História Mais Que Uma Aposta - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Amizade, Amor, Comedia, Esporte, Família, Festa, Luta, Novela, Romance
Visualizações 7
Palavras 1.844
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, LGBT, Luta, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


OOOOIII olha quem voltoou com mais um cap lindo para vcs!! Sem mais delongas boa leitura e espero que gostem..

Capítulo 22 - Melanie Werrs


Fanfic / Fanfiction Mais Que Uma Aposta - Capítulo 22 - Melanie Werrs

Minhas mãos não pararam de tremer todo o caminho até a casa de Scott, era começo da noite e eu trajava um vestido rosa bebê simples na altura dos joelhos de manga e um casaco de crochê branco, queria parecer o mais delicada possível, talvez assim a mãe dele não achasse que eu fosse uma louca que seduziu seu pobre filho.

-Já falei que não precisa ficar nervosa. – Scott sorria e segurou minha mão enquanto parava o carro de frente a um prédio antigo. – Chegamos.

Sair do carro olhando o prédio de cor verde musgo desbotado que se encontrava espremido no meio de outros prédios maiores e mais vistosos, o prédio parecia meio velho e o bairro era em um lugar mais afastado do centro, olhei as janelas que em sua maioria estavam fechadas em um vidro escuro e imaginei quem eram as pessoas que moravam ali, o ar parecia mais gelado em torno dele e me sentir em um filme antigo de Hollywood, talvez se estivesse chovendo poderia fazer uma apresentação de dançando na chuva. Rir do meu próprio pensamento enquanto Scott me olhava confuso.

-Vamos? – Perguntou apontando a porta de metal escuro na entrada.

-Claro. – E ali estava eu novamente ansiosa.

A entrada era pequena e tinha apenas um tapete no chão escrito bem-vindo e ao lado esquerdo um local para caixas de correspondências, algumas bem cheias de cartas, na minha frente tinha uma enorme escada com corrimão.

-Qual andar você mora? – Agora minha preocupação era subir várias escadas e chegar à casa de Scott parecendo uma corredora no fim de uma maratona toda suada. Maldito sedentarismo.

-Segundo, minha mãe não pode fazer muito esforço subindo escadas. – Explicou e respirei mais aliviada, suor eu não teria.

Após subir dois lances de escadas finalmente paramos em frente a uma porta de madeira e o número 4 pendurado.

-Pronta? – Ele parecia ansioso.

-Nem um pouco.

E com um sorriso Scott abriu a porta.

-Mãe? – Chamou assim que entrou pela casa.

Estava quente ali dentro, um quente confortável e que dava uma sensação agradável ao ambiente que percebi ser pequeno. Na entrada, a sala tinha um grande carpete bege que cobria todo o chão e me perguntei se seria apropriado tira minha sapatilha branca, mas Scott não tirou seu tênis então fiquei quieta. Um sofá simples de um marrom claro ficava no meio da sala e em sua frente uma televisão plana em cima de uma bancada simples preta e uma mesa de centro quadrada com tapa de vidro entre o sofá e a televisão.

-Querido. – Uma voz gentil e feminina saiu do corredor na parede oposta a porta. – E essa deve ser Mia.

A mãe de Scott não perdeu tempo em me abraçar de forma tão calorosa que me sentir feliz.

-Fico muito feliz em finalmente te conhecer senhora Werrs. – Falei tímida quando ela quebrou o abraço.

-Eu que fico feliz conhecer você, e por favor, só Melanie, senhora me faz parecer mais velha que sou. –Soltou uma pequena risada. -Acredita que Scott não parou de falar a semana inteira sobre a sua vinda. – Deu um sorriso em direção ao filho que arregalou os olhos.

-Mãe. – Ele repreendeu. – Ela está exagerando. – Me olhou balançando a cabeça.

-Sei. – Respondi com uma risada. – Melanie. –Falei vendo seu sorriso aumentar.

Eles dois eram extremamente parecidos, ela tinha os mesmos olhos da cor do oceano que Scott e o mesmo cabelo apesar dos dela serem longos e estavam presos em um rabo de cavalo, seu rosto era pequeno e delicado em formato de coração, mas diferente de Scott sua pele era pálida, de certa forma tão pálida que dava um ar meio fantasmagórico para ela, principalmente em contraste com o cabelo escuro.

-Deve está com fome, vamos comer. – Falou me direcionando a cozinha ao lado esquerdo de onde estávamos.

Sentei-me na cadeira na mesa redonda de quatro lugares, não pude evitar um sorrisinho quando Scott puxou a cadeira para mim.

-Espero que goste de Bucatini all’amatriciana. – Falou animada.

-Claro, adoro. – Sorri enquanto ela virava para o fogão e eu olhava confusa para Scott. – O que? – Sussurrei e fiz uma careta para cara dele querendo rir.

-É tipo um espaguete com um macarrão mais grosso, leva molho à base de tomates, guanciale e queijo pecorino. – Respondeu baixo com um sorriso.

Depois de colocar os pratos, a salada e finalmente a panela com o macarrão que fez minha barriga pula de felicidade só pelo cheiro embriagante.

-Tudo parece maravilhoso senhora Werrs. – Seus olhos estreitaram um pouco. – Melanie, desculpa. – E ela sorriu sentando na nossa frente.

-Não se acanhe, fique a vontade, o que mais aprecio é alguém com um bom apetite. – Ela não precisava repetir, meu estomago quase gritava morto de fome, minha ansiedade não tinha me deixado comer quase nada no almoço ou à tarde.

Coloquei um pouco de salada no prato e o macarrão quase gemendo na primeira gafada.

-Isso é uma das melhores coisas que já provei. – Falei depois de engolir tudo.

-Me sinto lisonjeada. – Respondeu sorrindo. – Mas Mia, me fale um pouco de você, tudo que sei ao seu respeito é o que Scott me conta.

-Bem, não tenho muita coisa para falar, eu moro com meus pais, eles são contadores, sou filha única e tenho 17 anos, também tenho uma grande amiga que também é minha vizinha. – De certa forma minha vida não era a mais agitada ou interessante, mas eu era feliz assim.

-Isso é muito bom e você é muito próxima dessa amiga?

-Sim, ela é como uma irmã para mim o nome dela é Lina.

-Sempre quis um amigo assim para Scott, ele foi uma criança muito sozinha. – Olhei para o filho que tinha a cara focada no prato e nos olhava de relance. – Mas acho que ele se saiu bem. – Seu olhar para seu filho era extremamente orgulhoso.

-Sim, Scott é uma das melhores pessoas que já conheci. – Falei o vendo lançar um olhar mais longo em minha direção e depois sentir sua mão embaixo da mesa apertar meu joelho.

-Tenho muito orgulho de tê-lo como filho, ele sempre se esforçou muito para me ajudar, mesmo estudando tanto e treinando no time da escola, já até peguei ele diversas vezes estudando altas horas da madrugada.

-Ele é muito esforçado em tudo que faz. –Sorri enquanto comia aquele macarrão que estava incrível.

-Sim, sim além de ser um fofo não é? – Alisou o cabelo dele.

-Mãe. – Ele parou de comer para balançar a cabeça para ela.

-Qual o problema? Eu tenho orgulho do meu lindo filho que também é muito fofo, você sabia Mia que até hoje Scott dorme com o...

-MÃE! –Scott interrompeu parecendo desesperado. –Tenho certeza que Mia não deve ter muito interesse em coisas assim.

-Se engana você, seja o que for estou muito interessada em saber, por favor, Melanie continue. – Meu sorriso era divertido e tampei a boca do Scott vendo sua mãe rindo com o ato.

-Quando Scott era pequeno eu comprei para ele um urso do Barney, ele amava o programa e até hoje ele tem, inclusive dorme com ele todos os dias. – Scott parecia nervoso e fechou os olhos em protesto.

-Serio? – Olhei para ele e cutuquei sua bochecha descobrindo sua boca.

-Não faço ideia do que ela está falando. – Fez uma careta.

-Não se faça de sonso. – Ela deu lhe tapa leve em seu braço e ele riu em troca.

Eles pareciam tão felizes juntos e se dando tão bem que era quase impossível imaginar aquela mulher sorridente sofrendo o que sofreu.

Depois terminamos de comer eu me prontifiquei para lavar os pratos, mas Scott me parou e disse que eu era convidada e ele mesmo foi lavar e secar os pratos enquanto eu estava sentada no sofá junto com sua mãe.

-Devo dizer que ele não exagerou em dizer que era muito bonita. – Falou baixo para que Scott não escutasse.

-Ele disse? – Me sentir meio envergonhada.

-Sim, na verdade umas mil vezes no mínimo. – Riu. – Além de falar como era divertida e legal e como eu ia gostar de você.

-Nossa não sabia que ele tinha falado tanto de mim.

-Não posso mentir que fiquei com um pouco de ciúmes. – Tocou meu joelho. – A vida inteira eu fui a única mulher da vida dele, Scott nunca namorou, como eu falei ele foi uma criança muito sozinha.

-Nunca tipo nunca? – Era difícil imaginar um cara bonito como Scott nunca ter namorado. – Mas ele pelo menos deve ter gostado de alguém certo?

-Você é a primeira Mia. – Apertou um pouco meu joelho. – Scott sempre viveu muito por mim e pela minha saúde que se mostrou fraca, você deve saber sobre nosso passado. –Olhou para o filho que estava na pia ainda lavando as panelas.

-Ele me contou. – Sussurrei.

-Imaginei, bem depois que nos mudamos para cá Scott só tinha sonho com a bolsa de estudo e com uma melhor condição para nós dois, ele achava perda de tempo namorar e nunca procurou gostar de alguma garota, fiquei bem surpresa quando ele me falou de você, então claro que uma parte minha ficou com ciúmes, mas vendo meu filho assim feliz como nunca vi me fez esquecer esse ciúmes, acho que nunca o vi tão leve e sorridente.

Estava tão surpresa com a fala dela que só conseguia olhar para Scott, ele nunca tinha gostado de ninguém? Meu coração apertava cada vez mais.

-Eu gosto muito do seu filho. –Olhei para ela. –Mais do que imaginei ser possível.

-Tenho certeza que sim, tenho olhos e vejo como vocês se olham. – Ela pegou minhas mãos juntando nas suas. – Só quero pedir uma coisa.

-Claro.

-Cuide bem do meu filho, ele já sofreu demais e tudo que mais desejo na vida é a felicidade dele. – Seus olhos da mesma cor do seu filho eram sinceros e ansiosos.

-A felicidade dele é tudo que quero também. – Murmurei com o peito doendo.

Ela sorriu carinhosa para mim e retribui com um pequeno e sincero sorriso.

Depois de lavar e secar os pratos Scott se juntou na sala, mas sua mãe disse que ia para o quarto.

-Hoje o dia foi cansativo e meu corpo não é mais novo como o de vocês e cansa fácil.

-Não se esqueça de tomar seus remédios. – Scott se levantou para deixar um beijo em sua testa e ela retribuiu com um beijo na testa dele também.

-Fique a vontade minha querida. – Ela me deu um último abraço apertado. – Mas, por favor, juízo viu estou velha, mas não tanto para ser avó ainda. – Falou me deixando tão vermelha quanto um tomate e percebi pelo canto dos olhos que Scott fazia uma careta e estava tão vermelho quanto eu.

-Boa noite Melanie. – Sorri tímida vendo ela indo para o corredor.

-Minha mãe às vezes exagera no que fala. – Falou Scott coçando a cabeça.

-Tudo bem.

-Você quer fazer alguma coisa?

-Na verdade estou um pouco curiosa para conhecer uma parte dessa casa. – Uma parte que ansiava conhecer desde que o conheci.

-Que seria?

-Seu quarto.

Ele sorriu enquanto pegava minha mão me levando pelo o corredor.


Notas Finais


Não esqueçam de comentar e favoritar e muiiito obrigada pelo carinho de vcs...Até a proxima..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...