lia uma de suas várias HQ's, mas deixou de lado para cumprimentar seus avós.

— VOVÔ! Estava com saudades! —correu para abraçar o mais velho.

—E a princesa não vai cumprimentar o vovô? Vou ficar triste.

— Princesa fada senhor Wu pai do Faniquito. Ela atende por ele... WOW, Faniquito você é a cópia do seu pai... o senhor é realmente muito bonito. —sem nenhum pingo de vergonha na cara Zitao se dirigiu ao mais velho informalmente e este riu do atrevimento do babá, achou legal.

—Oh então agora Wu Meilin virou princesa fada? Vovô pede desculpas pela falta grave. —brincou se curvando, logo tirando uma risadinha fofa da neta que foi pega no colo pelo avô.

—Bem, prazer. Sou Huang Zitao, o babá dos seus netinhos. — se apresentou agora formalmente, o que fez o Wu mais velho rir.

—Me falaram muito de você.

—Ah, foi você não foi Faniquito? —apontou acusatório. —Olha senhor Wu, tudo que seu filho disse é mentira em, ele que é prepotente. Eu sou Huang Zitao e eu não sou brincadeira. Eu em.

—Tagarela, isso que você é. —disse mas estava mais interessado na roupa muito familiar que Zitao usava do que no seu falatório. Conhecia muito bem aquele moletom.

—Ya! Você vai deixar senhor pai do Faniquito? É desse jeito que eu sou tratado nesta casa. —fez todo um drama tirando mais risadas dos demais.

—Eu disse querido, ele é perfeito.

—Haohao é perfeito mesmo vovô, aliás, tenho que te mostrar todas as minhas relíquias.

—E quais seria?

—Minhas HQ's horas. Haohao me deu todas as dele. São todas legais! —disse animado, o que fez o mais velho sorrir.

—Então realmente gostam do babá?

—Claro vovô, quem não gosta? Ah, têm sim quem não gosta mas deixando isso pra lá, vamos ver todas as HQ's?

—Você está muito agitado querido, o vovô trouxe um presentinho pra vocês, está lá no carro.

—Vem, vamos pegar Linlin. Vem vem. —Pegou na mão da irmã e saiu dali apressado.

—O que deu pra eles no café Zitao?

—O de sempre Faniquito, a culpa não é minha se estão ligados no 220v. Falar nisso, por que não me disse que seus pais viam?

—Porque não lhe interessa.

—Wu Yifan... viram? Daqui a pouco está me agredindo. —Disse, Yifan negou com a cabeça subindo para seu quarto para trocar se roupa. —Já que ele já foi,... vamos conversar sim? Como pode o Faniquito ser tão parecido com o senhor? Qual seu nome mesmo?

—Zitao respira, você fala a cada cinco frações de segundo e eu nem sei quanto é isso. —Kyungsoo fala e Zitao o encara logo voltando a atenção para o senhor Wu que ria. — Como vai? —Kyungsoo abraça o senhor Wu e logo da um tapa. —Some e nem fala com os outros.

—Calma pinguim, que agressividade. Onde estão Kai e Sehun?

—Um minuto, não vai me responder não senhor Wu pai do Faniquito?

—Ele é sempre assim, se acostuma ou surta. —Kyungsoo fala e sai.

—Olha isso, eu estou ficando indignado, hoje é o dia de difamar Huang Zitao é? Vou processar todo mundo. —disse cruzando os braços, logo viu Meilin e Zhihao entrar ali, cada um estava com um urso de coelho enorme nos braços.

—Olha gege, essa é a Lisa e o da Linlin é o Gaspar. —Zhihao disse se aproximando, ajudando a irmã é claro. 

—Haohao... —A pequena mostrou o urso pra o ômega que se abaixou.

—Que gracinha Fadinha, é quase do tamanho do Pandinha. Você gostou?

—Uhum. —A pequena deu um sorrisinho.

—Então diga pro vovô as palavrinhas mágicas sim? —Zitao disse e a pequena se virou para o avô e proferiu as palavras.

—Fada. —sorriu fazendo Zitao rir.

—Não Lin, é obrigado.

—De nada. —Disse e Zitao riu ainda mais da cara de Zhihao.

—Não Fada, é pra agradecer o vovô pelo presente. Tipo, igual você faz quando o papai chega sim? —Zitao disse e então a ômega seguiu até o avô abraçando as pernas deste.

—Está muito serelepe fadinha. —Xian fala apertando a bochecha da neta que sorri correndo em direção a Zitao.

—Isso deve ser influência, não é Zitao?  —Yifan descia as escadas. —Zhi leva o Gaspar e a Lisa pro quarto.

—Já volto! —disse pegando as pelúcias e subindo.

—Aff, qual foi em Faniquito? O que eu te fiz? Eu sou tão injustiçado meu Deus...

—Olá. Como foi a viagem? —Sehun aparece com Jongin.

—Excelente Sehun, como vai vocês? E você Jongin, está finalmente com o Soo?

—Eles acham que ninguém sabe mas é tão óbvio. —Sehun fala rindo, logo Kyungsoo parece lhe dando um soco. —Ai Soo...

—Te orienta em Sehun, fala pra eles do seu namorado. —Fala e sai dali.

—Ele não muda. Vamos nos sentar sim? —Xian fala, logo estavam acomodados na sala, Zitao estava sobre o tapete com Meilin em seu colo.

—Namorado? Quem é Sehun?

—Não, não estou namorando. —sorriu nervoso.

—Sei. —Yifei fala e Zitao ri fraco.

—Do que tá rindo Tao?

—Nada Sehunnie, eu em.

—Quando você sorri assim é porque está pensando em algo ou planejando. —Yifan fala.

—Como?

—Parece que o conhece muito bem filho. —Yifei comenta como quem não quer nada e Xian sorri cúmplice.

—Então, como foi a viagem? Estava na Europa certo?

—Sim, a última parada foi na França.

—Olha Lin, seu vovô estava no país da Bugboo e nem te levou. —Zitao fala e a menina encara o avô.

—Feio. —Pronuncia baixo e Zitao ri.

—Depois não está influenciando ela não é?

—Faniquito, olha,... seu chato. —Yifan negou com a cabeça e o ômega lhe mostrou língua.

—JONGIN, ONDE ESTÁ AQUELA TIGELA DE PORCELANA AZUL?

—Você quebrou Kai? —Sehun questiona.

—Ela escorregou oras, aí quebrou. —Sorriu nervoso e logo Kyungsoo apareceu ali.

—Kim Jongin, o que você aprontou?

—Então Soozinho...

—Vem cá, se prepara porque eu vou te bater. —Disse e Jongin seguiu em direção ao ômega que puxou sua orelha.

—Ai Soozinho.

—Você vai lavar a louça, vai agora e se quebrar alguma coisa te parto em três. —disse saindo dali com o Kim.

—Normal. Enfim, vou ajudar o Soo a terminar o almoço, licença. —Sehun fala e se retira.

—Ele está estranho. —Xian fala.

—Eu também percebi.

—Deve ser coisa de alfa né Xian. —Zitao fala dando de ombros.

—Coisa de alfa?

—É senhor Wu.

—Me chame de Yifei apenas.

—Até o nome é parecido, quer dizer, aff vocês se parecem muito mas enfim, já que me deu essa liberdade vou lhe chamar de Yifei sim, na verdade estava apenas esperando me dizer seu nome para chamar pelo mesmo. —Sorriu e Yifei riu.

—Bem que o Kris disse que você é petulante.

—Quê? Faniquito seu...—Pegou a almofada e jogou no alfa seguida por outras. Linlin começou a rir da situação.

—Eu falei que ele não me respeita, olha a audácia. —Fala.

—Eu vou me vingar, ai você vai ver a audácia Fanfan. —Fala sorrindo.

—Uhum, claro.

—Gege gege, eu tô passado chocado com a reviravolta da história, não acredito que era ele o vilão...—Zhihao desce as escadas correndo e se joga ao lado de Zitao.

—Não pode descer as escadas correndo Fado, e se você caísse? Em criatura? —Aperta as bochechas de Zhihao.

—Gege fado não.

—Você é chato igual seu pai. Espero que não seja chato igual ao Fan senhor prepotente pai do Faniquito, Yifei. —Fala.

—Eu não sou chato. —Ambos falam ao mesmo tempo.

—Viu Zhi? Não seja chato igual ao papai e ao vovô.

—Sim gege, agora falando da história...

—Sinceramente  Zitao...

—Beijos Faniquito, beijinhos, beijinhos. —Disse mandando beijos pro Wu no maior deboche e claro, sorrindo. Logo estava conversando com Zhihao sobre as história dos quadrinhos para passar o tempo até o almoço.

—Vamos almoçar? —Kyungsoo aparece avisando.

—Daqui dá pra sentir o cheiro, deve está maravilhoso pinguim.—Yifei fala, tratava Kyungsoo como um filho.

—Ain Kyungsoo, eu tô tipo muito faminto. Morrendo de fome.

—Você fala isso sempre Zitao.

—Mais eu não comi nada essa manhã Yifannie. E pra constar eu não fiz meu lanche da meia noite, das três, pulei o café e não belisquei nada do pós café. Eu tô aguentando até agora. —confessou um tanto manhoso para o gosto de Yifan, não poderia confessar mas achava incrível a forma como Zitao mudava da água pro vinho.

—É verdade, e até agora eu tô chocado com isso. Enfim, nem sei como não desmaiou ainda.

—Não empurra que eu já tô na beira... tentando não morrer aqui. Posso ir primeiro? Com licença. Vamos fada e fado. —saiu com ambas crianças e de repente a campainha tocou. Segundos depois estava Guan Lei presente na sala.

—Senhor Wu, como está? A viagem a Europa foi produtiva?

—Você não imagina o quanto.

— Fico feliz. Bem, aqui... um presente.

—Espero que não seja nada demoníaco.  —Zitao apareceu para a infelicidade do Guan que sorriu falso. —Ah sorry, hoje estou numa vibe mais... enfim calei. Licença.

—O que achou do babá senhor Wu? Espero que ele não tenha causado desconforto no senhor, bem, ele é um pouco—

—Sincero? Ou audacioso? Melhor, engraçado? Ou tagarela como Yifan o denomina. Sinceramente eu gostei bastante do Zitao.  —riu divertido logo agradecendo pelo presente. —Vamos então?

—Sim claro. Oi amor. —Se aproximou de Yifan lhe dando um selinho rápido, claro que o casal Wu viu e bem, não gostaram assim como Kyungsoo que revirou os olhos mas manteram as reações neutras. —Agora podemos ir almoçar, como estão as crianças?

—Bem.

—Então Lei, sua irmã está aqui não é?

—Infelizmente. —Kyungsoo fala.

—Sim. —Repondeu a Xian. Logo estraram na sala de jantar e viram os três sentados a mesa.

—Achei que já tinha começado a comer Tao.

—Vontade não me falta Soo hyung mas eu não seria tão desprovido de educação assim afinal, eu aprendi a respeitar  os mais velhos, menos o Fan é claro. Ah, oi Lei. Dê oi pro Lei crianças.

—Oi. —Disseram juntos.

—Vamos adiantar por favor, eu Wu Zhihao estou com fome.

—Fome!

—Sim senhorita serelepe. Vamos comer.

Após o almoço longo e cheio de conversas aleatórias, o senhor Wu brincou com os netos até estes pegarem no sono. Logo depois foi ter uma conversa mais descontraída com Zitao com direito a bebidas e tudo mais. E não era qualquer um que ganhava a admiração e atenção de Wu Yifei.  Realmente achara o Huang uma pessoa divertida e espontânea, apesar de ser mais tagarela levemente alcoolizado como havia proferido.

—Eu disse antes, não estou bebado, só levemente alterado. Aliás,  gostei dessa batida. É bem docinha.

—Eu vou gravar isso. —disse Kyungsoo observando a situação, rindo é claro.

—Não seja serelepe Soozinho.

— Você gosta de qualquer jeito Nini. —disse baixo só para o alfa ouvir. Este boiolava mais uma vez pelo ômega.

—Sabe Yifei, eu Huang Zitao gostei muuuito de você. —falou meio embolado e logo rindo. —Sério, prefiro você, cá entre nós, o Faniquito é um chato.

—Eu tô ouvindo Zitao.

—Jura? Eu achei que falei baixo oras. —disse se apoiando na bancada. —Bem, já que você tá ouvindo, eu vou te expor. —olhou para Yifan e riu. —Eu vim expor o Kris! —Os outros apenas riam, e claro que Yifan também riu. Lei havia saído, mas logo voltaria.

— E o que você tem a dizer sobre mim hum? —encostou-se no batente da porta observando um Huang totalmente corado e bem, fofo mesmo levemente alcoolizado.

—Ele, —apontou rudimente para Yifan. —ele roubou a chave da minha casa, a chave do meu carro, roubou minha bolsa, e o pior, minha alma, meu coração... —Proferia tudo em inglês, tirando risadas de todos. Yifan apenas sorria contido. —Ele me disse coisas horrorosas, e eu chorei, chorei, chorei. Ele estava tipo: pi***... p****... e eu: stop please! Stop! And i cry, i cry, i cry. Isto é a devil face! —aponta para a cara de Yifan. Do outro lado Kyungsoo morria de rir junto com Jongin. —I got to you... I'm so sorry Kris. —e como se fosse natural, mudou de assunto rapidamente. —Humm, essa daqui também está doce. Eu já disse que amo doces? Bem, devo contar algo—

—Acho que você já falou demais tagarela. —disse se aproximando e tomando o copo da mão de Zitao.

—Eu acho que não em... deixa eu terminar de beber.

—Ele tá doidinho já. —Sehun que estava muito ocupado no celular proferiu dando atenção a cena. —Melhor levar ele pro quarto.

—Poderia ter pegado leve com ele pai.

—Me empolguei? —riu achando a situação hilária. —Serei mais cuidadoso da próxima vez.

—E foi assim que fiquei tolerante a álcool. —disse Kyungsoo rindo. Este foi outro que passou pela mesma coisa com o pai de Yifan. —Estou em um nível superior. —se gabou.

—Eu vou levar ele, e vocês, arrumem essa bagunça. —ditou antes de pegar o ômega e levá-lo para cima. Zitao acabou abraçando o alfa de mal jeito em quanto era levado para seu quarto, assim que chegou no cômodo Yifan o deixou sobre a cama o cobrindo. Ia saindo do cômodo quando ouviu a voz do ômega lhe chamar, se virou vendo Zitao vir até si devagar.

—Volta pra cama. —disse encostando a porta novamente.

—Me beije intensamente antes de ir, Fanfan. —Disse bem próximo do alfa, estavam a centímetros  de distância um do outro.

—E não vou fazer isso, você nem sabe o que está falando. Vamos, volte pra cama.

—E isso importa? Você quer, eu quero então vamos parar de enrolação. —Disse roçando seus lábios aos do alfa que o virou bruscamente o encostando na porta. —Puta que pariu... —sussurrou baixo antes de ser beijado pelo alfa que o prensava mais e mais contra a porta deixando ambos corpos roçarem um no outro, Zitao levou a mão para  a nuca do alfa puxando os cabelos deste de leve em quanto sentia a mão deste em sua cintura apertando aquela região com certa força já que a outra mão estava no rosto do ômega. A verdade é que ficaram naquela situação por alguns minutos até estarem um pouco satisfeitos, um pouco.





[Continua] 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...